366 Rabiscos escrita por Priy Taisho


Capítulo 9
Capítulo 9 - Sasori


Notas iniciais do capítulo

OLHA SÓ quem está aqui em uma sexta? Antes do dia certo de postagem, olha só! UAHAUSHSA O capítulo era pra ter saído na quarta, mas eu decidi que não estava bom e mudei TUDO!
Porém, promessa é divida e eu amei todos os reviews do capítulo passado, juro! Vou responde-los amanhã, porque agora são 01:32 da madruga e eu quero ir dormir uehe
Espero que gostem,
Boa leitura!



15 de Fevereiro de 2016 – 06h27min

Eu não via Sasuke desde sábado, quando nós nos separamos para ir embora. Ele até tinha me oferecido carona, mas eu tinha combinado de dormir na casa da Ino junto com as outras meninas (até mesmo Karin tinha sido convidada de última hora).

A Yamanaka passou a tarde inteira de domingo enchendo o meu saco, porque é claro, ela tinha que ter visto o momento em que eu e Sasuke nos beijamos; Karin que também tinha visto a cena, a ajudava a criar teorias mirabolantes e até mesmo o beijo na virada de ano novo veio a tona.

Eu não me atrevi a contar que Sasuke tinha dito que gostava de mim.

Não sabia se devia levar aquilo para outros sentidos além do “gostar” que existia entre amigos.

E elas com certeza me deixariam louca.

— Está tudo bem, Sakura? – Minha mãe perguntou de maneira repentina fazendo com que eu erguesse meus olhos para encará-la. – Tenho certeza de que esse pedaço de manga já está furado o suficiente. – Acrescentou ela olhando para o meu prato, fiz o mesmo e constatei que ela estava certa. Eu estava furando a manga com um garfo desde que eu a tinha colocado em meu prato.

— Tudo ótimo, mãe. – Respondi dando um sorriso sem graça. – Eu só não to com fome.

— Você não está com fome, Sakura? – Meu pai pronunciou-se e baixou o jornal para me observar. – Tem certeza de que não está sentindo nada? – Olhei para ele e em seguida para minha mãe, fazia tempo que nós não nos sentávamos juntos para alguma refeição e minha mãe até que estava puxando assunto de vez em quando.

— Seu pai está certo, querida. – Mebuki analisou-me com seus olhos incrivelmente verdes para tentar encontrar algo que denunciasse alguma doença. – Não quer ficar em casa?

— Estou ótima. – Revirei meus olhos e coloquei um pedaço de manga na boca. – Só fui dormir tarde ontem. – O que não era verdade. Onze horas eu já estava no meu décimo quinto sono.

— Se você diz, eu posso fingir que acredito. – Finalizou minha mãe antes de erguer a xícara de chá até os lábios. Antes que ela pudesse encontrar outro assunto, ouvimos o barulho da buzina do carro do Sasuke e essa foi minha deixa para beber o restante do meu suco e me levantar. – Boa aula querida, dê um beijo em Sasuke e Naruto por mim! – A minha cara de espanto ao ouvir a palavra beijo chamou a atenção dela. – Sakura, tem certeza de que está bem?

— Estou ótima. – Afirmei dando um sorriso. – Tchau! – E saí da cozinha antes que eles decidissem prolongar o assunto.

Peguei minha mochila que estava sobre o sofá e abri a porta de casa no instante em que Sasuke buzinou pela segunda vez. Meu plano seria agir como se nada tivesse acontecido, eu era muito boa em fazer esse tipo de coisa.

— Onde está o Naruto? – Perguntei assim que cheguei perto do carro; abri a porta do banco de trás e coloquei minha bolsa.

— Ele decidiu que iria andando hoje, disse que está sedentário. – Sasuke respondeu com uma naturalidade assustadora. Eu não conseguia imaginar Naruto dizendo tais palavras. – Vem no banco da frente. – Avisou e eu dei ombros fazendo o que ele pediu.

— Como está seu ombro? – Perguntei após colocar o cinto de segurança. Eu não sei se era impressão minha, mas havia um clima tenso entre nós e eu não queria que isso acontecesse. – Naruto estava reclamando de que as costas dele estavam doendo ontem. – Desviei os olhos de Sasuke e comecei a observar a paisagem através da minha janela.

— Ontem estava doendo pra caralho. – Sasuke respondeu-me e eu fiquei quieta. – Hoje não dói mais.

Eu me lembrava vagamente de ter tido uma crise de riso após o beijo com Sasuke e ele parecia achar tudo muito divertido também; nós bebemos muito, dançamos até que nossos pés doessem junto com os outros e em um determinado momento Sasuke e Naruto começaram a andar abraçados pelos ombros pela festa, eles não tinham equilíbrio nenhum e acabaram indo contra uma parede.

— Você também caiu, não foi? – A voz de Sasuke despertou-me das lembranças da festa e eu me virei para encará-lo. – Naquele trenzinho maluco que Tenten e Neji fizeram. – Acrescentou ele sem desviar os olhos do transito.

— Foi. – Respondi e me forcei a encontrar qualquer coisa que continuasse dando assunto para nós conversarmos. – Uma das minhas panturrilhas está com as marcas do salto da Karin, mas vou sobreviver. – Ele deu um breve sorriso e não disse mais nada.

A única coisa que quebrava o silencio era a música que vinha do rádio e ainda assim, ela era baixa e ruim. Eu não me atreveria a mudá-la e Sasuke parecia pensar o mesmo. Engraçado pensar que há uma semana nós estávamos fazendo esse mesmo caminho e apesar do mal humor matinal, nós cantávamos a letra das músicas aos berros e riamos das nossas próprias performances.

Estranhei quando Sasuke virou em uma rua diferente do percurso normal, mas não me atrevi a questionar até que ele estacionasse o carro próximo de uma padaria.

— Nós precisamos conversar. – Desviei os olhos da padaria e olhei para Sasuke que já me observava. – Quando nós conversamos ontem parecia tudo bem. - Ele se referia as mensagens que nós tínhamos trocado, elas eram totalmente aleatórias.

— E está tudo bem. – Afirmei sustentando o olhar dele. Sasuke respirou fundo e endireitou a postura, tirou as mãos do volante e soltou o cinto de segurança. – É sério, eu não tenho problema nenhum. – Os olhos negros dele pareciam mais intimidadores do que o normal.

— Você mente mal, Haruno.

Quebrei o contato que nossos olhos tinham e soltei meu cinto como Sasuke tinha feito com o dele. Eu tinha consciência de que ele observava todas as minhas ações e que estava impaciente também, mas ficou quieto. Mexer no porta-luvas me parecia extremamente tentador, mas eu me contive.

— Você disse que gostava de mim. – As palavras escaparam pelos meus lábios de maneira sutil. – Eu devo interpretar isso de que maneira? – Era oficial. Agora eu daria tudo para ser um avestruz e enfiar minha cabeça em um buraco bem fundo.

— Sakura, olha pra mim. – Eu estava me preparando psicologicamente para encará-lo, mas Sasuke colocou sua mão sobre a minha e deu um leve puxão exigindo minha atenção. A expressão de Sasuke era tranquila. – Eu gosto de você. – Afirmou ele dando um leve aperto em minha mão. – Eu amo você. – Meu queixo caiu e eu arregalei meus olhos sem ter o que dizer. – Você é minha melhor amiga, é normal que eu sinta esse tipo de coisa. – Sasuke começou a rir e teve que se controlar ao notar que eu tinha começado a balbuciar uma resposta. – Isso não significa que eu estou apaixonado por você, se é o que está te preocupando. – Completou com um sorriso divertido nos lábios e eu fiquei sem ter o que responder.

— Mas o beijo...

— Eu te beijei porque eu senti vontade. – Sasuke me interrompeu. – E você também parecia querer, então não me parece errado. – Ele ergueu os ombros em um gesto de descaso. – Existem amigos que fazem isso o tempo todo.

— Isso nós faz amigos coloridos?

— Bom, eu não acho que será ruim te beijar de vez em quando, até porque não somos comprometidos com ninguém. – Sasuke respondeu-me ainda mantendo o tom desinteressado em sua voz. – O que você acha?

— Não é como se nossa amizade fosse girar ao redor de alguns beijos casuais. – Sasuke murmurou um “exatamente” de maneira prepotente e eu comecei a sentir que a tensão que havia entre nós antes tinha sido dissipada.  – E você não beija tão mal assim. – Conclui com um sorriso cínico e Sasuke estreitou os olhos.

— Você quer que eu te prove o contrário? - Ele aproximou seu rosto do meu e eu senti sua respiração batendo contra minha pele. - Só precisa pedir, Haruno.

— Não, obrigada. – Respondi desvencilhando minha mão da dele. – Você tem que dirigir para a escola ou chegaremos atrasados.

— Irritante.

Sasuke e eu continuamos conversando todo o caminho. Ainda era estranho imaginar que mais beijos aconteceriam, mas eu poderia conviver com isso facilmente. Contei para ele das metas extras que Ino tinha criado junto comigo e ele debochou de cada uma delas, como de costume. O Uchiha aproveitou para perguntar sobre o cara que Tenten tinha visto comigo e eu contei o que tinha acontecido, incluindo a parte de que não fazia ideia do nome dele.

— Isso foi imprudente. – Sasuke ralhou comigo enquanto saiamos do carro. Faltavam cinco minutos para o sinal bater. – De qualquer forma, só aconteceu isso?

— Só. – Respondi confusa. – Você esperava que eu agarrasse o cara dentro do banheiro? – Perguntei começando a caminhar para dentro do colégio e ele me acompanhou.

— Não sei em que mundo você vive, mas já ouviu o termo “rapidinha”? - Olhei para Sasuke com nojo e ele riu da minha reação. – Pobre Sakura, sendo corrompida pelo mundo real. – Disse zombeteiro e por muito pouco o tapa que eu mirei nele não o acertou.

— Toda vez que eu acho que chegou ao extremo, você consegue se superar e falar algo que me deixa sem comentários. – Falei com falsa admiração e Sasuke continuou mantendo o sorriso nos lábios. – Pode ir, vou deixar uns cadernos no meu armário. – Avisei parando e Sasuke agarrou meu pulso e começou a me puxar para a sala de aula. – Sasuke!

— Já estamos atrasados. – Avisou sem olhar para mim. – Depois você faz isso.

Assim que passamos da porta Sasuke me soltou, a primeira pessoa que eu procurei quando entrei foi Naruto. Não vi sinal algum da cabeleira loira dele, nem de sua voz estridente. Cumprimentei meus amigos e me sentei em minha cadeira ao lado de Sasuke, que parecia incomodado com alguma coisa.

— Onde está o Naruto? – Verbalizei minha pergunta e eles olharam para mim e Sasuke com confusão. – Aconteceu alguma coisa?

— Não que eu saiba. – Karin respondeu ajeitando os seus óculos vermelhos, ela sentava ao lado de Naruto e o lugar dele estava vago. – Falei com ele ontem a noite, disse que ia vir.

— Ele não vem com vocês? – Hinata que estava sentada sobre a mesa de Karin perguntou curiosa. Olhei para Sasuke, ele continuava com uma expressão pensativa. – Sasuke?

— Ah, Naruto. – Um sorriso esquisito surgiu nos lábios de Sasuke. – Ele está bem. – Acrescentou antes de pegar o celular do bolso, sua expressão ficava cada vez mais engraçada. – Eu me esqueci de buscá-lo. – Explicou.

— Como assim? – Hinata, Karin e eu perguntamos ao mesmo tempo. – Você disse que ele ia vir a pé para a escola!

— Eu menti. – Sasuke deu ombros e colocou o celular em cima da mesa. – Nós combinamos que eu ia passar na sua casa e quando estivesse perto daquela padaria enviaria uma mensagem para ele nos encontrar.

— E por que ele não foi com vocês? – Neji perguntou curioso. – Ele vai te matar, cara! – Riu e Sasuke fez questão de estender o celular para ele. O Hyuga deve ter visto alguma mensagem de Naruto, pois começou a rir e entregou o celular de Sasuke para Gaara.

— Aposto dez pratas de que ele chega aqui gritando. – Gaara falou aos risos. – E ainda a tempo pra primeira aula.

— Aposto que ele chega atrasado. – Neji rebateu olhando para Gaara desafiadoramente. – Dez pratas?

— Eu to com o Gaara. – Shikamaru que estava de cabeça baixa ergueu o rosto para entrar na discussão. – O alvo dele vai ser o Sasuke, Naruto é bem persistente quando quer algo.

 As apostas continuaram e todos concordávamos que Sasuke iria ser assassinado de alguma forma por Naruto. Tenten, Hinata e Temari confiaram na aposta de Neji, Ino, eu, Karin, Shikamaru e o próprio Sasuke achávamos que Gaara quem havia acertado a reação que Naruto teria quando chegasse.

Quando o sinal tocou fiquei torcendo para que aquele imbecil surgisse logo. Eu não queria perder dez reais. De jeito nenhum. Ino mordia a tampa da caneta e mantinha seus olhos fixos na porta, sobressaltando-se toda vez que alguém entrava na sala.

No momento em que a professora Kurenai passou pela porta, me senti decepcionada. Neji e as outras já começavam a cantar vitória, pedindo encarecidamente que nós passássemos o dinheiro para ele e que de preferência, fosse trocado.

Ridículo.

A professora saiu da sala por um momento e no seguinte, Naruto atravessou a porta como um foguete. Ele apoiou as mãos nos joelhos e dobrou o corpo, puxando o ar pela boca de maneira ruidosa. Hinata fez menção de levantar para ajudá-lo, mas Tenten a segurou pelo braço. Nada podia interferir nas reações de Naruto para o bem da nossa aposta.

 Quando o Uzumaki ergueu a cabeça havia fúria em seu olhar.

— FILHO DA PUTA! – Gritou Naruto ao avistar Sasuke. O restante da turma que não fazia ideia do motivo do atraso dele revezou o olhar entre ele e o Uchiha. – COMO VOCÊ PODE ME ESQUECER, SEU DESGRAÇADO! – Coloquei minhas mãos sobre minha boca com medo de que minha risada atraísse a ira de Naruto sobre mim.

— Eu esqueci.

Olhei para Sasuke e ele tinha uma expressão tranquila, o que deixava Naruto ainda mais irritado.

— Oh, eu juro que NÃO PERCEBI! – Agora Naruto marchava em direção a nossa mesa e eu olhei para os lados a procura de uma rota de fuga. – SASUKE, EU TIVE QUE CORRER DUAS MALDITAS QUADRAS!

— Correr faz bem pra saúde. – A resposta de Sasuke arrancou risadas de nossos colegas. Eu também estava rindo, mas fiz questão de ficar séria quando Naruto me encarou.

— EU QUASE FUI ATROPELADO, SEU IDIOTA!

— Quase não é ser. – Sasuke revirou os olhos e começou a girar uma caneta entre seus dedos. – Pare de drama e de gritar.

As respostas de Sasuke para Naruto eram tão efetivas quanto apagar um incêndio com gasolina. Não resolvia nada e só piorava as coisas.

Naruto estava pronto para gritar com Sasuke novamente quando a professora Kurenai retornou para sala, dessa vez segurando uma caixinha de apagador. Ela olhou para Naruto e em seguida para a mochila que estava nas costas dele; os olhos estreitaram-se por um breve momento e eu tive certeza de que ela sabia que Naruto não estava na sala quando saiu.

— Senhor Uzumaki, sente-se em seu lugar. – Ordenou ela severamente. – Abram os livros na página 77. – Acrescentou antes de fechar a porta.

— Passa o dinheiro, Hyuga. – Ouvi Gaara murmurar enquanto estendia a mão para Neji que não parecia nada satisfeito.

X-X-X

Eu assistia aos ensaios das líderes de torcida ao lado de Hinata. Nós estávamos sentadas nas arquibancadas enquanto elas (as garotas da torcida) alongavam-se em seus uniformes azuis com micro saias. 

— Você sabe que a Ino não vai desistir, não é? - Falou a Hyuga referindo-se ao fato de que Ino quase arrancou os próprios cabelos quando eu disse que não participaria do ensaio. 

— Se desistisse fácil não seria a Ino. - Resmunguei e Hinata riu baixo. - Elas vão ficar por quanto tempo ali? 

— Meia hora. - A morena me respondeu prontamente. - Depois disso elas vão pro canto da quadra e o time de futebol começa o treino.

Temari que estava se alongando perto de Shikamaru, deu um beijo rápido nele antes de correr para se reunir perto de Ino. 

A Yamanaka dava instruções com seriedade e mesmo de onde eu estava, conseguia ver o quanto ela gostava do que fazia. A pequena reunião terminou com um gritinho de animação das garotas e enquanto elas se posicionavam, Ino correu até um rádio azul e colocou uma música animada. 

Podia ser o primeiro ensaio do ano, mas era impossível negar o quão coordenadas elas eram.

Uma garota deu um salto e abriu uma escala; Temari correu até pegar distância e apoiou as mãos no chão dando uma espécie de mortal e quando parou, estava sorrindo como se não tivesse feito nada. 

Ino e Tenten davam estrelinhas, uma ao lado da outra, completamente em sincronia. 

Tudo era tão rápido que eu mal conseguia acompanhar. Elas formavam um fila, batiam palmas, erguiam as mãos, desciam, davam giros, rebolavam, sacudiam os pompons e recomeçam novamente toda a seqüência sempre que uma delas errava.

— Caramba, esse é o aquecimento delas? - Karin perguntou sentando-se ao meu lado. - Desculpa a demora, as meninas me seguraram no pátio até agora.

— Sem problemas. - Respondi por mim e por Hinata que tinha se distraído com um livro. - O assunto devia ser bom. - Comentei voltando a olhar o treino.

— Que nada! - Karin discordou desgostosa. - Matsuri queria saber como falar com um cara que ela gosta sem que desse muito na cara que ela tá afim. - Revirou os olhos e jogou a mochila no espaço livre. - Ela disse que ficou com ele na festa que teve sábado, não faço ideia de quem seja. 

— Matsuri?! 

Hinata desviou os olhos do livro e olhou para Karin com espanto. Revezei meu olhar entre as duas tentando encontrar algo que explicasse a reação de Hinata. 

— O nome da sua amiga é Matsuri? 

— Sim, por quê? - Karin respondeu tão confusa quanto eu. - Matsuri... AI MEU DEUS! 

— SIM! 

— O que tem essa garota? - Perguntei aflita. - Eu to boiando aqui! 

— Sakura, você não estava ouvindo a Ino no domingo? - Hinata perguntou-me perplexa e eu assenti. - Ela falou o nome dessa garota dez vezes entre uma colher de sorvete e outra! 

— Matsuri é a garota que o Gaara ficou! - Karin esclareceu as coisas e eu arregalei meus olhos compreendendo a gravidade da situação. 

— Como isso aconteceu?! - Questionei revezando meu olhar entre Hinata e Karin, as duas pareciam pensativas. - Quer dizer, por que justamente a sua amiga? Ele podia ter agarrado qualquer uma! 

— Essa garota já ficou com o Gaara. - Hinata respondeu minha pergunta e fechou o livro após marcar a página que estava lendo. - Ino a detesta. 

Eu me lembrava do quanto Ino tinha ficado furiosa ao saber que Gaara estava ficando com outra garota (Só não sou boa em memorizar nomes!). Eles mantinham uma amizade colorida e embora Ino não admitisse nem sob tortura, ela gostava dele. E eu tinha certeza de que era correspondido, porque Gaara tinha ficado possesso ao ver a Yamanaka e Sai dançando juntos. 

A vingança dele foi ficar com Matsuri e a de Ino, seria fingir que nada tinha acontecido. Ela estava conversando bem mais com Sai, mas não tratava Gaara com indiferença, o que o forçava a tratá-la da mesma forma. 

Por um momento me lembrei da minha conversa com Sasuke pela manhã. Será que nós nos transformaríamos em Ino e Gaara? 

Eu esperava que não. 

Falaria com ele sobre isso quando tivesse chance. 

— Sinceramente, eu não queria ser você, Karin. - Falei interrompendo a pequena discussão que a ruiva e Hinata estavam tendo. - Se Ino descobrir que você é amiga da tal Matsuri, vai querer que você conte tudo pra ela. Absolutamente tudo. 

— Eu não posso ser neutra? - Karin deu um sorriso amarelo e colocou a franja atrás da orelha. - Eu gosto das duas, não quero ficar levando e trazendo informações.

— Nós vamos dar um jeito. - Hinata Murmurou pensativa. Ela enrolou o cabelo e o prendeu em um coque alto, deixando somente a franja solta. - De onde você a conhece?

— Nós fazíamos aula de dança no mesmo lugar. - Karin explicou tirando os óculos e abriu a bolsa com a mão livre enquanto falava. - Quando avisei que estava vindo pra esse colégio foi bom saber que eu conhecia alguém além do meu primo. Matsuri me apresentou às garotas que andam com ela, Tayuya e Shion; eu não tenho muito haver com elas, mas até que foram bem simpáticas. - Karin limpou as lentes dos óculos com uma flanela azul e depois os colocou. - Shion era a que menos fazia questão de falar comigo, mas mudou radicalmente quando soube que Naruto era o meu primo. Virou um poço de simpatia. - Fez uma careta e não escondeu seu desagrado. 

— Ah é? - Hinata perguntou dando um sorriso que era estranho, além do tom de voz desinteressado que ela usava. - Ela fez alguma pergunta sobre o Naruto? - A Hyuga desviou o olhar para a quadra e eu olhei para Karin que parecia achar graça na situação. 

— Fez muitas. - Karin respondeu e seu sorriso aumentou consideravelmente quando Hinata virou o rosto para encará-la. - Shion pode até ser muito bonita, mas não combina com o Naruto. - Concluiu usando um tom sugestivo. 

— E por que não? - Perguntei após receber um olhar estranho da Uzumaki.

— Naruto parece gostar de morenas. - Finalizou Karin com o mesmo tom sugestivo de antes e eu só tive um segundo para ver que as bochechas de Hinata tinham corado antes dela virar o rosto. - E quanto a você e o Sasuke? - Disparou ela repentinamente.

— Eu devia ter uma resposta pra essa pergunta?  - Me fiz de desentendida.

— Me responde você. – Karin colocou apoiou o queixo na mão e me fitou com seus olhos castanhos que me intimidaram um pouco. – Naruto me contou que você, Sasuke e ele sempre chegam na escola juntos. Também disse que Sasuke é pilhado em questão de horário, ele é sempre irritantemente pontual.

— Eu fico feliz que você consiga perceber isso com tão pouco tempo de convivência. – Karin riu do meu cinismo e eu decidi não perguntar o que ela queria dizer com tantas afirmações.

— Sakura, o que você e o Sasuke fizeram hoje pela manhã? – A ruiva sussurrou e riu de minha expressão. – Vocês demoraram e aparentemente, ele se esqueceu de pegar o Naruto.

— Cale a boca, Karin. – Retruquei desviando o meu olhar para a quadra e ela riu. – Olha lá, os garotos estão entrando na quadra. – Avisei ao ver Naruto que ria de alguma coisa que Kiba lhe falava.

As garotas da torcida foram para um canto que não atrapalharia o treino dos time e aos poucos todos os jogadores estavam na quadra, incluindo os reservas. Sasuke carregava uma caixa verde e prestava atenção no que o técnico barra professor de educação física, Maito Gai dizia.

Rock Lee acenou para mim ao me ver e eu retribui mesmo que o sorriso em meus lábios fosse forçado.

— Hey testuda, vem aqui pra baixo! – Gritou Ino atraindo minha atenção. Ela estava caminhando até o banco em que Shikamaru estava no começo do treino das líderes de torcida. – Vocês duas também! – Acrescentou ela para Karin e Hinata que não tinham movido um músculo.

Enquanto descíamos, Ino jogou-se no banco e bebeu água; o rosto dela estava vermelho e a respiração desregulada, mas ela sorriu ao nos ver.

— Até que aquele ali é bonitinho. – Karin me cutucou e indicou algum dos jogadores com o queixo.  – O de cabelo descolorido.

— Quem? – Perguntei olhando para os jogadores em busca daquele que tinha atraído a atenção de Karin. – Ah, o Suigetsu. – Falei ao avistar o Hozuki que aproximava-se de Lee, Gaara e um outro ruivo que estava de costas.

— Retiro o que eu disse. – Karin se contradisse no momento em que Suigetsu pulou nas costas de Gaara quase levando os dois ao chão. – O cara é um idiota.

— Na maior parte do tempo. – Concordei rindo e ela balançou a cabeça negativamente antes de se sentar no banco ao lado de Hinata. – Está muito cansada, Porca? – Perguntei para Ino que observava os garotos se aquecerem com atenção.

— Isso foi a coreografia do ano passado. – Ino respondeu voltando os olhos pra mim. – Gostou? Vai fazer os testes, não é? – Agarrou minha mão e a apertou. – Diz que sim!

— Eu não consigo fazer essas acrobacias, Ino! – Ela estreitou os olhos e o aperto em minha mão se intensificou. – Karin fez aula de dança. – Olhei para a ruiva que desviou os olhos da quadra e olhou para mim totalmente alheia ao assunto.

— Fez é? – Ino questionou inquisitiva e Karin assentiu lentamente. – Ótimo, você vai fazer o teste também. – E então a Yamanaka se virou para mim. – Não fazemos acrobacias, são coreografias, Testuda! E se você não consegue fazer uma estrelinha, nós te ensinamos.

— Eu não consigo.

— Nós te ensinamos. – Enfatizou apertando minha mão mais uma vez. – Por favor!

— Vou pensar.  – Pelo menos Ino soltou minha mão. – Não vai treinar?

— Demos uma pausa de quinze minutos. – Respondeu ela dando ombros. Olhei para onde as líderes estavam e logo vi Temari e Tenten caminhando na nossa direção. A Mitsashi tinha soltado o cabelo e o penteava com os dedos para prendê-lo em um coque de novo. – Não dá pra fazer muita coisa sem ter o time pronto.

 - Esse Gai é maluco! – Tenten exclamou em um tom indignado, ela se sentou ao meu lado e puxou a garrafa de água das mãos de Ino. – Colocou o Sasori pra jogar contra o Sasuke, se lembram da última vez, não é? Neji tomou um murro tentando apartar a briga.

— Essa não foi a última vez. – Temari a corrigiu enquanto abria outra garrafinha d’água que estava em uma bolsa sob o banco. – Desde a última briga Sasuke tem se segurado. Shikamaru falou que Sasori não ficou muito contente ao saber que Sasuke seria o capitão do time esse ano de novo.

— Essa rixa deles é ridícula. – Ino falou soltando o ar pesadamente pela boca. – Brigando por um posto num time de futebol escolar, ridículo. – Afirmou contrariada.

Eu escutava os comentários das meninas e meus olhos passearam pela quadra a procura de Sasori. Já o tinha visto algumas vezes durante os treinos dos garotos e numa das vezes em que estava assistindo vi Sasuke e ele se estranharem ao ponto de Naruto e os outros terem que interferir para que os dois não saíssem no murro.

Senti uma espécie de frio no estomago ao ver Sasori colocando um colete amarelo. Ele ficava tão bem no uniforme do time, quanto usando a camisa jeans que eu tinha manchado na festa de Kiba.

Prendi minha respiração inconscientemente ao ver que os times já tinham sido separados. Como Tenten tinha dito, Gai era maluco ao colocar os dois em times opostos. Sasuke e Neji foram até o centro da quadra e de alguma forma decidiram quem iria começar com a bola, Neji estava no mesmo time que Sasori. O treinador apitou e quando o jogo começou até mesmo Ino ficou quieta.

O primeiro esbarrão de Sasuke e Sasori veio cerca de três minutos depois; o Uchiha estava com a bola e preparava-se para passá-la para Suigetsu, quando Sasori esbarrou contra ele e tirou-lhe a bola, chutando-a para Lee. Sasuke chegou a cambalear, mas limitou-se a lançar um olhar irritado para Sasori.

— Isso não vai acabar bem. – Hinata murmurou absorta. Torci para que ela estivesse errada.

A tensão entre os dois só foi aumentando. Sasuke bateu o ombro de maneira brusca contra Sasori e o ruivo deu um empurrão no Uchiha desnecessário; Sasori foi derrubado por Sasuke e Gai marcou uma falta. Naruto segurou Sasuke e falou alguma coisa somente para que ele ouvisse, o moreno respondeu-lhe de forma ríspida e por muito pouco Kiba não conseguiria defender a bola que Sasori chutou.

Shikamaru que estava sentado no banco dos reservas com o uniforme do time praguejou alto e falou alguma coisa com um garoto que estava ao seu lado. Tentou falar com o treinador, mas ele apenas ergueu a mão pedindo que ele esperasse.

No fim do primeiro tempo, estava um a um.

Controlei-me para não correr até onde Sasuke estava para tentar acalmá-lo como Naruto, Neji, Gaara e o próprio Shikamaru faziam. O Uchiha estava com o rosto vermelho e baixou a cabeça enquanto buscava se recompor; ele socou a parede e parecia furioso.

O pandemônio recomeçou quando o professor Gai teve que sair da quadra por um momento. Malditos professores que somem em momentos inapropriados, malditos!

Eu não sei como, nem porque e muito menos como Sasuke estava perto dos outros em um segundo e no outro, rolava no chão com Sasori, desferindo murros e socos enquanto os outros jogadores tentavam separá-los.



Notas finais do capítulo

Continua... Mereço reviews?
Até a próxima!!! (quem topa fazer o mesmo esquema da semana passada? haha conversem comigo)
Beijão ♥