Príncipe Às Avessas escrita por G a b i


Capítulo 11
Alguém aí disse lasanha à bolonhesa?


Notas iniciais do capítulo

Olá! :)
Sexta-feira. Capítulo novo chegando!
Bem, eu não tenho muito o que falar aqui.
Só que a fic está em reta final e...
E deixa pra lá. Melhor vocês mesmos lerem e ver no que esse capítulo vai dar *risos*
Nos vemos nas notas finais. (Vai ter um desafio valendo um "prêmio"!)
Boa leitura!



Domingo.

Leo acordou com a claridade que invadia uma das frestas da pequena janela da casa na árvore.

Procurou seu celular. Ainda meio sonolento olhou as horas. Exatamente 6h30 da manhã.

Leo sorriu ao lembrar da madrugada divertida que havia passado com Calipso.

Ficaram até tarde conversando e namorando, que acabaram adormecendo ali mesmo, espremidos em cima daquele puff verde.

Falaram sobre tantas coisas...

Sobre a construção da casa na árvore;

Sobre Piper e Afrodite estarem envolvidas no projeto;

Sobre o jardim que havia sido construído; E até sobre a festa que aconteceria em questão de poucas horas.

Como prometido, Leo tinha deixado Calipso saber exatamente como tudo foi feito.

E agora o garoto estava ansioso para a festa. Ansioso para rever seus amigos, Annabeth e Percy e...

Com medo.

Medo de acordar Calipso que dormia profundamente ao seu lado.

Leo conhecia a garota bem o suficiente para saber que ela não ia gostar nenhum pouco da ideia de ter seu sono interrompido.

Mas ele precisava acordá-la. Afinal, dentro de algumas poucas horas o lugar estaria cheio de gente no jardim lá em baixo, decorando as coisas para a festa. Eles não poderiam ficar ali.

Leo respirou fundo como se estivesse pensando "seja o que Deus quiser", e cutucou de leve o ombro esquerdo de Calipso.

— Hey, Calipso. — Chamou não muito alto.

A garota nem se mexeu.

— Calipso, acorda. — Dessa vez ela murmurou algo que Leo não conseguiu entender e virou-se de lado, se encolhendo sobre o puff.

Leo resolveu tentar de novo. Dessa vez um pouco mais alto.

Babe, a gente precisa ir. Acorda. — Sacudiu de leve o braço da garota.

— Não. — Respondeu com um gemido. — Eu tô com sono, Leo.

O garoto riu. Pelo menos ela ainda não havia brigado com ele.

— Você dorme mais quando chegar em casa. Agora a gente precisa descer. Vamos, levanta. — Pediu enquanto tirava os cabelos do rosto de Calipso e os colocava para o lado.

— Chato. — Ela finalmente abriu os olhos.

— Quanto amor. — Foi o que Leo respondeu.


***

Quando finalmente chegaram na casa de Calipso, Leo tirou a chave da garota de sua mochila e abriu a porta. Como era domingo e ainda muito cedo, os empregados da mansão ainda não haviam começado seu expediente. Subiram as escadas com Calipso abraçada a Leo, a cabeça apoiada no ombro do garoto.

Ela conseguia ficar ainda mais bonita com aquela cara de sono, mas Leo achou melhor não comentar isso. Ele apenas riu em silêncio.

Quando abriu a porta do quarto, Calipso, literalmente, se jogou sobre a cama, ainda calçando tênis e tudo.

Ela parecia não se importar com nada, apenas em colocar seu sono em dia.

— Então... — Leo começou, mesmo não tendo certeza se Calipso ainda o estava ouvindo. — Irei pra casa e mais tarde na hora da festa eu volto.

— Não... — Falou com uma voz manhosa, ainda com os olhos fechados. — Dorme aqui. — Pediu.

— Er, eu acho melhor não.

— É só dormir, Leo. Por favor. — Insistiu, se virando de bruços na cama.

— Ok. — Concordou.

Largou sua mochila em um canto qualquer do quarto e tirou seus tênis. Depois fez o mesmo com os de Calipso.

— Você não pode dormir de tênis, babe. — Ele riu.

— Leo, para de falar e venha dormir.

— Tem certeza? É que... eu nem trouxe outra roupa e... — O garoto estava meio sem graça. Uma coisa era dormir em uma casa na árvore, sobre um puff, outra coisa totalmente diferente era dormir no quarto de Calipso, na cama dela.

Aquela ideia deixava Leo meio nervoso.

— Depois a gente dá um jeito nisso, 'tá legal? — Calipso abriu os olhos e levantou um pouco, apoiando os cotovelos na cama. — Agora só deita. Eu não vou me aproveitar de você. Só quero dormir.

— Tudo bem. — Ele cedeu, rindo.

Deitou sobre a cama ainda mantendo uma certa distância da garota.

Então Calipso tomou a iniciativa.

A garota chegou bem pertinho de Leo, se aninhando ao peito dele. Ainda meio hesitante, o garoto tomou coragem de abraçá-la pela cintura.

Ele puxou o lençol com a outra mão e os cobriu.

Ambos fecharam os olhos e Calipso, com a voz meio cansada pelo sono, disse:

— É muito melhor dormir com você do que dormir sozinha.

Leo não disse nada, apenas sorriu.

E então os dois caíram no sono.

***

Quando Leo acordou, percebeu que Calipso não estava mais no quarto.

Quis saber as horas, mas não encontrou seu celular.

Estranho.

Foi então que o garoto resolveu descer até o andar de baixo.

Encontrou Calipso sentada no sofá se despedindo de alguém com quem falava ao celular.

O celular de Leo.

— Bom dia, dorminhoco. — Calipso sorriu e foi andando em direção ao garoto, que estava parado no primeiro degrau da escada.

A garota entregou o celular para Leo.

— Já são quase meio-dia. — Disse, olhando as horas no aparelho e depois guardando o mesmo no bolso da calça jeans. — Dormiu bem?

— Muito. — Respondeu, subindo um degrau da escada e dando um beijo na bochecha de Leo. — Seu cabelo fica legal assim, todo desgrenhado, formando meio que essa franja.

O garoto riu.

— Isso foi um elogio? Eu realmente espero que não chova hoje.

— Não seja irônico, Valdez. — Socou o garoto de leve no braço. Depois riu.

— Mas então... — começou — Com quem você estava falando no meu celular?

— Piper. Perguntei se ela podia trazer algumas roupas pra você e também convidei ela e Jason para almoçar aqui. — Explicou.

— E então?

— Daqui mais ou menos uma hora eles chegam. Vão trazer Percy e Annabeth com eles. — Contou.

— Você pensa em tudo muito rápido, como consegue?

— Sendo incrível. — Respondeu rindo.

— Convencida. — Leo retrucou.

Ele se aproximou para beijar Calipso, mas ela o afastou, descendo o degrau da escada.

— Sem beijo para você, Valdez. — Virou as costas e começou a andar em direção a cozinha.

— Hey, qual é!? Eu estava brincando, babe. Aonde você vai?

— Vou planejar nosso almoço.

— Eu vou com você.

Calipso riu, revirando os olhos e continuou andando.


***

Não demorou muito para que Piper e Jason chegassem trazendo Annabeth e Percy com eles.

Depois de Leo apresentar formalmente Annabeth e Percy para Calipso e matar um pouco a saudade dos amigos, ele foi tomar banho e trocar de roupa.

Além de trazer as coisas de Leo em uma mochila, Piper também trouxe a chave da casa da árvore e entregou para Calipso.

Enquanto Leo se arrumava, Piper, Annabeth e Calipso conversavam na sala de estar. Como Piper trabalhava com a mãe em uma das lojas de paisagismo e decoração, Calipso adorava desenhar e pintar e Annabeth amava arquitetura, assunto foi o que não faltou entre elas.

Calipso e Annabeth se deram bem logo de cara. Parece que alguém, — lê-se Calipso — finalmente, havia feito alguns amigos.

Percy e Jason resolveram ficar na sala de jogos esperando Leo. E a cada cinco minutos Percy mencionava estar com fome.

Enquanto seus amigos se divertiam no andar de baixo e esperavam ele para almoçar, Leo travava uma batalha mental contra seus próprios pensamentos.

Ele estava colocando a calça jeans que usava antes dentro da mochila, quando aqueles pedaços de papel caíram de dentro de um dos bolsos.

Leo nem lembrava mais que havia guardado aquilo, até que se abaixou para pegar os papeizinhos do chão.

Sentou-se na beirada da cama de Calipso e leu aquelas frases incompletas daquele diário pela sei lá qual vez.

Aquela coisa de "medo sentindo por ele" ainda assustava o garoto.

Será que o "ele" se referia mesmo a Leo?

E se fosse mesmo sobre Leo que Calipso falava... O que de fato ela sentia?

E, afinal, do que exatamente a garota tinha medo?

Leo lembrou do primeiro beijo entre eles. De Calipso o empurrando para longe e falando que era para ele fingir que nada havia acontecido. Lembrou de Calipso saindo correndo e deixando ele plantado, imóvel e sem entender nada.

Querendo ou não, aquilo tudo ainda perturbava Leo.

Ao mesmo tempo que ele tinha certeza que Calipso gostava dele, também tinha certeza que aquilo tudo que estava rolando entre eles não era real.

O que exatamente era isso que eles tinham?

Um namoro? Ah, isso com certeza não era! Não que Leo não quisesse isso. Ele queria. E queria muito.

O problema era que Leo estava inseguro.

E com medo.

Ele não entendia Calipso.

Não tinha certeza de nada sobre a relação entre eles. Se é que ele poderia chamar aquilo de relação.

Se fosse mesmo uma relação, Leo poderia afirmar que era uma relação totalmente estranha. Imperfeita, até.

Leo não estava muito animado.

Ele estava preocupado que Calipso talvez não fosse aceitar aquele pedido que ele faria mais tarde.

O garoto queria voltar para casa e se esconder debaixo de suas cobertas.

Mas ele não poderia fugir. Guardou os papéis no bolso da calça que estava vestindo. Ele ainda não sabia exatamente o porquê de não tê-los jogado no lixo.

Leo desceu as escadas para ir almoçar com seus amigos sem deixar transparecer nada do que estava sentindo.

Uma vez o garoto leu em um certo livro que "quem finge não ter medo normalmente não recebe o golpe".

Leo estava com medo do que poderia acontecer, mas ele ia fingir que estava tudo bem.

Se mais tarde ela dissesse não... Talvez aquele golpe não doesse tanto.

Leo parou na ponta da escada. Seus amigos e Calipso já estavam se encaminhando para a cozinha.

— Leo Valdez está pronto. — Disse ele. — Alguém aí disse lasanha à bolonhesa?

Todos riram.



Notas finais do capítulo

Hey, olha eu aqui de novo :)
Por que a autora resolve complicar as coisas no PENÚLTIMO capítulo? Porque... Porque... Porque a vida é louca assim mesmo, mas eu sou mais. Não, mentira. Eu sou bem normal (ou não, depende do seu POV). Só quis dificultar um pouco as coisas, porque, vamos combinar... Nada é 100% fácil na vida, não é mesmo? Todo mundo tem as suas inseguranças, seus medos... Enfim, tudo será esclarecido e resolvido no próximo — e último — capítulo.
SPOILERS DO ÚLTIMO CAPÍTULO:
1- NÃO TEM SPOILERS *risada malvada* #GabiZoeira
Espero vocês no último capítulo, sexta-feira que vem! Lembrando que também haverá o Epílogo. Por isso, acalmem seus corações *risos*


[Desafio]
O título dos capítulos segue dois padrões desde o início da fic. Quais padrões são esses que eu sigo?
— A primeira pessoa a responder corretamente vai poder saber alguns detalhezinhos sobre o Epílogo da fic antes de todo mundo.
Bora comentar? Quem será que vai ganhar o desafio? #Curiosa
#Favorite #Recomende #FaçaUmaAutoraFeliz #AindaDaTempo
Xoxo,
G a b i.



(04/12/2015)