SeuSegredo. Com escrita por Panda Chan


Capítulo 27
Adivinhe quem vai dançar


Notas iniciais do capítulo

BUENAS NOCHES BOLINHOS ARRIBA
~~ chega com um sombreiro~~~
Estou viva, passei umas férias no México com meus parentes nachos.
MENTIRA, EU NÃO TENHO VIDA GALERA. ME TORNEI UMA ESCRAVA DO SISTEMA CAPITALISTA, ALGUÉM ME AJUDA.
...
Ufa, superei.
Trago para vocês um capítulo cheio de intrigas, emoções, romance e... Batatas? Certo, talvez não tenha tudo que citei, mas trouxe o capítulo.
O IMPORTANTE É O QUE IMPORTA!
Boa leitura.



Abri a mensagem que Gustavo me enviou pela décima vez no dia e a fechei em seguida.

— Se você não vai revida devia pelo menos parar de se torturar vendo isso.

Lucca falou com uma calma digna do próprio Buda. Será que nada abala esse garoto? Ou eu que sou muito irritada?

— Eu sei – suspiro – Já faz dois dias e nenhum novo ataque foi feito. Será que ela sabe que descobrimos quem é?

— Provavelmente sabe – ele boceja – Acha que o Ícaro está tendo problemas com as flores?

— Se ele tivesse tido teria os informado.

O meu contato com o Ícaro diminuiu um pouco porque eu fiquei extremamente brava com ele quando disse que era “bem feito o site ser invadido por um número invisível que odeia a Secret” e “a vida tem suas ironias”. Eu mandei ele se fuder depois disso.

Para me apoiar, o Lucca disse que não iria ajuda-lo a levar as rosas para o baile. Na verdade eu acho que ele estava sem vontade nenhuma de ajudar o Ícaro e só usou isso como desculpa.

Não tive coragem de atacar a garota “invisível” que provocou a Secret. Ela é alguém tão... Comum. A vida dela se encaixa na palavra “mediana”, é totalmente invisível para todos ao seu redor.

Então porque atacar a Secret?

Segui com as postagens no blog normalmente, o que não significa que consegui esquecer esse assunto.

Jullie abre a porta do quarto e encontra Lucca e eu deitados na cama dele vestindo os mesmos pijamas que usamos na noite passada e na anterior a ela. Não nos demos ao trabalho de sair da cama desde que acordamos para nada além do essencial.

— Crianças, vocês não vão se arrumar para o baile que organizaram? – não sei como descrever o tom de voz dela, foi algo meio autoritário e ao mesmo tempo meio brincalhão.

— Vamos sim – Lucca responde prontamente – Em algum momento...

— Lucca! – até eu me assusto com o grito – E Anna também. Parem agora mesmo de ter tanta preguiça e façam algo útil!

— Preguiça – murmuramos juntos.

Lucca e eu não estamos com tanta preguiça quanto parece. Nós estamos extremamente cansados de aguentar ataques a Secret, organizar um baile e estudar para as provas semestrais que se aproximam.

Somos dois adolescentes e lidamos com mais estresse e tensão que muito adulto!

— Chega! – ela grita – Andrew!

Não demorou muito para que o pai do Lucca aparecesse na porta do quarto do filho.

— O que foi? – até fazendo uma simples pergunta a voz dele parece estar cantando.

Jullie apontou para Lucca e eu sinalizando para o marido que eramos um problema e ele devia ajudar a resolver.

— Você cuida do Lucca e eu arrumo a Anna.

— Ah, droga – ele coça a nuca – Está na hora de falar sobre abelhas e cegonhas com o nosso garoto?

— Andy! – Jullie acerta um tapa no braço dele – Lucca é muito novo para essa conversa!

Meu melhor amigo revira os olhos, os pais nem sonham com o que aprendemos na escola. Contenho o riso pensando em algo triste como quando eu vou comprar pudim e vejo que já acabou.

— Arruma esse fedelho pro baile e eu cuido do bicho preguiça ali – Jullie diz empurrando o esposo em nossa direção.

— Não tô’ afim de sair da cama – Lucca murmura.

— Você vem por bem ou por mal filho.

— Pode ser por mal – Lucca respondeu em tom desafiador.

O pai dele sorriu e eu soube que alguém ia se dar muito mal.

Andy puxou Lucca pelos pés e o fez cair da cama para depois ir arrastando meu melhor amigo pela casa para sabe se lá onde.

 - Agora é com você, Anna – Jullie ergueu uma sobrancelha – Por bem ou por mal?

Mesmo que cada célula do meu corpo me dissesse para gritar e sair correndo o medo de ser arrastada de volta por Jullie era bem maior; ela me levou para o seu quarto e ordenou que eu ficasse sentadinha na cama enquanto preparava tudo.

Não sei com quem ela falou no celular, mas não foram poucas pessoas. Jullie desligou a décima chamada, suspirou e se virou para mim.

— Vamos ver, você já tem um vestido para o baile?

— Sim – respondi orgulhosa – Está no quarto do Lucca junto com a minha máscara.

A ideia original do baile não envolvia o uso de máscaras, mas quando contei a Lucca o que planejava fazer nele o garoto tornou obrigatório que só quem tiver máscara consiga entrar no baile.

— Ainda bem – Jullie ficou visivelmente aliviada – Pensei que nem no vestido você havia lembrado. Vou lá buscar.

Julie saiu sorridente e voltou alguns minutos depois com uma expressão terrível no rosto.

— Isso não é um vestido, isso é uma camisola com algumas lantejoulas grudadas.

Observei o vestido que ela apelidou de camisola. O corte dele era completamente reto, não tinha mangas ou decote e ficava bem folgado para que eu não sofresse com apertos desnecessários. Não entendi porque ela não gostou.

— É um vestido comum.

— Isso é uma camisola com brilho – ela revira os olhos – Parece que eu tenho que fazer tudo por aqui!

Julie pegou o celular e voltou a discar para algumas pessoas enquanto eu ficava parada com a maior cara de batata sem saber o que fazer.

Resolvi que se a situação estava estranha, era melhor ter alguém ciente dela e mandei uma curta mensagem de socorro para Clarissa e Gustavo.

Depois de alguns minutos, uma das empregadas da casa para na porta do quarto dela.

— Eles chegaram.

Jullie se vira sorridente para mim e diz:

— Hora do show!

Na frase “Hora do show” substitua a palavra “show” por “tortura” e a palavra “hora” pelo seu plural. Substituiu? Bem, então você consegue ter um mínimo de noção do que eu sofri com os “amigos” que Jullie chamou para me ajudar a ficar arrumada para o baile.

Fui depilada com cera, beliscada por pinças e tive a pele esfregada por tantas variedades de cremes que perdi a conta, tudo isso sem sair do quarto da mãe do meu melhor amigo. Até minhas medidas tiraram!

O ponto alto foi quando alguém esquentou muito o babyliss e quase perdi minha orelha direita.

Mesmo não gostando do sofrimento que foi ficar “apresentável” gostei muito do resultado. Deixaram as minhas bochechas levemente rosadas e não economizaram no rímel preto e nem no delineador usado para esfumaçar meus olhos com uma mistura de prata e preto que ficou supreendentemente boa. Não fui autorizada a usar o batom vermelho que queria, mas o rosa quase nude que passaram ficou tão bom quanto se não melhor.

Para o cabelo, todos concordaram que o melhor seria um penteado lateral e assim foi feito. Uma rabo de cavalo lateral com as pontas do cabelo cheias de cachos feitos pelo babyliss para evitar exageros.

— Caramba – murmurei tocando minha pele em frente ao espelho de corpo todo que Jullie tinha no quarto – Tenho certeza que vou ficar ainda mais bonita com meu vestido agora – sorri para a mãe do meu melhor amigo que me olhava emocionada.

— Você não vai usar seu vestido, querida – ela sorriu – Vai usar um dos meus.

Meu coração quase parou ao ouvir isso.

Jullie e Andrew namoraram por anos antes do noivado e mais alguns anos de noivado antes do casamento, a banda dele já era famosa no mundo inteiro e sempre estava na lista de convidados de diversas premiações e eventos de caridade. Tudo isso fez com que ela se tornasse a dona de um closet no mínimo invejável onde nunca tive autorização de entrar.

Bem, isso não mudou muito agora. Jullie não permitiu que eu pisasse em seu santuário, mas trouxa para fora dele uma peça incrível que foi o consolo perfeito.

Tudo o que você precisa saber sobre o vestido é que ele é maravilhoso, preto e longo. A frente dele é mais curta mostrando minhas pernas e deixando a parte traseira parecida com uma calda. Alças finas ligadas a uma meia manga e o tecido rendado escuro com pontos brilhantes me deixaram sem palavras.

Comparado a esse vestido, o meu era uma camisola com lantejoulas grudadas.

Jullie ajudou a me vestir e calçar o delicado par de sapatos de salto, a única peça do meu “look” anterior que foi mantida para esse.

Andrew apareceu no quarto e assobiou ao me ver.

— Se eu estou encantado em te ver, imagino como o Lucca vai ficar - Jullie pigarreou ao meu lado e ele completou – Só perde para a minha maravilhosa esposa, é claro.

Ri da situação. Só em outro universo para Andy achar outra mulher mais bonita que a esposa.

Será que algum dia eles amaram alguém que não fosse seu atual parceiro?

Balancei a cabeça para me livrar desses pensamentos e ergui o queixo caminhando para fora do quarto e depois descendo as escadas.

Lucca estava me esperando em frente ao espelho no hall de entrada da casa dos Fosters. Tenho certeza que Andy o obrigou a usar o terno branco com a gravata preta, mas não conseguiu vencer o filho na batalha pelo direito de usar All Star vermelho ao invés de sapato social.

— Você está incrível, Nana Banana.

— Você também está, ‘Luscas’ Foster.

Encaramo-nos por alguns segundos e sinto meu rosto esquentar conforme o olhar dele é atraído para cada parte da minha face incluindo os lábios. Ou seria “principalmente” os lábios?

— Ainda falta um detalhe crianças – Jullie anuncia com nossas máscaras na mão e entrega-as para o filho – Agora não se esqueçam de ser venenosos – meus olhos quase saltam das órbitas ao ouvir.

Andrew parecer achar graça e se junta a esposa.

— Beijinhos, Jundy— ele completa usando o nome que foi dado ao casal quando se uniram oficialmente.

— Quando vocês descobriram? – pergunto.

— Desde sempre, querida – Jullie responde.

— E esperamos algo grande vindo de você essa noite.

Olho para Lucca buscando algo que indique que foi ele quem contou para os pais e encontro uma expressão confusa semelhante a minha sem seu rosto. Lucca se recupera da surpresa mais rápido que eu e abre a porta dizendo:

— Vocês nem imaginam o que a Secret está planejando para hoje.

Saímos da casa dos Foster e tenho uma única certeza.

Ninguém consegue adivinhar o que farei essa noite com a ajuda do Lucca e do Ícaro. Ou melhor, do Bill.

Essa noite, a Secret vai dançar.



Notas finais do capítulo

Cade os leitores "mãe diná" com sus previsões?
Tia Natchu quer ler kkkkk
Beijos jovens bolinhos de mornago