Soluço: O Príncipe dos Dragões escrita por GMCASTRO


Capítulo 49
Piquenique na praia e Descoberta.




Astrid estava indo para sua casa, após de sair do ninho, quando alguém lhe chama.

— Astrid! Astrid! – olhou para trás e viu quem era.

— Heather? Aconteceu alguma coisa? – perguntou enquanto a mesma recuperava o fôlego.

— Sim... talvez...

— Fala logo!

— Tá bem, tá bem! – respirou fundo – O Perna de Peixe me convidou para sair.

Heather tinha falado muito rápido, no entanto, a jovem Hofferson entendeu e arregalou os olhos.

— Pera aí! O que?! O Perna te convidou?! O Perna de Peixe?! – a morena assentiu, corada – Ai, meu Odin! FINALMENTE!

— E eu preciso de sua ajuda! Pois não sei se vou fazer alguma besteira ou sei lá, eu acho que não deveria ter aceitado...

— Heather! – coloca a sua mão no ombro da mesma – Se acalma! Vai dar tudo certo, só precisa ser você mesma. Tudo bem?

— Ok, mas mesmo assim, vou precisa de sua ajuda – a loira revirou os olhos e riu baixo.

— Para que serve os amigos, né? – elas fazem o seu cumprimento.

Naquela tarde, Katla estava sentada na cadeira enquanto encarava a sua amiga, Nina, acariciando os cabelos louro de Lodin que ainda estava se recuperando. A morena estava na casa da jovem Hofferson, pois tinha ido ver seus amigos.

— Então, como foi a reunião? – pergunta Nina sem olhar para morena.

Katla suspirou.

— Pelo jeito não foi muito boa.

— Não foi, ainda mais com o idiota do primo de Soluço.

— Hum... e o que vamos fazer agora?

— Por enquanto não sei, mas com certeza falarei com Soluço ainda hoje – disse ela – O Alvin vai pagar muito caro! Por tudo que aquele maldito e desgraçado fez com a gente! – amiga da mesma assentiu com a cabeça, séria.

— x – x – x – x – x – x – x – x – x – x –

Passaram-se algumas horas e logo chegar à noite. Heather olhava para seu reflexo na água enquanto tentava ajeitar o seu cabelo, mas, na verdade, ela estava muito nervosa com convite do Perna de Peixe. Astrid disse que tudo sairia bem e que ela não precisava se preocupar, mesmo assim, ainda tinha medo de algo acontecer.

Alguém bate na porta, fazendo a mesma sair dos pensamentos. Ela suspirou e depois olhou para sua roupa, um vestido, cor de jade, que ia na metade da coxa com um cinto ao redor de sua cintura e um casaco pele marrom. Suas pernas estavam cobertas por um tecido preto e usava as suas botas de costume. Caminhou até a porta e abriu, vendo o jovem Ingerman de costas para ela com um buquê de flores na mão. Heather sorriu.

— Oi Perna de Peixe! O que faz aqui? Achei que era para encontra-lo na praia – o mesmo se assusta e olha para morena de olhos verdes.

— Er... O-OI HEATHER!!! Q-Quero dizer... err...caham – pigarreou – Pensei melhor eu vim te busca e você está linda! Essas flores são para você.

Ela riu baixinho.

— Obrigada – ela pega o buquê enquanto o mesmo estende o braço.

— Vamos?

— Claro, vai em frente!

— E em frente, eu vou... – a morena sorrir, segura no braço dele e ambos andando para praia.

Enquanto isso, Soluço estava voltando da casa de seus pais junto com seu pequeno ruivo que dormia no seu colo. Ele caminha calmamente enquanto pensava sobre a situação que irá acontecer daqui três dias. O mesmo sabia que não importa a decisão dos Clãs, ele os ajudaria.

Ele chega em sua casa e sobe para o quarto de Rhuan, coloca o menino na cama e tira as botas dele, cuidadosamente. Ajeitou-o na cama e embrulhou, desejou boa noite e deu um beijo em sua testa antes de sair do quarto. Suspirou e caminhou em direção ao seu quarto.

— Nada melhor que tomar um banho depois desse dia – pegou a toalha e foi tomar banho.

— x – x – x – x – x – x – x – x – x – x –

— Tchau, Nina! Amanhã venho vê-los de novo – disse Katla dando abraço na mesma.

— Tudo bem. Até amanhã! – a morena sai e vai em direção a casa dos pais de Soluço, porém, ela ver o próprio saindo de lá e resolver segui-lo para poder conversar com o mesmo.

Ela o segue escondida e fazendo de tudo para não chamar atenção de alguns vikings. Nesse momento, Perna de Peixe e Heather estavam passando pelo mesmo caminho e rapidamente a jovem Walker se escondeu, ficou observando os dois que sorriam um para outro enquanto conversavam. Isso fez lembra-la dos amigos, Lodin e Nina, eles sempre estão jogando sarcasmo e brigas um no outro, no entanto, ambos se amam. Assim que o casal some de sua vista, Katla volta a seguir o seu caminho.

— Vamos Heather! Estamos quase chegando! – disse Perna de Peixe, segurando na mão da morena dos olhos verdes, guiando a mesma em direção à praia.

— Tudo bem, não precisa ter pressa – a mesma rir baixo enquanto o louro dava um sorriso.

Eles caminharam pela floresta e quando estava chegando perto da praia, o jovem Ingerman pede para mesma parar de andar e assim fez.

— Por que paramos? – perguntou confusa.

— Quero que você fecha os olhos – pediu.

— O que? Por que? – ele não respondeu, só ficou a encarando com um sorriso – Ok.

Heather fechou os olhos. Perna de Peixe aproximou-se da morena e delicadamente pegou as suas mãos.

— Não vale espiar! – disse enquanto verificava se ela estava espiando ou não.

— Eu não vou, pois eu confio em você! – o louro sorriu e começou a guia-la.

 Caminharam mais um pouco. O jovem Ingerman orientava a morena dos olhos verdes, durante o caminho, até que chegarem na praia. A mesma continuava de olhos fechados ao pedido do Perna de Peixe. Ele guiou-a mais um pouco até chega no ponto especifico.

— Pronto, agora pode abrir os olhos!

Assim que a Heather abriu os olhos, ficou encantada com que o Ingerman fez. Um piquenique na praia. Com o pano forrado na areia junto com uns travesseiros pequenos, tinha duas cestas: uma cesta de frutas e outra a comida que a senhora Ingerman fez, e a garrafa de rum. E também possui uma tenda que cobria como se fosse o teto.

— Perna de Peixe...

— Você gostou? – perguntou um pouco inseguro.

A morena dos olhos verdes estava com as mãos na boca e olhou para o mesmo. Seus olhos estavam arregalados e com as mãos tremendo, ela fala.

— I-Isso é... l-lindo! Eu amei, Perna de Peixe!

O Ingerman suspirou aliviado, achando que ela não gostaria da pequena surpresa.

— Que bom que gostou, vamos? – a mesma assentiu e segurou sua mão enquanto sorria.

O casal ficou conversando e rindo durante à noite. Heather achava fofo quando o Ingerman gaguejava, às vezes, e ficava nervoso, mas tudo estava saindo bem naquele encontro. Perna de Peixe oferece rum para morena que aceita enquanto comia uma deliciosa salada de frutas, feita pelo próprio.

— Isso está uma delícia! – fala antes de colocar mais um na boca.

— Obrigado.

Ambos olharam para o mar, em silencio. Heather encosta a sua cabeça no braço do mesmo, ainda observando o mar. Perna de Peixe estava adorando esse momento até que a morena chama sua atenção.

— Perna?

— Sim... – olhou para os olhos verdes dela enquanto a mesma se levanta.

— Vamos nadar? A água parece boa – disse ela o olhando.

— A-Acho melhor não, pois não me dou bem tomar um banho de mar durante à noite... hehehe... – riu nervoso – Que tal a gente passear pela praia?

— O que acha melhor, sou toda sua – ambos sorriam e foram passear de mãos dadas pela praia.

— x – x – x – x – x – x – x – x – x – x –

Soluço estava saindo do banho quando ouviu um barulho. Ele pegou a sua toalha enrolando na sua cintura e pegou sua adaga também. Desde daquele momento em que o Gosmento tentou mata-lo, o mesmo sempre levava alguma arma consigo para se defender.

Ele sai cautelosamente, tentando no máximo fazer menos barulho com sua perna metálica. Ouve os sons de passos que vinham do andar de cima, com cuidado ele sobe as escadas. Abre a porta do quarto de Rhuan, vendo o mesmo dormindo. Soluço olha ao redor do cômodo e nada até que ouça o barulho de novo, desta vez vinha de seu quarto. Fechou a porta e caminhou para outro cômodo, abriu cuidadosamente e com um movimento rápido, prensou a pessoa contra a parede e, em seguida, ele arregalou os olhos.

— Katla?! O que você está fazendo aqui?!

Enquanto isso, na ilha dos Exilados, Alvin observava o mapa, atentamente, planejando para atacar Berk e assim cumprir a sua vingança. Logo o Selvagem, seu segundo no comando, chegar em sua sala.

— Os nossos soldados chegaram e trouxeram notícias – o mesmo olhou para ele – O senhor estava certo, eles nos levaram até ele.

Alvin abriu um sorriso diabólico.

— Finalmente...





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Soluço: O Príncipe dos Dragões" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.