Quase humano escrita por Arisusagi


Capítulo 18
Órgão




O clima estava tão pesado que Asahi mal conseguia respirar direito. Ao longe, dava para ouvir uma música fúnebre, tocada em um órgão.

Parado em sua frente, estava o fantasma preto, com seu corpo fino e comprido que dava arrepios em Asahi. Cercando os dois, havia uma poça de sangue.

Asahi tremia, mas não conseguia mover um músculo sequer. A criatura se inclinou em sua direção, e a música foi ficando cada vez mais alta, até ser a única coisa que ele conseguia ouvir.

O fantasma estendeu a mão em sua direção e tocou seu rosto com uma garra, deslizando-a lentamente enquanto a afundava cada vez mais em sua pele. O sangue escorria pelo seu pescoço e  ele queria gritar, mas não conseguia.

Asahi acordou em um pulo, encharcado de suor e tremendo muito. Ele conseguiu pegar no sono com muito custo naquela noite, mas, pelo visto, não tinha dormido mais do que três horas.

Ele se sentou na cama e abraçou os joelhos contra o peito, pensando nas palavras de Nishinoya.

Se ninguém souber, vai ficar tudo bem.

Não era o medo de ser descoberto que assombrava Asahi, mas sim as duas mortes que foram indiretamente causadas por ele.



Notas finais do capítulo

Pobre Asahi



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Quase humano" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.