Collide escrita por Allie Próvier


Capítulo 1
1. O início do problema


Notas iniciais do capítulo

Wow.
Já faz bastante tempo que eu não aparecia aqui no Nyah, mas senti muita falta e resolvi começar mais uma história! Para quem se interessar, tenho outras fics mais antigas e finalizadas no meu perfil.
"Collide" está sendo postada no Wattpad também, o link tá lá na sinopse!
Espero que gostem ♥




CAPÍTULO 01

"Era disso que Dorothy tinha medo,

o tornado traiçoeiro."

Bridgit Mendler - Hurricane

  Ninguém me contou sobre as situações absurdamente constrangedoras.

  Todos me falaram sobre as festas e os garotos bonitos, é claro. Também me disseram que seria mais puxado e eu estaria cada vez mais próxima da decisão final, que é decidir o que eu quero ser nessa vida. E, claro, eu passei todos os meus 17 anos de vida assistindo filmes suficientes sobre a vida no high school para saber que eu teria que aguentar os grupinhos, os populares, as lideres de torcida e, com certeza, um cara absurdamente lindo pelo qual todos se apaixonam. Inclusive eu.

  Mas os constrangimentos causados por isso? Nada. Ninguém me disse nada. Mas eu devia saber, é claro.

  Talvez esteja confuso. Deixe-me voltar ao começo desse lindo e desastroso dia, para contar o motivo de eu desesperadamente desejar cavar um buraco para ficar bem quietinha dentro dele.

  Para começar, o sol estava radiante hoje. Eu acordei animada, como de costume, já que havia conseguido terminar a minha coluna semanal para o jornal da escola. Na semana passada, como eu havia abordado o assunto sobre os grupinhos patéticos do colégio e isso fez todos se revoltarem contra mim, - como se eu tivesse dito alguma mentira - o professor Harris, responsável pela equipe, pediu educadamente para que eu escrevesse sobre algo mais "leve" nessa semana. Então, eu tive que dar adeus ao meu rascunho sobre o tamanho das saias das lideres de torcida, - que estavam a cada dia mais curtas, e isso fazia com que os garotos do time de basquete as tratassem como objetos e logo achavam que todas as garotas do colégio podiam ser tratadas igual - e comecei a escrever sobre as sobremesas sem graça que davam no almoço. "QUEREMOS CUPCAKES", o titulo dizia. Era quase um manifesto, mas procurei ser bem sensata e calma, como o sr. Harris pediu.

  Olhei para o rascunho sobre as saias amassado no chão, ao lado da lixeira. Mordi o lábio inferior, indecisa, e por fim decidi pega-lo de volta e guarda-lo. Logo eu teria oportunidade de publica-lo, quando os alunos parassem de me encarar como se eu tivesse alguma anomalia genética. Ou como se tramassem me sequestrar e me jogar na baía de São Francisco com pesos amarrados nos pés.

Eu passei na casa de Eve, minha melhor amiga, para dar carona. Ela saiu com a habitual expressão de sono e se jogou no banco de passageiro.

— Bom dia! - falei, sorrindo abertamente enquanto colocava o carro em movimento. - Dormiu bem?

— Ally, por favor... - ela murmurou. - Não fale comigo até a terceira aula.

  Revirei os olhos e ri, enquanto Eve se acomodava no banco como se fosse dormir novamente. E ela realmente dormiu. Tive que sacudi-la algumas vezes quando chegamos ao estacionamento do colégio, para que ela acordasse. Muito a contragosto ela saiu do carro e fomos para a primeira aula.

  Uma vida normal, tranquila. Uma melhor amiga, uma ocupação no jornal da escola, uma mãe que mal para em casa por causa do trabalho e uma ou duas espinhas que apareciam ocasionalmente na minha testa. E, é claro, não podia faltar a razão do grande problema...

  Benjamin O'Neil era o típico líder do time de basquete que fazia sucesso até mesmo entre as professoras mais velhas. Alto, porte atlético, sorriso fácil e encantador, olhos verdes e brilhantes, bom humor, engraçado, cabelos sempre bagunçados e às vezes uma barba por fazer que o fazia parecer mais velho, mas ele sempre acabava tirando.

  Eu não o culpo por causar problemas às outras pessoas. Deus sabe o problema no qual eu me meti por causa dele. Dele e de seu perfume inebriante, que me envolveu inteira ao passar por mim no corredor naquela manhã. Engoli em seco ao vê-lo ir em direção à Mia Campbell, sua namorada há mais de um ano. E, claro, ela era líder de torcida. Os dois se enroscaram um no outro sedentos, e eram só mãos e línguas no meio do corredor.

— Eles me dão nojo. - ouvi Eve resmungar ao meu lado. - Arrumem um quarto!

  Arregalei os olhos quando Eve praticamente gritou e todos os olhares caíram em cima de nós duas. Eu sorri totalmente sem graça, enquanto Eve revirava os olhos e ia para a segunda aula. Percebi Benjamin olhando para Eve com uma expressão confusa e em seguida seu olhar cruzou com o meu. Ele deu um sorriso torto e piscou um olho de leve, logo voltando a dar atenção à sua namorada e amigos.

  Meu coração acelerou absurdamente. Mas quando percebi duas amigas de Mia me olhando de forma desconfiada, eu tentei disfarçar e fui atrás de Eve, que já estava no final do corredor. Já fazia dois anos que eu era apaixonada por Benjamin, e a única pessoa que sabia era Eve. Se alguém mais descobrisse, bom... Seria um problema.

  Eu tive uma reunião naquele dia com a equipe do jornal. Apresentei meu manifesto contra sobremesas ruins e a favor de cupcakes ao sr. Harris, e ele me olhou de forma estranha depois que leu. Talvez tenha achado que os alunos haviam batido na minha cabeça, para eu ter aparecido com algo como aquilo de repente. Mas, ainda assim, aprovou. Afinal, era um assunto bem comentado entre a escola e todos concordavam que as sobremesas estavam ficando cada vez piores. E o sr. Harris achava que uma reclamação sobre as sobremesas era melhor do que uma rebelião contra mim pelos corredores. Eu não concordo, mas não estou podendo reclamar, então...

  A reunião terminou alguns minutos depois. Era apenas para verificar o andamento de algumas matérias. Quando saímos da sala, encontrei Eve sentada no corredor, ouvindo música. Ela geralmente me esperava para voltarmos juntas para casa.

— Ainda está cheio de gente aqui. - falei, vendo o corredor mais cheio do que o habitual nesse horário, já que as aulas já haviam acabado.

— É porque vai ter treino do time hoje. Está todo mundo indo pra quadra.

  Olhei para Eve com um sorrisinho, levantando e abaixando as sobrancelhas de forma sugestiva. Ela me olhou com uma expressão sofrida antes de suspirar e se render. Envolvido meu braço no seu e fomos até a quadra coberta, que já estava lotada. Tentei olhar a arquibancada à procura de lugares vazios, mas como não fui abençoada com longas e belas pernas, e nem uma boa altura, tudo o que eu via era a cabeça das pessoas.

  Eve era mais alta do que eu, então conseguiu achar dois lugares vazios na última fileira, bem no alto, e corremos para lá. Não era o melhor lugar do mundo para conseguir enxergar quem eu queria, mas estava ótimo. Era melhor do que assistir de pé. Eu ajeitei o óculos no rosto, enquanto olhava as pessoas ao nosso redor.

— Olha quem está ali, Eve! - falei, cutucando-a com o cotovelo. - O seu admirador secreto!

  Eve olhou para onde eu olhava e viu Jack Smith, seu ex quase-namorado. Quando seu olhar caiu sobre ele, Eve estremeceu, fechando os olhos e balançando a cabeça negativamente. Não consegui conter a risada, nem mesmo quando ela beliscou minha barriga.

— Vocês formavam um casal lindo. - murmurei, contendo o riso. - E ele ainda é louco por você.

— Ally, - ela semicerrou  os olhos, com um sorrisinho se formando nos lábios. - quer que eu diga por quem você é louca?

  Revirei os olhos, bufando, e foi a vez dela de rir. Percebi que estávamos sendo observadas, e ao olhar para a direção de Jack novamente vi que era ele que nos observava. Ele sorriu levemente para mim e acenou. Acenei de volta, bem simpática. Eve viu e fez uma careta para mim, disfarçadamente. Passei o resto do tempo rindo dela e de seu mau-humor. Jack era um garoto legal, afinal. E realmente gostava de Eve ate hoje, a não ser que continuar olhando para ela mesmo depois de o jogo ter começado signifique outra coisa. Mas acho que ele devia saber que depois de vomitar nas botas preferidas dela, ela nunca mais sairia com ele de novo. Sinto muito, Jack.

  O treino foi divertido, como sempre. Os meninos mais brincavam entre si, enquanto faziam todos aqueles arremessos e roubavam a bola uns dos outros. Meu olhar ficou todo o tempo cravado em Benjamin e na forma como o seu cabelo rebelde caía levemente sobre a testa suada, enquanto ele ria pela quadra. Era o melhor jogador de todos, sempre acertando a cesta e sendo muito rápido.

  Suspirei, um pouco cansada. Gostar de uma mesma pessoa por tanto tempo e nem ao menos conseguir se aproximar um pouco dela era cansativo. Eu sempre falava com Benjamin, na verdade. Como eu era do jornal, estava sempre em contato com ele, principalmente nas épocas dos campeonatos. Eu também o entrevistei uma vez, logo após ele ser nomeado o líder do time. Se não fosse por Mia e sua carência que fizeram a entrevista acabar mais cedo, quem sabe eu não teria conseguido conquistá-lo com meu ótimo bom humor e inteligência?

  Ah, Allison Jones... Sonhar é tão bom, não?

— Qual o problema daquelas garotas? - Eve perguntou, me acordando dos meus devaneios e me fazendo desviar o olhar de Benjamin. - Elas não param de olhar pra você.

  Segui seu olhar e vi que ela se referia às amigas de Mia, as mesmas que me observavam hoje no corredor. Eu não lembrava o nome delas... Yui e Jane, talvez? Era algo assim. Elas continuavam me olhando desconfiadas, e quando perceberam que eu olhava para elas também, ambas deram risadinhas uma para a outra e sorriram de forma desafiante para mim.

  Hã?

  Eve cruzou os braços ao meu lado, encarando-as com sua cara emburradas. Eve era linda e tinha traços marcantes, mas quando se irritava parecia realmente ameaçadora. Yui e Jane logo pararam de me olhar, talvez assustadas por causa de Eve, e eu fiquei sem saber o que estava acontecendo realmente.

— Será que ainda estão irritadas por causa da sua matéria sobre as panelinhas? - Eve perguntou.

  Eu apenas neguei com a cabeça e logo dei de ombros, fingindo que não sabia. Mas no fundo era mentira. Eu tinha certeza de que elas já haviam percebido o meu olhar de peixe morto para Benjamin... Eu só esperava que elas ignorassem.

  Mas até parece que isso aconteceria.

  Logo após o treino acabar eu fui ao banheiro. Eve foi direto para o carro me esperar, porque já estava bem cansada. Eu estava lavando as minhas mãos, quando Yui e Jane entraram no banheiro lado a lado. Elas pararam entre mim e a porta, acabando com as minhas chances de sair correndo. Me olhavam de cima, - o que não era difícil, pela minha altura - com um sorrisinho irritante cravado no rosto.

— Nós percebemos, Allison. - Yui falou, com um tom ácido. Aquela carinha de japonesa não enganava ninguém. - Logo o Benjamin, hein?

— Acho que a Mia não iria gostar de saber disso... - Jane disse, com uma falsa expressão de pena.

— Do que vocês estão falando? - lutei para a minha voz sair sem gaguejar.

  Meu Deus, no que eu fui me meter?

  Yui revirou os olhos, colocando as mãos na cintura e dando dois passos em minha direção, enquanto eu dava dois passos para trás. Os olhos puxados me olhando de forma assustadora, e o sorriso de escárnio voltando aos lábios.

— Nós já sabemos que você está apaixonada pelo Benjamin!

  Eu fiquei cerca de 7 segundos em estado de choque, apenas olhando para as duas com os olhos arregalados, até a minha mente processar a informação e começar a funcionar novamente.

— O que?! - eu ri, fingindo achar graça. - De onde vocês tiraram isso? Enlouqueceram?

— Pode mentir o quanto quiser, Allison. A nós você não engana mais. - Jane resmungou.

  Revirei os olhos e passei reto por elas, saindo do banheiro apressadamente, mas as duas me seguiram irritadas. O corredor ainda estava cheio de gente, todos indo vagarosamente em direção à saída. Parei onde estava, as duas bem atrás de mim. Yui puxou meu braço para que eu as olhasse.

— Eu já disse que vocês estão enganadas! - falei, tentando não gritar enquanto meu coração batia descompassado no peito. - Podem me deixar em paz?

— Não ate você admitir. - Jane cruzou os braços.

  O que elas queriam era uma fofoca, um assunto para espalhar sobre mim. Um motivo para continuarem com raiva desnecessária após eu ter dito que as panelinhas eram ridículas e que sim, as pessoas sem personalidade própria que perseguiam os populares eram ainda mais ridículas. Será que haviam percebido que foi uma indireta para elas também? Se sim, elas eram realmente bem espertas.

  Mas não tanto a ponto de me fazer confessar uma coisa daquelas, não mesmo. Minha mente tinha que agir, e rápido. Um garoto passou por nós na mesma hora, rindo ao lado de um amigo. Eu o conhecia, estudamos juntos por anos, mas eu não lembrava o nome dele...

— Vai nos fazer esperar ate quando, Allison? - Jane resmungou.

— Tudo bem, tudo bem... - suspirei, engolindo em seco. Eu já sabia o que fazer. - Eu vou contar a verdade.

— Então...? - disseram juntas.

  O olhar ansioso delas para mim chegava a ser ridículo. Eu queria estapeá-las, mas isso seria ainda pior do que eu planejava fazer. Então, eu apelei para uma... Mentirinha.

— A verdade é que eu já estou namorando alguém. - falei baixinho, como se estivesse me confessando para elas, enquanto as puxava mais para o canto da parede de forma que eu ficasse de frente para o restante do corredor, podendo ver todos que estavam ali. - Mas é segredo.

  As duas se olharam, com uma expressão cética, e voltaram a olhar para mim.

— Espera mesmo que a gente acredite nisso? - Yui perguntou.

— Claro! Por que eu mentiria?

— E por que é segredo?

— Porque é recente, não queremos apressar as coisas, sabe? - continuei cochichando.

  Elas duas ficaram me olhando com o mesmo olhar desconfiado de antes, e eu engoli em seco, tentando manter uma expressão neutra, confiante e sincera.

  Tudo o que eu não era no momento.

  Por fim, surpreende mente elas acreditaram e me olharam animadas e curiosas. O que?

— E como ele é? - Jane perguntou. - É bonito? Descreva ele pra gente!

— Ah, er... - meu olhar captou o garoto de antes involuntariamente. - Ele é alto, tem cabelos escuros, olhos muito verdes, um sorriso de matar... É lindo.

  Terminei a descrição com um falso sorriso animado, enquanto torcia internamente para o garoto ir embora do corredor de uma vez. Talvez eu não devesse me preocupar. Apesar de ter varias aulas com ele, eu nem ao menos lembrava do seu nome. E se eu não lembrava, Yui e Jane nem deviam imaginar que ele existia. Ele não parecia ser do tipo que andaria com o grupinho delas.

— Eu conheço alguém assim... - Jane murmurou, pensativa.

— Não conhece, não! - falei rapidamente, dando uma risadinha para disfarçar no final. - Ele não é muito... Popular.

  Jane já ia falar alguma outra coisa, quando eu fingi olhar a hora em meu relógio de pulso e fingi estar surpresa. Fingir, fingir, fingir. E depois fugir.

— Nossa, olha a hora! Eu preciso ir embora, meninas. Foi legal conversar com vocês, ate amanha! - falei, dando as costas para elas e andando rapidamente pelo corredor antes mesmo de elas conseguirem responder.

  Mas quando eu cheguei no final, bem antes de virar e fugir daquele lugar, elas gritaram...

— Espera aí, Allison! - a voz de Yui soou. - Você está namorando o Daniel Sullivan?!

  Céus, quem é Daniel Sullivan? Olhei para trás assustada, e logo o vi. Daniel Sullivan, o garoto que eu havia descrito para elas, me olhava assustado e confuso. Assim como todos os presentes no corredor. E não eram poucos.

  Terra, por favor, me engula.



Notas finais do capítulo

O que acharam?
Eu to bem animada pra escrever pra essa fic, já tenho alguns capítulos prontos, então é só ir postando! Digam aí nos comentários o que acharam, toda sugestão e crítica é bem vinda!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Collide" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.