Dance With Me escrita por annaprata


Capítulo 8
Capítulo 07


Notas iniciais do capítulo

E aí meu povo! Estou feliz que estejam gostando, pelo menos eu creio pelos comentários lindos daqueles que não são tímidos e deixam lindas frases que me enchem de felicidade :) Sei que mais gente está acompanhando, não fiquem com vergonha meu povo, fale nem que seja um oi para eu conhecer vocês. Quero mesmo fazer um grupo no whatssap, então quem tiver o interesse só passar o número, como só uma querida até agora se manifestou ainda não o criei, mas espero que mais gente queira :) E meus beijos especiais vão para: Bela02, Novacullen, Gcblee e Thalia Luna. Brigadão pelos lindos comentários, há e quanto a pergunta se Edward está apaixonado, isso são cenas para próximos capítulos,kkk.




Para o meu alívio, chegamos rapidamente na academia, e não querendo quebrar o silêncio que acabamos estabelecendo após a troca selvagem de beijos, saio do carro sem lhe dizer nada. Nem mesmo um obrigado pela carona, já que não pedi, sendo totalmente forçada a entrar contra a minha vontade dentro daquele carro. E como ainda estou desorientada, preciso me afastar o quanto antes de Edward, para que assim não cometa ou fale algo que não deva. Sei que será impossível prolongar por muito tempo qualquer tipo de distância dele, tendo em vista que os ensaios da peça começam em poucas horas. Porém, nem que seja pouco, esse tempo longe dele será essencial para que eu coloque a cabeça no lugar e me controle. Assim, com este propósito em mente, e com medo de que ele me siga, abro a porta do estúdio com rapidez e me surpreendo quando aparece, do nada, uma Alice toda sorridente na minha frente.

— BELLA! — Grita o meu nome enquanto me abraça — Que bom que você chegou! Venha, vou lhe apresentar todas as dependências, enquanto ainda há tempo.

Sem que eu possa sequer me manifestar, ela me puxa pelo braço, contudo, nem reclamo, a Alice surgiu no momento certo. Com a baixinha por perto eu corria menos perigo e essa ideia dela de me mostrar tudo foi ótima, já que minha cabeça iria se distrair e não só ficar pensando em Edward Cullen.

E cada canto que ela me leva, fico fascinada. As salas de dança, onde podíamos até reservar para treinar são amplas e espaçosas. Há até uma sala de descanso, com direito a uma poltrona que faz massagem. A academia e a sala de fisioterapia tinham os mais variados tipos de equipamentos, e a lanchonete era o céu para aqueles que apreciam uma comida bem light. Sempre imaginei o Royal como um paraíso para os bailarinos, contudo, nunca pensei que era tudo isso, superando completamente as minhas expectativas.

— E esse aqui é o seu camarim, todos os bailarinos possuem um, você pode trazer suas coisas e deixar do seu jeitinho — Explica ela toda sorridente.

Aproximo-me da bancada fascinada, olho para os lados e reparo que cada um possui o toque de alguma bailarina, não vejo a hora de deixar ele a minha cara.

— Ah, esqueci de te mostrar um lugar.

Ela novamente me puxa e me leva até uma salinha que há do lado e quando acende as luzes, minha boca se abre maravilhada, aqui é nada menos do que a sala das sapatilhas.

— Cada compartimento desse pertence, também, a uma bailarina, esse aqui é o seu — Aponta ela para um nicho que continha o meu nome — Ainda está vazio, pois ainda não sabemos que tipo de sapatilha você gosta, assim que fornecer os dados, ele estará cheinho.

— É simplesmente espetacular, nunca vi tantas sapatilhas juntas na minha vida.

— Sabia que você ia adorar — Diz ela saltitando — Agora deixa eu te mostrar o meu cantinho, antes que nosso tempo acabe.

E lá vai ela me puxar para outro lado. Esse lugar não tem fim? Quando penso que já havia conhecido tudo, a doida da Alice me leva para outro canto.

— Deixa eu te apresentar o espaço onde faço mágica — Exclama ela empolgada.

E a baixinha me traz para nada menos do que a sala de costura, e bem atrás dela há vários armários onde estão inúmeras fantasias. Curiosa, vou me aproximando e percebo que cada cabide possui roupas separadas por peças.

— Nossa, quantas fantasias! — Falo impressionada.

Vou olhando com calma cada uma delas, até que um manequim chama meu interesse. Nele está um tutu de Odette, personagem que vou interpretar, mas o que desperta minha atenção é o fato de que nele está o nome da minha mãe.

 — Renée Swan — Pronuncio emocionada.

— Não é deslumbrante? — Questiona Alice, surgindo do meu lado, ao perceber minha atenção para aquele manequim — Ele pertenceu a Renée Swan, minha mãe e Charlie sempre dizem que ela foi uma das melhores bailarinas desta academia. Pena que ficou por pouco tempo, e ninguém sabe a razão, do nada ela desapareceu, deixando muitos fãs dela tristes.

Com muito cuidado aproximo-me do tutu e o toco com delicadeza.

— Será que deixariam eu usar especificamente este tutu na minha apresentação? — Interrogo, tentando segurar as lágrimas que teimavam em sair dos meus olhos.

— Esse?! Mas ele é antigo, eu estou te preparando um novinho, você vai amar.

— Desculpa, Alice. Sei que com certeza você está fazendo uma fantasia maravilhosa para mim, mas poderia fazer o possível para que eu use esse aqui, por favor.

Ela me olha estranha, acho que não estou conseguindo esconder as emoções muito bem.

— Se quiser assim, farei o possível, porém não posso prometer nada. É Dona Esme que dá a última palavra.

Sorrio para aquela baixinha, com certeza nos tornaríamos grandes amigas.

— Nossa, deixa eu te levar logo no vestiário para você trocar de roupa — Exclama ela, depois de ter olhando o relógio — Não quero que você receba bronca de Charlie no seu primeiro dia, por minha causa. Ele odeia atrasos, é super pontual.

Assim que ela pronuncia essas palavras, corro. Não quero, logo no meu primeiro dia, mostrar uma imagem de irresponsável.  Arrumo-me o mais rápido que consigo e quando estou pronta, dirijo-me até a sala que a Alice havia me indicado. Quando chego lá, estão dentro Jasper, Victoria e Edward.

— Bom dia a todos! — Cumprimento eles.

Eles respondem, menos Victória, que para minha surpresa está segurando possessivamente o braço do Edward. Isso me irrita um pouco, mas não deixo que esse sentimento tome conte de mim. Quem sabe assim não seja melhor. Edward me esquece e esse desejo louco que toma conta de mim quando ele está próximo, desaparece. E assim eu não cometo nenhuma loucura.

Aproveitando que Charlie ainda não chegou, vou até a barra para me aquecer, e estou tão concentrada em mim, que nem reparo o momento em que Jasper chega ao meu lado.

— Bella, desculpa estar te atrapalhando, mas gostaria de conversar com você, se não for incomodar.

— Claro que não, Jasper. Pode falar.

— Nem sei como começar, você nem me conhece ainda — Relata ele timidamente — Mas fiquei muito impressionado com a dança que você e Jacob fizeram no dia da audição.

— Obrigada! — Agradeço sorrindo para ele.

— Então, na verdade sou filho de Charlie — Fico surpresa, pois eles nada se pareciam. Jasper tem o cabelo da cor do mel que ia até a nuca, é alto, razoavelmente forte, e para mim a única coisa que eles tinham mesmo em comum são os olhos castanhos — Meu objetivo é me tornar um renovado coreográfico, assim como o meu pai — Exclama ele sonhador e sorrio ao constatar que ele admira o seu pai, assim como eu, em relação à Renée — Ele me deixa ser o seu assistente, mas nada que eu faça o satisfaz — Relata ele frustrado — Então, mesmo sabendo que estarei sendo um inconveniente aqui, gostaria muito de te pedir um pavor.

Percebo que ele fica indeciso em continuar.

— Pode falar, Jasper — Incentivo-o.

— Vai ocorrer uma competição muito famosa entre os grandes coreógrafos, e seria uma grande oportunidade para mim, já que nela poderei mostrar meu trabalho para grandes renomes do nome da dança e quem sabe assim conseguir grandes projetos e mostrar para o meu pai que tenho capacidade, que as pessoas não olham só para mim, pois eu carrego o seu sobrenome — Diz todo determinado e sonhador, o que faz eu me simpatizar, de cara, com ele — Logo, gostaria de saber se você, Bella, poderia me ajudar sendo minha bailarina, para este evento. Sei que estou sendo abusado, mas tenho certeza que você será capaz de transmitir com perfeição a coreografia que estou desenvolvendo. Jacob já aceitou, e como adorei vocês dois juntos, tenho certeza que vai dar certo.

— Nossa, Jasper! Fico lisonjeada e claro que aceito. Será um prazer te ajudar. Só não sei se corresponderei a toda essa expectativa que você está depositando em mim.

— Sério?! — Questiona ele surpreso.

— Lógico, vou adorar te ajudar.

— Não sei como te agradecer — Fala ele emocionado e para minha surpresa me dar um abraço inesperado.

— Já está jogando seu charme, Isabella? — Pergunta Victoria maliciosamente, quando se aproxima de nós dois.

Olho para ela e vejo Edward atrás dela com cara de poucos amigos, mas nem tenho tempo de rebater aquela idiota, pois Charlie entra na sala.

— Ótimo que todos já estejam aqui, vamos começar — Fala um Charlie rígido, sem nem mesmo nos cumprimentar.

Sinto um frio na barriga, pois só agora que a ficha começou a cair, de fato. Eu, Isabella Swan, estou aqui no Royal, a mesma academia onde minha mãe dançou, e o mais chocante de tudo isso que irei interpretar Odette, logo no meu primeiro ano. Nem nos meus mais hilários sonhos, poderia ter imaginado isso.

Primeiramente, Charlie decide passar algumas sequências com Edward e Victoria, já que são poucas as partes que eles dançam juntos. Aproveito então o momento para treinar e relembrar todos os movimentos em que Odette dança com o príncipe, tendo em vista que serão os Pas de Deux que iremos focar hoje.

Sei o Lago do Cisne de cor, de tanto ver as fitas das apresentações da minha mãe, contudo, ao constatar que Charlie era um coreográfico muito do exigente, tendo em vista a cobrança absurda que ele está fazendo na dança de Victória, começo a ficar nervosa. Quero dar o melhor de mim.

— Victoria, mais expressão — Grita ele — Mais suavidade nesse movimento.

Percebo que Victoria não está gostando nada das exigências de Charlie, e não sei como não falou nada até agora, pois tenho certeza que nunca ninguém foi assim duro com sua dança. Senão ela não seria tão cheia de si e arrogante.

Ao escutar tantos gritos, começo a prestar mais atenção na dança de Edward e Victória, não posso negar que os dois dançam divinamente, foram feitos para isso, e um sentimento ruim toma conta de mim quando percebo que eles também possuem muita química. Balanço a cabeça e volto a focar em mim. Pare com isso, Isabella.

— Chega por hoje. Victória, pode se retirar e foque nas sugestões que eu lhe dei. Isabella, sua vez. Edward, pode descansar um pouco. Isabella, se importa em passar algumas partes dos solos? Sei que falei que hoje seriam apenas os Pas de Deux, mas quero fazer algumas mudanças nas variações de Odette.

Concordo com a cabeça e dirijo-me até ele. Charlie me explica quais partes gostaria de passar comigo e fico encantada com as alterações que quer fazer nos solos de Odette. De fato, ele é um excelente coreógrafo.

Respiro fundo e começo a executar o que me pediu. A cada movimento ele grita algo que devo melhorar e sem bobear vou aplicando e prestando atenção nos seus conselhos. E pode parecer estranho, já que nem o conheço, mas nós dois tínhamos uma ótima sintonia, era muito fácil compreende-lo, pois por incrível que pareça ele me lembra muito Renée quando ela decidia me ensaiar para alguma apresentação. As suas palavras, os seus incentivos, as suas recomendações são muito parecidos com os dela.

— Muito bem, Isabella. Agora vamos começar os Pas de Deux. Edward, já descansou demais. Levante sua bunda gorda daí.

Minha vontade foi a de rir, quando vi a cara de zangado de Edward quando Charlie brincou com ele, mas me contive ao máximo.

— Pode rir, Bella. Mas saiba que quem rir por último rir melhor — Sussurra Edward quando se aproxima de mim.

Engulo em seco, agora não é a hora de perder a cabeça. Preciso focar apenas na minha dança. Edward não vai me desorientar. Ele não vai conseguir o que quer.

Começamos os movimentos que Charlie pediu que executássemos, mas a cada momento que ele tinha que segurar a minha cintura, fico desconcertada.

— Foco, Isabella! — Grita Charlie.

Droga! Foco, Bella! Você não é assim! Tento me concentrar, mas não sei o que está dando em mim.

— Mais amor no seu olhar, você está se apaixonando pelo príncipe, é um amor à primeira vista, transmita isso, Isabella — Continua Charlie me repreendendo.

Está sendo difícil, pois não quero sentir isso, na verdade, quero fugir de Edward, e isto está acabando por influenciar na minha dança. Frustrada, paro de dançar e fecho os olhos, zangada comigo mesma.

— Vamos dar um tempo! Isabella, venha cá.

Minha vontade é a de chorar, se tem uma coisa que eu não suporto é não dar o máximo de mim. E por conta de um sentimento idiota de medo e de pavor pelo que Edward está me fazendo sentir, não estou conseguindo me concentrar, e isso é imperdoável.

— O que deu agora em você? Você estava ótima minutos atrás. Contudo, quando começou a dançar com o Edward, virou um completo desastre. Não foi essa bailarina que eu vi dançando naquela audição — Repreende-me Charlie.

— Desculpa, não sei o que deu em mim. Prometo que isso não se repetirá.

Ele me olha intensamente e sorrir ao ver o meu olhar determinado.

— Você me lembra muito ela.

Ela? Curiosa já ia questionar a quem ele estava se referindo, no entanto, Esme o chama. Eles conversam num canto e eu tento me concentrar para não cometer os mesmos erros, porém, o causador dos meus recentes problemas não me deixa em paz.

— Está com medo, Bella? — Ele me olha inquisitivo.

— Não sei o que você está falando — Faço-me de desentendida.

— Você sabe muito bem do que estou falando, está com medo de se entregar completamente e com isso revelar o que você está tentando esconder, a grande química que existe entre nós dois — Relata ele sussurrando no meu ouvido.

Tento me afastar dele, porém, Edward não deixa, segurando firmemente a minha cintura.

— Você não poderá fugir por muito tempo, eu não sou um homem de desistir tão fácil.

Já ia contestá-lo, mas Charlie está vindo até nós, então decido fechar a boca. Vejo surpresa no seu olhar quando pega Edward segurando a minha cintura, envergonhada o empurro, tentando ao máximo colocar uma distância entre nós dois.

— Vejo que vocês estão tentando se conectar — Diz Charlie sorrindo.

— Pode ter certeza disso, tudo para que a peça seja um sucesso.

Que cínico!

— Que bom que pensam assim, infelizmente um imprevisto ocorreu e teremos que continuar o ensaio amanhã, aproveitem para descansar, pois depois não darei sossego a nenhum dos dois.

Assim que ele relata isso, sai rapidamente da sala, deixando-me sozinha com Edward. Sem perder tempo vou até minha bolsa, é muito perigoso ficar numa sala fechada junto com ele.

— Fugindo de mim, Bella? — Interroga ele sorrindo.

Já ia rebatê-lo, mas para minha felicidade, Jacob entra e sem se importar com Edward vem me abraçar.

— Bella, que bom te ver. Soube que os ensaios já acabaram, se você quiser posso te apresentar a academia.

— Ora, ora, e o bobo da corte aparece para perturbar — Fala Edward sarcasticamente.

— Cuidado, Cullen, que o bobo da corte aqui pode roubar a cena e se destacar mais do que o idiota do príncipe.

Reviro os olhos, ao que parece Jacob irá interpretar o bobo da corte do castelo que há na peça, e por conta disto a brincadeira idiota do Edward. Todavia, antes que eu possa falar algo para acabar com aquela briga idiota deles, Jasper aparece na sala, todo animado.

— Bella! Jacob! Que bom que estão juntos. Aproveitando que vocês foram liberados mais cedo, será que poderíamos começar com aquele favor que pedi mais cedo hoje? — Questiona ele todo esperançoso.

Minha vontade era de voltar para a casa da Ângela e ver como ela se encontrava, mas ao ver o olhar ansioso de Jasper não pude negar. Contudo, antes iria ligar para ela e perguntar como se encontrava. Peço licença para eles e vou até o outro canto do estúdio.

— Alô — Fala uma Ângela sonolenta do outro lado da linha.

— Eu te acordei?

— Não — Relata ela desanimada.

— Ângela, meu ensaio acabou, mas pediram um favor e por conta disto irei demorar um pouco mais, porém, se você quiser que eu volte peço para marcar para outro dia.

— Não se preocupe, Bella. Foque em você agora, quero ficar um pouco mais sozinha, preciso ainda de um tempo para pensar. Vou preparar o jantar, quando você chegar conversarmos.

Minha vontade é de ir consolá-la, mas ela não iria desejar. Ângela não gosta de se mostrar fraca na frente dos outros. Deixarei ela um pouco mais de tempo sozinha, no entanto, depois minha amiga teria que me aturar, não gosto de vê-la assim, já que sempre foi a mais animada e louca de nós duas.

— Está certo, se cuide.

Desligo o celular e me dirijo até os meninos. Jasper e Jacob estão conversando, e Edward está sentando em um canto, olhando-me atentamente. O que ele ainda está fazendo aqui? Será que o trabalho dele agora era o de só me atormentar?

— Muito bem, irei agora explicar para vocês a essência da história da dança que criei para os dois tentarem captar os sentimentos e tentarem assim transmitir na coreografia — Jasper vai até o som que há e coloca um CD nele, e uma música de Cinematic Orchestra começa a tocar nele.

— To build a home? — Interrogo surpresa, há um tempo atrás eu não parava de escutar essa música.

— Isso mesmo — Confirma um Jasper alegre — Escutem, a história é de um casal apaixonado, mas que estão vivendo um momento conturbado, pois a mulher está com os dias contados, ela tem câncer, e não há esperança para cura. O homem se vê desesperado, pois não aguentando mais todas as dores que a doença está lhe causando, ela implora para que ele lhe dê veneno e possa assim morrer em paz.

— Nossa, bem forte — Exclamo.

— Essa é a intenção, chocar a todos — Fala Jasper empolgado.

Jasper nos explica a dança e como queria que nós a executássemos, ele a explana de uma forma tão apaixonante que não quero desapontá-lo. Contudo, ainda não entendo o porquê de Edward ainda estar aqui, ele não fala nada, para a minha surpresa, só fica nos observando fixamente e isto me deixa completamente inquieta, todavia, fico calada, já que, parece que para os meninos ele não está presente, o que é estranho, tendo em vista que Jacob não suporta Edward e vice-versa.

Depois de nos explicar todos os movimentos que quer que nós executemos e a sequência de cada um deles, Jasper pede para que primeiramente treinemos os passos individualmente. De fato, a dança é bem complexa e forte, ele conseguiu captar em cada movimento a mensagem que quer transmitir, agora só cabe a mim e a Jacob desenvolver, com nossos corpos, essa mensagem que Jasper quer passar.

Ao conseguimos pegar e entender cada passagem da dança, Jasper pede para tentarmos agora com a música. Respiro fundo e tento pensar como contar com o corpo o desespero que a mulher deve sentir ao constatar que está com os dias contados e, não aguentando mais esta agonia, pede desesperadamente pela sua morte, não querendo mais prolongar esta dor.

A canção começa a tocar e eu início meus movimentos, tento desesperadamente me entregar àquela dança, mas sinto que não estou conseguindo me conectar, algo está errado. Acho que Edward percebe o meu desespero, pois o seu olhar é estranho ao me ver dançando, o que só me desconcerta ainda mais.

— Não, isso está errado! Preciso de mais emoção — Exclama um Jasper frustrado na metade da dança — Vocês nem estão demonstrando que estão apaixonados. Jacob, não há emoção nenhuma em seus movimentos e, Bella, a única coisa que vejo é um desespero na execução dos seus passos. Cadê aquela emoção que pude sentir em vocês dois naquela audição?

Paro para descansar um pouco e sento no chão, hoje não é mesmo o meu dia. E o causador disso tudo tem nome e sobrenome: Edward Cullen. Ele está conseguindo, definitivamente o seu feito, que é o de me balançar e isso está influenciando na minha dança. Não posso continuar assim! Não posso!



Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado! :) O próximo capítulo já está prontinho e posso dizer que foi o que mais gostei de escrever, kkk. Vou lançar um desafio quem sabe eu não conheça os fantasminhas, assim que eu atingir vinte comentários eu posto, senão vai demorar até que eu consiga finalizar o outro, que ainda estou terminando de redigir. Beijões! Há e quem quiser participar do grupo só deixar o contato comigo!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Dance With Me" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.