Você pode seguir sozinho? escrita por Marianna Santos


Capítulo 4
Sobre a gente


Notas iniciais do capítulo

JOJO AMADO, HÁ QUANTO TEMPO EU NÃO ATUALIZO ISSO?
Pessoal, eu espero imensamente que vocês me perdoem por tanta demora e procrastinação (além da puta falta de inspiração pra continuar). Eu não posso prometer nada, porque estaria mentindo XD, mas eu vou tentar atualizar mais rápido. Por favor, não desistam de mim!!
Uma boa leitura à todos :3



(MESES ANTES)

Jeff pov's:

Desde que eu me lembre, talvez desde os nossos nove ou dez anos, Sumo e eu nunca nos demos muito bem. Ele mexia com terra e outras coisas que eram repletas de bactérias. Mas, mesmo com nossas discussões, continuávamos amigos.
Ah, algumas coisas eu gosto de me lembrar. Como da vez que brigamos, e por causa do Clarêncio, terminamos o dia quebrando ovos com seu rosto desenhado nas cascas, e outras situações em que acabamos juntos de novo. E ficamos de bem por um tempo. 

(SEGUNDA-FEIRA, 17 DE JUNHO DE 2015)

— Ele precisa ficar nessa posição! – Sumo resmungava, ajustando o boneco em uma posição de luta.

— Sumo, não! Ele tem que ficar exatamente como estava antes. Senão, a sequência vai ficar confusa!!

Era mais uma daquelas brigas que nós tínhamos, pra decidir como a figura de ação devia ficar em certa cena. E como sempre, eu estava perdendo a paciência com ele.

— A gente precisa colocar mais meteoros! – e ele tirava mais ovos da cartela e os enterrava no chão. Caramba, o que a gente tinha na cabeça?

— Mais meteoros! Mais meteoros! – Clarência gritava, segurando a câmera. Pisava nos ovos já enterrados, deixando a clara e a gema se misturarem com aquela terra esquisita do quintal dele.

O Sumo e eu brigamos muito por coisas idiotas. Brinquedos, organização doméstica... Muitas coisas.

Mas foi muito diferente naquele dia.

****

— Você não vai com a gente, Clarêncio?

— Não, Jeff. A mamãe não quer me deixar ir, porque eu tô doente. 

— Certo, tudo bem. Não tem problema se a gente for sem você, né?

Ahn, Jeff! Vocês só tem é que se divertir. Ahh, mãe! Não, eu não vou tomar remédio!

A presença do Clarêncio na nossa "aventura emocionante" já não era mais confirmada. Então, seria Sumo e eu.
Era normal, acostumei a sair mais com Sumo desde que Clarêncio passou a falar mais com a amiga dele.

****

Ele chutava o ar e ficava com as mãos dentro dos bolsos do casaco preto. Não tinha motivo pra discussão naquela hora, exceto pelo fato de querer entrar em um lixão e subir naquelas montanhas de tralhas sujas.

— E o quê a gente vai fazer sem o Clarêncio?

— Ainda não sei, mas eu já tenho muitos planos de diversão. Nós podemos completar palavras cruzadas, ou jogar jogos de tabuleiro...

— Isso é tudo muito chato, Jeff! – ele se deu a resmungar. Típico Sumo.

— Então, quer fazer o quê?

— Ah, eu sei lá. Espera, espera, eu já sei!

— Ótimo. E aí?

— É só me seguir e fazer o que eu fizer.



Notas finais do capítulo

Gostaram?? Gente, me perdoem por ter ficado pequeno ;---;
Ah, parando pra avisar... A fic tá chegando mais perto do fim. BEJOS



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Você pode seguir sozinho?" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.