A Hospedeira 2 escrita por Rai


Capítulo 21
Capítulo 21


Notas iniciais do capítulo

Ooooiiiii! *o* Tá ai o penúltimo capítulo gente :///



#Peregrina

Por todo o mundo já corriam as notícias de que as almas estavam sendo mais cruéis e procuravam sem cansar por mais humanos, eles queriam exterminar de uma vez por todas a raça humana, agora não era em relação a manter a paz mas sim que eles achavam que o planeta pertencia agora a elas. Como se fosse passos ensaiados os humanos declararam por fim guerra contra as almas. 

Lembro-me das histórias que Jeb me contou sobre antigas guerras que esse planeta já vivenciou, as perdas e as destruições são horríveis e incontáveis. As almas diziam ser diferentes, mas tomaram o mesmo rumo para resolver quem era em si o dono do planeta, eu me senti envergonhada em ser uma alma nesse momento.

- Mãe! Mãe! 

Eu me virei surpresa e mas com um largo sorriso nos lábios, Louise, minha pequena Louise estava ali. Ela se jogou em meu colo e escondeu seu rosto nos meus cabelos, eu a abracei mais forte. Então Jared surgiu do mesmo lugar que Louise havia vindo, ele parou quando viu a cena.

- Então, pode contar o que aconteceu? - ele perguntou curioso

- Depois. - eu coloquei Louise no chão e me levantei. - Agora, chame Ian, Jeb e Melanie.

Jared saiu da sala em direção ao corredor. Louise balançou minha mão chamando-me atenção.

- O que foi, Louise? - eu franzi a testa.

- Papai.. - ela respondeu numa voz triste.

- Oh, ele está bem, minha pequena. - eu me ajoelhei e a olhei nos olhos.

No mesmo momento que Ian rompe dentro da sala e para bruscamente ao me ver com Louise. Uma onda de emoções passa através de seu rosto, então ele se aproxima meio receoso. Eu me levantei e girei Louise para ela o ve-lo.

- Louise, este é seu pai. - eu disse sem conter a emoção na voz.

Louise não esperou nem um minuto a mais, ela correu em direção de Ian e o abraçou pela cintura. Por um momento pensei que Ian fosse nega-la, mas então ele caiu sobre o chão e abraçou tão fortemente enquanto tremia com as lágrimas que caiam silenciosamente em seu rosto.

- Louise, Louise. - ele gemeu baixo e me olhou. - Venha aqui, Peregrina.

Então nos abraçamos e ficamos em silêncio, aproveitando o momento tão especial de estarmos todos juntos pela primeira vez como uma família.

Algumas mulheres humanas e até mesmo almas foram lutar juntamente com os homens, o resto ficou no esconderijo com as crianças e os idosos. Eu abracei Louise, todos que eu amava estava lá em cima indo em direção da morte.. Meu querido Ian, eu tentei me controlar ao máximo para não faze-lo sofrer mais do que sofria, mas o medo circulava em minhas veias agora.

-

#Melanie

A guerra estava pior do que imaginávamos, mas precisávamos pensar positivamente: os humanos estavam adiantados e fortes. E eram poucas as almas que tinham a capacidade de participar de uma guerra, muitos corpos já se aglomeravam. O que nós estávamos fazendo ali? Para qual razão esta carnificina? 

- Melanie, os medicamentos! - escutei Jared gritar mais na frente, eu corri entre a destruição até chegar onde ele estava.

Então um grito rompeu meus lábios.

- Ande, Melanie! - Jared puxou a bolsa de minhas mãos. - Temos que tentar salvá-lo!

- Oh, meu Deus, Jeb! - eu rapidamente comecei a ajudar Jared. - Aguente firme!

- Crianças, guardem o material para quem ainda terá chances. - Jeb falou arrastado. - Vão à luta, salve seus traseiros e façam uma família.

E antes que eu ou Jared conseguirmos contradize-lo, Jeb fechou os olhos numa expressão de paz.

- Vamos, temos que achar Ian. - Jared falou após um minuto. - Não podemos perder mais ninguém.

-

#Gustav

- Maldição! - eu exclamei irritado. - Você irá arcar com suas consequências, sua bastarda!

Um barulho oco soou no quarto, o rosto de Cassie ficando vermelho onde minha mão batera. Ela me olhava furiosa, tentava conter as lágrimas. Mas não me importava, ela deveria ter me obedecido, como pode trocar sua verdadeira família por humanos?

- Você irá ter o mesmo destino de seu doce marido e sua cria. - eu disse ríspido, um choque correu no rosto de minha filha. - É, eu sabia o tempo todo desse seu segredo, mas agora não importa!

- O que você fez com eles? Seu monstro! - ela gritou, agora as lágrimas corriam sem controle.

- Não importa, agora cale-se! - eu a empurrei nos braços dos guardas. - Vocês já sabem o que fazer.

- Não! Não! Seu monstro! - ela gritou sendo arrastada.

Eu estava irritado, a guerra não estava indo como eu havia planejado, as almas não tinham a brutalidade completa igual aos humanos, e as almas que tinham eram pouquíssimas. Eu urrei, a raiva se tornando uma cólera.

-

#Ian

Estava tudo acabado, nós conseguimos, conquistamos a liberdade. Eu fechei os olhos enquanto o jipe balançava dentre a noite, havia passado três dias desde que partimos do esconderijo, eu me perguntava como estaria Peregrina e Louise. Então o jipe parou e senti uma mão bater em meu ombro.

- Vamos. - Jared disse somente, estava ocupado com uma adormecida Melanie nos braços.

Eu o acompanhei em silêncio, os humanos estavam fazendo uma enorme comemoração e recebiam seus guerrilheiros cheios de alegria e alívio, mas não eram todos que recebiam apenas notícias alegres.

Desvencilhando das pessoas, eu corri em direção do quarto onde eu sabia que encontraria Peregrina. Ao abrir a porta senti todo o meu peito se derreter, ela estava adormecida com os braços protetoramente em volta de Louise. Eu acariciei levemente os cabelos de minha doce filha e logo me aproximei do lado onde Peg estava deitada.

- Ian? - Peg falou meio adormecida, sua mão tateou o lado da cama atrás de seu corpo e em minha direção. - Ian..

- Shh, estou aqui. - eu deitei na cama e a abracei. - Eu estou aqui.

Com uma velocidade surpreendente, Peg acordou e me olhou assustada. Eu beijei sua testa e a abracei mas forte.

- Ian! - ela soluçou aliviada. - Você está a salvo.

- Sim, todos nós finalmente estamos. - eu sorri. - Agora volte a dormir, amanhã conversaremos.

- Eu te amo, meu humano. - ela disse se virando de novo na cama.

- Eu te amo, minha alma. 

Então esquecendo tudo que estava acontecendo, eu fechei os olhos e tentei guardar cada detalhe de estar ali com as duas pessoas que eu mais amava em meus braços.



Notas finais do capítulo

Gente, estou ao mesmo tempo feliz por estar escrevendo, mas triste mto triste da história estar no final :// MAS espero que vcs gostem e mto hein!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Hospedeira 2" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.