Precisamos Falar Sobre James escrita por Clenery Aingremont, Clenery Aingremont


Capítulo 5
4. Precisamos falar sobre tombos


Notas iniciais do capítulo

Fiquei bloqueada com esse capítulo, mas consegui finalizar hoje, ficou tudo bem :)
Espero que gostem ♥




[Segunda à noite]

O jantar de Lily foi interrompido pelo som do celular apitando. Olhou de soslaio para sua mãe, que fingia não estar escutando, e nem prestando atenção ao fato de que Petúnia não largava do seu, que estava mal escondido em seu colo, por baixo da mesa. A regra do jantar era clara, nada de celulares, mas, como era o único tempo que tinham em família, Doralice parecia estar ignorando aquilo.

— E quando teremos um livro publicado por Lily Evans? — brincou o seu pai.

Carver Evans trabalhava em uma editora de livros. Passava bastante tempo em seu escritório aprovando manuscritos, cuidando pessoalmente da restauração de obras antigas, entrando em contato com grupos estrangeiros para negociar uma tradução oficial na Inglaterra, entre outras funções.

Lily o admirava e, por sempre gostar de escrever, sabia que o sonho de seu pai era ver um livro seu nas prateleiras, mas não conseguia manter os seus enredos por muito tempo.

Nas férias, passou grande parte de seu tempo na editora, junto com seu pai, ajudando-o a controlar os funcionários que cuidavam da revisão dos livros, design das capas e escritas nas orelhas dos livros. Ela mesma já tinha formatado uma sinopse, sob a supervisão de Andrômeda, a mãe de Tonks.

— Em breve — Lily respondeu, como sempre fazia, sorrindo timidamente.

— Não a pressione! — Doralice disse — Sabe como os autores passam por um processo criativo próprio.

— Autores de verdade têm prazos — a voz de Petúnia surgiu, quase que desatenta da conversa.

— Desligue esse celular! — a sua mãe parecia ter perdido a paciência.

Apesar de revirar os olhos, ela obedeceu, a outra mão logo subindo para cima da mesa, embora o aparelho continuasse entre as suas pernas. Lily lembrou-se da mensagem que enviou para a sua amiga, no outro dia, e precisou conter-se para não gargalhar, os lábios pressionados um contra o outro, enquanto ela disfarçava levando o copo d’água próximo de sua boca.

Petúnia tinha uma espécie de alarme para saber quando as pessoas estavam rindo dela, e não demorou a entrecerrar os olhos, desconfiada, procurando por alguma explicação.

— Tenho uma coisa para você — seu pai murmurou para ela, no momento em que Doralice e Petúnia foram levar os pratos para a cozinha.

Petúnia era mais chegada aos livros juvenis (geralmente, lidos pelo celular), e Carver não tinha muito contato com essa seção, então conseguia um livro mais clássico, e dava-o a Lily, quando a sua irmã mais nova não estava por perto.

Tirou um pequeno livro da maleta, a qual levava para o trabalho todos os dias, e entregou-a.

— O retrato de Dorian Gray! — Lily quase gritou, os olhos arregalados, e ele ergueu o dedo indicador à frente de sua boca.

Ela assentiu, sorrindo, antes de levantar-se e ir guardar o exemplar em seu quarto, como sempre combinavam fazer. Doralice encostou o quadril ao batente da porta, os braços cruzados e uma sobrancelha levantada.

— Eu estou vendo isso daí! — ela disse, casualmente.

Quando Petúnia apareceu, contudo, eles aparentaram tranquilidade.

Enquanto que Carver dava livros clássicos para Lily, Doralice sempre comprava os livros juvenis e revistas teen que Petúnia queria. O seu vício em revistas científicas era financiado somente pela sua mesada, enquanto que a irmã preferia gastar o dinheiro com outras coisas.

Voltou para a sala, já que tinha esquecido o seu celular em cima da mesa, e sua mãe poderia precisar dela.

— Pai! — Lily exclamou.

Carver virou-se rapidamente, tentando esconder o celular que segurava.

— Privacidade, lembra? — ela perguntou, estendendo a mão para pegá-lo.

— Eu só queria ver que horas... — ele coçou o cabelo, envergonhado por ter sido pego no flagra — E James? Você nunca mais nos falou sobre ele!

Lily revirou os olhos, parecia que tinham combinado em perguntar aquilo só para perturbá-la.

— Ele está bem, obrigada — disse, voltando a subir as escadas.

Como todas as vezes em que não respondia imediatamente às mensagens das amigas, a terceira guerra mundial acontecia.

 

Nas quartas, usamos rosa

Tonks

Queria ☆ morta (19:50)

 

Marlene

Essa já está velha (19:52)

 

Tonks

Um meme nunca morre (19:53)

 

Alice

Luiza, foco! (19:55)

Foco, Luiza! (19:55)

O que aconteceu? (19:57)

 

Tonks

[Vídeo] (19:58)

 

Marlene

SEGURA O FORNINHO! (20:00)

Quem enviou isso? (20:00)

 

Tonks

Eu não sei! (20:02)

Ai, meu Deus! (20:02)

Eu vou chorar! (20:02)

 

Marlene

Calma! (20:03)

 

Alice

Quem vocês acham que foi? (20:05)

 

Antes de ler o resto das mensagens, Lily abriu o vídeo, e viu a gravação de quando ela, Alice e Tonks foram para o teste das líderes de torcida, por insistência de Marlene. Não precisou ver o vídeo inteiro para saber o que aconteceria.

Era o motivo pelo qual a Tonks não podia fazer teste para qualquer coisa que exigisse equilíbrio e controle do corpo: ela sempre caía de uma forma completamente surreal. Justamente o que aconteceu naquele dia.

 

Tonks

Não poderia ser alguém de fora do time (20:07)

Só algumas pessoas estavam lá (20:07)

O ginásio ficou fechado para os alunos (20:08)

 

Marlene

E VOCÊS AINDA TEM QUE PARAR PARA PENSAR EM QUEM FOI? (20:10)

ÓBVIO QUE FOI AQUELA IMBECIL DA MEADOWES (20:11)

 

Alice

Não podemos acusar sem provas (20:12)

 

Marlene

Vamos lá, então (20:14)

1 - Ela namorava com o Remus na época (20:14)

E ele já tinha se mostrado bem interessado na Tonks, durante uma festa (20:15)

Ela deu o maior ataque, esqueceram-se? (20:15)

 

Tonks

Oi? (20:15)

 

Marlene

2 - Ela gosta de gravar as pessoas sendo humilhadas (20:16)

 

Tonks

Interessado? (20:16)

Tá louca, miga? (20:16)

 

Marlene

E receber visualizações por isso (20:16)

Tonks, por favor! (20:17)

Lily

Eu não duvido disso (20:20) ✓✓

Vou falar com o James (20:20) ✓✓

Marlene

Ha! Essa é boa (20:21)

Boa sorte! (20:21)

Aquele ali está encoleirado (20:21)

E não no bom sentido (20:21)

Não que o bom sentido exista, mas você me entendeu (20:22)

 

Lily revirou os olhos, antes de mudar do grupo para a conversa privada que tinha com James, que estava bem mais silenciosa do que costumava ser antes...

Antes que Dorcas Meadowes ressurgisse em sua vida.

 

James Potter

Online

Você viu o vídeo? (20:25) ✓✓

Vi (20:30)

Pede para a Dorcas tirá-lo, por favor (20:30) ✓✓

E quem garante que foi ela quem gravou? (20:31)

Antigamente, a minha palavra servia de alguma coisa para você (20:32) ✓✓

 

Saiu do aplicativo, sem esperar pela resposta que receberia. Já estava acostumada a fazer isso, deixar James falando sozinho, e não conseguia sentir a menor culpa por isso.

A noite mal tinha acabado, e Lily já sabia que o dia seguinte seria desgastante.

Tinha o objetivo de tomar banho e deitar-se, mas outras mensagens no WhatsApp fizeram com que, assim que voltou ao quarto, ela deitasse na cama e abrisse novamente, ignorando claramente as conversas que não fossem de seu grupo de amigas.

 

Nas quartas, usamos rosa

Alice está gravando um áudio...

Tonks

Viu a tatuagem? (20:40)

 

Marlene

Vi (20:42)

A gente matou aula (20:42)

 

Alice

Tatuagem de quem? (20:43)

 

Marlene

Nisso que dá não sentar com as amigas durante o intervalo (20:44)

Não sabe das coisas (20:45)

 

Alice

A mesa de vocês já estava cheia até demais (20:47)

 

Tonks

Pode ir falando o que vocês conversaram! (20:48)

Foi sobre o encontro? (20:48)

 

Alice

Vou mandar áudio (20:51)

[Áudio 0:40] (20:53)

[Áudio 0:23] (20:53)

[Áudio 0:37] (20:54)

Lily

Contrato ouvintes dos áudios da Alice (20:54) ✓✓

Pago 3 libras e 30 pences por hora (20:55) ✓✓

Marlene

Olha! Salário mínimo! (20:56)

Lily

Salário de aprendiz (20:57) ✓✓

Porque eu não vou pagar 6 libras e 70 pences (20:57) ✓✓

Marlene

Nem para as suas amigas? (20:58)

 

Tonks

Por hora é fácil (20:58)

Quero ver pagar por áudio (20:59)

 

Marlene

Alice até desistiu de mandar áudio (21:00)

Lily

Vou dormir (21:01) ✓✓

Não quero ficar aqui para só ficar vendo os áudios (21:01) ✓✓

Marlene

[Áudio 0:05] (21:02)

[Áudio 0:07] (21:02)

Lily

Vai se ferrar! (21:02) ✓✓

Tonks

[Áudio 0:10] (21:03)

 

Alice

[Áudio 0:04] (21:03)

Lily

Afe (21:04) ✓✓

Tchau (21:04) ✓✓

 

[Terça de manhã]

Assim que Marlene saiu do carro de seu pai, sem despedir-se, ela foi diretamente até onde o seu grupo de líderes de torcida, incluindo Dorcas Meadowes, estava.

— Você vai tirar aquele vídeo do ar agora mesmo! — ela apontou o dedo para Dorcas, sem cumprimentar James, que estava ao lado da namorada.

— Que isso? Agora deu para todo mundo acusá-la? — James defendeu-a.

— Emmeline, você confessa ter gravado o vídeo, então? Pois só nós três, da equipe, estávamos supervisionando aquele teste — disse Marlene, rapidamente — Justamente para evitar esse tipo de ação babaca. Eu não fui!

Dorcas trocou um olhar preocupado com Emmeline, antes de suspirar.

— Era só para ser uma brincadeira! — ela exclamou — Eu fui compartilhar com a Emme, mas acabei mandando no grupo do colégio.

— Então, faça o favor de tirar o vídeo — disse Marlene, simplesmente.

— Você acha que é tão simples assim? — perguntou Emmeline — Um monte de gente já deve ter compartilhado, salvado, upado...

— Certo, falarei com a professora Hooch, então. Ver o que ela acha dessa situação. Quem sabe, até o professor Dumbledore pode opinar.

Marlene ignorou completamente as exclamações de indignação das colegas de torcida e o chamado de James, indo em direção à entrada, onde Lily e Alice estavam sentadas, no muro baixo que rodeava algumas plantas. Se o jardineiro surgisse, elas receberiam bronca por isso, mesmo que estivessem longe da terra.

— Tonks não veio — disse Alice.

— Vamos visitá-la depois do colégio? — sugeriu Lily, dando um sorriso leve.

— Eu não tenho treino — Marlene deu de ombros — E mesmo se tivesse, eu não iria, capaz de eu cometer algum assassinato.

Lily e Alice levantaram-se, ao ver que o jardineiro se aproximava, e a entrada para o prédio já estava liberada.

— Vou falar com a professora Hooch, nos vemos depois! — despediu-se Marlene, saindo à frente, apressada.

— Ela tem quase uma passagem direta para a sala dos professores — comentou Alice.

— E ela ainda chama a mim de queridinha dos professores — brincou Lily.

 

[Terça à tarde]

— Ela está no sótão — disse Andrômeda, torcendo a boca ao dizer o nome do lugar.

Desde que Tonks completou 15 anos, ela decidiu que iria mudar-se do quarto do primeiro andar para o sótão, que não era usado para além de guardar caixas. Desde então, assim que voltava do colégio, ela se empenhava em esvaziar o sótão, pintar...

Como filha de Ted Tonks, que já estava acostumado a fazer trabalhos manuais como este, ela se saiu muito bem, e não demorou nem um ano para começar a dormir lá em cima.

O pé direito era baixo, o quarto inteiro tinha formato triangular, já que era o último cômodo da casa, mas Tonks não parecia incomodada com isso. Muito pelo contrário, ela era apaixonada por aquele lugar.

Apenas uma janela arredondada, que estava no teto, iluminava o sótão. Um lugar, que antes cheirava à poeira, agora cheirava apenas à madeira. Um colchão, sustentado por um suporte de madeira preso à parede, estava logo abaixo da janela, mas sem chegar a ficar muito no foco da luz.

Contudo, o que sempre chamava a atenção de Lily, quando ia lá, era a estante de livros, em formato triangular, presa ao teto. O espaço em si era bem pequeno, mas a falta de muitos móveis fazia com que elas pudessem se acomodar com mais facilidade.

Depois de tentar falar algumas vezes, Marlene tirou o violão do colo de Tonks, estressada.

— Ei! — a garota de cabelo colorido reclamou.

— Você não foi ao colégio hoje! — repetiu Marlene, colocando o instrumento apoiado em um canto.

Alice apenas deu uma cotovelada em Lily, olhando divertida para a superfície toda arranhada do violão. Como que ele ainda funcionava, era um milagre, mas elas tinham que admitir que a propensão a desastre de Tonks tinha melhorado com o passar dos anos.

Tonks encolheu diante do olhar frustrado de Marlene, por ter sido ignorada, e pegou uma almofada, abraçando-a.

— Eu tinha uns três tempos compartilhados com o Remus hoje — ela sussurrou — Como que eu ia olhar na cara dele, depois desse vídeo?

— Com os olhos? — retrucou Marlene, sem compaixão.

Lily lançou um olhar irritado para ela, sentando-se ao lado de Tonks.

— Você só deixou a Dorcas sentindo-se a vencedora dessa situação — disse Lily — Amanhã, você vai voltar para o colégio, e não vai abaixar a cabeça para aquela...

— Dificuldades para completar a frase? — perguntou Marlene, fingindo-se de sonsa — Eu posso te ajudar. Vadia, mal comida, piranha...

— Chega! — interrompeu Alice.

— Eu não cheguei nem na metade da minha lista — ela comentou.

— Eu sei que pode parecer bobagem, — disse Tonks — mas eu odeio que essas coisas sempre parecem acontecer comigo.

— Você não vive rindo quando vê vídeos de outras pessoas? — perguntou Lily — Então! Melhor forma de sair por cima é rir com os outros.

— Do jeito que ela é, vai sair de uma forma nada natural — disse Marlene — Tipo “estou rindo, mas quero me matar agora mesmo”.

Tonks chutou-a, também irritada por seus comentários.

— Ai! Bruscas! — Marlene reclamou.

— Sabe o que você podia fazer? — perguntou Alice, sentando-se ao outro lado de Tonks — Mandar áudio para ele!

— O quê? — Tonks perguntou, os olhos arregalados.

— Você faltou hoje! — justificou Alice — Diga que estava doente, e peça para ele te passar a matéria.

Lily assentiu, aprovando a ideia. Tonks olhou de uma para a outra, antes de seguir o conselho.

— Como foi com a madame Hooch? — Alice sussurrou para Marlene, enquanto Tonks estava distraída com o WhatsApp.

Ela apenas deu uma piscadela, sorrindo maliciosamente.

Dorcas Meadowes teria problemas para sair daquela saia justa.



Notas finais do capítulo

Observações sobre o capítulo:
• Eu jurava que o nome era Carter Evans, mas fui reler Proibido Amar, e lá estava Carver. Eu acho que acabei escolhendo porque "Carter" tem muito cara de sobrenome. Okay, não vamos dar tanta importância a um nome haha

WhatsApp voltou!
Mais um pouquinho sobre os Tonks, e primeira participação do pai da Lily. Eu sei que não ter colocado-o antes ficou estranho, e eu só notei isso depois. Escolhi esse capítulo para dar um jeito nisso ;)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Precisamos Falar Sobre James" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.