Because Of You escrita por Rayssa


Capítulo 37
Uma viagem para recordar


Notas iniciais do capítulo

Gente gente gente ! kk voltei ♥
Eai me digam ? estão curtindo muito o feriado ? bom.. eu viajei para a casa das minhas primas e estou curtindo bastante!
Trouxe o meu pendrive onde estava salvo meus capitulos da fic.. e então deu pra postar... não queria deixar vocês sem capitulo!
está tudo tão corrido.. mal tive tempo de responder os comentários, então peço desculpa ! assim que eu voltar pra minha casa prometo responder a todos ok ?
Boa leitura !



 

P.o.v Nessie

 

Seu pai inventou de conhecer um museu aqui no Canadá e ficou fascinado com as obras e tudo mais, tanto que nem quer mais ir embora — Bella riu do outro lado da linha – Está até cogitando a possibilidade de morarmos aqui.

— seria incrível morarmos no Canadá não seria Nessie ? – Ouvi ele gritar do outro lado da linha, ele tinha um tom divertido.

Revirei os olhos.

— não.. não seria nada divertido – Bufei – Eu não vou morar ai.

— Viu só Ed, nem ela quer morar aqui.. se você quiser, fique a vontade – Riu – Eu e a Nessie ficamos muito bem sozinhas morando em Nova York.

Ouvi ele bufar do outro lado da linha. Bella e eu rimos juntas.

— Só ele mesmo pra querer morar ai – Murmurei.

— Concordo – Suspirou – E como anda por ai ? e os gatinhos .. ?

Tinha uma pitada de malicia em sua voz.

— Hum.. – Dei risada lançando um olhar a Jacob, que estava ao meu lado enquanto estávamos largados no sofá assistindo a um programa qualquer  - Tem um na jogada ai..

E como ele é ? estuda? Trabalha? Mora com os pais ? vocês estão usando camisinha ? olha eu to muito nova pra ser vovó!.

— O QUE? – Meu pai berrou.

Corei instantaneamente. Não costumava falar dessas coisas com minha mãe. Jacob esticou a cabeça, tentando ouvir a nossa conversa.

Ele riu.

Mãe ! ele estuda junto comigo.. olha.. não estávamos fazendo nada demais!calma que você não vai ser vovó não !

Ouvi alguns murmúrios e logo minha mãe estava tentando acalmar meu pai. Ele realmente deve ter ficado bravo com a história da camisinha.

— Se ele soubesse o que já fizemos.. – Jacob gargalhou – Ia querer pegar um avião agora pra Forks.

Dei um tapa no seu braço o repreendendo.

— Cala essa ..

Nessie tá ai ? — A voz da minha mãe era divertida – Seu pai é um fresco isso sim. Continue me contando da sua nova paquera, quero saber tudo!

Revirei os olhos. Parecia estranho conversar aquilo com meus pais, por que sempre era mais fácil falar disso com as amigas?.

Contei pra minha mãe .. o básico é claro.Não revelei o nome, só contei algumas coisas que fizeram ela dar chilique do outro lado da linha. Ficamos conversando por mais uns 40 minutos, depois se despediu de mim já que teria que ir trabalhar agora.

Jake e eu ficamos assistindo filme até tarde da noite, hoje era sexta feira e não havíamos combinado de sair com o pessoal.. hoje eu estava mais caseira, e jake também. Não dávamos mole de ficar trocando caricias ou muito menos beijos, ele havia me contado sobre Sarah já desconfiar de nós.. então achamos melhor sossegarmos o facho um pouco. Amanhã já era sábado e qualquer coisa a gente dava outra fugida de madrugada para ficarmos juntos.

Sarah chegou de um jantar com Tio Billy, já que hoje seria sua folga. Ambos pareciam estar felizes e eu sorri ao ver os dois de mãos dadas.. parecia que o tempo não tinha efeito, poderia passar cinquenta anos e esses dois ainda iam agir e ser um casal apaixonado. Eles dois sentaram no sofá conosco e ficamos conversando um bom tempo.

Tia Sarah era uma pessoa boa, era uma pessoa incrível pra falar a verdade. Só nunca entendi muito bem essa cisma com a Leah.. talvez seja por que ela gosta muito da ideia de Leah ter sido noiva de Jake e ele estar a um passo de casar.. pra daí eu chegar e revirar tudo. Eu não sentia raiva dela, não mesmo, só as vezes ficava triste por que queria poder contar a ela tudo o que estava rolando.. e em como eu amava Jacob, e como ele me fazia feliz. Se ela entendesse talvez..

Billy estaria de folga nesse final de semana então propôs que fossemos para Seattle ficar esses dois dias. ficaríamos em  um hotel por lá, ele disse que Antes de eu ir embora, deveria conhecer melhor a cidade de lá.

— Seattle? – Murmurei entusiasmada – Claro que sim! Eu adoraria ir.

Ele abriu um sorriso enorme.

— Que bom que gostou da ideia.. eu estava pensando em irmos amanhã de manhã – Comentou – O que acha Sarah ? aliás..você poderia conhecer aquela floricultura que está me atormentando a dias para conhecê-la.

Ela sorriu radiante.

— Você acha que eu perderia ? acho uma ótima ideia !

— E você meu filho, ? – Se dirigiu a Jacob.

— Eu também acho uma boa. Você nunca fica de folga mesmo, deveríamos aproveitar – Ele deu um tapinha no ombro do pai, acompanhado de um sorriso torto.

E assim ficou combinado. Iríamos amanhã cedo para Seattle.Depois disso, fomos todos dormir, já que amanhã acordaríamos cedo. Quando cada um entrou no seu quarto, eu e Jacob ficamos trocando mensagens pelo celular, conversar bobas e sem sentidos e mesmo assim ele ainda conseguia arrancar sorrisos de mim.

Na manhã seguinte, depois de ter levado com muito esforço (ficamos até quase 4 da manhã trocando mensagens ) e tive que acordar as 7 horas. Tomei um banho bem quente pra tentar afastar aquele sono de mim. Vesti uma calça jeans, uma blusa de manguinhas e um tênis. Desci até a cozinha Jacob, Sarah e Billy já estavam tomando café. Aproveitei e fiz o mesmo, aproveitei para reforçar meu estomago, faríamos uma viagem um pouco longa até Seattle.

Quando estávamos satisfeitos, peguei minha mochila onde separei algumas mudas de roupas para esse fim de semana, minha escova de dente, minha toalha, meus fones de ouvido e meu carregador. Iríamos no carro do tio Billy era um Lexus RX da cor cinza. Sempre achei lindo o seu carro, além de ser um conforto só.

A viagem de seguiu.. um tédio, pelo menos pra mim. 3 horas e meia de viagem, três horas ao lado de Jake sem poder toca-lo, nem beija-lo e muito menos deitar a cabeça em seu ombro e deixar que ele fizesse um cafuné em mim. Viemos no banco de trás os dois, enquanto Sarah estava no passageiro. Para aliviar o tédio colocaram algumas músicas bem animadas, e quando vi já éramos os quatro cantando Hey, Soul Sister .Foi divertido.                                                                                 * 

Ficamos em um Hotel ótimo, em um ponto onde dava para ver a cidade toda. Era lindo.

— Seattle é incrível ! – Comentei enquanto íamos andando até um restaurante que havia ali por perto.

Depois que chegamos, arrumamos nossas coisas e quando já era quase meio dia resolvemos ir almoçar, eu já estava  faminta!

O almoço foi bem divertido, conversamos sobre os pontos turísticos daqui, sobre assuntos variados. Eles sabiam realmente como deixar as pessoas animadas.

A tarde fomos a uma loja de roupas que tinha perto do hotel, a loja não era lá uma das mais baratas.. mas Sarah cismou que queria entrar para dar uma olhada. Acabou que ela escolheu peças de roupas para todos nós, nos obrigando a provar e a comprar também.O mais engraçado foi Billy, ele não havia gostado de um terno.. mas minha tia sim, e o obrigou a provar.

— Parece um pinguim – Jacob gargalhou, esparramado no sofá perto dos provadores.

Eu prendi o riso. Sarah deu um tapa na cabeça de Jacob.

— Hey! – Se queixou.

— Seu pai está divino, vai levar essa daí mesmo! – Ela caminhou até ele e ajeitou a gravata, sorrindo orgulhosa.

Ele parecia desconfortável naquela roupa e revirou os olhos.

— O que eu não faço por essa mulher ? – Suspirou, e ela riu beijando brevemente seus lábios.

E assim foi. Ela experimentou diversos vestidos, saias e Blusas.. Jacob estava jogando um jogo idiota no celular (estava cansado de tanto esperar) meu tio apenas ria, embora ele demonstrasse que estava cansado também.  Minha tia acabou comprando quase a loja inteira, e até me fez provar um vestido que ela achou no meio da pilha de roupas que as vendedoras traziam.

— Vai lá e prove ! – Me empurrou delicadamente para dentro do vestiário e eu suspirei.

Era lindo e provavelmente muito caro. Não que eu não tivesse dinheiro para levar.. só que eu preferia coisas mais básicas e que não levassem uma fortuna do meu dinheiro. Achava desnecessário.

— Só vou provar por que ele é bonito – Avisei suspirando.

Me despi e rapidamente coloquei o vestido. Olhei para o espelho enquanto passava a mão pelas laterais do meu corpo e certificando se ele havia realmente ficado bom. Ficou lindo! Era de um vermelho vivo.. tinha a textura aveludada. As costas nuas e era de alcinha, um pouco acima dos joelhos e ficava justo no corpo. Deixando-me com uma cintura fina e com seios fartos.

Sai lá fora meio sem jeito e minha tia me olhou sorridente.

— Oh meu deus ! – Disse caminhando até mim.

Dei aquele sorriso meio sem graça enquanto lutava para não corar. Vi o olhar de Jacob percorrer lentamente dos pés a cabeça, ele estava com os olhos meio arregalados e com a boca aberta.

— Ficou lindo, - A vendedora sorriu.

Me perguntei se ela estava falando aquilo por pura educação ou se só estava fazendo com que eu comprasse mesmo.

— Ficou maravilhoso, olha só que corpo ! – Sarah sorriu – Você ficou divina querida, o que acha Jacob? Billy ?.

Billy também me olhou e sorriu docemente.

— Eu tenho a sobrinha mais linda desse mundo, ficou perfeito em você Nessie! – Ele piscou.

— Obrigada Tio Billy – Sorri sem graça.

Engoli em seco e me virei para Jacob que não parecia nada discreto enquanto me encarava. Teria que dar um tapa nele ?.

— F-f-ficou.. lindo – A maneira como ele me olhava.. era como se não tivesse mais ninguém ali conosco.. como se o mundo tivesse parado naquele instante.

Eu sorri, um sorriso incrivelmente envergonhado e ao mesmo tempo sincero enquanto assentia.  Que vontade de agarrar esse garoto aqui mesmo..

Depois disso, nós pagamos tudo e saímos da loja, Sarah estava mais que satisfeita com a compra e parecia mais feliz até. Jacob Segurou por alguns instantes na minha mão enquanto andávamos atrás deles.. ele sorriu encantadoramente pra mim e piscou. Claro, sem ninguém notar.  A tarde depois de termos passeado e visitado alguns lugares que meus tios fizeram questão que eu conhecesse, voltamos para o hotel.. cansados, mas eu estava muito feliz.

Cada um foi para seu devido quarto. Billy havia reservado um quarto para ele e Sarah, um para Jacob e outro pra mim. Preferia que Jacob e eu dividíssemos o mesmo quarto, mas ...

Ainda eram dez e meia, e embora eu estivesse um pouco cansada eu resolvi tomar um banho pra depois colocar um pijama e dormir um pouco. Amanhã visitaríamos o museu da música, estava louca para conhecer.

Me despi rapidamente e fui pra debaixo do chuveiro. Tomei um banho  bem demorado e deixei a água quente escorrer lentamente pelo meu corpo, relaxando os meus músculos. Assim que acabei, me enrolei na toalha e sai até o quarto novamente. Enquanto procurava na minha bolsa meu pijama, ouvi três batidas suaves na porta. Caminhei de toalha mesmo até lá e sorri quando vi um Jacob incrivelmente charmoso parado em frente a minha porta com um sorriso maroto.

— Boa noite – Disse sensualmente – Posso entrar ?.

Ele me olhou dos pés a cabeça e sorriu.  Dei espaço para que ele passasse e fechei a porta.

— O que faz aqui ?– Ri – Achei que estivesse no quinto sono agora.

Continuei procurando na bolsa algo pra vestir.

— Você acha mesmo que iria dormir sem ao menos ter um tempo a sós com você ? – Sorriu acariciando meu rosto, tirando totalmente a minha concentração.

Eu sorri envergonhada.

— Vai dormir aqui ? – Perguntei esperançosa.

Ele sorriu, aquele sorriso de tirar o fôlego.

— É uma ótima ideia.. mas eu estava pensando em sairmos.

— Sair ? mas.. acabamos de chegar – Arregalei os olhos.

— Sair comigo – Ele deu ênfase no ‘’Comigo’’.  –  Só nós dois. Sem restrições, sem medo de ser indiscreto por que meu pai e minha mãe estavam perto de nós.

Naquele mesmo instante senti que todo aquele sono bobo fugiu de mim. Estava animada com a possibilidade de sair com Jacob, somente eu e ele.

—Eu acho uma ótima ideia – Sorri animada – Acho que seus pais não vão mais acordar..

— Claro que não, devem estar cansados demais para vir encher nosso saco – Zombou – Podemos ir ?.

— Claro, assim que eu colocar uma roupa – Pisquei.

— Vou esperar aqui. – Se sentou na minha cama e passou a observar cada movimento.

— Vai ver eu me trocando ? – Arqueei as sobrancelhas.

Seu sorriso ficou malicioso.

— Não há nada ai que eu já não tenha visto – Deu de ombros.

— Se é assim.. – Desprendi a toalha e ela caiu aos meus pés, deixando todo o meu corpo exposto.

Ele se engasgou com a saliva e tossiu duas vezes. Dei de ombros e voltei a procurar algo pra vestir.

— Ér.. ér..  melhor você.. hm.. procurar algo quente pra vestido por..porque tá.. muito.. hm.. frio lá fora e – Ele tropeçava as suas palavras enquanto seus olhos estavam no meu corpo.

Eu ri alto.

— Sem gaguejar Jacob, até parece que nunca viu nada aqui – O olhei sugestiva.

Ele assentiu enquanto engolia em seco.

— Certo .

Coloquei uma calça jeans azul clara, uma jaqueta preta, cachecol, uma touca cinza que eu havia trazido nem sabia ao certo porquê( mas que ficou bonita em mim) e minhas inseparáveis botas. Quando estava pronto, passei apenas um pouco de perfume e um batom leve nos lábios para hidratar, já que o frio ressecava meus lábios. Quando terminei voltei para Jacob.

— Ual..- Sorriu ficando na minha frente.

Amava o fato de Jacob ser alto, sempre que o abraçava eu me sentia protegia e sempre podia ouvir o som do seu coração. Não tinha sensação melhor.

— Ele beijou a pontinha do meu nariz e sorriu pra mim.

— Não tem jeito mesmo, não é ? – Brincou – Você fica linda de qualquer jeito.

— Concordo com você – Falei divertida enquanto lhe dava um selinho rápido.

Jacob revirou os olhos.

— Convencida..

Ri o puxando pelo braço. Corremos para fora do quarto e quando pisamos o pé no corredor nos certificamos que Sarah ou Billy não estivessem vindo.. vai que dá merda. Corremos rapidamente até o elevador e esperamos até chegarmos no térreo.

Era de se esperar o frio absurdo que estava naquela noite. Embora eu estivesse toda agasalhada não deixei de sentir um pouco de frio. Paramos na calçada do hotel e eu respirei o ar puro e gelado. A  cidade estava movimentada, o fluxo de pessoas andando pelas ruas, algumas lojas abertas, carros indo e vindo..

Senti a mão quente dele entrelaçar na minha e lhe lancei um rápido olhar. Ele sorriu  torto. Nada nunca ia ser comparado a aquela sensação de paz que eu sentia toda vez que sua mão se encaixava na minha.

Andamos na direção oposta do hotel enquanto conversamos animadamente sobre Seattle. Jacob me contava tudo o que gostava nessa cidade incrível. O museu, o parque, restaurantes, o shopping ao ar livre.. entre muitas atrações que tinham por aqui.

— Acho que já está se tornando um habito nós fugirmos sempre que seus pais dormem – Brinquei.

Eu olhava fascinada para a cidade tão iluminada. Aqui não era Nova York.. mas ver o movimento, a cidade iluminada.. me fez lembrar de lá, e confesso que queria sentir saudades de lá.. mas não senti.

— Eu não vejo problema algum – Murmurou – Acho que deveríamos fazer isso sempre, dá até uma certa adrenalina.

Rimos juntos e concordei com ele. Aquilo era verdade.. por que o proibido era sempre mais excitante ? sempre dava um gás a mais..

— É uma coisa de louco – Sorri.

— Espera – Sussurrou, e parou na frente de uma senhorinha de idade que vendia flores ao lado de um restaurante.

Ele murmurou alguma coisa para a senhora e lhe entregou dinheiro. Quando se virou para mim estava com uma tulipa vermelha em mãos. Ele sorriu de lado e estendeu a mesma em minha direção.

— Tulipa ? sério ? – Perguntei e não pude evitar abrir um sorriso enorme

— Sua flor preferida – Piscou e se aproximou de novo.

— Eu amo tulipas – Sorri boba – Obrigada.

O puxei para um abraço e sorri toda boba quando seus braços quente me envolveram, me levantando do chão. Olhei por alguns segundos para a senhora que havia vendido a flor, ela sorriu enquanto assentia pra mim. Sorri de volta.

Assim que me colocou no chão ele segurou minha mão e voltamos a andar.

— Aonde pretende me levar, Jacob Black.

— Está com fome ? – Murmurou.

— Estou sim – Confirmei – Por que? Vai me levar em um restaurante ?.

— Não é qualquer restaurante Nessie, é o melhor restaurante de Seattle – Sorriu.

— Ah é ? por que ?.

— Você vai ver – Gargalhou – Vamos ?.

Dei risada.

— Fica muito longe ?.

— Quer que eu te leve nas costas ? – Revirou os olhos divertido.

— Não seria má ideia – rebati.

— Sobe ai – Brincou.

Dei de ombros e subi em suas costas, passando minhas pernas ao redor da sua cintura e minhas mãos ficaram em seu pescoço.

— Sério ? – Perguntou.

— Você que propôs – Gargalhei – Agora pode ir logo.

Ele deu de ombros e começou a caminhar comigo. Em meio a risadas e em um monte de pessoas estarem olhando para nós, Jacob acabou correndo comigo em suas costas. Dei tanta risada que havia esquecido totalmente a noção do tempo, e do nosso quase tombo quando Jake pisou em falso na guia da calçada. Quase enfiamos a cara em uma poça de água.

Quando finalmente paramos em frente a uma espécie de .. torre do futuro ou algo assim. O LUGAR era incrivelmente alto! E ficava perto do cais da praia. 

— Oh.. – Falei forçando a vista para que pudesse enxergar o fim da torre – Jake isso aqui é um Maximo !!!

Ele sorriu me puxando para a entrada, onde apertou o botão para o elevador.

— Esse aqui é o  SkyCity  é um restaurante de frutos do mar bem bacana aqui de Seattle, o melhor pra falar a verdade – Sorriu – Aposto que vai gostar.

— Eu já gostei !- Falei animada enquanto entravamos no elevador que nos levaria até o restaurante .

— É um restaurante giratório – Completou entusiasmado – A vista é incrível, você vai ver!.

Abri a boca surpresa, querendo que chegássemos logo ao restaurante. Em questão de segundos chegamos, e como era de esperar aquela vista me tirou o fôlego.  Jacob ficou conversando com o atendente para que nos levasse a nossa mesa.

Havia muitas pessoas ali, o ambiente era aconchegante, com varias mesas espalhadas e em cada uma velas aromatizantes, deixando o lugar com aquela iluminação bonita e que deixava tudo bem sofisticado.

— Aqui está senhor Black, - O homem nos guiou até uma mesa que ficava de frente para a vista da cidade inteira – O cardápio..

Ele nos entregou o cardápio assim que sentamos. Jacob escolheu um salmão acompanhado de vinho tinto e eu fiz o mesmo pedido. O homem se retirou e garantiu que logo logo o pedido estava pronto.

— Que tal ? – murmurou olhando para fora.

Fiquei alguns segundos ainda olhando para a vista. Era incrível, dava para ver toda a cidade daqui.. e como a cidade era incrível! Toda iluminada sem contar a vista para o mar daqui..

— Jake é incrível! Eu amei! – Falei animada, - A vista é linda e compensa qualquer coisa!.

— Que bom que gostou – Murmurou fazendo um carinho em minha mão – Fiz reserva aqui ontem..

— Obrigada – Voltei a atenção a ele e também fiz um carinho em sua mão.

Enquanto nosso pedido não chegava ficamos conversando sobre o restaurante, a cidade e todas as suas maravilhas. Jacob me contara que O restaurante fica cerca de 152 metros do nível do chão ( Poe alto nisso) Ele gira 360 graus em uma hora, numa rotação bem sútil, quase imperceptível, mas suficiente para te proporcionar uma experiência única. Era com certeza o melhor restaurante que eu já havia ido!

Quando os pedidos chegaram comemos em meio a risadas e bebemos nosso vinho apreciando aquela vista incrível. Quando terminamos ficamos mais alguns minutos ali, deitei a cabeça em seu ombro e ficamos em silêncio por alguns instantes enquanto descansávamos.

Assim que Jake pagou a nossa conta saímos de lá. Andamos de mãos dadas pela calçada enquanto eu ria de uma piada besta que Jacob havia contado.. Dei um beijo em sua bochecha quando ele se gabava de suas piadas serem as melhores.

— Olha! Uma cabine de fotos ! – Sorri o puxando pelo braço.

— O que? – Riu ?

— Vem.. vamos ! – Corremos até lá e entramos.

Fechamos a cortina e sentamos no banquinho. Ele sorriu charmosamente e olhou para frente, seus braços passaram ao redor do meu ombro e olhei para ele com ternura, sem perceber que havia batido uma foto. Olhamos os dois juntos e fizemos umas caretas estranhas quando bateram as fotos.

Tiramos fotos rindo, se abraçando, dando um beijo, fazendo caretas .. quando terminamos pegamos as fotos e saímos de lá rindo.

— AI MERDA – Grunhi.

— Olha que chuva ! – Reclamou .

Estava caindo o maior temporal, e pensa no frio! Estávamos a três quadras do hotel, como iríamos nessa chuva ?

— Vamos correr ! – Ele segurou na minha mão e começamos a correr pelas rua no maior temporal.

Trombamos em um cara que nos xingou por ter o derrubado em uma poça de água.

— Opa! Desculpa ! – Gritei enquanto olhava para trás. Jacob insistia em correr comigo.

A risada de Jacob estrondosa ecoava pela rua.

— Coitado do cara – Riu ainda mais.

— Pare de rir Jacob – Dei um tapa em seu braço e acabei não contendo a risada também – Ok.. definitivamente não vamos para o céu.

Tropecei sem querer e quase cai se não fosse por Jacob ter me segurado antes.

— Droga.. – falei rindo, - To ensopada.

Eu batia os dentes, estava um frio do caralho e ainda por cima eu estava ensopada. Amanha com certeza acordaria horrível.

— Eu também – Disse ofegante enquanto batia os dentes. Seus cabelos molhados caídos um pouco na sua testa, seus lábios um pouco roxos, mas o brilho continuava ali.

Quando ele me colocou em pé de novo, eu acariciei seu rosto ainda ofegante e beijei seus lábios frios. Sua língua quase no mesmo instante contornou meus lábios e pediu passagem, da qual eu cedi rapidamente. Minhas mãos estavam em seu rosto o trazendo para mim, seus braços ao redor da minha cintura me apertando contra ele. Podia sentir a maciez do seus lábios esmagarem nos meus e eu lutava contra o ar.. seu beijo era quente, e me arrepiou dos pés a cabeça.

Eu sorri quando partimos o beijo e continuamos com a testa colada.

— T-tá frio – Sussurrei – Vamos voltar? .

— Acho melhor mesmo – Riu capturando meus lábios em outro beijo apaixonado.

Corremos de volta para o hotel em meio a chuva torrencial. Meu corpo estava dolorido, e eu sentia que iria congelar a qualquer momento. Quando chegamos ao elevador, ficamos colados um no outro enquanto batíamos os dentes.

— Nunca mais saio sem guarda chuva – Murmurei, meu corpo tremia levemente.

Jacob me abraçava por trás.. mas ele estava com tanto frio como eu.

— Queria poder te aquecer .. mas estou com tanto frio como você – Ouvia sua respiração ofegante e seus dentes baterem.

Quando chegamos ao nosso andar, eu o  empurrei até meu quarto e fechei a porta atrás de nós. Ele sentou na minha cama ainda se tremendo e eu rapidamente comecei a tirar a minha touca, minhas botas e meu cachecol.

— Tira essas roupas, - Ordenei olhando para ele – Você vai ficar resfriado! .

Joguei a minha jaqueta no chão mesmo e fiquei apenas de Jeans e regata. Jacob estava apenas com sua calça e sua polo branca.

— Precisamos de um banho quente se não.. – Antes que eu terminasse a frase ele havia me calado com um beijo.

Correspondi de imediato e levei minhas mãos na sua nuca, puxando ele para mais perto de mim. Embora meu corpo doesse por causa do frio não consegui deixar de sentir arrepiada com seu toque frio sobre a minha pele. Ele mordeu meu lábio inferior e tudo o que pude fazer foi ajuda-lo a tirar a minha regata me deixando apenas com meu sutiã de renda preta. O empurrei até o banheiro e fechei a por atrás de nós.

Nos atacávamos igual dois loucos enquanto entravamos no boxe do banheiro e eu sorri ao sugar seu lábio inferior. Estava me sentindo excitada demais para poder parar agora.. e eu não estava mais nem ligando se pegasse um puta de um resfriado amanhã.

Em um gesto rápido e desesperado ajudei a tirar a sua camisa branca e molhada, jogando no chão do banheiro. Ele foi trilhando beijos por toda a extensão do meu pescoço até chegar ao meus ombros onde deu uma mordida de leve. Me livrei rapidamente da minha calça jeans, ficando dessa vez de Lingerie em sua frente.

— Jacob.. – Sussurrei o puxando para mim colando nossas bocas. Ele me prensou contra a parede fria do boxe,  eu me arrepiei quando suas mãos passearam pela lateral do meu corpo. Senti um arrepio até na alma.

— Te amo. . – Sussurrou entre os beijos e como loucos tiramos a sua calça jeans, deixando apenas de boxe azul escura.

Acabei ligando o chuveiro sem querer, mas deixei assim mesmo. A água quente caía enquanto nos atacávamos que nem loucos debaixo do chuveiro. O beijo quente, misturado com aquela água quente.. aquecendo nossos corpos.. tudo proporcionava uma sensação única. Quando senti seus dedos entrarem por dentro da minha calçinha gemi antecipadamente.

Sua mão fria tocou a minha intimidade e eu gemi contra a sua boca. Ele fazia apenas caricias.. mas por Deus, como aquilo era bom! Sua língua brincava junto a minha enquanto lutávamos por espaço.. levei minhas mãos até o feixo do meu sutiã e me libertei dele. Segurei o rosto de Jacob e me colei a ele enquanto gemia. Seus dedos contornando o meu clitóris e me deixando cada vez mais excitada. Meus seios estavam prensados contra o seu peito nu e eu me agarrava a ele como se minha vida dependesse daquilo.

Quando seus movimentos ficaram intensos e meus gemidos ainda mais, ele me penetrou lentamente com um dedo e eu arquejei interrompendo nosso beijo.

— Oh.. – gemi sem fôlego.

Ele mudou de lado e me prensou contra o vidro do boxe que a uma altura dessas estava embaçado. Eu lutava para me manter de pé enquanto gemia descontroladamente no pé do seu ouvido.

— Nessie..

— Oh.. Jacob.. c-continua. – Consegui dizer em meio aos gemidos.

Uma perna estava na altura do seu quadril e dei graças a Deus que ele estivesse me segurando agora, pois do contrário iria para o chão. Seus lábios mordiam sensualmente o meu pescoço e eu arfava, já sentindo dois dedos dentro de mim. Seus ritmos eram lentos e aquilo estava me deixando angustiada.

— E-eu.. vou.. – Antes que eu terminasse de dizer ele havia tirado seus dedos de dentro de mim.

Eu estava prestes a ter um orgasmo e ele interrompeu! O olhei ofegante e confusa e ele sorriu maroto atacando minha boca. Esqueci daquilo no segundo em que ele se esfregou em mim, seu membro volumoso e duro sobre o pano fino da cueca. Eu buscava apoio enquanto sentia meu corpo inteiro ficar quente. Não tinha como eu fugir.. estava prensada no vidro do Box e Jacob estava tão colado a mim, esfregando seu membro em minha intimidade enquanto beijava meus lábios ferozmente, eu estava louca.. não aguentava mais aquele joguinho.

Mordi seu lábio inferior sensualmente e levei minha mão até a barra de sua cueca Box a puxando para baixo rapidamente,ele terminou de tirar e ela ficou por ali no chão mesmo.  Guiou seu membro até a minha entrada e fez um joguinho comigo, a colocando na minha entrada e esfregando sensualmente.

— Jacob.. n-não brinca agora.. – Tentei dizer. Minha respiração acelerada, minha intimidade já latejava de desejo .. precisava dele agora.

— Não to brincando... – Sussurrou sensualmente no meu ouvido e mordeu o lóbulo da minha orelha.

Segurei firmemente seu membro e ouvi ele grunhir.. Guiei novamente até a minha entrada e beijei seus lábios.

— Quero você..agora – Segurei seus cabelos rudemente e prendi seu lábio inferior Nos meus dentes enquanto puxava lentamente, vi ele gemer roucamente.

— Você vai ter.. – Gemeu quando novamente o esfreguei em minha intimidade – AGORA! .

Ele me penetrou sem dó, e em soltei um grito de dor e prazer ao mesmo tempo. Coloquei minhas mãos uma em cada lado da parede tentando me manter em pé enquanto as suas estocadas eram rápidas e fortes.

—Jacob.. oh.. – Gemi descontroladamente em seu ouvido.

Jake levou uma perna minha até a sua cintura novamente e em nenhum segundo parava suas investidas.

— jake.. Oh deus ..

Sua boca sugava meu seio esquerdo enquanto tudo o que eu fazia era tentar não desabar ali mesmo. Ele me penetrava cada vez mais rápido, fazendo com que eu batesse levemente no vidro do Box.

— M-mais rápido – Arfei e cravei minhas unhas em suas costas, o arranhando.

Não sabia se estava gemendo por suas estocadas estarem cada vez mais rápidas e fundas ou por sentir que estava sugando meus seios de uma maneira que estava me fazendo ver estrelas.. talvez fosse tudo.

Quando voltou a dar atenção a minha boca ele gemia junto comigo, em meio aos beijos gemíamos roucamente.Uma de suas mãos estavam firmes em minha cintura ajudando com o movimento de vai e vem e a outra estava segurando a minha perna em sua cintura.

Estava com o coração a mil e a respiração irregular, minhas pernas começaram a tremer, e podia sentir que o orgasmo viria a qualquer momento.

— Tão apertada.. – Gemeu.

Eu estava tentando me manter agarrada a ele, mas era impossível. Joguei minha cabeça para trás, me permitindo deliciar daquele momento..

— Não vou aguentar.. – Sussurrei ..

Em pouco tempo senti amolecer em seus braços, o orgasmo veio forte e me deixando ali sem nenhuma ação, incapacitada até de me manter em pé sozinha. Jacob gozou depois de duas ou três estocadas e depois amoleceu em meus braços. Estávamos ofegantes, com  coração batendo rápido.

— Isso.. foi.. – Tentei buscar palavras para aquele momento, mas nenhuma se encaixava tão bem no que eu estava sentindo..

— Incrível – Disse ofegante e beijou minha boca. A água ainda caindo sobre nossos corpos, com a diferença é que agora não estávamos mais com tanto frio.

Ficamos ali por alguns instantes ainda nos recuperando até que rimos um para o outro e acabamos tomando um banho. Ele me ajudou, me ensaboando e ajudando a lavar meu cabelo. Depois de alguns minutos fui lembrar que nem havíamos usado camisinha, mas relaxei quando lembrei também que estava tomando meus anticoncepcionais em dia.

Depois de termos tomado um banho, coloquei meu pijama e ele colocou um moletom surrado. Deitei em minha cama e logo em seguida ele me cobriu com coberta, ficou parado ao meu lado e fez um carinho em meu cabelo.

— Não vai ficar ? – Sussurrei quando ele apagou a luz do quarto.

— Tenho que ir pro quarto.. se minha mãe entra aqui amanhã e me ver ..

Ele virou as costas, embora eu pudesse ver em seus olhos como ele estava relutando para não ter que ir.

— Fica – Sussurrei segurando em sua mão e olhei dentro dos seus olhos.

— Nessie... – Ele suspirou.

— Eu acho que vale a pena arriscar – Murmurei sorrindo torto.

Ele se colocou se joelhos ao meu lado e tocou o meu rosto, minha bochecha..

— O que é que eu não faço por você ? – Revirou os olhos divertido. – Tudo bem.. eu vou ficar.

Dei um sorriso torto.

— Obrigada .. –  Jacob beijou minha testa no mesmo momento em que fechei os olhos.

Com um pulo ele estava em cima da cama, se colocou debaixo das cobertas comigo, e me abraçou por trás. Ele estava tão quente ..e aquela sensação de sentir ele pertinho de mim, abraçado.. era maravilhoso.

— Durma bem meu amor – Ele beijou o topo da minha cabeça.

Eu me aconcheguei mais a ele e fechei os olhos. Sua mão estava sobre a minha e naquele momento o que eu mais poderia querer?

Antes de cair na inconsciência ainda pude ouvir sua voz rouca sussurrar no meu ouvido

Eu amo você ..



Notas finais do capítulo

Passei aqui rapidinho pra só pra postar esse capitulo.. não tive tempo de revisar então qualquer erro me desculpem !
Espero que gostem do capitulo!
Um beijo meninas volto quinta feira!