Hybrid: Um demônio em Beacon Hills escrita por LadyWolf


Capítulo 10
O Beijo


Notas iniciais do capítulo

Mais um capítulo pra vocês ♥




 Tive uma noite muito bem dormida após um sonho com Derek Hale. E agora tinha mais um dia de aula para enfrentar. Bem, pelo menos era sexta-feira e teria o fim de semana para descansar, ou não. Enquanto me arrumava lembrei de que não tinha feito nenhum dever de casa na noite anterior, mas por sorte não teria aula de nenhuma daquelas matérias até a semana seguinte.

 Saí de casa cedo, comi alguma coisa na lanchonete e fui para a escola como fiz nos últimos dias. Assisti às aulas, inclusive algumas com Talita – onde mais conversamos do que estudamos – e o dia terminou normal. Mason não apareceu, Liam e Leon foram para o treino de lacrosse e Talita acabou me arrastando junto para assistir.

 O campo de lacrosse era uma área bem grande onde o chão era coberto por grama com falhas aqui e ali, e um gol em cada extremidade. De um lado havia a arquibancada, onde eu e Talita estávamos sentadas junto com algumas outras poucas pessoas, do outro o bosque em que conheci Derek. Esse nome não saía da minha cabeça.

 – VAI LIAM! – gritou Talita, só então saí de meu transe pelo Hale. Vi Liam sair correndo de uma fila em direção ao gol com um taco, com uma espécie de rede na ponta, dentro da mesma a bola. Dois rapazes estavam a sua frente para tentar defender, mas ele os driblou facilmente e lançou a bola no gol. – BOAAAA!

 – UHUUUUUUUUUUUUU! – gritei. Liam saiu correndo pela quadra comemorando conosco.

 – Bom trabalho, Dunbar. – disse o professor... Treinador Finstock. – Collins, sua vez!

 Um rapaz baixinho de cabelos escuros pôs o capacete de proteção e se preparou para correr. Assim que começou a corrida, os dois rapazes vieram atrás dele, mas ele era pequeno e ágil, então conseguiu desviar. Porém quando lançou a bola no gol o goleiro conseguiu defender com seu taco.

 – NÃO, COLLINS! – gritou Finstock se descabelando mais do que já estava descabelado. – MELHORE ESSA MIRA, POR FAVOR!

 – Foi mal, treinador. – disse o garoto voltando para a fila.

 – Senhorita Wright, pode ensinar ao seu amigo como se faz?

 – Com certeza. – disse a garota de cabelos verdes, a mesma que encontramos no corredor no primeiro dia de aula.

 Porém antes que pudesse ver seu desempenho no jogo algo me chamou atenção. Derek estava encostado na porta que levava direto para o vestiário. Aquele idiota tinha saído do hospital? Eu ia dar dez tapas na cara dele. E ainda estava sorrindo para mim como se não tivesse acontecido nada.

 – Talita, eu já volto. – disse para a garota que estava bastante entretida com o treino.

 – Está bem. UHUUUU! – pelo jeito a garota Wright tinha marcado um gol.

 Peguei minha mochila e fui andando a passos firmes até o Hale que não tirava aquele sorrisinho do rosto. Quando viu que eu estava chegando perto ele entrou no vestiário e eu fui atrás. Porém quando cheguei não havia ninguém.

 – Derek? Derek! – chamei. – Eu sei que você está aí! Derek!

 – Aqui. – me virei e o vi perto dos armários com as mãos atrás do corpo.

 – O que você tá fazendo fora do hospital? Você está machucado! Tá maluco? Andou fumando? Bateu com a cabeça na pia do banheiro quando era criança?

 – Ei, ei. Calma, ok? – disse Derek tirando as mãos detrás do corpo e revelando um lindo buquê de flores coloridas. – Toma, são pra você.

 – P-pra mim? – perguntei estática.

 – Sim, pra agradecer pelo que você fez por mim àquela noite.

 – Obrigada, Derek. – disse pegando o buquê com um sorriso no rosto. – São lindas.

 – Eu também queria agradecer seu pai e seu tio, mas acho que eles não vão gostar de receber flores. – falou dando de ombros.

 – Tio Dean provavelmente ia querer te jogar pela janela. – brinquei. – Mas, espera, isso não muda o fato de que você está ferido e...

 – Não estou mais. – disse o Hale tirando a camisa cinza e exibindo seu corpo definido agora sem machucado algum. Eu, é claro, como não era boba nem nada, aproveitei para admirar a boa vista. – Viu? Não tem nada. Nenhum arranhão.

 – Mas como...

 – Eu sou um lobisomem, eu me curo mais rápido. Mas acho que os ferimentos causados pelos weredemons demoram um pouco mais a curar.

 – Entendi. – disse reparando na tatuagem nas costas dele.

 – Recebi alta do hospital hoje cedo. Estou atrás de você o dia inteiro, mas é difícil te ver sozinha. – falou ajeitando a camisa para coloca-la novamente.

 – Escuta, Derek, o que é...?

 – Ah, isso? – disse se virando de costas e a exibindo a tatuagem. – É um símbolo que tem em um amuleto que é passado de geração em geração na minha família há séculos para ajudar os lobisomens novos a se controlar. Significa Alfa, Beta e Ômega.

 – Os três tipos de lobisomem? – perguntei curiosa.

 – Exatamente, senhorita meio-demônio. – respondeu Derek pondo a blusa e acabando com o fogo das leitoras. – Vamos, eu te levo até o hotel.

 – Mas e a Talita?

 – A Talita? Ela vai ficar bem.

 – ARRASA, LEON!

 Derek e eu saímos da escola conversando. Eu fiquei esperando que ele falasse alguma coisa do dia anterior, mas não falou nada. Porém estava diferente comigo, parecia mais doce do que o cara da que conheci no bosque há alguns dias atrás. Ele me contou a história de sua família, falou sobre o incêndio causado pela tal Kate Argent e todos os danos que ela causou.

 A conversa estava interessante, mas eu não conseguia me concentrar. Estava mais interessada em seus lábios, em seu sorriso, em seu olhar... Aquilo mexia comigo de tal forma... Paramos em frente ao hotel, falamos mais um pouco e quando ele já ia embora, tomei coragem.

 – Espera, Derek. – falei e ele parou de andar, virando-se para mim.

 – O que f-... – interrompi sua fala com um selinho demorado e saí correndo para dentro do hotel rindo deixando o Hale para trás estupefato.

 Ponto para Emily! Sim, a Winchester privada de vida social. E pensar que em apenas alguns dias em Beacon Hills já tinha feito diversos amigos e beijado alguém pela primeira vez, mesmo que não tivesse sido lá grande coisa. Mas pra mim foi, ok? Esperava que minha vida a partir dali fosse cada vez melhor.



Notas finais do capítulo

Gostaram do capítulo? Tem algo que vocês gostariam de ver na história? Deixem nos comentários.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Hybrid: Um demônio em Beacon Hills" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.