The Son Of Cruella De Vil escrita por Apple White


Capítulo 2
Capítulo dois – Quebra de amizade


Notas iniciais do capítulo

Gemt :3
A fanfic já tem sete acompanhamentos, SETE!!!
Agradeço as pessoas que comentaram o capítulo anterior, eu fico muito honrada em saber que vocês estão gostando do meu trabalho nessa fic.
Bom, os primeiros capítulos serão curtos, mas com o tempo os capítulos irão ficar cada vez melhor e maiores e quero deixar claro que a fanfic INTEIRA será narrada no ponto de vista do Carlos (♥).
Não irei deixar com que Cruella seja uma personagem secundária, muito pelo contrário, ela será muito importante para a fanfic. E eu também mudei algumas coisas em OUAT e Descendentes para que assim a fanfic tenha um belo de um sentido. Algumas coisas em Descendentes acontecerão e outras não, e algumas coisas em OUAT podem sim ou não ter acontecido.
Espero que não fiquem bravas por conta disso, certo? Eu só estou dando o meu melhor.



Alguns meses antes...

Abri as portas daquele lugar no qual eu tanto odiava e segui meu caminho até o armário no qual pegaria os livros e cadernos das aulas em que teria hoje. Já fazia cerca de um ano desde o dia em que a segunda maldição fora lançada e eu acidentalmente acabei parando aqui. Eu podia ver o terror nos olhos de minha mãe ao me ver ser sugado lentamente para um buraco negro que havia surgido do nada.

Como eu vim parar aqui? Estava tão maravilhoso na nossa viagem à Los Angeles e do nada eu sou separado da única pessoa que amo, da única pessoa que conseguiu me salvar da primeira maldição.

Mamãe havia conseguido sair de Storybrooke antes que o feitiço se completasse, assim nada aconteceria com ela se saísse dessa terrível cidade. Mas mesmo tendo se livrado da maldição e tudo, por vinte e oito anos o tempo ficou parado. Não envelhecíamos e sempre tínhamos que nos mudar de cidade para que as pessoas não percebessem que somos diferentes, que não somos desde mundo.

Cruella tinha a má fama de ser malvada, mas mesmo sabendo de todos os seus piores crimes eu preferia acreditar que a minha mãe ainda tem um pouco de amor no coração. E eu sei que esse pingo de amor que ela tem é por minha causa.

Vi Evie entrar na escola com um sorriso no rosto e com vários olhares sobre ela. Diferente de mim Evie tinha ficado aqui em Storybrooke, e para o seu azar Regina havia a abandonado. É, Evie era filha da rainha má. O relacionamento entre mãe e filha ficou complicado quando todos recuperaram suas memórias e Evie lembrou-se das duras e cruéis palavras de Regina.

— Você nunca será uma rainha, Evie!

Sentia-me mal por ela, mas nunca tocava no assunto por Evie ainda se entristecer toda vez que vê Regina e Henry tomando um sorvete ou passeando no shopping juntos. Eu conseguia ver seu coração se partir ao meio somente pelo olhar que Evie lançava sobre a mãe e o seu mais novo filho.

Ao passar por mim ela deu um sorriso no qual eu retribuí. Evie ainda era a mesma mesmo depois da maldição.

Logo em seguida pude ver Jay entrando na escola. As pessoas que estavam no seu caminho logo abriram espaço e se encostaram em seus armários enquanto o grandão passava. Ele era valentão e sempre roubava o dinheiro e comida dos alunos mais novos e todos naquela escola tinham medo dele, devo dizer que até mesmo alguns professores tinham.

Jay não reencontrou seu pai em nenhuma das maldições, e ele já me dissera várias vezes que tinha perdido a fé em encontra-lo e acreditava que Jafar tinha morrido. Não duvido disso, se estivesse vivo já teríamos o encontrado.

O grandão deu uma batida na cabeça de uma garota mais à frente no qual estava com a porta do armário tampando seu rosto e eu não conseguia distinguir quem seria essa garota. Quando ela fechou o armário pude ver Mal. Tão linda e tão agressiva quanto antes. Bateu em Jay que simplesmente riu e massageou seu rosto que estava vermelho por causa do tapa de Mal. Os dois ainda continuavam tão amigos quanto antes, pelo visto.

— Eu também sinto falta — Sem perceber Evie ficou ao meu lado observando Jay e Mal fingirem estar brigando. — Será que um dia tudo vai voltar a ser como antes?

— Depois de todos esses anos? Eu duvido!

— É — Concordou. — Talvez as coisas não sejam da mesma forma que eram antes, mas sei lá, nós podíamos tentar sermos melhores amigos de novo.

— Andar comigo não mancharia sua reputação? — A encarei. — O garoto de cabelo engraçado e que usa roupas esquisitamente esquisitas?

— Você é meu amigo — Ela me abraçou. — Não tenho vergonha de você!

— Mas e eles? — Jay e Mal passaram por nós e nem se quer nos olhou. É, as coisas realmente mudaram muito por aqui. — Eles parecem estar bem sem nós, tão bem quanto antes.

— Tenho certeza de que muito em breve seremos melhores amigos de novo.

Delicadamente, Evie beijou a minha bochecha e arrumou a sua bolsa antes de ir em direção a sua aula. Senti minhas bochechas queimarem e logo notei que estava ficando vermelho. Ouvi a sirene tocar e logo tratei de pegar as minhas coisas para a aula de história.

Mais um terrível dia estava para começar...



Notas finais do capítulo

Antes que me perguntem...
Não, gente, NÃO. Carlos e Evie serão apenas bons amigos. Mas se quiserem shippar esses dois eu deixo :3
Obrigada por estarem lendo e que tenham gostado desse capítulo.
Bjs!