Quase humano escrita por Arisusagi


Capítulo 10
Cofrinho


Notas iniciais do capítulo

Capaz que tenha dois capítulos hoje porque srta. Larissa fez lambança no zine.
Eu ia fazer um final melhorzinho, mas colei aqui e deu 100 palavras então não quis mexer.



― Asahi-san, primeiro eu quero comprar um cofrinho. ― Noya disse assim que eles saíram da lanchonete.

― Um cofrinho? ― Asahi perguntou curioso.

― É. Eu percebi que tenho muitas moedas, e queria guardar elas em algum lugar. ― Eles seguiram pela calçada até chegar a uma loja de 100 ienes. ― Deve ter aqui.

Os dois andaram pela loja até achar uma estante cheia de cofrinhos de plástico em formato de porquinho. Noya olhou para a estante por alguns minutos até pegar um deles.

― Vou ficar com esse aqui. Ele é laranja, da cor do nosso time!



Notas finais do capítulo

Loja de 100 ienes é o equivalente japonês do nosso famigerado 1,99



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Quase humano" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.