My Life with The Potters escrita por Eponine


Capítulo 19
Capítulo 19




Eu fui com Dominique em uma consulta!!!

Eu vi seu bebê!!!

É perfeito, não consegui identificar nada além de uma cabeça, mas a medica explicou cada cantinho. É uma menina, o nome vai ser Emma. Também conheci o tal Julian, e ele lembra o Julian Casablancas de forma quase assustadora. Passei a maior parte do dia com ela, eu a ajudei a cortar seu cabelo, é sempre o mesmo ritual. Ela aponta para o pôster de seu filme preferido na parede, Pulp Fiction, e coloca o EP de Chuck Berry, You Never Can Tell.

Dominique: Vamos dançar.

No começo era legal, agora é quase um ritual. Ela faz os mesmos passos que a personagem Mia Wallace do filme. E eu sou o John Travolta. É divertido. Agora é mais engraçado ainda com sua mini barriga grávida. Após a dança, ela se senta e faço o corte da atriz do pôster.

Depois assistimos uns filmes e eu acabei dormindo lá mesmo. Semana passada tio Harry me perguntou se eu gostaria de ir para a Austrália nesse fim de semana, para visitar o túmulo dos meus pais e também para a audiência final da minha guarda. Bem, sexta vai fazer um ano, então eu acho adequado. Parece que vou voltar para Newcastle! Não sei como vai ser pisar naquele lugar novamente, uma vez que nem consigo abrir remetentes de lá. Na verdade, eu até troco de canal quando aparece alguém com o meu sotaque. 

Vou encontrar Mike.

...

Tudo pronto para amanhã.

James está um pouco preocupado, com medo que eu decida ficar com minha tia Carol, mas isso não vai acontecer. Eu acho. Estou um pouco nervosa.

...

Estou em Newcastle!

É estranho ouvir pessoas falando ‘normalmente’, agora meu tio Harry é a piada. Ele pediu uns biscoitos na lanchonete em que estávamos, e a garçonete se esforçou para não rir. Acho que está escrito na testa dele o quão britânico ele é. Newcastle continua com seu clima ensolarado, então eu pude ficar de shorts a maior parte do tempo, em Londres você não pode dar um passo sem um casaco.

Meus olhos lacrimejaram assim que eu vi o mar de Newcastle pelo avião. É o que eu disse... É como eu me sentia... É quando você finalmente coloca os pés em casa após uma longa viagem. O cheiro daqui... A temperatura, os rostos, as vozes, é tudo meu. Tudo faz parte de mim. Aqui eu não sou uma estrangeira, não sou uma trouxa, não sou uma Potter... Aqui sou Anastasia Dursley, uma australiana. Uma pessoa comum!

No aeroporto eu já tive minha primeira surpresa, meu tio Harry havia conversado com tia Carol sobre minha visita e bem, eu vou ficar aqui, na casa dela, pelos próximos dois dias. Meu tio ficou em um hotel perto da estação, o que eu odiei, mas ele parece ter amado, aqui ninguém o conhece, não tem ninguém encarando ou tirando fotos, ele pode andar na rua normalmente. Acho que ele vai tirar bom proveito disso.

Bem, a casa da tia Carol continua a mesma bagunça de sempre, mas ela está agindo de forma bizarra, acho que para eu pensar que ela realmente amadureceu. Ela preparou um miojo e um suco de laranja. Gosto dos bichinhos desenhados artesanalmente por ela nos pratos brancos. Assistimos um filme antigo enquanto jantávamos e ela dava desculpas sobre o miojo:

Tia Carol: Eu até teria cozinhado, mas eu tive que te buscar no aeroporto, então...

Na verdade, ela não sabe cozinhar.

Ela me contou tudo sobre seu novo namorado, que não é bem o namorado, eles só tem encontros casuais, ela disse que ele é maduro o suficiente para namorar uma gordinha como ela. Eu iria amar morar com a tia Carol, ela tem 26 anos, então ela me entende e eu a entendo. Sem contar que sua casa é toda moderninha e única. Seus amigos são legais. E um dia eu achei um pacotinho de maconha na cômoda dela.

...

Rachel veio até aqui...

Foi bem estranho, ficamos uns trinta segundos completamente imóveis, analisando como mudamos. Depois nos abraçamos tão forte que minha cintura está dolorida até agora. Meu Deus, como eu senti falta dela. Como eu não notei antes? Era como se um pedaço de mim tivesse retornado a seu lugar de origem. Nós conversamos por horas e horas, não conseguimos ficar quietas nem mesmo quando parávamos para ir ao banheiro.

Ela fez a trança embutida em meu cabelo, ela sempre fazia quando íamos a praia. Tia Carol saiu e nós não sentimos nenhum medo ao acabar com o vodka que ela tinha na geladeira. Foi uma tarde perfeita, sério, há tempos não me sentia daquele jeito. Mas apesar do dia incrível, ela parecia profundamente magoada:

Rachel: Por que não respondeu minhas cartas?

Eu: Não sei... Eu não abri nada que fosse daqui.

Rachel: Ana... Por que?

Eu: Medo. Acho que medo... Que tudo viesse à tona.

Rachel: Eu sinto muito, Ana. Eu queria ter estado com você quando te contaram.

Eu: Sim... Eu também queria.

Rachel: Mas como é Londres então? Fez muitos amigos?

Mostrei fotos de todos. Rachel apaixonou-se por James logo no primeiro segundo, ficou simplesmente admirada. Reparando bem, até que meu primo é bem bonito. Por foto não dá pra ver que ele é um otário. Claro que tive que usar as minhas fotos, se eu mostrasse uma fotografia bruxa para ela, provavelmente Rachel morreria. É complicado adaptar aventuras com vassouras ou jogos bruxos para que ela entenda, mas eu estou me esforçando.

A noite tio Harry me buscou para jantar, e Rachel ficou vermelha durante os trinta minutos que ele ficou aqui.

Nós comemos em um restaurante bem perto da praia, tio Harry simplesmente amou o molho de camarões. Eu tomei meu tão amado suco de laranja com gengibre que tem um gosto único daqui. O sol estava se pondo, a praia estava quase vazia, tudo termina bem em Newcastle.

...

Low - Sunflower

 

Hoje eu visitei o túmulo dos meus pais.

Meu medo era tão grande que fiquei surpresa em nenhum monstro pular na minha cara quando cheguei mais perto do túmulo. Eu estava relendo o diário, e notei que nunca sequer citei o nome deles. Na verdade, eu não gosto de ficar vendo fotos e vídeos, nada sobre eles. Mas Mike disse que não posso abafar memórias tão bonitas.

Meus pais são Dudley e Grace Dursley. Eles morreram dia 23 de abril de 2020, numa sexta, na colisão com outro carro. Eu estava na escola, era aula de Biologia. Rachel havia acabado de me dizer que Finn, da sala 4B, gostava de mim. Então a diretora me chamou para ir em sua sala. Meu pai sempre foi esnobe e um pouco prepotente, mas se você desse uma chance a ele, veria que ele é uma boa pessoa, apesar de tudo. Minha mãe era um anjo, ela era meio boboca, romântica demais... Fantasiosa. Inocente, pode ser uma boa palavra?

Quando eu olhei a lápide, eu finalmente entendi que não adianta fingir que nada aconteceu... Ou que são memórias muito antigas e superadas. E que não falar sobre eles, não irá apagar a existência deles.

Após me deixar em casa, tio Harry e tia Carol foram para a última audiência da minha guarda. Horas depois, assim que eles atravessaram a porta e minha tia Carol simplesmente passou reto por mim, eu sabia que era uma notícia tensa.

Bem, os juízes, que só me viram por fotos e detalhes supérfluos, decidiram que minha guarda irá para a minha tia Caroline Horvath, irmã da minha mãe. A decisão teria sido feita um ano atrás se não tivessem mudado meu caso. Apesar de ser solteira, ela mora em Newcastle, meu lugar de origem, onde eu já estudava, tinha amigos, laços, já era adaptada. Foi um erro eles darem minha guarda aos Potter. Bem, pelo menos foi isso que tio Harry disse:

Tio Harry: Antes de você vir morar conosco, o juiz já tinha dito que era temporário, até eles... Entrevistarem sua tia Carol, e ver... as condições... Você sabe, econômicas e tudo. Agora é oficial.

 Eu não sei se estou triste, mas eu pensei que ia morrer quando tio Harry começou a chorar. Eu também chorei quando o abracei. Com decisão tomada, meu tio sequer pode recorrer, daria muita dor de cabeça aos dois. E eu estou em boas mãos, não estou? Eu nasci aqui, em Newcastle. Em uma família trouxa. Em um bairro trouxa. Estudei desde pequena em um lugar trouxa. Rodeada de trouxas. Há um ano atrás, eu sequer sabia que existia um mundo diferente do meu. Eu pertenço a este lugar.

Minha vida com os Potter aos poucos não passará de um sonho distante. Agora eu me pergunto se tudo realmente não passou de um sonho. A louça se lavando sozinha. Lily praticando feitiços no jardim. James sobrevoando o bairro de vassoura. Albus alimentando uma planta carnívora.

O sorriso de Lorcan, a gargalhada de Fred... Dominique e suas Poções terríveis... Kurt e seu dente quebrado... Mas eu não posso mentir.

Estar aqui é como largar as chaves em cima da cômoda após uma longa viagem.



Notas finais do capítulo

Bem, acho que muitas pessoas não vão gostar desse capítulo e da decisão nele tomada, mas acho que era minha intenção desde que pensei na história, apesar de ter esse título de "minha vida", é uma espécie de alusão ao que ela passou, a surrealidade em viver em um mundo bruxo.

Enfim, me perdoem a demora também.

Estou aberta a criticas, podem me xingar a vontade kkkkkkk

Beijos.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "My Life with The Potters" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.