Hybrid: Um demônio em Beacon Hills escrita por LadyWolf


Capítulo 3
O Homem no Bosque


Notas iniciais do capítulo

Quem será o homem no bosque? Tenho certeza que vocês já imaginam quem seja hahaha




 Saí correndo pela rua sem olhar para trás. Até agora não acreditava que tinha jogado meu pai contra a parede daquela forma sem um pingo de pena. Eu realmente estava me transformando em um monstro, em um demônio como Ruby.

 Quando dei por mim estava dentro de um bosque silencioso. Sentei-me debaixo de uma árvore e comecei a chorar feito uma criança com medo do escuro. Meu pior pesadelo estava se tornando realidade e provavelmente não poderia fazer nada para que aquilo não acontecesse.

 – Qual é, Derek? Precisa disso mesmo? Eu já sei me controlar. – disse uma voz masculina na floresta. Eu queria ver de onde vinha, porém estava não sentia a mínima vontade de tirar a cabeça de cima dos braços apoiados sobre joelhos.

 – Ah, já sabe se controlar? E o que me diz daquela noite em que você se soltou e atacou a boate, hein?

 – A música era ruim.

 – Ai, Leon, deixa de ser teimoso! Faz logo o que o Derek manda e pronto! – disse uma voz feminina.

 – Vão indo, depois nos encontramos. – falou Derek. Ouvi o som de passos se aproximando e quando dei por mim uma respiração quente estava próxima ao meu pescoço. – Ei, você está bem?

 Ao ouvir aquela voz levantei o rosto e vi a figura de um homem agachado ao meu lado. Tinha cabelos pretos, olhos verde-acinzentados e uma barba que cobria seu belo rosto. O corpo era bastante definido, coberto por uma blusa azul marinho escura e uma calça preta. Eu simplesmente não sabia o que responder. Nunca um homem tão bonito, que não fosse meu parente, havia falado comigo. O que será que ele queria?

 – Terra chamando. – disse ele com um sorriso no rosto.

 – Desculpa. – falei envergonhada, enxugando as lágrimas do rosto. – Eu estou bem.

 – Não é o que parece. – ele se levantou e estendeu a mão para me ajudar a levantar. Confesso que fiquei meio receosa no início, mas acabei aceitando a ajuda.

 – Obrigada. – agradeci.

 – Eu me chamo Derek Hale. – disse com um sorriso nos lábios. – E você é nova na cidade, suponho.

 – Quase isso. – respondi limpando a terra da roupa. – Eu sou Emily Winchester.

 – Winchester?

 – É, tipo a arma.

 – Me lembro de ter ouvido esse sobrenome em algum lugar. – disse pensativo, em seguida dando de ombros. – Enfim, vamos sair desse bosque. Aqui não é lugar para mocinhas indefesas.

 – Quem você está chamando de mocinha indefesa? – falei sorrindo desafiadora, pondo as duas mãos na cintura. Derek riu.

 – Você, é claro. Tem outra garota aqui?

 – Você me paga. – se ele queria brincar, nós iríamos brincar.

 Tirei o canivete escondido de dentro da calça e girei o corpo. Porém antes que pudesse chegar com a lâmina próxima ao pescoço dele, Derek segurou meu braço de forma firme e me puxou para perto de seu belo corpo. Corei e desviei o olhar.

 – Confesso que você tem potencial, garota. – Derek tirou o canivete de minha mão e o fechou. – Mas ainda tem muito que aprender.

 – Tá. – falei me afastando dele um tanto sem jeito.

 – Agora vamos sair daqui antes que fique mais escuro. – disse me devolvendo o canivete.

 Derek e eu fomos andando para a saída do bosque batendo um bom papo. Eu não sei o que tinha naquele homem, mas nunca na vida tinha me sentido tão bem ao lado de um desconhecido. E aquilo acabou, de certa forma, fazendo eu me abrir para ele e contar certas coisas que nunca tinha dito a ninguém.

 Também falei sobre a briga que tinha tido com meu pai, mas é claro que omiti a parte em que o lancei contra a parede somente com o poder da mente. Afinal, quem acreditaria? O máximo que Derek faria era me achar uma estranha e, sem dúvidas, transformaria aquilo em piada. Depois de meia hora de caminhada chegamos ao hotel em que minha família estava hospedada.

 – Bem, é aqui. – disse parando de frente para o Hale.

  – Tem certeza que está tudo bem?

 – Tenho. – respondi sorrindo. – Muito obrigada, Derek.

 – Não foi nada. Então, agora que não precisa mais de mim, eu vou indo. – ele já ia se virando para ir embora quando o interrompi.

 – Espera. – falei por impulso.

 – O que foi agora?

 – Anota o meu número. Se precisar de qualquer coisa é só me ligar. – Derek ficou parado com as mãos nos bolsos me olhando durante alguns segundos, mas logo deu um sorriso e pegou o celular para anotar. Ele também me deu seu número e depois cada um seguiu o próprio caminho.

 Agora eu me encontrava com a mão na fechadura da porta pensando se abria ou não. Eu não queria mesmo levar uma bronca após aqueles minutos maravilhosos com Derek, mas pelo jeito não tinha como fugir. Era tudo ou nada. Então abri a porta e entrei.

 Papai e tio Dean estavam de cara nos livros e no computador pesquisando sobre os casos da cidade. Porém pararam tudo quando me viram chegar. Eles se entreolharam e meu tio se levantou da cadeira.

 – Vou comprar mais cerveja. – disse indo em direção a porta. Quando passou por mim bagunçou meu cabelo e saiu do quarto.

 – Eu tô encrencada? – perguntei ao meu pai.

 – Não, senta aqui. – disse se sentando na cama. Sentei-me ao lado dele confusa.

 – Mas...

 – Esquece, ok? Estive falando com Dean e nós dois chegamos a conclusão de que não estamos sendo nada justos com você. Você é só uma garota de dezessete anos e quer viver como tal.

 – Pai, eu...

 – Não, você está certa, Emily. Eu mesmo já desejei isso, fui até para a faculdade durante alguns anos. Então eu e seu tio decidimos que não te prenderemos mais.

 – Como assim? – perguntei confusa.

 – É exatamente isso que você está pensando. Amanhã mesmo te matricularemos na Beacon Hills e como o ano letivo já está quase na metade, poderemos ficar aqui na cidade até você se formar.

 – O que? É sério!?

 – Mais do que sério. – respondeu meu pai sorrindo ao me ver contente.

 – Obrigada, pai! – agradeci o com um forte abraço. Nem podia acreditar que meu sonho se tornaria realidade.



Notas finais do capítulo

Então, gostaram? *----*
O que imaginam que vai acontecer daqui pra frente?
Derely é shippavel?



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Hybrid: Um demônio em Beacon Hills" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.