Marota escrita por Lilypad, Natalia Wolfgang


Capítulo 44
Capitulo 44 - Foco no Harry


Notas iniciais do capítulo

Oii amores!! Mais um capítulo, esse é um dos meus preferidos ♥
Ah muito obrigada pelos comentários, vocês são demais ♥
Boa leitura!



Eu vou te amar até o fim dos tempos

Eu esperaria um milhão de anos

Prometa que se lembrará de que você é meu

Querido, consegue ver através das lágrimas?

Eu amo você mais do que aquelas vadias de antes

Diga que você se lembrará

Oh, querido, diga que você se lembrará, oh, querido

Eu amarei você até o fim dos tempos

Jordana

No final do dia quando Harry, Rony e Hermione, os gêmeos e os outros mais jovens foram dormir. Deixei Remus, Tonks, Gui, Moody, o Sr. E a Sra. Weasley conversando na cozinha e subi as escadas até o corredor dos quartos. Primeiro verifiquei no quarto da Sra. Black onde ficava Bicuço, mas Sirius não estava lá, então fui até seu quarto. Bati na porta antes de ter tempo para pensar ou colocaria vários empecilhos para o que eu queria fazer: ter uma conversa séria, me certificar de que ele não faria nenhuma bobagem e ser considerada ainda mais uma chata insuportável.

— Entra — Ouvi a voz de dentro do quarto e entrei, fechando a porta atrás de mim. Sirius estava sentado em sua cama, uma cama de solteiro meio bagunçada. Olhei em volta no quarto com bastante interesse, havia um porta-retratos com a foto dos marotos na cômoda ao lado da cama, havia pôsteres de garotas de biquíni colados na parede que me fizeram franzir a testa, elas não se mexiam, então eram trouxas e Sirius as colou ali para irritar a mãe certamente, havia pôsteres de motos também. Só depois de olhar com interesse para cada detalhe do quarto que meus olhos caíram em Sirius sentado de frente para mim com uma sobrancelha erguida.

— Veio reparar no meu quarto ou tem alguma coisa pra falar? — ele perguntou mau humorado.

— Tenho uma coisa para falar — disse ignorando sua rabugice e puxei o ar. — Sobre as instruções que Dumbledore te passou.

— Ah ótimo! Preferia que tivesse vindo olhar o quarto. — Olhei aborrecida para ele, mas tentei ser paciente.

— Harry está preocupado, Six e eu também, não queremos que faça nenhuma besteira como... como sair por aí e ser pego, durante as férias dos garotos.

— Eu não sou idiota, Jordana, não vou fazer isso — ele explodiu, eu cruzei os braços séria, mas não desviei os olhos dos dele. — É só que... É uma droga passar 12 anos preso em Azkaban e agora estar preso aqui de novo nesse lugar onde nunca pertenci e não poder fazer nada para ajudar a Ordem e não me venha dizer que já fiz o bastante cedendo esse lugar como sede.

— Eu não ia dizer — eu disse e engoli em seco. Houve um silêncio tenso por alguns instantes, então não aguentando mais aquele silêncio, eu me sentei ao seu lado e fiz com que olhasse para mim. — Ok, grita comigo se quiser, mas não faz nenhuma besteira, tá? Porque eu não posso te perder de novo.

— Eu não queria gritar com você — ele sussurrou olhando para mim, mas seus olhos desviaram para meus lábios antes de acabar com o espaço entre nós e me beijar me puxando para mais perto. Seu beijo era urgente e intenso e eu correspondi da mesma forma me dando conta do quanto eu sentia falta dele, dos beijos, dos braços ao meu redor me confortando.

Me afastei com dificuldade quando o ar fez falta e me levantei afobada, andando de um lado para o outro.

— Não! Droga, droga, droga. Isso não pode acontecer, Sirius.

— Que? — ele perguntou confuso me olhando como se eu fosse louca.

— Nós, a gente, isso não pode acontecer — falei sem parar de andar de um lado para o outro. — Temos que ter foco. Da última vez que ficamos juntos Peter se tornou um comensal da morte e nem percebemos, talvez se não tivéssemos nos distraído... E tem Harry, ele...

— Precisa de nós — Sirius completou e eu assenti. Ele se levantou e abriu a porta para mim.

— Isso. Foco no Harry — concordei e saí do quarto, parei de frente para ele e pigarreei.

— Boa noite — ele disse parado no batente da porta com aquele sorriso de canto. — Foco no Harry.

— Boa noite — respondi e ele não devia me olhar daquele jeito, nem colocar uma mexa do meu cabelo atrás da orelha, nem acariciar meu rosto. Ele não estava levando o "foco no Harry" a sério.

— Foco no... — ele respondeu, mas eu não permiti que ele terminasse e o beijei empurrando-o de volta para dentro do quarto. Sirius riu com os lábios colados aos meus, ele fechou a porta atrás de si.

— Você é tão... — resmunguei.

— Sexy? Irresistível? — ele completou entre os beijos me fazendo rir. Ele se sentou na cama e me puxou para junto dele, eu me sentei em seu colo e os beijos se tornaram lentos e profundos, algumas lágrimas e sorrisos escapavam.

— Eu não vou suportar te perder de novo.

— Você não vai — ele garantiu e mais lágrimas brotaram em meus olhos.

— Me desculpe — eu disse secando as lágrimas e voltando a beijá-lo.

— Chorona — ele sussurrou e brincou com o lóbulo da minha orelha, o que me arrepiou inteira, mas eu o parei, o empurrei e me levantei, onde comecei a tirar o vestido que eu usava. Teríamos tempo de sobra para preliminares e joguinhos em outro momento.

— Tira a roupa — mandei enquanto me despia e voltava a beijá-lo com urgência, mordendo seu lábio inferior.

— Seu desejo é uma ordem, Vossa Alteza — ele respondeu fazendo o que eu mandei.

 

Meu corpo estava relaxado, meu coração acelerado tamanha felicidade e meus lábios curvados em um sorriso bobo, enquanto eu estava deitada em seu peito e sua mão ora acariciava minhas costas lentamente, ora afagava meu cabelo.

— Ainda somos muito bons nisso — ele disse, eu dei uma risada gostosa enquanto desenhava com a unha em seu abdômen. Estávamos exprimidos na cama de solteiro, mas não nos importávamos.

— Com certeza somos. Eu senti sua falta — confessei olhando para ele.

— Claro que sentiu — ele fez graça, eu apertei os lábios e o fuzilei com os olhos e ele sorriu abertamente. — Eu também senti, você não faz ideia do quanto. E então agora você é uma animaga.

— É, me mantive ocupada, tive uma ajudinha do James, ele deixou um pergaminho com todos os passos para se tornar um no porão da casa dos meus pais — eu disse empolgada, esperava que ele ficasse orgulhoso de mim, mas ele ficou quieto. — O que foi, Padfoot?

— Você fez isso sozinha, ficou maluca? E se não tivesse conseguido se transformar em humana de novo? E se alguma parte do seu corpo nunca mais voltasse ao normal? Você é pirada!

— Bom, não aconteceu, eu estou bem — eu disse erguendo os ombros, eu lhe dei um selinho. — Adoro você todo preocupado, é tão fofo.

Ele ficou emburrado e eu me levantei puxando o lençol da cama.

— Ei, pra onde você vai?

— Pra casa, acho bom a gente... ir com calma, ok? — eu disse olhando por cima do ombro.

— Mais calma? Jordana estamos noivos a 15 anos, não tem como ir mais devagar! Fica só mais um pouco — ele pediu e é quase impossível negar um pedido de Six, devem ser aqueles malditos olhos acinzentados.

— Não. Não! Não posso. — Ele me abraçou por trás e depositou um beijo no meu pescoço. Consegui me desvencilhar dele.

— Vai vir me visitar depois que os garotos voltarem para Hogwarts? — ele quis saber e eu me virei para ele com um sorriso malicioso.

— Muitas vezes. Agora eu tenho que ir, boa noite.

Tomei um banho rápido e desci as escadas para a saída o mais silenciosamente possível, não esperava que Remus e Tonks ainda estivessem ali. Eles estavam no hall se despedindo com um abraço demorado demais, quando se afastaram Remus colocou uma mexa do cabelo rosa berrante atrás da orelha da garota e a segurou quando ela quase tropeçou ao se afastar dele.

— Boa noite, Tonks. E se cuida — ele disse com um sorriso divertido e sincero.

— Boa noite, pode deixar eu... vou tentar — ela disse com um sorriso tímido. Quando Remus saiu, mas antes que Tonks partisse, eu deixei escapar um "Own".

— Você gosta dele.

— Que? Ah! — ela suspirou. — Ele é tão inteligente, sensato, gentil, engraçado...

— É mesmo. Só que é muito certinho...

— Você é muito nova pra mim, Tonks — Ninfadora imitou Moony e eu precisei cobrir a boca para não gargalhar. Nós rimos bastante juntas imitando Remus. — E você e Sirius?

— Que? — Fui pega de surpresa e arregalei os olhos. — Ah! Nós... não... a gente não...

— Ah, é segredo? Tudo bem eu não conto pra ninguém, se bem que quem me contou foi o Rony, então acho que não é mais tão segredo assim. Boa noite, Jordana.

E Tonks foi embora antes que eu respondesse qualquer coisa.



Notas finais do capítulo

Gostaram? Mereço comentários?
Até o próximo
Beijos ♥



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Marota" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.