MELLORY — entre Deuses e Reis escrita por Lunally, Artanis


Capítulo 24
Estratégia


Notas iniciais do capítulo

Venho depois de quatro meses dar sinal para vocês! ~kkkkk

Desculpa queridos leitores, mas o Nyah, por total, deu uma parada, menos publico, poucas pessoas vendo a Fic e comentando.
MAS, não sumi exclusivamente por isso, posto por prazer e dou valor no lindos que estão comigo nessa louca aventura que é Mellory.

Eu (Lunally) e a Artanis estamos sem tempo (serio). Aconteceu muiiiiitas coisas, na vida estudantil, pessoal e profissional.
Estamos organizando aos poucos para não deixar vocês esperando muito.
Beijos, aproveitem!



Logo depois de almoçar em um lugar qualquer, pois estava com pressa para escolher um lugar que lhe agradava e não cozinhou sua refeição porque Lunally tinha invadido sua casa, e tratou de retirar a sua chave extra da telha, não porque tinha receio de Luna entrar lá novamente, apenas por precaução de outras pessoas entrarem e terem motivos não benéficos. Hatori adentrou-se na arena de treino, tinha vários betas, militares e recrutados treinando. Sempre foi assim, mas agora na expressão de todos havia uma carga de responsabilidade, não treinavam mais por prevenção, mas por ataque.

Avistou Miguel sozinho contando alguns papeis provavelmente as fichas de admissão dos novos recrutados. Seu irmão estava muito ocupado desde que chegou de sua viajem. Algo que agradava Hatori, pois assim ele não tinha tempo para ficar pensando em alguma travessura.

— Miguel. Eu preciso de sua ajuda. — pediu o alfa maior quando aproximou-se o tanto suficiente do alfa menor.

— O que, você? Que milagre, não pode fazer tudo sozinho? — zombou Miguel guardando as fichas na gaveta da mesa. Estava em seu pequeno escritório na arena, passava mais tempo lá do que em outros lugares que antes frequentava, como, sua casa. Estava cansado e agora entendia porque Hatori era rabugento, era terrível se sobrecarregar, porém o motivo era bem plausível e satisfatório.

—Miguel. — repreendeu Hatori.

—Eu sei, estou brincando. — Deu um tapa no braço de seu irmão mais velho e sorriu. — Somos irmãos devemos ser unidos, esqueceu? — indagou disposto a fazer o pedido de Hatori. Finalmente estava tudo indo como Miguel queria e as tropas estavam ótimas, admitiu que Serena o ajudasse bastante, porque como ela era militar também, sabia muitas técnicas favoráveis, mas de estratégias do que de força. Claro, em força Miguel prevalecia, era um drakinianos.

Hatori ficou contente e sorriu também. — Preciso de tropas especializadas em ensino para mandar para Golty. — informou. — Está sendo pesquisada uma possível invasão no reino e quem invadirá será Premin. Preciso também que faça Serena ajudar a quebrar a força dos soldados, a faça contar o estilo de luta, combate. — Hatori observou o local onde vários cidadãos lutavam em treino. — É a chance de confrontar Premin de frente e mostrar quem somos, e até mostrar que sua bastarda está conosco. É hora de mostrar que estamos com força. Logo precisamos mandar espiões para Findoram. E preciso saber sobre os selvagens, eles são perigosos. Também, quero fazer uma reforma na grande casa dos anciões, tem pessoas de lá que não são confiáveis.

— É, você precisa de muitas coisas. — Miguel ficou impressionado com tudo que Hatori já tinha bolado. — Mas já tenho tudo planejado Alfa. Quando quiser já mando as tropas para Golty, mas as que vão espiar Findoram precisam ser mais planejadas. Serena ajudará e muito, ainda mais com os selvagens e você se esqueceu do mercado Basílio. — Miguel pegou uma agenda na mesa. — O GCA precisa muito ser limitado, também não confio na maioria.

— Esta semana vai ter um festival para os dragões. Depois disso você decide quando irá mandar as tropas para Golty, deixo o resto com você. Mas me mantenha informado e me consulte em tudo! — Hatori olhou para os lados para ver quem estava por perto e retornou a falar depois que não percebeu ninguém suspeito. — Depois do festival farei reforma dos Anciões.

Miguel segurou o ombro do irmão. — Tenho uma ideia antes disso tudo. Vamos fazer o festival normalmente, mandarei a tropas para Golty, e também uma para o mercado do Basílio, a qual eu estarei comandando. Temos que cuidar do mercado, se derrubarmos o comercio, e pegarmos dados dos países menores que invadiram, poderemos retonar eles de volta. — Miguel explicava o plano passo a passo para seu irmão. Ele tinha pensado em tudo, era o líder do AFRM, tinha suas habilidade e experiência. — Depois faremos a reforma, não necessitamos agora de uma guerra civil, apenas saiba em quem confiar, o resto nós eliminamos depois. A ultima coisa que faremos é atacar Premin e Findoram. E quanto aos selvagens vemos isso mais tarde, foco no mercado negro agora!

Hatori ficou satisfeito com o plano. Manteria Helio investigando os órgãos de poder ainda e seguiria a risca o que seu irmão elaborou.

DANIEL

O garoto já tinha ficado louco com a primeira carta de Lunally, depois com a outra do alfa de Draken e agora esta segunda carta de Lunally. O pior é que sabia que uma invasão mais cedo ou mais tarde iria aparecer. Ainda mais no outono para o inverno, quando ficam frágeis na retaguarda.

— Deveríamos pedir ajuda, já que estamos em aliança com Draken. — sugeriu Ren. Daniel estava muito angustiado, não tinha ideia do que fazer ou pensar. A única noticia boa que teve era que sua esposa Lisa, estava grávida, porque de resto era só lamentação.

Ele aceitaria a sugestão de Ren, mas primeiro conversaria com sua irmã, sabia que ela deveria estar fazendo de tudo para proteger seu reino. Já mandou os betas cuidarem da segurança total do reino, aumentou as regras protecionistas. E claro, aumentou os cultos de pedidos de proteção, apelaria para o fetichismo.

No entanto, ainda teria que pedir ajuda de alguém de sua confiança para realizar uma missão importante, uma necessária. Tinha um beta de Golty surpreendente: Erick. Pode-se dizer que era o mais habilidoso de todo seu reino e sabia lutar perfeitamente, mas era muito impaciente para ensinar os outros e sempre dava em confusão. Mas não era isso que iria pedir, era algo muito mais importante, algo que em seu coração daria o reino por isto: Sua família.

*

Lisa tinha feito o café da tarde bem reforçado, com bolos sucos diversos e flores enfeitando a mesa com um forro de renda que ela mesma bordou. A esposa do alfa esperava junto de seu marido o convidado sentia o nervosismo vibrar do interior de Daniel. Lisa era muito preocupada com seu marido, sua saúde estava boa, mas tinha pesadelos de que um dia voltasse a ficar frágil, ainda mais porque Lunally não estava por perto para tratá-lo. Por mais que todos os médicos do reino fossem mais do que competentes, eram brilhantes, Luna superou todos, principalmente em relação ao venenos. Lara, a avó de seu esposo havia colocado um veneno mortal em Daniel, cujo afetou todo o sistema imunológico e sanguíneo do Alfa, e o fazendo ficar em coma por meses. Lunally revirou todo o tipo de poção e remédio e achou algo que tratasse Daniel, não o curou, o alfa ainda toma algumas pílulas para ajudar na produção rápida das células sanguíneas e na rapidez de seu sistema imunológico. Por isso se Daniel se ferisse era uma grande complicação ele se recuperar. Na luta dele contra Lara para assumir o trono e a expulsar do reino foi um grande milagre, foi o deus cervo que o abençoou. Daniel se machucou bastante, mas Lunally o salvou da morte mais uma vez. Lisa queria seu esposo bem, para que seu filho que ela estava gerando crescesse bem.

O convidado que vinha calmamente até o casal Alfa, tinha chegado à grande casa que tinha um espetacular jardim. Sem cerimônias já começou falando:

— Pelo lembrete que recebi eu já tenho minha resposta alfa. — anunciou Erick. Era um rapaz loiro de olhos azuis, forte e alto. Tão engraçado e louco — insano — quanto Lunally.

— Espero que seja uma resposta agradável. — pediu Lisa. Está estava muito sensível pelos hormônios da gravidez e sua preocupação com Luna e Daniel estava imensa. Dessa forma seu bebê nasceria estressado.

Erick riu de modo descontraído, pegou uma maça na mesa e deu uma mordida. — Eu vou para Draken e irei cuidar da Alfa menor: Lunally. — respondeu com um grande sorriso. Ele gostava muito da Lunally, sempre que precisou ela o ajudou, nunca negaria nada para ele e para sua família.

Daniel mais satisfeito do que nunca sentiu um alivio e pode relaxar um pouco, sua irmã tinha escrito que se sentia em desvantagem no reino de Draken, e colocar um beta competente com ela seria boa ideia, pois se fosse necessário fugir de lá, Erick seria uma boa ajuda. Não era a solução de todos os problemas que estava enfrentando, mas estava caminhando para algum lugar.



Notas finais do capítulo

E ai?
Agora tá fluindo o plano *-*



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "MELLORY — entre Deuses e Reis" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.