Brands Crimson escrita por Katherine


Capítulo 17
Brigas


Notas iniciais do capítulo

Gente, estou postando pelo celular, ou seja, me desculpem qualquer erra e desculpem também se o capitulo não ficar bonito visivelmente.



Antes que eu pudesse falar ou fazer alguma coisa, meu vampiro já se encontrava com as mãos no pescoço de Dean em quanto o mesmo era prensado contra a parede. Tive certeza de que a estrutura do castelo era a prova de vampiros quando Alec tentou acertar um soco no nariz do meu ex-namorado que no mesmo instante desviou rindo.

Dean lutava bem o suficiente para que a briga se tornasse equilibrada se nenhum dos dois usassem seus dons. Eu estava do outro lado do corredor, gritando e implorando para que eles parassem, sendo ignorada, é claro.

Para a minha sorte, no mesmo instante que resolvi interferir na briga minha família apareceu puxando um pra cada lado, os mantendo distantes. Éramos em um numero maior, então conseguimos segura-los sem muita dificuldade.

- Mas o que está acontecendo aqui? - meu pai perguntou assim que estavam mais calmos.

Nenhum dos dois disse nada, eu muito menos, em quanto Dean tinha seu sorriso cínico e debochado, Alec quase o matava com o olhar, sem precisar de um palavra.

- Me desculpe, Eleazar. - Dean pediu sorrindo - Tivemos um pequeno desentendimento!

- Olá, Dean! - meu pai o cumprimentou soltando os braços de Alec que ainda eram segurados por Kate - Estou surpreso em vê-lo.

- Devo confessar que eu também estou surpreso em encontrá-los por aqui.

- Se juntou aos Volturi? - Kate perguntou, sendo seguida por um rosnado estridente do meu vampiro.

- Sim, Kate. Como vai?

Era difícil que no planeta a terra existisse alguém mais cínico do que o mesmo, depois de sumir das nossas vidas como se nunca tivesse existido, de nos deixar feito loucos tentando rastreá-lo ele ainda era capaz de ser o bom e velho Dean, isso me incomodava.

Cruzei os braços na altura do peito em um movimento brusco, atraindo a atenção de todos para mim.

- Ótimo, já avisou a Aro que seu passatempo preferido é fugir por ai sem dar satisfações a ninguém? Nem mesmo ao Clã que acolheu a você e sua irmã quando não tinham mais nada? - bufei - E depois, quando nos reencontramos é capaz de perguntar se estamos bem! Deixe de ser cínico, Dean! - Saí pisando fundo sem me importar com o que os outros pensariam.

Atrás de mim, Alec andava com seus passos frenéticos e repletos de ódio, como se a qualquer instante fosse quebrar a porcelana com seus passos. Entrei no quarto sem fechar a porta, pois sabia que ele estava logo atrás de mim, e afundei minha cabeça em um travesseiro qualquer, enquanto Alec chutava a mobília do quarto.

- Você pode, por favor, parar de fazer isso? - pedi com raiva.

- Você pode, por favor, calar a boca? - ele nem se quer me olhou.

- Por que não cala você a sua?

- Ah, me desculpe se ele lhe tratava como uma princesa, eu não sou assim, Angel! Tenho minhas vontades! - ele rosnava entre cada palavra.

- Acabar com a mobília é uma delas, Volturi?

- Acabar com o seu namoradinho é, sem duvida, uma delas!

- Você tem noção que se meteu em uma briga por nada, Alec? E sabe que Aro vai saber disso, não sabe?!

- Então, é do mestre Aro que tem medo?

- NÃO! - gritei - Eu tive medo que algo desse errado no meio de toda aquela confissão! - eles poderiam ter se machucado.

– E a quem você se refere? Quem é o felizardo pela sua preocupação? - ironizou.

E pela primeira vez desde que conheci Alec Volturi, eu não sabia o que responder ....

- Como eu pensei!





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Brands Crimson" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.