Um Anjo em Minha Vida escrita por Patty Team Jacob


Capítulo 26
Capítulo 12 POV Nessie Cullen


Notas iniciais do capítulo

Espero que gostem...



Acordei sentindo os efeitos que Jacob havia causando em mim. Não me sentia dolorida nem nada parecido na verdade me sentia completa e feliz.

Espreguicei-me demoradamente e quando abri os olhos percebi que ele não estava ao meu lado.

Levantei-me e conforme fui descendo as escadas podia sentir sua presença aqui em algum lugar e seu perfume também dominava o ambiente e foi então que ele saiu de uma sala não sei bem.

- Jake? Eu acordei e você... Espera por que você está chorando? - corri até ele preocupada já que não me parecia fazer muito sentido.

- Por que eu estou feliz Nessie. - ele também correu até mim e me abraçou apertando-me contra seu corpo.

- O que o deixou tão feliz, por que sim eu sinto uma felicidade vindo de você. - ele me colocou no chão e ficou olhando em meus rosto e Jacob estava leve, não sei um tanto quanto diferente. Posso apostar que ele parecia até mais alto, era como se ele tivesse tirado um peso de cima dele.

- Primeiro por que tudo com você hoje foi especial e quando eu acordei eu desci organizei tudo por aqui e fui para o escritório do meu pai, era como se algo me dissesse que eu tinha que ligar pra ele e eu fiz e depois de conversarmos por um tempo ele me chamou de “ meu filho” e disse que sente minha falta e foi ele quem pediu a Helen que arrumasse tudo aqui pra nós.

- Jake isso é maravilhoso. - o abracei de maneira carinhosa e agora eu podia entender o que ele estava sentido e eu sabia o quanto isso era realmente importante para ele.

- Sim e mais que isso Ness eu consegui chamar ele de pai e ele gostou e ficou emocionado. É como se eu tirasse um peso enorme de cima de mim. Sei que ainda tem coisas que precisam ser colocadas no lugar mais de qualquer maneira já é muito pra quem até ontem não tinha nada.

- Claro é bastante e fico feliz por você e percebeu o quanto você sorriu e gargalhou hoje depois que conversamos e resolvemos tudo. O Jacob que você queria tanto resgatar esta aqui e posso te garantir que eu o vi por varias vezes em seu sorriso hoje.

Eu sabia mais do que ninguém o quanto Jacob havia sonhado com isso, o quanto era importante pra ele saber que ele ainda tinha um pai que o amava e o considerava e que sofrido muito assim como ele próprio mais que ainda o amava e muito.

- Meu pai me disse que eu sou corajoso e forte mais do que eu penso que sou. - algo no semblante do Jacob mudou, e de alguma maneira as palavras do pai o tornou mais confiante, eu sabia que ele ainda se sentia inseguro, porém a maior parte dessa insegurança é proveniente da imagem que o pai tem dele, das acusações e isso é o que mais o abalava emocionalmente.

- E você é tudo isso e muito mais. - nos sentamos na cama assim que chegamos ao quarto.

- Mais? - ele arqueou a sobrancelha com se estivesse duvidando do que eu estava dizendo.

- Você é amigo, tem um coração enorme, sabe amar alguém como ninguém mais é capaz, é um amante maravilhoso. Sabe ainda sinto efeitos dos seus toques  em meu corpo todo. - Jacob tinha várias coisas que o tornava especial e muito e acho que ele não se dava conta disso.

- Eu sou isso tudo mesmo não sou? - como ele poderia simplesmente duvidar do que eu estava falando!

- É você é maravilhoso e vai deixar essa depressão antes que imagina você nem vai se lembrar de nada disso e quando eu tiver nossos filhos eu vou contar pra eles o quanto o pai deles é valente e forte e o homem mais lindo e maravilhoso que existe. - desde o momento que o Jacob me pediu em noivado, secretamente eu fiquei imaginando como será nossa vida e nossos filhos quanto os tivermos enfim eu imaginei minha vida ao seu lado.

Seus olhos brilharam diante do que eu havia acabado de falar e queria que ele pudesse perceber o orgulho que eu sinto dele, do quanto ele é absurdamente bom em tudo que ele faz.

- Você pensa mesmo na nossa família? - havia um sorriso meigo em seu rosto e um semblante leve e diferente o tornava ainda mais bonito.

- Sim penso por que é com você que eu quero passar o resto da minha vida. Eu quero poder amar você todos os dias, dormir e acordar ao seu lado, ser beijada e tocada por você todos os dias e te proibido de deixar de ser excessivamente carinhoso entendeu? - pulei em seu colo afundando meu rosto em seu ombro.

- A gente morre de felicidade? - havia um tom de curiosidade em sua voz.

- Não a gente vive de felicidade assim como você me ensinou que a gente não morre por amor a gente vive por amor. - ficamos abraçados apenas nos sentindo e ficar assim com ele era tão bom quanto fazendo amor.

- Está com fome? - ele parecia preocupado.

- Um pouco e você? - também me preocupava com ele e sempre procurava demonstrar.

- Um pouco também, mas estava pensando em convidar seus pais para jantar em Port Angeles como forma de retribuir a hospedagem e claro garantir que eu possa voltar quando você vier novamente. - isso realmente me deixou feliz. Saber que Jacob havia gostado de estar na minha casa e que tinha certa consideração com meus pais.

- Será maravilhoso e tenho certeza que eles ficaram felizes se você os convidar.

- Então liga para o seu pai e para sua mãe por que daqui a pouco ela vai pra casa não é isso? - ele olhou no relógio e eu o acompanhei e percebi que passava um pouco das três da tarde e minha mãe daqui a pouco estaria saindo da escola.

- Vou ligar. Posso usar... - apontei para o telefone.

- Claro que pode fica à-vontade enquanto isso vou ver o que tem lá embaixo para enganarmos a fome. - apenas assenti.

Jacob saiu me deixando sozinha.

- Mãe?

- Oi filha tudo bem?

- Sim já está saindo da escola?

- Já e vou correr para casa para preparar o jantar e você e o Jacob estão bem? Conversou com ele?

- Primeiro não precisa correr para casa para preparar jantar Jacob está convidando você e o papai para jantarem em Port Angeles e se vocês puderem ir será importante pra ele.

- Ele é realmente muito educado não é mesmo? Primeira visita que eu recebo que não me da trabalho. - sabia bem o que minha mãe queria dizer com isso por que quando os parentes do meu pai vinham da Califórnia para nos visitar minha mãe ficava quase louca coitada.

- Ele pretende ser convidado a voltar mais vezes e para outra pergunta sim também, eu conversei com ele e Jacob me pareceu entender tudo.

- Que bom fico feliz por vocês. - podia sentir a alegria da minha mãe em sua voz.

- Então nos encontramos em casa. Ah fui ao médico também.

- E deu tudo certo?

- Sim mais eu me consultei com o filho do Dr. Kellan já que ele teve que ir ao hospital fazer um parto de urgência não sei.

- O Emmett quem lhe atendeu? - ela perguntou curiosa.

- Sim por quê?

- Ele namora a irmã do namorado da sua tia Alice sabia? Ele se formou na Universidade da Califórnia onde a Rosalie cunhada  da sua tia também se formou. - Ah que legal imagina um quase parente que me viu sem roupa, poderia ser mais vergonhoso tudo isso? Eu sei a resposta e é não.

- Então é isso nos vemos no jantar.

Desliguei o telefone ainda tentando entender esse grau de parentesco todo. Tia Alice é irmã mais nova do meu pai e que se formou em arquitetura e decoração de interiores e ela e meu pai dividem o escritório mesmo ela morando na Califórnia em Los Angeles para ser mais especifica e quando meu pai precisa ela vem para Forks para ajudá-lo e ela namora há anos o Jasper que também mora em Los Angeles.

- Minha mãe falou que está combinado e ela ficou muito feliz com o convite.

- Então senta ai pra comer. -  eu me sentei mais em cima do balcão e comecei a chamar o Jake de maneira sensual. - O que você quer? - ele ficou entre minhas pernas e eu as coloquei em volta da sua cintura o prendendo ali.

- Quero beijar você. E você tem razão tudo que fizemos foi maravilhoso só de me lembrar... - podia sentir meu rosto corar ao tentar dizer o que eu pensava, na verdade eu não tinha vergonha do Jacob, mas era estranho às vezes confessar o que sentia ou queria.

- O que acontece quando você lembra? - ele passava seus  lábios em meu pescoço. - Você fica como eu? -  ele pegou minha mão e a levou para que sentisse sua ereção que minha nossa já estava ali tão evidente e preparada. Senti um calor me dominar por completo.
- Sim exatamente igual. Será que temos algum problema por que fizemos amor praticamente o dia todo. - olhei para ele semicerrando os olhos.

- Espero então continuar com esse problema por muito tempo. - ele subiu sua mão  por minha  coxa em direção a virilha e afastou minha calcinha tocando em minha intimidade.

- Wow... - gemi em seu ouvido já que meu corpo ainda estava sensível depois de todas as experiências que havíamos compartilhado hoje.

- Estou apenas conferindo seu estado e sinceramente é delicioso tocar em você. - ele afastou o rosto para olhar pra mim, mas tipo eu queria e muito que ele continuasse mais eu estava realmente com fome.

- Prometo que deixo você me tocar o quando quiser mais primeiro poderíamos comer? - neste momento essa necessidade falava mais alto e claro saber que Jacob sempre estaria ali facilitava e muito a minha decisão.

- Podemos e sei lá podemos ver algum filme e amanhã quero ver seu projeto.  - ele me colocou sentada no banco. - Para tudo! - achei estranho quando ele disse isso já que não estava entendendo nada.

- Que foi? - arqueei a sobrancelha.

- Beijo, você não me beijou e isso é uma falta muito grande. - ri do modo como ele falou.

O beijei de um jeito carinhoso demonstrando todo amor e carinho que sentia por ele. Deixei minha língua tocar levemente a sua e o sentia arrepiar.


XXXXXX


- Eu queria agradecer a você Bella e a você Edward por terem me recebido tão bem na casa de vocês. - Jacob falou quando já estávamos no restaurante em Port Angeles.

- Não tem o que agradecer Jacob não fizemos nada de mais. - minha mãe falou sem graça enquanto meu pai concordava com o que ela estava dizendo balançando a cabeça.

- Ah tenho sim, na verdade nem sei o que poderia ter acontecido se vocês não tivessem falado com a Nessie sobre meu ciúmes descontrolado. Eu a teria perdido. - ele olhou no meu rosto e alisava-o carinhosamente enquanto sorria. - E eu quero que vocês saibam que por mais dependente que eu me sinta em relação à filha de vocês eu jamais a obrigaria a ficar ao meu lado se ela não quisesse isso.

Meu Jacob era tão sensível e perfeito, por que embora ele tivesse começando a encontrar a paz emocional que ele tanto queria agora, ele simplesmente era maduro em alguns aspectos como quando sugerir que por mais que dependesse de mim ele me deixaria livre se fosse para me ver feliz.

- Eu sei disso Jacob o seu amor pela Nessie é natural e como pai eu me sinto feliz em ver o modo como você a toca e a olha com tanta veneração. - fiquei feliz ao ouvir meu pai dizer isso. - Mas eu fico temeroso pelo seu pai. - percebi as feições do Jacob ficarem um pouco rígidas diante do que meu pai havia dito e resolvi interferir.

- Não se preocupem. - falei sorrindo e ao mesmo tempo demonstrando confiança.

Jacob estava apenas começando a retomar o relacionamento com o pai e tudo ainda era prematuro e eu sabia que ele tinha medo bom,  pelo menos antes do relacionamento deles começar a mudar novamente, que o pai dele tivesse feito ou falado algo que pudesse comprometer nosso namoro diante do meu pai.

- Humm... Eu sei que meu pai andou por aqui antes de mim, e literalmente fiquei apavorado quando ele disse que os havia conhecido. Mas as coisas estão mudando eu sei que ainda vai demorar um pouco para ser a relação que tínhamos antes disso tudo, mas pra quem não teve nada por um ano ele ter me chamado de “ seu filho” me parece ser alguma coisa e eu consegui o chamar de pai. - sorrimos para ele em demonstração de amizade e para lhe dar confiança.

- Isso é realmente muito bom Jacob e não se preocupe seu pai não nos disse ou fez nada quando esteve aqui. - me pai falou e podíamos ver o alivio em seu rosto voltar. - E você é um rapaz especial poderia simplesmente ter pirado com isso tudo, ter virado um filhinho de papai que não quer nada da vida, mas ao contrário disso você sobreviveu de alguma maneira.

Meu pai tinha razão, Jacob era um sobrevivente e corajoso, diga-se de passagem. Em nenhum momento ele pirou bom pelo menos não que eu saiba.

Meu pai não tocou em nenhum momento no assunto da licitação que ele havia abandonado embora isso fosse realmente alavancar as coisas no escritório dele, bom de certa maneira o daria prestígio para conseguir clientes maiores e quem sabe ele ter o sucesso financeiro que ele e minha mãe tanto almejavam.


Quando saímos do restaurante resolvemos caminhar um pouco pelas ruas de Port Angeles que estavam tranqüilas.
- E então seu Jacob é realmente um príncipe não é mesmo? - minha mãe me abraçou me puxando para que andássemos na frente do meu pai e do Jacob.

- Olha o que ele me deu como pedido de namoro. - ergui o pulso para que ela visse.

- Nessie posso não entender muito, mas isso me parece ser ouro branco e diamantes. - abri a boca em admiração.

- Tem certeza mãe? Nossa deve ter custado muito caro e será que deveria ter aceitado?

- Se você devolver ele ficará chateado e posso ver que foi personalizado, ou seja, ele mandou fazer pra você.

- Tem razão melhor não falar nada. Mas é impressão minha ou você quis deixar o papai a sós com o Jacob.

- Percebeu não foi. - assenti com a cabeça. - Seu pai apenas tinha curiosidade em conversar sozinho com ele não é nada demais e então me conte o que fez hoje.

Senti meu rosto corar mais não tinha como esconder nada da minha mãe já que ela era minha amiga e confidente.

- Ficamos na casa da família do Jacob em La Push que alias mãe é linda tem uma piscina aquecida maravilhosa e o quarto dele é enorme e tudo muito bem decorado.

- Você usou preservativo não é? - ela perguntou com um meio sorriso no rosto.

- Usei ainda não posso confiar no medicamento o Dr. Emmett nos pediu pelo menos 14 dias para que a medicação faça efeito realmente. Como você percebeu?

- Seus olhos e os dele brilhando em cumplicidade e amor é impossível não notar. Mas confesso que me assusta pensar em você freqüentando a roda de amigos dele, enfim a vida social ao qual ele está acostumado. Tenho medo que você sofra.

- Ah mãe a família do Jacob como um todo é super de boa em relação a essa coisa de dinheiro. A irmã dele já ajudou até a fazer uma lasanha pra mim uma noite - minha mãe franziu o cenho. - Fui visitar o Jacob e ela e a Helen que trabalha na casa sabiam que eu havia saído do serviço e fizeram para que quando eu chegasse em casa tivesse um jantar pronto.

- Será que eles estão falando de nós? - minha mãe perguntou curiosa.
- Bom sinto que eles estão nos observando.

Nos viramos juntas e paramos de frente para eles. Sem dúvida os dois homens mais bonitos que eu já vi na minha vida, não só pela beleza física mais por que em seus olhos era possível ver o quanto eles eram especiais.
 
- O que os homens da nossa vida estão cochichando. - perguntei ganhando um sorriso lindo do Jacob.

- Estamos falando sobre mulheres. - podia muito bem ver meu pai esconder um sorrisinho e lançando olhares para o Jacob pedindo cumplicidade.

- Como é que é? - minha mãe colocou a mão na cintura em protesto e falou brava.

- E agora Jacob acha que deveríamos falar sobre o que falávamos? - eu não disse que eles estavam de complô por que vi bem quando meu pai piscou pro Jacob.

- Acho que não já que é assunto de homem não é mesmo? - fuzilei Jacob com o olhar mais era legal ver os dois homens da minha vida se dando bem.

- Duas ciumentas. Estávamos falando das mulheres da nossa vida! - eu e minha mãe nos olhamos.

- E vocês que tanto riam? - Jacob perguntou curioso.

- Falando de homens, ou melhor, falando de vocês dois também. - corri até o Jacob pulando em seu pescoço e sei que ele ficou um pouco envergonhado mais quando ele viu minha mãe beijando levemente meu pai ele relaxou instantaneamente.


XXXXXXX


- Nessie eu estava pensando... - estava escovando o dente quando o Jacob começou a falar.

- Pensando em que? - perguntei me deitando na cama que ele havia arrumado enquanto ele tirava sua calça  para se deitar ao meu lado.

Será que um dia eu iria me acostumar com tanta perfeição? E esse calor que subia pelas minhas pernas não era normal por que tipo nos amamos praticamente o dia todo, mas se Jacob quisesse ficar comigo eu não me importaria nem um pouco.

- Amanhã eu vou ficar aqui na sua garagem trabalhando em seu carro e você deveria ir até La Push conversar com o Seth ele não deve estar bem. - tudo bem isso realmente me surpreendeu

- Deixar você aqui sozinho? - o fitei analisando sua reação. Não queria que Jacob sofresse por causa disso, alias não era preciso.

- Acho melhor do que estar por perto o que os olhos não vêem o coração não sente e você vai voltar pra mim eu sei que vai. - como imaginei era difícil para ele tomar essa decisão embora ele tentasse mostrar confiança.

- Você tem certeza disso? - eu podia ver a luta interna que ele estava travando com ele mesmo, seus olhos jamais mentiam pra mim e isso estava me preocupando já que poderia falar com o Seth depois.

- Tenho Ness eu vou suportar tudo e sinceramente eu preciso disso, não vai ser fácil. - ele balançou a cabeça. - Mas será preciso.

Eu sabia o que ele estava querendo dizer com “ será preciso”. Ele queria ter certeza que eu e o Seth realmente não temos nada um com o outro e ele mesmo já me disse que Seth é um amigo especial pra ele.

- Vou resolver tudo com ele e voltar rápido para você não se preocupe. Vou ligar para ele para ver se ele estará em casa pela manhã.

Peguei o telefone percebendo todas as suas reações pelo canto dos meus olhos e ele nitidamente estava tentando parecer naturalmente despreocupado ainda mais quando ligou a televisão. Deduzi que ele queria manter o foco em outra coisa como um filme de ação que ele escolheu.

- Seth? - Oi tudo bem? - tentei não demonstrar empolgação que poderia ser interpretada de maneira errada pelo Jacob

- Oi Ness vou levando e você como vai? - sua voz estava triste.

- Estou bem. - respondi de maneira meio automática.

- Fico feliz por você, mas então qual o motivo de me ligar, na verdade pensei que nem iria mais querer saber de mim agora que você e o Jacob estão juntos. - senti uma pontada dentro de mim ao ouvi-lo dizer isso. Seth era um amigo e não o queria sofrendo ainda mais por algo feito por mim.

- Como poderia esquecer de você. Queria saber se posso te ver amanhã pela manhã. Se você quiser claro. - deixaria a decisão nas mãos dele.

- Ver você? Sem o Jacob é isso? - notei o tom animado que ele usou ao fazer a pergunta.

- Sim ele vai ficar me esperando por aqui mesmo.

- Claro ver você é tudo que eu posso querer vou ficar esperando e Ness eu realmente gosto de você... - sua voz se tornou apenas um murmúrio fraco no final.

- Eu também mais amanhã falamos sobre tudo isso está bem? - olhei para o Jacob e ele mantinha a mesma postura desligada.

E foi então que eu entendi essa era a maneira como o Jacob enfrentava as coisas quando ele estava sofrendo, ele se fechava dentro do seu próprio sofrimento para não demonstrar nada já que ele temia ser criticado por isso como sempre foi. Alias foi isso que ele fez com o sofrimento que o dominou depois que perdeu a mãe.

Quando desliguei o telefone ele não me perguntou nada sobre o que o Seth havia me dito.

- Posso apenas te pedir uma coisa? - ele se virou pra mim.

- Claro que pode. - acho que ele esperava que eu estivesse imaginando que ele teria uma crise de ciúmes mais na verdade o que me preocupava e muito era ele estar sofrendo por algo que não era necessário.

- O que você conversar com o Seth, se acontecer alguma coisa sinceramente eu não quero saber e não vou te pressionar a me contar nada eu vou lidar com isso de maneira madura como você merece. - era possível amar alguém além do limite? Por que eu estava nesse exato momento amando meu Jacob ainda mais por todo esforço que ele estava tendo para ser maduro com algo que o fazia sofrer.

- E vai ficar se perguntando o tempo todo o que aconteceu e imaginando coisas que não aconteceu? - tinha medo que na primeira discussão ele jogasse isso na minha cara, vai saber o futuro.

- Mas não quero interferir na sua vida eu quero você ao meu lado por que eu te amo  mais do que qualquer coisa e hoje você me demonstrou de diversas maneiras que se sente assim também então o resto não é importante.

- Você quem sabe de qualquer maneira o que vou dizer ao Seth não é nada demais apenas que vou continuar sendo sua amiga, mas que não existe a gente e que até poderia ter existido se você não fosse o homem que eu amo e de quem estou praticamente noiva e nada e nem ninguém vai me fazer mudar de idéia.
- Gostei de ouvir isso. - ele me deu aquele sorriso torto.

- Então amanhã quando eu estiver com ele se apegue a isso e no quanto vou querer voltar correndo para junto de você. - ele estava mais aliviado eu podia sentir.

- Com sono? - estava sentada no meio das suas pernas com as costas apoiada em seu peito.

- Não já que dormi à tarde. E você? - acariciava seu braço levemente com as unhas.

- Não também. E pra mim o dia foi perfeito por que conversamos e acertamos as coisas entre nós, nos divertimos no médico e claro a parte em que ficamos juntos foi à melhor e depois o jantar com seus pais.

- Você e meu pai pareceram se dar bem. - queria saber o que eles haviam conversado.

- Sim amamos duas mulheres incríveis não poderia ser diferente. E você e sua mãe conversaram muito também. - ele não me diria nada e também não iria questionar, deixaria ser algum tipo de segredo deles.

- Estávamos falando de vocês e... Jacob esse pingente que você me deu é... - lembrei do que minha mãe havia me dito.

- Cravejado de diamantes? - confirmei a pergunta. - São você merecia o melhor.

- Mas deve ter custado um absurdo. - fiquei analisando a pulseira.

- Isso não tem importância e se prepare por que seu anel também é de ouro branco com diamante. - se essa pulseira já era assim imagina o anel?

Jacob começou a deslizar sua mão por todo meu corpo me fazendo carinho e tocou meu seios por cima da blusa e claro percebeu que eu estava começando a ficar excitada por ele e quando sua outra mão tocou minha intimidade e depois me apertou eu senti aquele calor no meu baixo ventre me dominar.

- Jake eu posso te perguntar uma coisa? - falar enquanto ele me tocava assim era complicado mais eu tinha curiosidade sobre algo e acho que esse seria o momento de perguntar.

- Pode qualquer coisa.

- É que tipo você é muito bom na cama sabe então eu devo concluir que você já teve varias companheiras certo? Olha não precisa falar se não quiser. - a pergunta era constrangedora afinal era a intimidade dele, mas quer saber eu tinha ciúmes em imaginar meu Jacob tocando outra mulher ou outras mulheres.

- O que, você acha que eu tive muitas mulheres? - era como se ele quisesse saber da minha opinião.

- Eu acho por que você parece conhecer tanto do corpo feminino. - dei de ombros sendo sincera sobre o que eu pensava.

- Acredite tive apenas uma garota além de você e confesso que foi horrível, sei lá não era sentimento era apenas sexo por sexo e eu nem beijei a garota eu acho nem sei mais. - era bom ouvir isso e cheguei à conclusão que compartilhávamos da mesma experiência desastrosa na nossa primeira vez já que sinceramente preferia considerar o Jacob como meu primeiro. Arfei quando ele deslizou a mão por dentro da minha calcinha e nessa posição eu conseguia o ver me tocar e isso era excitante, observar suas mão tendo vida própria.

- Mas então como você... - minha voz falhou.

- Quando meu pai ainda era meu amigo ele me disse que para ser um bom amante eu deveria conhecer o corpo feminino e saber exatamente o que as mulheres gostam já que o prazer em nós homens é mais fácil de ser atingindo. - será que ele queria me matar? Por que quando ele tocou no meu clitóris comecei a respirar de maneira ofegante e era sensual ele me tocar e ficar falando no meu ouvido com a voz rouca. Havia um ar despreocupado em tudo.

- Então você leu coisas sobre isso e... Humm isso é bom. - mordi meu lábio inferior tamanho o desejo e excitação que me dominava.

- Sim sempre lia algumas reportagens de umas revistas da minha irmã ou da minha mãe e tipo existe muitas mulheres frustradas por ai por que os homens não a tocam como deveria e pior os caras se acham.

- Jake você é muito bom... O melhor pode acreditar e tenho que tirar o chapéu para o seu pai. - involuntariamente abri minhas pernas desejando que ele me tocassem mais.

- Tira sua calcinha meu amor. - ele falou no meu ouvido e eu tirei. - Agora abre sua perna pra mim, coloca do lado de fora da minha. - minha nossa como esse homem era bom. Se eu ainda não era ninfomaníaca estava no caminho para me tornar.

- O que você vai fazer? - perguntei quando vi sua outra mão descendo em direção a minha intimidade. Na verdade Jacob estava me ensinando e muito em como amar e ser amada.

- Dar prazer a você apenas te tocando assim, mas, por favor, não grita se não eu vou morrer de vergonha. - essa era boa alguém me explica como é que eu não vou gritar sendo invadida intimamente pelas suas habilidosas mãos.

- E eu faço o que quando sentir vontade de gritar? - ele que iria me arrumar uma solução já que ele era o senhor dos toques por aqui.

- Chama meu nome sussurrando. Garanto a você que sou capaz de atingir o prazer apenas ouvindo seus gemidos e sussurros. - minha umidade aumento só de ouvir ele me confessando isso. - Fecha os olhos e aproveita.

Fechei meus olhos deixando meu corpo relaxar enquanto ele me tocava lentamente e com carinho. Minha umidade aumentava diante de seus dedos habilidosos e quando ele passou da minha umidade em toda a minha intimidade eu literalmente fui ao céu e voltei.

Senti o Jacob dentro de mim era maravilhoso não poderia negar que era como me sentir completa, mas a maneira como ele me tocava era o que fazia diferença pra mim por que quando ele me penetrava eu já estava praticamente sentindo o prazer chegando.

Ele me penetrou com dois dedos e seus movimentos contínuos, mas a massagem em meu clitóris me fizeram chamar por ele.

- Jake... Humm você é bom demais... - sabia que ele gostava de ser elogiado nessa hora.

- Acha mesmo? - ele perguntou perto do meu ouvido.

- O melhor a maneira como você me acaricia é perfeito.

- Eu gosto de tocar você é prazeroso desvendar sua intimidade. - minha intimidade pulsava. - Vai sentir prazer? - claro que ele sabia que estava perto.

- Vou... Não tem como. - mexi meu quadril em direção a sua mão.

- Vai gritar? - ele perguntou temeroso.

- Não vou sussurrar não quero que você pare. - se ele parasse sinceramente eu mesma teria que dar um jeito na minha situação, mas claro que preferia ele já que eu não sou nada boba.

- Posso fazer algo que eu quero muito?
- Sou sua, pode fazer o que quiser. -  ele tirou uma mão da minha intimidade e me desencostou dele saindo de trás de mim. Se posicionou entre minhas pernas enquanto eu me deitava nos travesseiros, mas ainda o podia ver.

Ele me penetrou com sua língua enquanto seu polegar me estimulava no clitóris.

- Jake... - o chamei com um sussurro e com o último fio de voz que me restava. - Minha nossa isso é mesmo muito bom... - senti meu prazer invadir sua boca, e quando ele começou a me limpar toda ele na verdade estava prolongando ainda mais meu prazer.  

Eu estava com os olhos fechados e sentia meu rosto quente e um sorriso de satisfação nos meus lábios.

- Quando estiver conversando com o Seth amanhã tente se lembrar disso além do meu amor por você claro. - sua voz tinha um que de triunfo pelo prazer que ele havia me dado e sinceramente eu já havia atingido o prazer antes, mas sei lá por que motivo dessa vez foi completamente diferente, mais intenso. Ainda podia sentir a umidade saindo do meu corpo e algumas contrações da minha intimidade.

- Jacob você não presta sabia disso, fez tudo isso de caso pensando não é? - tentei parecer indignada, mas não conseguia.

- Bom na verdade se ficarmos deitados assim eu sempre vou te tocar e digamos que queria demarcar meu território mais do que já havia feito mais se não gostou eu... - me sentei na cama e o fuzilei afinal essa experiência havia sido maravilhosamente intensa.

- Não gostar? Impossível mais uma coisa que deverá entrar na sua lista de coisas que a Nessie ama que eu faço e terá que fazer isso sempre que tiver oportunidade me entendeu.

- Entendi. - o puxei para um beijo o fazendo se deitar sobre mim e quando nossas intimidades se tocaram percebi que ele deveria estar querendo se aliviar de alguma maneira. E quando ele gemeu tive a confirmação disso.

- Você está tão excitado quanto imagino? - perguntei para confirmar.

- Muito mais não se preocupe. - ele tentava se controlar para não sentir prazer ali em cima de mim. Não que eu fosse me incomodar, mas não era justo com ele.

- Consegue não fazer barulho?

- Acho que sim por quê? - sabia que havia preservativo na mesinha de cabeceira já que eu mesma os havia guardado ali quando chegamos. Digamos que mulher prevenida vale por duas.

- Quero você dentro de mim é isso.

- Ness você não está dolorida ou algo parecido.

- Desde quando prazer machuca? - arqueei a sobrancelha.

Ele colocou o preservativo e com apenas alguns movimentos ele atingiu o prazer e era intenso tanto que quando percebi que ele iria emitir algum tipo de som eu colei meus lábios nos dele.

- Nessie eu havia prometido a mim mesmo que não faria amor com você aqui sabia disso? - ele se levantou e foi até o banheiro e eu o deixei ter privacidade nesse momento.

- Isso foi pra você saber que eu volto pra você, sempre voltarei. - ele não queria que eu me lembrasse de algo quando estivesse com o Seth? Então queria que ele também tivesse algo para ter certeza que eu voltaria para ele.

- Será que seu pais ouviram alguma coisa? - ele pergunto preocupado.

- Impossível. - ele fez uma cara de interrogação. - Se bem os conheço eles estão fazendo a mesma coisa que nós. - ele riu.

Fui até o banheiro me arrumar também e ainda bem que tinha esse chuveirinho intimo. Voltei para ficar ao seu lado.

- Fizemos amor o dia todo, você tem razão será que somos normais? - agora quem riu fui eu.

- Vai saber mais de qualquer maneira eu sinceramente não sinto nada a não ser felicidade pura. As minhas amigas sempre reclamam dizendo que odiavam fazer amor com os namorados, mas acho que eles eram brutos demais não sei...

- Na verdade é por que os caras não excitam as garotas primeiro. Viu como meu membro desliza facilmente por você? - assenti por que era verdade eu não sentia ardência ou atrito algum era naturalmente confortável ser penetrada por ele. - Então garotas falam mesmo do desempenho masculino entre si? Justin vai gostar de saber disso.

- Conversamos assim como vocês conversam e fala pra ele que geralmente comparamos os tamanhos dos seus “ amigos”.  - ele arregalou os olhos.

- Sério mesmo? Espero que o meu seja um tamanho pelo menos padrão. - gargalhei.

- Primeiro que eu não vou falar do “ nosso amigo” pra ninguém e segundo o seu é perfeito pode acreditar. - imagina se eu iria ficar fazendo propagando do meu Jacob eu em para atiçar a vontade alheia? Nem morta.

Nos abraçamos e adormecemos ao mesmo tempo.

Amanhã seria o dia em que Jacob passaria por um teste pessoal de amadurecimento e eu sinceramente não faria esperar por mim por muito tempo. Iria até La Push, falaria com o Seth e voltaria correndo para os seus braços.




Notas finais do capítulo

Então as coisas estão perfeitas entre eles neh mais tipo quem já leu o pov da Susan sabe que a Lauren está aprontando e sinceramente as coisas vão se complicar para no nosso casal mas cada coisa a seu tempo por enquanto é isso bjs patty *_*