Landra escrita por Gislane Brito


Capítulo 6
Angelo, Nathan e Téuron


Notas iniciais do capítulo

A inteligência humana tem limites, mas não sua ignorância!



Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/725351/chapter/6

O homem foi levado a uma câmara de segurança máxima na Lamarus e após passar por todos os exames que incrivelmente, confirmaram sua integridade física, ele foi interrogado.

— O senhor tem um nome, é claro!

— Sim, minha memória não foi afetada. Meu nome é Angelo Virtus. Que lugar é este? Uma delegacia ou outro laboratório do governo?

— Só tenho permissão para lhe dizer que o senhor foi trazido para cá para sua própria segurança!

— Pode ser, mas meus irmãos estão correndo perigo. Vocês têm que ajuda-los! O grupo terrorista que me mantinha prisioneiro garantiu que se eu não fizesse o que eles pedissem, eles matariam meus irmãos. Por favor, ajude!

— Informe a localização da residência deles que enviaremos agentes para investigar...

— Investigar? Sei exatamente onde eles estão... Se vocês tiveram a capacidade para me deter, salvar minha família deveria ser uma tarefa simples!!!

— Por favor, Senhor Virtus... Mantenha a calma! Faremos tudo em nosso alcance para libertá-los dos terroristas!

A Tenente Tilany sabia que ele falava a verdade, mas também sabia que o protocolo deveria ser seguido. Durante toda a ação dos terroristas e mesmo após captura do mutante, todas as transmissões monitoradas confirmavam as informações dadas por Angelo. Sua família foi levada a um local secreto e salva da vingança do grupo de terroristas.

A mutação genética de Angelo conferiu a ele o dom da invulnerabilidade e o poder de absorver energia e liberá-la como uma catastrófica onda de choque. O grupo de fanáticos que se autodenomina Guerreiros da nova Ordem pretendia usar Angelo como homem bomba por várias vezes para poupar os outros membros e para isso, ameaçava sua família. Sua última missão seria eliminar Leudrius! Motivo: Eles não sabiam! Eles diziam receber ordens do Profeta e quando eles morressem seriam recompensados no paraíso...

 

Landra havia se unido a seus companheiros para tentar atrapalhar os planos dos terroristas. As redes sociais se tornaram poderosas armas de contra propaganda nas mãos de Carol. Charlie e Mariana se voluntariaram em uma Organização não governamental que abrigava pessoas especiais, a Fundação Raro, especialmente aquelas que haviam sido procuradas por grupos radicais. Assim, eles obtinham informações privilegiadas do submundo mutante. As perseguições, o preconceito, a caçada implacável pelos grupos de extermínio e também os que buscavam justiça com as próprias mãos ou simplesmente, se achavam acima do bem e do mau. Um desses seres planejava se encontrar com Landra.

Nathan Rody nascido no interior gélido do Alasca em uma família rica cresceu cercado de cuidados e nunca passou por qualquer tipo de humilhação ou privação. Mas desde bem cedo descobriu que podia mover objetos com o poder de sua mente. Muito culto e com uma incrível capacidade de persuasão, ele se convenceu de sua superioridade. A vida de outras pessoas pouco valia para ele. Tratava seus próximos como um déspota trata seus mais humildes servos, com desprezo e indiferença. Ele era líder de uma organização criminosa que controlava o tráfico de drogas, prostituição e jogos de azar em boa parte do planeta. Mas na sua cabeça, um deus como ele merecia muito mais. Todo aquele que se atrevesse a desafiá-lo era julgado e condenado a morte pelas suas próprias mãos. Centenas já haviam morrido. A sensação de poder sobre a vida e a morte era como um vício para ele. Com a ajuda de Landra, comparsas de Nathan já haviam sido impedidos de cometerem crimes desde assaltos até estupros.  Mesmo sem saber, Landra já estava em sua lista de inimigos a serem eliminados. Ela também sabia que os criminosos que ajudou a colocar na cadeia eram apenas “peixes pequenos”. Seus amigos da polícia a mantinham informada sobre as investigações que os levariam até o chefão.

 

No início dos preparativos para as festas de fim de ano, um grupo de estranhos mascarados em uniformes militares invadiram uma pequena cidade americana próxima a Las Vegas em uma van blindada. Bem no meio do expediente, anunciaram o assalto rendendo facilmente os vigias do principal banco da cidade. Em meio ao caos, um dos clientes do banco não demonstrava medo. Enquanto alguns choravam e rezavam implorando por suas vidas, ele ouvia atentamente a conversa dos criminosos que esvaziavam os caixas e torturava bancários. O cliente era um arioniano dissidente interessado em fazer aliados e profundo conhecedor das organizações criminosas mais poderosas da Terra. Durante a fuga, a quadrilha fez quatro reféns e o arioniano se ofereceu para ficar no lugar de um idoso que eles haviam escolhido. Os criminosos aceitaram a troca e depois deixam a agência sem se preocupar com os policiais locais. No carro, em um momento de comemoração, o falso refém usou uma arma que atordoou todos os bandidos, exceto o motorista. Este último, foi desarmado e obrigado a libertar todos os reféns numa estrada de pouco movimento. O arioniano gentilmente, e ainda com sua arma em mãos, solicitou ao motorista que ficasse ao lado dos companheiros desacordados e com um toque no pulso, todos despareceram em múltiplos feixes de transporte.  

Quando a polícia os alcançou, só encontrou o produto do roubo em uma van vazia.

Na Lursax, os criminosos abduzidos foram acordados e logo perceberam que não seria uma tarefa simples deixar aquele lugar. O “refém herói” sorria enquanto os observava do outro lado de uma barreira invisível.

— Ei, herói idiota! Como viemos parar neste lugar? Quem é você?... Não importa, você não vai viver muito tempo mesmo! Logo o chefe vai descobrir o que aconteceu e você vai morrer na nossa frente... Então, veremos quem vai sorrir por último!   

— Que bom que vocês acordaram... O Senhor Rody é um homem de muitos talentos, mas eu realmente duvido que ele conseguisse chegar aqui sem ajuda! Dirijam-se a mim, como Capitão Téuron... Vocês estão na nave arioniana Lursax. Agora que sabem onde estão, ouvirão com atenção o que tenho a propor...

— Capitão? O senhor é do exército ou marinha? Que lugar é esse? Nós temos o direito de ligar para nossos advogados...

— Calma senhores, não precisam se preocupar. Não somos da polícia e nem das forças armadas.

— O Capitão Téuron cometeu um erro grave nos trazendo pra cá... Seja lá onde for aqui! Nosso líder é um homem poderoso...

— Claro que sim, sabemos tudo sobre Nathan Rody e queremos que os senhores levem nossa proposta até ele!

— Proposta? O que são vocês? A última organização concorrente que tentou se esgueirar pelo nosso território, nosso chefe gentilmente os mandou “comer capim pela raiz”! Escute minha proposta: Devolva o dinheiro, nos liberte e não falamos nada sobre vocês para nosso patrão!... O que o senhor acha, capitão?

— Vejo que terei que usar outra tática de persuasão!

O capitão desligou o campo de força e os criminosos imediatamente avançaram sobre ele. Segundos depois eles foram atingidos por um raio que os mergulhou em um mar de agonia. E em meio aos gritos, mantendo uma voz calma e compassada, Téuron continuou:

— Agora eu tenho a atenção dos senhores?

Enquanto eles gemiam de dor no chão, o capitão Téuron calmamente explicava a proposta:

— O Senhor Rody é um mutante poderoso e temos interesse em ajudá-lo! Temos conhecimento e tecnologia para ajudar com os “negócios da família”. E a única coisa que pedimos é que ele nos envie outros mutantes da organização e também seus convidados por assim dizer! Se ele quiser, mando depoimentos dos nossos outros associados comprovando as grandes vantagens em sermos amigos... 

A onda de dor excruciante já havia diminuído e os homens exaustos permaneciam sentados no chão com medo de levar outra rajada daquele raio.

— Tudo bem, nós vamos dar uma chance para você, Capitão Téuron! Levamos a sua proposta para nosso patrão!

— Ah! Não se esqueçam de levar este aparelho de comunicação pra ele! Não se preocupem... Os senhores serão levados em segurança para casa...

Téuron entregou um comunicador para o líder da gangue e fez um sinal para que guardas entrassem na sala e preparassem os homens para o retorno a Terra.

Momentos depois, Erad recebeu mais uma mensagem de seu aliado informando a conclusão de mais uma etapa de seu plano.


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!


Notas finais do capítulo

Comentários, por favor!!!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Landra" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.