Proposito escrita por Erika Bass ebla


Capítulo 2
Soropositivo


Notas iniciais do capítulo

Olá, meu nome é Erika Bla!

Bom galera, esse é o segundo capítulo, não sei se vai da pra eu posta tudo ate acabar o prazo de entrega, porque eu vou viajar e ficar sem net por umas duas ou três semanas, não vai da pra eu postar nesse tempo, mas mesmo assim eu vou termina a fic e vou postar tudo quando eu chegar!




Em sua cama, Justin lia um livro que havia comprando em seu trabalho, numa livraria, que aliais pertencia ao pai de Justin, ele não precisava se preocupar em faltar, além do mais estava muito doente para trabalhar no momento, mas isso não impedia ele de trabalhar de vez em quando.

Foi para a banheira ficar de molho enquanto o pai preparava o jantar, deixou o livro na cama e levou o celular para a banheira.

— Olá! — diz Justin nu dentro da banheira com espuma, e uma voz feminina respondeu irritada.

— O que você quer, Justin? — questionou Jennifer irritada como sempre ficava com Justin.

— Eu estava pensando em você e resolvi te ligar, pra ouvir a sua voz, pra gente conversar — disse sorrindo enquanto se tocava.

— Eu não acredito que você é tão cara de pau — disse — eu estou ocupada preparando a aula de amanhã, você poderia procurar o que fazer — e desligou.

Justin sorriu e ligou de novo, demorou um pouco, mas logo ela atendeu.

— Não desliga, é serio — disse aliviado ao perceber que ela iria escuta-lo. — eu estava pensando que tal eu fazer uma palestra para seus alunos?

— Palestra? — deu uma gargalhada — como isso seria possível? Você esta doido? Sobre o que seria essa palestra? Como pega varias numa balada? Esse seria o nome?

— Não, mas você ate que escolhe nomes legais, mas não esse o assunto — sorriu — é sobre a Aids e tal, eu estava pensando como eu tenho, seria bom um cara como eu ajudar essas almas perdidas.

— Justin? Você esta se ouvindo? — disse sorrindo irônica — Isso é um absurdo, eu dou aulas para crianças, não para adolescente.

— Mas idai, elas vão crescer não vão? — disse sorrindo — e que tal eu dar uma palestra sobre drogas? Faço tudo pelas crianças — sorriu em silencio.

— Cara, cara... — disse rindo — eu nunca mais tinha rido tanto na minha vida, quer saber você ganhou o premio de maluco do ano, eu não sabia que você tinha recebido Aids usando drogas.

— Ah, é verdade! Não tenho nenhuma experiencia sobre isso! — disse ao perceber que não tinha nada haver com a sua história — mas eu posso da a palestra mesmo assim, ate porque existe muitas crianças que usam drogas, e crianças que por descuidados dos pais nascem já com o vírus da Aids.

— Quer saber? Faz sua palestra, mas em outra escola, e em outro continente, que tal na Africa, lá eles vão precisar de suas palestra, quem sabem você salva alguém por lá — disse rindo irônica.

— Nossa que maldade — disse depois de um tempo — vamos almoçar amanhã, eu preparo um almoço delicioso.

— Não — e desligou.

— Nossa que maldade!

∆∆∆

— A lasanha esta quase pronta! — anuncia Jeremy para as crianças que esperavam impacientemente na mesa com seus pratos e garfos em mãos.

— Ainda não ta pronto? — questionou Justin chegando na cozinha cheio de fome.

— Calma, — diz o pai — coloquem arroz no prato de vocês logo.

Justin foi rápido e serviu os quatros pratos de arroz.

— Não come, Jaxon — diz Justin ao pequeno que já ia atacar o arroz — espera a lasanha.

— Poxa! — Jaxon faz uma carinha triste.

— Pronto! — diz Jeremy tirando a bandeja de vidro do forno cheio de lasanha e colocou na mesa enquanto as crianças salivavam.

Justin serviu todos com lasanha.

— Como foi na escola hoje, crianças? — Justin questiona a fim de saber algo sobre a professora Jennifer.

— Foi bom, tirei dez na minha apresentação — orgulha-se Jazzy.

— Corri muito na hora do recreio — diz Jaxon sorrindo.

— Jaxon, conta uma coisa que a gente não saiba — brincou Jeremy e todos riram.

— Tiveram aula com a Jennifer? — questionou Justin curioso.

— Eu tive — diz Jazzy — matemática, a matéria mais chata do mundo — diz mastigando sua lasanha.

Justin se levanta da mesa e vai ate a geladeira pegar uma jarra de suco de uva.

— Quem quer suco de uva? — e todos levantam o copo, Justin serve todos e senta-se em seu lugar.

— E você Justin esta melhor? — questiona Jazzy levando uma garfada de lasanha ate a boca.

— Sim, meu amor, não precisa se preocupar com seu irmãozão — Justin bagunça o cabelo loiro de Jazzy que sorri.

— Mas eu não quero que meu irmão morra — Jazzy diz triste.

— É — completa Jaxon.

— Não se preocupem, eu vou morre bem velhinho, ta bom? Vocês prometem cuidar de mim quando eu tiver gaga? — brincou Justin e todos riram.

— Sim, mas você não vai ficar gaga — diz Jaxon sorrindo animado, pegou seu copo de suco de uva e tomou um gole.

— É vai ser um velhinho legal — diz Jazzy sorrindo enquanto mastigava sua lasanha.

— Ah, obrigado! — disse feliz ao ver seus irmãos sorrindo — enquanto isso a gente pode treinar com o papai — e todos riram.

— Que? — Jeremy se faz de surpreso — eu sou jovem ainda, tenho muito o que viver — e todos sorriem.

— A é, esqueci que ele nadou na fonte da juventude — brinca Justin tomando seu suco de uva.

∆∆∆

Ao acorda, com febre, mal-estar e um pouco de tosse, Jeremy leva o filho ao hospital, e com avaliação de um médico eles dão a vacina do soropositivo a Justin que melhora e volta para casa.

— Ta bom de você voltar a malhar, Justin — sugere o pai preocupado, enquanto dirigia o carro na volta para casa — isso vai ajudar, e precisa continuar comendo comidas saudáveis.

— É eu sei, vou voltar a corre também — disse meio irritado — pai, para aqui, eu quero compra um Latte de chocolate.

— A gente acabou de falar da sua dieta e você vai tomar latte? — questionou estacionando o carro em uma das ruas de Los Angeles.

— Vai querer ou não? — olhou para o pai curioso antes de abri a porta.

— Ok — se rendeu — trás um pra mim também.

Justin atravessa a rua e entra numa cafeteria, pede dois latte de chocolates gelado para a viagem e volta para o carro do pai.

— Aqui esta! — disse entregando um latte para o pai, sugou pelo canudo seu latte gelado — humm... que delicia!

— Nossa, é por isso que eu amo latte — diz Jeremy dando a partida.

— Será que se eu fizer tudo que o medico disse eu vou durar mais? — questionou Justin bebendo seu latter de chocolate.

— É claro, filho — disse tentando animar o filho — aquilo que não te mata te fortalece — disse sabiamente, e parou para pensar por um instante — bom, eu acho que essa é a frase, não sei se esta certa, mas é mais ou menos por ai, você me entendeu — e os dois riem com as trapalhada de Jeremy.



Notas finais do capítulo

Espero que esteja gostando



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Proposito" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.