A disputa pelo Grêmio Estudantil escrita por Lorde Barão


Capítulo 1
Aluno novo na área


Notas iniciais do capítulo

Olá jovens padawans, como vão?Para aqueles que passaram umas férias em Marte, passei um tempo me dedicando ao Desafio de Ficção Científica do Nyah! Fanfiction, que no momento em que escrevo se aproxima do fim. E para o desafio, elaborei uma fic que não tinha relação alguma com as aventuras de Helena, Lorenzo, Lucas e Urbano. Não, em vez disso fomos apresentados a um mundo novo, com novos heróis e novos vilões. Basicamente, criei algo parecido com um desses desenhos animados onde tem um grupo de heróis em eterno conflito com um grupo de vilões.Mas vamos deixar de falar sobre o desafio, já conclui aquela história e tô de boas. O que interessa, aqui e agora, é a novíssima aventura da turma de Helena. Yay!Curiosidade: desde 2007 que eu queria fazer uma história sobre eleições na escola. A ideia surgiu enquanto estudava sobre Gertulio Vargas, e na época a personagem Helena ainda não tinha esse nome, assim como Lorenzo não se chamava Lorenzo (pois é, esses dois existem na minha cabeça desde 2005, e passaram por muitas mudanças até o presente). Bem, só muito recentemente que consegui pensar em algo decente, e boa parte da inspiração surgiu após eu ler a fic "This is My Gang", mais especificamente os capítulos onde os protagonistas disputam as eleições do Grêmio Estudantil. Valeu Metal_Will.Bem, acho que as notas iniciais ficam por aqui. Desejo a todos uma boa leitura.



Diário de Lucas Monteiro

Segunda - Feira — Estava sentado em minha carteira, esperando o professor João chegar. Esse último final de semana passou muito rápido pra mim e meus amigos. Helena obrigou a gente a assistir aos filmes “Ursos com metralhadoras” 1 e 2, e até agora me pergunto como ela consegue gostar de algo tão ruim. Acredite em mim quando digo que aquelas coisas são um amontoado de explosões e barulhos que foram filmados por uma câmera. Nunca vi filmes com histórias tão péssimas e confusas. Pudera, ambos foram obras de Mickey Klayton, e não se pode esperar algo bom vindo dele.

Além disso, brincamos de marinhos outra vez, e como sempre Lorenzo só fez trapalhada. Mas adivinha quem teve que arcar com as consequências? Isso mesmo, o senhor Monteiro aqui. E toda hora ela ficava incomodando a gente, dizendo que aquilo era pra nos deixar mais fortes e outras besteiras que não me lembro no momento.

Mas estou falando demais do final de semana, então voltemos para a sala de aula. Como dizia, estava sentado em minha carteira, mais especificamente a carteira da segunda linha e sétima coluna. Urbano estava sentado na carteira da segunda linha e oitava coluna, como de costume. Lorenzo e Helena estavam atrás da gente, na terceira linha. Não prestei muita atenção em quais colunas eles estavam, apenas me preocupava com a aula de matemática que poderia começar a qualquer instante.

O professor João chegou com alguns poucos minutos de atraso, e o diretor Gaston o acompanhava. Gaston vestia seu tradicional terno verde e sua expressão facial não era muito convidativa, basicamente nada de muito diferente. Nosso professor de matemática instalou os dedos umas três vezes, chamando a atenção dos alunos fofoqueiros e dos preguiçosos.

— Atenção turma — disse João. — Antes de começarmos a aula de hoje, o diretor tem um pronunciamento a fazer.

— Obrigado professor, daqui eu assumo — disse Gaston.

Ele deu alguns passos para frente e iniciou o discurso:

— Senhoras e senhores, estou aqui para anunciar que essa semana começa o período de eleição para Presidente do Grêmio Estudantil. Aqueles que estiverem interessados devem se inscrever no escritório do Jornal da Escola ainda hoje. Nas terças e quartas os candidatos poderão propagandear suas respectivas campanhas e na quinta ocorrerá o debate. Sexta será o dia da eleição propriamente dita e a votação vai até as onze horas e cinquenta e nove minutos da manhã. O voto é facultativo, mas recomendo fortemente que todos façam suas escolhas. Para maiores detalhes verifiquem os murais a respeito das eleições. E é só.

Gaston educadamente agradeceu João pelo tempo cedido e foi embora. Eu já ia pegar meu caderno quando ouvi Helena dizendo:

— Ei, bola de gude, tá pensando no mesmo que eu?

— Se for mais um de seus planos malucos, recomendo que deixe isso pra outra ocasião, de preferência nunca — eu retruquei, tentando evitar encrenca.

— Meu, nós temos que participar dessas eleições! — ela insistiu. — Eu até posso imaginar a gente lá na sala de reuniões do Grêmio Estudantil, mandando e desmandando nas coisas. E aí, o que cê acha?

— Eu acho que isso não é da nossa conta — eu respondi. — Estou necessitando de uma folga das coisas horríveis que acontecem por sua causa.

— Relaxa aê cara — ela disse —, vai ser divertido. E pra mostrar que sou bondosa, vou te tornar meu Vice-Presidente quando eu ganhar.

— E como tem tanta certeza de que vai ganhar? — eu questionei.

O professor me encarou e mandou que eu parasse de atrapalhar a aula. Eu quase me defendi, mas preferi me desculpar e ficar quieto. Algumas horas se passaram e o intervalo chegou. Eu e meus amigos acompanhamos Helena, que se dirigia até a sala do jornal escolar e contava sua mirabolante ideia de se candidatar a Presidente do Grêmio.

— Uou, mas que ideia fantástica! — Lorenzo exclamava de pura alegria. — Imaginem como a escola vai ficar se Helena ganhar essas eleições!

Em minha mente eu podia ver um cenário com a escola em chamas. A brutamontes encontrava-se sentada em um trono feito de ossos, rindo de um jeito maligno e me obrigando a empurrar uma pedra gigante para construir uma obra faraônica aleatória.

— Estou falando pra vocês caras, nossas vidas irão mudar pra melhor — disse Helena. — Eu já defini quem vai ser quem: eu serei a presidente, o Lucas vai ser o vice, Urbano pode ser o tesoureiro e você Lorenzo, bem, acho que secretário.

— Secretário, eu? — O jovem otimista encheu os pulmões de alegria e lacrimejou. — Esse definitivamente é o melhor dia da minha vida.

— Eu que o diga — disse Urbano. — Vou ser o cara do dinheiro. Finalmente vou comprar o videogame que tanto queria.

— Sabe Urbano, não é muito honroso usar o orçamento do Grêmio para esse tipo de coisa — eu critiquei. — Sem contar que vocês já estão se vendo com o tesouro nas mãos. Ainda tem um longo período eleitoral até lá e há grandes chances de perdermos.

— Lucas, faça-me o favor — disse Helena. — Quem nessa escola confrontaria a gente nessas eleições?

E continuamos com nosso trajeto. Quando estávamos perto do local das inscrições, encontramos Jessica e Fausto. Os dois estavam claramente zangados, soltando uns resmungos pelos cantos. Se dependesse de mim eu passaria direto sem fazer nenhum tipo de pergunta. Mas Lorenzo tava com a gente, e dessa maneira ele falou:

— Bom dia Fausto, bom dia Jessica! Que dia maravilhoso esse, não acham?

Inadvertidamente, Fausto sacou uma arma laser (e não me pergunte onde ele arranjou aquilo) e atirou por todos os cantos. Lorenzo imediatamente recuou e se escondeu atrás de um bebedouro próximo, enquanto que eu e Urbano nos agachamos e protegemos nossas cabeças com as mãos.

— Dia maravilhoso?! — ele berrava ao mesmo tempo que atirava. — O que tem de maravilhoso nessa porcaria de dia?

Helena deu um empurrão no meliante, forçando-o a largar a arma, e o interrogou:

— Ei, ei, mas que porra tá acontecendo aqui?

— Estamos mal-humorados — disse Jessica.

— E vocês tão mal-humorados por qual razão? — Urbano questionou, ao mesmo tempo que se levantava. Eu me levantei logo em seguida.

— Bem meus caros — disse Fausto, tentando manter a compostura —, vocês sabem que eu sou considerado o aluno mais inteligente dessa escola, enquanto que Jessica é a melhor atleta, certo?

— S-sim, é verdade — concordou Lorenzo, saindo do esconderijo e ainda em choque por conta do ataque do garoto gênio.

— Mas agora somos uns zeros a esquerda! — vociferou Fausto.

— Sim — disse Jessica —, somos uns manés por conta do novo aluno que chegou hoje na escola. Seu nome é Gary Evans Stewart Globes, e ele é o melhor dessa escola agora.

— Mas ele é melhor em que? — perguntou Urbano.

— Em tudo — respondeu Jessica. — Ele resolve cálculos avançados com os olhos vendados, é fera em todas as linguagens de programação, estrela dos times de futebol, basquete e vôlei, e isso é apenas o começo.

— Esse Gary é definitivamente o maior babaca que esse planeta já teve! — reclamou Fausto. — Eu já comprovei matematicamente que é humanamente impossível ser o aluno mais inteligente e o mais atlético ao mesmo tempo! A perfeição daquele bastardo viola todas as leis da física!

— Eu ouvi isso direito? Tem alguém nessa escola tão perfeito quanto o maravilhoso eu aqui? — disse uma voz nem um pouco modesta.

Eu virei o rosto junto com os outros que estavam presentes em cena e descobrimos o dono daquela voz: Marcos, famoso por se achar perfeito mesmo não sendo. Ele deu alguns passos até que estivesse perto o suficiente da gente, botou a mão esquerda na cintura e disse:

— Sabem, desde que eu vim pra essa escola eu jamais imaginava que tivesse um rival a minha altura. Afinal, vamos ser francos, eu sou o cara, o alfa e o ômega.

— Tá, e por qual motivo cê tá aqui, coisa estranha? — Helena perguntou.

— Não tá claro, miga? — ele respondeu. — Tava aqui de boas quando pensei que seria uma ótima oportunidade para me candidatar a presidente do Grêmio Estudantil. Imaginem a maravilha que essa escola vai ficar com o meu comando.

Em minha mente eu podia ver um cenário com a escola em chamas. Marcos estava sentado em um grande trono com enfeites espalhafatosos, rindo de um jeito maligno e me obrigando a empurrar uma pedra enorme para construir uma estátua gigante dele mesmo.

— E essa promete ser a disputa do ano — disse Marcos — já que ouvi uns boatos de que aquele tal de Gary vai se candidatar. Eu tô doidinho pra derrotá-lo nos campos da política, e mostrar pra todos quem é o verdadeiro ser superior dessa escola.

Ele riu do jeito que só ele sabe e caminhou até a sala do jornal escolar.

— Uou, essa realmente promete ser a maior eleição de todos os tempos — comentou Lorenzo.

— E esse é mais um motivo pra gente se candidatar! — exclamou Helena. — Se sairmos vitoriosos nessa disputa, seremos os alunos mais fodasticamente fodas que essa escola já teve. Na realidade, é capaz da gente iniciar uma nova era nesse colégio.

— Sim, você está certa com relação à nova era — disse uma voz masculina e melodiosa. — Mas será eu quem irá revolucionar essa escola.

Eu, Helena, Lorenzo e Urbano virávamos os rostos para sabermos quem dissera aquelas palavras. Os olhos de Jessica e Fausto se arregalaram e quase que pude sentir o calafrio que percorreu os corpos deles.

— Essa não, é ele — disse Jessica.

— É o Gary Evans! — gritou Fausto.

Fui o primeiro de meu grupo a ver a chegada do tão famoso novo aluno. Ele veio das escadas que davam acesso às salas do ensino médio e estava caminhando em nossa direção. Gary era parecidíssimo com um galã de filmes para garotas adolescentes, seus cabelos eram castanhos claros, os olhos verdes, e seu corpo tinha um porte de um atleta profissional. Ele vestia uma camisa escura, uma jaqueta preta, jeans azuis escuros e tênis pretos. Um grupo de oito garotas do ensino médio o acompanhavam, e algumas delas eram famosas na escola. Para começar tinha a Isabel Geisel, a garota mais popular da escola, famosa na cidade desde muito cedo por participar em comerciais e por ser a estrela de várias peças de teatro. Depois tinha Júlia Jankovic, uma das mais inteligentes do colégio e campeã de xadrez duas vezes seguidas. Mas o que mais me espantou foi ver a Flávia Souza no meio daquilo tudo. Ela era uma odiadora convicta de homens e até protagonizou um abaixo assinado para mudar o nome de nossa escola para Centro de Ensino Professora Souza e torná-la exclusiva para garotas. Aquilo me deixou sem palavras.

Gary aproximou-se da gente, com a coluna ereta e o queixo erguido, e perguntou:

— E então, qual de vocês pretende se candidatar a presidente do Grêmio Estudantil?

Eu permaneci em silêncio junto com Lorenzo e Urbano, Fausto o encarava com grande ira no olhar e Helena simplesmente levantou o braço direito. Gary riu e riu, recuperou a compostura e disse:

— Menina, acho que houve um engano aqui. Acredito que você na realidade queira se inscrever lá naquela barraca.

Gary apontou para uma barraca no fim do corredor, com uma menina ruiva de aparelho e uma placa onde estava escrito:

FÃ CLUBE DO GARY EVANS STEWART GLOBES PARA GAROTAS DO FUNDAMENTAL - INSCRIÇÔES AQUI

Helena olhou para a barraca, olhou para Gary e disse:

— É, já vi que tu é mesmo calouro nessa porra. Permita-me contar a história de todos os manés que ousaram subestimar Helena Guimarães.

— Hmmm, então seu nome é Helena — disse Evans. Ele deu um cafuné na cabeça da garota briguenta e continuou a falar: — Já que você quer tanto se candidatar, então que assim seja. Pra mim isso não fará diferença nenhuma. Mas é só você que irá competir?

Naquele exato momento Marcos voltou da sala do jornal, confiante como de costume.

— E aí amores, agora é oficial: tô na corrida eleitoral! — ele disse.

Gary olhou para Marcos, olhou para Helena, riu e riu outra vez e falou:

— Mas essa disputa tá mais fácil do que imaginei! — Ele virou-se para o grupo de fãs que o acompanhava. — Meninas, me esperem enquanto me inscrevo.

— Sim Gary meu amor! — elas responderam em coro.

O galã caminhou até o local da inscrição. Marcos por sua vez o analisava com o olhar e comentava:

— Então esse que é o tal do Gary? Já vi que ele não é lá essas coisas. Eu sou muito mais lindo, tesão, bonito e gostosão que ele. — Marcos deu alguns passos, posicionou-se na frente das garotas do ensino médio e perguntou: — Certo meninas?

Por exatos dez segundos um silêncio constrangedor, acompanhado do barulho de um grilo, tomou conta da cena. Por fim o famoso narcisista foi embora. Não parei de notar que, desde que Gary chegou, Jessica cobria o rosto com as mãos.

— Ai mas que vergonha! — ela dizia. — E como se não bastasse minha irmã tá no meio dessa palhaçada toda.

Urbano fez um sinal para que a gente se aproximasse dele e assim nós fizemos. Ele opinou:

— Galera, acho melhor a gente desistir dessas eleições enquanto é tempo. Cês não viram o Gary? Ele é simplesmente demais. Ele é o cara, o macho alfa, a mosca na sopa, a mosca que perturba o seu sono. Todas as garotas se amarram no Gary. Até a Flávia, que até ontem compartilhava postagens de páginas feministas com pitadas de misandria, se amarra naquele cara.

— E tudo o que fiz foi dizer que mulheres são inferiores aos homens em todos os aspectos! — Evans gritou lá da sala do jornal.

— Infelizmente eu devo concordar com o seu amigo aqui — disse Fausto. — Pouco antes de vocês chegarem eu calculei a probabilidade de cada aluno dessa escola derrotar Gary nessas eleições, e o maior resultado obtido não ultrapassava os 0,000000001%.

— Tá aí mais um motivo pra eu concorrer! — exclamou Helena. — Sem contar que minha vontade de bater naquele maldito aumentou uns 300%. — Ela ergueu o braço direito e ordenou em bom tom: — Rapazes, acompanhem-me!

Eu, Lorenzo e Urbano seguimos nossa dedicada e cabeça-dura líder, que caminhava para o local da inscrição. Ela foi a primeira a abrir a porta do escritório do jornal escolar. Nós entramos lá praticamente ao mesmo tempo, fazendo, ou pelo menos tentando fazer, uma entrada triunfal.

— Aê seus nerdões — Helena anunciou —, viemos nos inscrever nessa porra de candidatura!

O que vimos logo depois foi uma cena peculiar, mas deveras previsível. Gabi Dias, a aluna responsável pelo jornal, estava literalmente hipnotizada pelo Gary, que mostrava os bíceps. Ela massageava os músculos do jovem galã, que não se cansava de falar sobre a rotina própria de exercícios. Em um canto escuro da sala vimos Adriano Martelo encolhido, abraçando as próprias pernas. Eu quase podia visualizar uma nuvenzinha de tristeza em cima da cabeça dele.

Alguns segundos se passaram até que Gary notasse nossa presença.

— Oh, perdoem-me — ele disse. — Acho que demorei um pouco por aqui. — Ele dirigiu sua atenção para Gabi e perguntou: — E então docinho, posso me inscrever para a campanha eleitoral?

O efeito hipnótico em Gabi foi cancelado e ela pôde responder:

— Oh, sim, é claro!

Ela foi até uma gaveta de arquivos, tirou de lá umas folhas de papeis, voltou para o Gary e disse:

— É só assinar aqui, aqui e ali, registrar o CPF e o endereço acolá e sua inscrição será oficializada.

— Obrigado docinho! — respondeu Gary, pegando as folhas com a mão esquerda e tirando uma caneta do bolso com a outra mão. — Sabe, é meio incomum que alunos do ensino médio perambulem pelo corredor a esse horário, mas cês sabem como é, né!? Todos me adoram nessa escola, até os professores. Eles me adoram tanto que me permitem fazer qualquer coisa. A propósito, eu já disse que sou demais?

Evans terminou de se inscrever e entregou os documentos para Gabi. Ele caminhou até a porta, virou-se, deu uma piscadinha para a responsável pelo jornal e disse:

— Até a próxima docinho.

A porta se fechou e o senhor popularidade foi oficialmente embora. Helena se estressou, como era o esperado, e disse:

— Tá, tá! Já podemos nos inscrever agora?

Sem nenhum aviso prévio Gabi desmaiou, e teria caído no chão se Lorenzo e Urbano não tivessem impedido. Após o breve susto ela se recuperou e Helena conseguiu se inscrever para concorrer a presidência do Grêmio Estudantil. Quando saímos da sala, Adriano ainda estava em seu modo depressivo.



Notas finais do capítulo

E esse é o início da aventura.
Antes de encerrar, uma pequena curiosidade sobre o Gary: siiiiiiiimmmmmmmm, ele foi criado para ser propositalmente perfeito. Sua principal fonte de inspiração veio desse quadrinho (em inglês):
http://i3.kym-cdn.com/photos/images/original/000/713/640/f28.png
Vocês também podem conferir o quadrinho nessa galeria aqui (site em inglês):
http://knowyourmeme.com/memes/mary-sue/photos
Pois é, li esse quadrinho ao acaso e tive uma imensa vontade de ver o Evan Globe se foder, mas não podia colocá-lo como vilão da história. Não, R Freitas não é um plagiador sujo.
E o que foi que eu fiz? Simples! Criei um personagem inspirado no Evan Globe, botei "Gary" e "Stewart" no meio, fiz umas combinações e pronto: Gary Evans Stewart Globes, um personagem original criado por mim.
Bem, espero que tenham curtido o capítulo. Fiquem ligados para a continuação dessa história.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A disputa pelo Grêmio Estudantil" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.