Hybrid: Um demônio em Beacon Hills escrita por LadyWolf


Capítulo 14
O Encontro


Notas iniciais do capítulo

Oi, meus amores! Não consegui ficar longe de vocês por muito tempo ;.;
E vocês, estavam com saudades?
Não consegui atualizar minha outra fanfic e sofri pra conseguir escrever essa haha
Teve direito até a vídeos sobre encontros -qqq
Mas, enfim, aqui tá o capítulo
Boa leitura!



 Peguei um táxi até a cafeteria porque tio Dean jamais me emprestaria o Impala. Ele ama aquele carro até mais que a própria vida e se acontecesse alguma coisa nem sei o que meu tio faria. Após uns dez minutos de finalmente cheguei ao lugar.

 Olhei para os lados em busca de Derek, mas ele não estava em lugar nenhum. De repente senti uma mão tocar meu ombro e quando me virei dei de cara com o Hale. Ele estava estiloso com sua jaqueta de couro preta e seu perfume era maravilhoso.

 – Procurando alguma coisa? – perguntou o homem com um sorriso estampado nos lábios.

 – Talvez. – retribuí o sorriso.

 – Vem, vamos entrar. – disse passando seu braço sobre meus ombros. – A propósito, você está linda.

 Você está linda. Senti meu rosto corar. Derek apenas riu parecendo gostar de me deixar daquela forma. Entramos na cafeteria e escolhemos uma mesa perto da janela. A garçonete logo veio e fizemos os nossos pedidos.

 – Como foi a mudança?

 – Foi bem rápida. Nós não temos muitas coisas, sabe?

 – Verdade, vocês passam muito tempo na estrada. Não faria sentido carregar uma casa por aí.

 – Derek, posso te perguntar uma coisa?

 – Até duas. – disse com um sorriso no rosto.

 – Em que você trabalha?

 – Eu? – falou surpreso. – Eu alugo apartamentos no meu prédio, do outro lado da cidade. Não disse nada antes porque, você sabe, não ia ser nada agradável ter dois caçadores morando no apartamento ao lado.

 – Depois eu que sou a medrosa, né? – brinquei.

 – É só uma questão de segurança. – disse Derek coçando a bochecha sem jeito.

 – Mas acho que eu faria o mesmo que você. – falei abrindo um leve sorriso.

 – Com licença. – a garçonete chegou e pôs nossas bebidas sobre a mesa.

 – Obrigada. – disse para a mesma e ela se retirou. Peguei um sachê de açúcar e despejei sobre o café, em seguida mexendo-o com uma pequena colher.

 – Então, o que costuma fazer enquanto não está na estrada? – perguntou o homem me olhando.

 – Eu tento ajudar meu pai e meu tio com a pesquisa e vejo séries. – disse tomando um gole da bebida. – É, essa é a minha vida.

 – Não parece tão ruim. – disse Derek me olhando com um sorriso no rosto, distraído.

 – Derek?

 – Hum?

 – Tudo bem?

 – Por que não estaria? – ele levou a mão até meu rosto, acariciando-o. – Só estava admirando a sua beleza.

 Naquele instante meu rosto deve ter ficado vermelho como um pimentão. Derek apenas continuou me olhando com um sorriso bobo. De repente ouvimos o som da porta da cafeteria se abrir e logo em seguida nosso momento fofo foi interrompido.

 – Derek! Emily! Vocês por aqui? – disse uma voz conhecida. – Vem, Stiles! Podemos sentar com vocês? Obrigada.

 Eram Lydia e Stiles, o casal que estava no hospital no dia em que a cidade teve o primeiro ataque dos weredemons. A garota sentou-se ao meu lado e Stiles sentou-se ao lado de Derek, que pareceu ficar irritado. Mas é aquele ditado: fazer o que?

 – Fala aí, Derek. – Stiles deu um tapinha no ombro do amigo. – Emily.

 – Vai querer o que, Stiles? – perguntou Lydia.

 – Hummmm. Expresso.

 – Hey, amor, um capuccino e um expresso, please. – disse Lydia para a garçonete.

 – Claro, senhorita Martin. – ela anotou o pedido sorridente e se retirou.

 – Sobre o que estavam falando? – perguntou a ruiva olhando para nós dois.

 Derek e eu nos entreolhamos. Não era o encontro que imaginávamos, mas era o que tinha. Nós quatro ficamos conversando por algum tempo. Stiles e Lydia eram bem diferentes, porém pareciam se entender muito bem.

 – Como vai a loja, Lydia? – perguntou Derek.

 – Loja? – perguntei.

 – Loja não, boutique. – disse a ruiva. – É mais chique, sabe? Enfim, eu tenho uma boutique em Los Angeles onde vendo as roupas que eu mesma faço. – ela tirou um cartãozinho da bolsa e me entregou.

 – Martin’s. – li no cartão.

 – Se quiser fazer uma visita vai ser um grande prazer em recebê-la. Só tem roupas da melhor qualidade, tenho certeza que vai adorar. Aliás, amei o look.

 – Obrigada. – disse sorrindo e guardando o cartão na bolsa.

 – Olha que receber um elogio da Lydia é difícil, hein. Tem que ver como é comigo. Stiles Stilinski, você vai sair mesmo com essa roupa? Stiles, azul e laranja não combinam! Stiles! Stiles! — disse o rapaz imitando a namorada. Derek e eu rimos.

 – Mas até que às vezes a Lydia tem razão. – disse Derek abraçando o amigo.

 – É, primo Miguel. – disse Stiles fazendo bico.

 – Primo Miguel? – perguntei.

 – É uma longa história. – disse Derek dando tapinhas no ombro de Stiles.

 – Com licença, vou ao toalete. – disse Lydia se levantando. – Emily, vem comigo?

 – Claro. – disse após olhar para Derek que fez um gesto como se dissesse “não tem problema”. Me levantei e fui até o banheiro com Lydia. A ruiva entrou na cabine e eu fiquei me olhando no espelho.

 – Então quer dizer que você e Derek estão in love. – disse Lydia saindo da cabine, me deixando sem jeito.

 – Ér...

 – Ah, qual é? Dá pra ver a quilômetros que vocês se gostam. – disse secando as mãos. – E olha que se tratando do Derek, você é uma sortuda.

 – Como assim? – perguntei.

 – Derek é o tipo de cara fechado, que não confia muito nas pessoas. – disse procurando alguma coisa na bolsa. – Mas quando ele realmente gosta de alguém, vai fazer de tudo por ela.

 – Derek é um amor de pessoa. – falei vendo Lydia retocar o batom vermelho. – Ele me ajudou em momentos difíceis e está me ensinando a ser o que eu quero ser. Gosto muito dele, mas acho que vai ser difícil meu pai e meu tio aceitar algo a mais.

 – Ah, eles são caçadores, não é isso? Derek disse alguma coisa do tipo. – a ruiva guardou o batom na bolsa. – Você só tem que mostrar a eles que Derek é um cara legal. Digo, comigo e Stiles também era complicado no início. Stiles sempre gostou de mim, porém eu não o aceitava de jeito nenhum. Mas depois que ele salvou minha vida percebi que era o homem da minha vida. Você pode tentar fazer o mesmo com Derek e os seus parentes. Ficou bom? – perguntou virando-se pra mim.

 – Ficou. – respondi. Lydia era uma doidinha, mas tinha falado uma coisa mais do que certa: eu tinha que provar para o papai e tio Dean que Derek é um caralegal.

 – Vem. – ela me puxou pelo braço e em minutos voltamos para a mesa com os rapazes.

 Nós conversamos por mais algum tempo até Lydia dizer que estava se sentindo mal e Stiles resolver levá-la para casa em seu jipe azul. Já estava escuro quando Derek pagou a conta e saímos da cafeteria, agora sozinhos.

 – Posso te levar a um lugar especial? – perguntou Derek parando de andar ainda segurando minha mão.

 – Que lugar? – perguntei.

 – É surpresa. – disse ele sorrindo. – Vamos?

 – Vamos.

 Andamos até o estacionamento e Derek destravou seu Camaro preto com a chave. Em seguida abriu a porta para mim e eu entrei, sentando-me no banco do carona. O Hale deu a volta e entrou pelo outro lado. Assim partimos para o tal lugar misterioso.

 Saímos da cidade e subimos uma pequena estrada que ia para dentro do bosque. Àquela altura do campeonato eu já estava com um friozinho na barriga, pois ele mesmo tinha dito que era um lugar perigoso a noite. Ainda mais agora com os weredemons por aí, apesar de estarem sumidos.

 – É aqui. – disse estacionando o carro.

 Quando dei por mim estávamos em um mirante, de onde dava para ver toda Beacon Hills. Saímos do carro e agora podia ver melhor os pontos brilhantes vindos da cidade, como as estrelas que brilhavam no céu.

 – É lindo. – falei.

 Derek e eu nos deitamos sobre o Camaro e ficamos conversando até tarde. Foi um momento muito especial, agora sem weredemons, médicos, ou amigos. Éramos só nos dois e nada mais.

 – Derek... – sussurrei enquanto fazia cafuné no homem.

 – Hum?

 – Eu te amo. – falei para o mesmo, corando. Derek abriu os olhos sorrindo e pôs uma mecha do meu cabelo por trás da orelha.

 – Eu também te amo. – em seguida nossos lábios se tocaram e iniciamos um maravilhoso beijo. Mais tarde Derek me deixou em casa e eu entrei toda contente. E foi assim que terminou o meu primeiro encontro.



Notas finais do capítulo

O que acharam do encontro? Gostaram do início da amizade da Lydia e da Emily?
Já estou até imaginando uma festa do pijama na casa da Lydia haha
Vamos comentar, gente! Quero saber a opinião de vocês u-u'



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Hybrid: Um demônio em Beacon Hills" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.