Os Domadores Sayajins escrita por BILSS O DESTRUIDOR, Matt Wagner 27, Sensei Oji Mestre Nyah Fanfic


Capítulo 1
Acidente na sala do tempo: Este é o Digimundo


Notas iniciais do capítulo

Escrito por - BILLS O DESTRUIDOR

revisão e edição por - MATT WAGNER 27



Goten e Trunks estavam lutando na sala do tempo, e ambos já estavam bastante exaustos, então decidiram comer metade de uma das senzus que estava na pequena casa no centro daquela dimensão infinita.

Após comerem ambos retornaram à sua luta, e trocaram vários golpes um contra o outro.

Goten deu um soco em Trunks, que desviou e depois disparou uma chuva de esferas de energia contra Goten, que desviou das esferas de energia com um pouco de dificuldade.

Então ele disparou um "ki ball" supercarregada como distração e desapareceu, só reaparecendo na frente de Trunks e dando um chute e jogando-o para o ar, mas Trunks desapareceu, dando um forte soco no rosto de Goten ao reaparecer em seguida.

– Não devíamos terminar isso com uma disputa de feixes? – perguntou Goten.

– Hehe, eu já estava pensando que você diria algo assim, então vamos... Ahh!! - respondeu Trunks na forma sayajin, carregando a sua energia para realizar sua técnica junto a Goten, que fazia o mesmo.

Então, após pronunciarem o nome de suas técnicas, ambos dispararam um feixe de energia, sendo o Kamehameha de Goten de cor azul, e o Bigbang Attack de Trunks de coloração roxa.

As técnicas dos guerreiros se colidiram, obrigando os dois a forçarem suas técnicas contra a do outro; nenhum deles cederia, e como as duas técnicas continuavam com forças equivalentes, o resultado foi uma explosão que, infelizmente, atingiu a porta que conectava esta dimensão.

– Vamos sair, já deve estar ficando tarde lá fora - disse Trunks.

– Trunks, não consigo abrir a porta! - falou Goten.

– Ah, não consegue abrir a porta? Não acredito que você ficou tão cansado a ponto de não conseguir abrir uma simples porta... sai da frente e deixa que eu abro! - disse Trunks, puxando a porta com toda sua força, mas nada aconteceu.

– Droga, tem uma rachadura na porta, aparentemente a explosão criada por nossas técnicas danificaram a porta, e agora estamos presos aqui - falou Trunks após notar uma rachadura na porta.

– Como sairemos daqui?? - perguntou Goten ao colega.

– Não sei, Goten, talvez se usarmos aquela mesma técnica que usamos quando estávamos fusionados em nossa luta com Majin Boo, na primeira vez em que ficamos presos nesta sala! - respondeu Trunks.

– É a nossa única chance, fuuuuuuuusão! Haa!! - disseram ambos após fazer estranhas poses de dança, e após isso os corpos de ambos foram envoltos por uma intensa luz branca, que quando se dissipou os dois já não estavam mais ali no local, pois foram substituídos por um novo ser que surgira da fusão entre estes dois guerreiros mirins.

– Hunf, vou ter que fazer aquela técnica de novo já que estou preso aqui... - falou Gotenks, concentrando toda sua energia e soltando um grito estridente que ecoou por toda esta dimensão, resultando numa fenda dimensional, pela qual o guerreiro passou, e após isso, ele executou uma técnica que desenvolveu para se desfusionar, assim ele voltou a ser os seres que o formavam.

– Isso! Conseguimos Trunks! - disse Goten.

Trunks começou a procurar o ki de seu pai, mas não o encontrou em nenhum lugar, e disse:

– Goten, eu não estou achando o ki de nossos amigos, possivelmente estamos em algum outro planeta.

– Tem certeza?? - perguntou Goten.

– Ao menos é o que eu acho, e se estiver certo eles usarão as esferas do dragão e logo estaremos em casa, mas o céu deste local é bem estranho - respondeu Trunks.

– Estranho como? - indagou Goten.

– É que ele parece que tem uma placa de circuitos - disse Trunks.

– Hum, e o que é uma placa de circuitos? - perguntou Goten.

– Uma placa de circuitos é... Ah, não interessa - respondeu Trunks, querendo pular a explicação chata.

Os sayajins resolveram explorar o local, mas só havia um imenso deserto a frente, então eles continuaram a explorar, e então eles ouviram dois gritos desesperados que pediam por ajuda.

Como não tinham nada para fazer, os sayajins decidiram ir em direção àquelas vozes, e lá encontraram dois seres antropomórficos; o primeiro tinha uma aparência de um pequeno réptil azul, e o que parecia ser uma letra V em sua testa; já o segundo era também um réptil, fato evidenciado por seus pés, mas este estava vestindo um tipo de roupa, que fazia ele parecer um praticante de esgrima.

– Ajudem-nos, por favor!!! - disse a criatura azulada.

– Nossa casa foi atacada, e estão absorvendo todos os habitantes da vila! - falou a miniatura de samurai.

– Nós podemos ajudá-los, Trunks? - perguntou Goten.

– Não sei, pode ser uma armadilha, e além disso não sabemos como os seres deste planeta lidam com as situações desse tipo - respondeu Trunks.

– M-Mas precisamos de ajuda, se não vamos todos morrer! - disse a criatura draconiana.

– Certo, vamos ajudá-los, mas que planeta é este, e quais são seus nomes? - perguntou Trunks.

– Hm, desculpe, mas não estamos em nenhum planeta, estamos em uma zona do Digimundo, e nossos nomes são Kotemon e Veemon, respectivamente - respondeu Kotemon.

– Espera, como assim não estamos em um planeta?? Se isso for verdade, o que explica aquela lua, e o que é Digimundo?? - perguntou Trunks.

– Bom, aquela lua faz parte da zona espacial, onde ficam os Digimons, baseados em coisas e seres do espaço - respondeu Kotemon.

– Como assim "zona espacial", e o que são Digimons? - questionou Trunks.

– Digimons, são seres criados a partir dos códigos de computadores de todo o mundo, que se juntaram e tomaram forma; o Digimundo é como o servidor onde os Digimons vivem, e as zonas são como locais que simulam cada estação do ano ou um ambiente especifico como este, que é a zona do deserto - respondeu Kotemon.

– Entendi, isso explica este céu que parece uma placa de circuito... - falou Trunks. - Agora, qual o motivo de estarem querendo ajuda?

– Nossa aldeia está sendo atacada por um Ogremon, que é um digimon mau do tipo Vírus, e nosso líder, Yaksamon, está muito fraco, e por isso não acho que ele vá aguentar mais uma ou duas lutas contra o invasor, então após isso provavelmente será absorvido, e depois Ogremon fará o mesmo com a gente... - Explicou Veemon.

– Por favor nos ajudem! - pediram Veemon e Kotemon.

– OK, iremos ajudá-los, mas não interfiram na batalha, entenderam? - pediu Trunks.

– M-Mas nós temos que batalhar, pois não há como um humano ganhar de um Digimon adulto, e nós estamos chamando-lhes porque vocês poderiam aumentar nossos poderes se nos tornássemos parceiros! - falou Kotemon.

– Acontece que nós não somos humanos normais, e nem mesmo somos completamente humanos... - falou Trunks.

– Não são humanos normais?? - perguntou Veemon.

– E nem completamente humanos...? - completou Kotemon, igualmente surpreso.

– Então nos expliquem essa história direito! - disseram os dois Digimons.

– Bom, a parte de que não somos humanos normais é que nós somos muito habilidosos em artes marciais, e controlamos bem os nossos kis - falou Trunks.

– Já a parte de não sermos completamente humanos é que somos meio Sayajins - completou Goten.

– E caso queiram saber, Sayajins são uma raça alienígena de poderosos guerreiros, e dentre os mais fortes de nós, chegamos a destruir sistemas solares inteiros, ou o próprio universo, dependendo do nível de poder que um sayajin possuir - falou Trunks.

– Hm, impressionante, já estamos chegando em nossa vila, e pela hora, Ogremon irá atacar dentro de alguns minutos - falou Kotemon.

– Hm, esse Ogremon... ele ataca sempre no mesmo horário?? - perguntou Trunks, curioso.

– Sim. Sempre no mesmo horário... Para um Digimon do mal, ele é bem disciplinado quanto a isso - respondeu Kotemon.

– Bom, então vamos lá ensinar uma lição para ele, não é Goten? - falou Trunks.

– Certo, Trunks!! - concordou Goten imediatamente.

...

...

...

...



Notas finais do capítulo

Capítulo revisado em 15.12.2015



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Os Domadores Sayajins" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.