Because Of You escrita por Rayssa


Capítulo 24
Apuros


Notas iniciais do capítulo

Oi galerinha ♥
haha estamos iniciando a semana que vem festa por aí, passou tão rápido o ano né ? já estamos quase em natal ! Desejo a todas que essa semana seja carregada de coisas boas ♥
Espero que gostem do capitulo e leiam as notas finais.
Boa leitura !



P.o.v Nessie

Uma semana havia se passado desde que eu começara a namorar Nahuel. Quantas coisas podiam mudar em uma semana ? pra mim, muitas coisas. Nahuel havia deixado de ser o meu ficante para aquele namorado que sempre queria estar presente em tudo. Ele era .. bem pegajoso, carinhoso também. Sempre queria estar perto de mim, na hora do intervalo estava sempre ali, junto a mim, conversando, me animando e me beijando. Aquilo era bom ? não sei .. talvez se eu estivesse muito apaixonada , seria bom. Mas esse não era o caso.

Jacob se afastou completamente de mim, nem olhava na minha cara ! Não me lembro de nenhum momento, nessa semana inteira, Jacob ter olhado pra mim. Eu sempre o olhava de canto, e ele não retribuía o olhar, talvez me olhasse apenas quando eu estava distraída? Bom, essa era a impressão que eu tinha. Mas era inevitável não nos toparmos pelos corredores do colégio ou em casa, mas quando isso acontecia ele passava por mim como se não me visse.

Aquilo já estava me desgastando, e enfim.. depois de mais alguns dias eu acabei desistindo. Por que eu estava o tempo todo buscando eles nos meus pensamentos ? era pra esquecer, não era ? . Mas é que as vezes ele vinha instantaneamente no meu pensamento, quando eu sentia algum cheiro.. ou quando eu ouvia uma risada engraçada, e eu não conseguia controlar aquilo. Mas agora eu estava decidida de uma vez por todas acabar com essa mania irritante de pensar nele. Pronto, ele havia seguido seu caminho e eu o meu, era tão difícil assim convencer a droga do meu coração ? .

Com esses pensamentos me perturbando, eu levantei da cama. Olhei o relógio e já marcava meia noite e quinze.

Desci as escadas com cuidado, e não fazendo barulho, não queria acordar ninguém. Fui até a cozinha e bebi um copo de água. Logo em seguida caminhei até a parte de trás da casa. Era uma área onde ficava a grande piscina e também era onde ficava o gramado com algumas arvores, lá era tranquilo .

Meus pés descalços entrando em contato com aquela grama macia, fazia até com que eu me sentisse melhor. Deitei ali mesmo no gramado e vasculhei o bolso dos meus shorts. Retirei de lá meu maço de cigarro e peguei apenas um cigarro, acendendo-o logo em seguida. Traguei o mesmo só para depois soltar a fumaça lentamente.

Encarei o céu maravilhada. O céu estava incrível ! não havia uma nuvem sequer aquela noite. A lua brilhava intensamente enquanto as estrelas povoavam o céu, era uma noite estrelada . Soprava um vento gelado, mas eu nem me importava, aquela noite estava linda! . Parecia que aquilo contribuía para me deixar calma, afinal olhar para as estrelas sempre me tranquilizava, era uma paz anormal.. sei lá.A nicotina também me deixava mais relaxada, acalmava a minha ansiedade. Mas eu sabia me controlar, não fumava todo dia ou constantemente, afinal.. eu sabia os riscos que aquilo iria me trazer. Fumava as vezes, bem poucas vezes, só quando estava muito chateada ou muito ansiosa e não passava de um cigarro.

Traguei novamente o cigarro e meus olhos por pura causalidade pousaram na janela do andar de cima. Jacob estava lá, sim, ele estava lá . Não era uma miragem ou algo parecido, ele estava lá na janela olhando intensamente aqui para baixo.. para mim ? provavelmente. Eu não respirei por alguns segundos , continuei olhando fixamente para ele que agora percebeu que foi notado. Ele se afastou rapidamente da janela e sumiu da minha vista. Só então eu respirei e acabei inalando aquela fumaça para dentro, tossi algumas vezes.

– Filho do mãe – Guinchei enquanto tossia mais um pouco.

Assim que recuperei o fôlego, levantei dali meio emburrada e voltei marchando para casa. Fui até a cozinha e bebi mais um pouco de água. Por fim acabei subindo e antes de entrar no meu quarto fiquei alguns segundos parada enquanto olhava fixamente para a porta do seu quarto. Estava em silêncio, talvez ele foi deitar. Chacoalhei a cabeça e espantei qualquer pensamento ligado a aquele garoto, chega de pensar nele.

Voltei para meu quarto e deitei, e permitindo dormir mais relaxada.

*

– Bom dia – Murmurei dando um selinho no meu namorado .

– Bom dia – Ele abriu um sorriso largo.

Passei o cinto de segurança e ele deu partida no carro. Como todos os dias, Nahuel vinha me buscar e me deixar em casa.Era bom até, pois assim não vinha com Jacob e dividir o mesmo carro que aquele garoto.. não era uma boa ideia. Ou melhor, era uma péssima ideia.

– Está bonita hoje – murmurou sorrindo.

– Obrigada por dizer que nos outros dias eu estava feia – Fingi estar brava, mas acabei rolando os olhos.

Ele riu.

– Sabe que não foi isso que eu quis dizer, não é ? .

Acabei rindo também.

–Eu sei. Eu gosto de implicar – Dei de ombros.

– Eu percebi . – Nahuel era sempre tão brincalhão, gostava do seu senso de humor, bom.. era uma das coisas que eu mais gostava nele – Estava pensando em te chamar pra pegar umas ondas nesse fim de semana .

– Surfar ? - arregalei meus olhos – Eu sou péssima surfando ! aliás nunca fiquei mais de cinco segundos em cima de uma, ! .

– nossa, você é ruim mesmo. – Riu - Relaxa Nessie, eu te ensino . E bom.. se não quiser, eu entendo.

Como explicar a ele que eu mal sabia nadar ? pois eu sempre fugi das aulas de natação que mamãe me colocou, e é por isso que sou essa vergonha humana hoje. Uma garota de 17 anos que mal sabe nadar . Legal Renesmee, muito legal.

– Claro .. eu.. ér.. aprendo sim.

Ele me olhou com os olhos brilhando.

– ótimo! Você vai ver como será divertido .

– Uhum – Afundei no banco.

Já odiava surf antes mesmo de poder ter a chance de aprender a surfar de verdade.

As aulas como sempre passaram se arrastando, um tédio total, era assim todos os dias. E para piorar ainda era quarta feira ! . A única coisa legal que havia feito essa semana foi ter ido fazer compras. Recebi o dinheiro que meus pais me mandaram e aproveitei para ir comprar algumas roupas novas que estava precisando. Guardei o restante de volta, usaria quando precisasse.

No intervalo, aproveitei para ficar com Claire e Rose e conversamos bastante. Nahuel resolveu me dar um tempo e ficou com algum dos seus amigos. Achei isso ótimo, afinal.. como poderia fofocar com as meninas se ele estava o tempo todo comigo ? . Enfim.. nós conversamos bastante e Rose, havia se tornado uma grande amiga minha, pode-se dizer que ela e Claire já eram minhas melhores amigas .

Quer saber ? eu nem estava sentindo falta dos meus amigos de Nova York. Eles nunca me ligaram depois que havia me mudado para cá, isso só provava que nunca foram meus amigos. Só gostavam de mim, pois como eu era popular, sempre estavam comigo, nas festas, nos fins de semana. Depois que isso havia acabado, qual deles resolveu me ligar e perguntar se eu estava bem ? nenhum.

Recebi um E-mail da Diana. Se você acha que já conheceu alguém falso, então você nunca conheceu Diana. Ela era simplesmente a garota mais falsa, fingida e cretina que eu tive o desprazer de conhecer em toda a minha vida. Na escola, me bajulava o tempo inteiro, mas por trás eu sabia que ela falava mal até das minhas unhas. Ela me mandou o E-mail dizendo o Ryle ( sim, é aquele meu ex ficante ) estava ficando com outra garota. Olha só como essa garota era, me mandar um E-mail dizendo apenas que Ryle estava com outra, nem perguntou se eu estava bem ou se eu estava gostando daqui.

Nem fiz questão de responde-la, eu sabia que ela estava fazendo aquilo para me atingir, mas eu realmente não me importei.. aliás, eu fiquei até feliz por ele ter encontrado outra. Não sentia nenhum pingo de vontade de vê-lo novamente.

Enfim.. depois do intervalo ter acabado. Nahuel me dissera que teria que ir embora mais cedo pois os fornecedores de sua loja iriam fazer algumas entregas, e ele teria que estar lá para assinar os papeis. Ele se despediu de mim e disse que se desse tempo viria me buscar.

Depois disso, tive apenas mais uma aula de física e depois eu estava liberada para ir pra casa. Mas eu iria com quem ? Não iria esperar nem ferrando mais três aulas.. até bater o sinal para todos irem embora. Claire ficaria até o horário normal aqui, e espera-la não era uma opção que eu estava afim.

Com um suspiro pesado me lembrei que Jacob também estava saindo nesse momento, e bom.. não custava nada ele me dar uma carona não é ? .

Peguei meu celular e digitei uma mensagem rápida para ele, caso ele já esteja indo embora.. ele vai me esperar. Eu acho.

‘’Hey, pode me dar uma carona ? estou saindo agora, e não vou esperar até bater o sinal para ir embora com Claire. Se estiver saindo, me espere ai no estacionamento. ‘’

Esperei uns dois minutos e nada de resposta. Revirei os olhos e caminhei rapidamente até o estacionamento, estava vazio, já que todos estavam em aula. Ao fundo, vi o carro dele , estacionado na rua, enquanto ele estava de costas para mim.

Marchei até a rua, um pouco irritada, afinal.. ele estava indo embora sem mim ? .

– HEY ! – gritei para ele, ele continuava lá parado.

Seus músculos estavam tensos, foi só enquanto eu estava me aproximando que eu percebi que havia mais duas figuras junto com ele.

– HEY, ! você é surdo garoto ? – Me aproximei novamente e o cutuquei para que se virasse para mim .

– Fale para James que eu não tenho nada a resolver com ele, e muito menos correr para ele . – A voz de Jacob era praticamente um rosnado.

Nunca tinha visto sua voz mais irritada que hoje, senti até um certo receio, mas não deixei aquilo me abalar.

– JACOB EU TO FALANDO COM..

Meus olhos só então focaram nas duas pessoas que estavam de frente para ele . Eram dois homens, fortes e altos. Um era loiro e tinha o rosto com uma enorme cicatriz, ele parecia estar de mau humor. O outro tinha uma pele tão branca quanto papel, seus cabelos pretos e seus olhos verdes davam contraste a sua pele, não sei por que.. mas os dois me davam calafrios. Pareciam ser .. maus.

Havia mais um carro ali, preto com os vidros fumê. Não reconheci o modelo, mas parecia luxuoso. Estava atravessado no meio da rua.

– Ora.. ora.. vejamos o que temos aqui. – O de cabelos pretos disse com um sorriso maldoso nos lábios. Ele me encarou de cima a baixo e lambeu os lábios .

Que tarado ! .

Jacob só então parece ter se dado conta da minha presença, ele se virou para trás me encarando mortalmente, mas no fundo havia preocupação nos seus olhos.

– O que você está fazendo aqui Renesmee ? .

– Você não recebeu a minha mensagem garoto ? vamos logo que eu quero ir pra casa.

Pensei em ir até o carro de Jacob, mas algo no olhar dos dois fez com que eu congelasse ali mesmo.

– Acho que o assunto esta encerrado aqui, não tenho nada pra falar com James - A voz de Jacob me deu medo.

Na verdade o jeito como ele estava agora me deu medo . Parecia sombrio. Nunca havia visto ele daquela maneira.

– Qual é Black, não queremos usar a força. É só um papo amigável garoto – O Loiro riu.

Jacob suspirou pesadamente, e eu o encarei sem entender nada .

– Todo bem, vamos pôr um ponto final nessa conversa logo – Ele revirou os olhos .

– Bom garoto – O Loiro novamente sorriu – Então vamos.

– Renesmee volte pro colégio, não vou demorar, depois eu pego você .

– O que ? – Perguntei sem entender nada.

– Nada disso, a garota vem conosco – O de cabelos pretos me encarou intensamente.

Me encolhi.

– Não ! – Jacob disse rangendo os dentes. – Ela fica.

– Ela vem conosco ! – Os dois disseram juntos – Ela já sabe mais do que deveria, e se ela nos denunciar ?

Olhei em pânico para Jacob e ele abaixou a cabeça. Mas ao contrário do que eu esperei, Jacob encarei mortalmente os dois, e desferiu um soco no rosto de ambos.

Eu abafei o grito, e só ouvi Jacob gritar ‘’ corra para o carro ‘’ . Eu fiz imediatamente o que ele mandou e corri para o carro o mais rápido que pude. Ele veio logo atrás de mim, abriu a porta rapidamente e deu partida no carro em uma tentativa desesperada.

– SEU FILHO DA PUTA ! – O loiro gritou . – PRO CARRO JORRAN ! .

Os dois correram para o carro atravessado na rua, e Jacob acelerou o carro, arrancando pneus.

Enquanto Jacob dirigia a toda velocidade pelas estradas vazias de Forks, olhei para o retrovisor e vi que os dois caras estavam bem atrás de nós. Entrei em pânico.

– COLOQUE O CINTO ! – Jacob gritou para mim.

Rapidamente fiz o que mandou, e eu engoli em seco.

– Jacob o que está acontecendo ? – Falei desesperada .

Ele não respondeu, continuava concentrado na estrada. Ele passou por um sinal vermelho e quase nos chocamos contra um caminhão, se ele não tivesse desviado rapidamente e feito o carro girar na pista.

– JACOB ! QUEM SÃO ESSES CARAS ? POR QUE ELES ESTÃO ATRÁS DE VOCÊ ?? – Olhei para ele de olhos arregalados.

– FIQUE QUIETA ! – Gritou enquanto acelerava – Droga, eles ainda estão na nossa cola.

Olhei para trás e eles estavam mesmo.

– QUEM É JAMES ? QUEM SÃO ESSES CARAS ! – gritei novamente.

– Droga.. dá pra se acalmar por favor ? está me deixando nervoso – Guinchou.

Percebi que já estávamos na estrada que levaria para a praia de La Push. O medo tomou conta de mim, não sei se era pela velocidade com que Jacob ia, se é pelo seu nervosismo que o deixava a beira de um ataque de nervos ou pelos caras que nos seguiam. O que eles queriam afinal ?.

– ME ACALMAR O ESCAMBAL ! – Gritei – Você me meteu nessa Jacob, que porra que tá acontecendo aqui ? por que estamos fugindo desses caras ? quem é James ? .

Podia ver um suor escorrer da testa de Jacob, eu realmente estava deixando ele enfurecido, mas naquele momento eu nem me importei. O Pânico que eu estava sentindo por aqueles caras nos pegarem, era maior do que aquela voz chata dentro da minha cabeça gritando para não atormentar Jacob.

– Eu disputava corridas de rachas a uns dois anos atrás. – Começou, e eu tive que me segurar quando ele fez um desvio perigoso de um carro – James e Caius era quem comandavam tudo, pagavam a grana e escolhiam os locais. Eles dois trabalhavam em lados diferentes, eles pegavam os melhores caras pra disputar um racha e faziam apostas milionárias entre si , entende ? .Eu trabalhava para Caius, mas depois que ele simplesmente faliu, eu sai dessas coisas. Eu cai fora.

– O QUE ? RACHA ? – Falei boquiaberto – Você é um retardado Jacob! O que diabos Esse tal de James quer contigo ? .

– e-eu não sei – Murmurou – Eu era considerado um dos melhores, por isso Caiu sempre me via como o preferido. James com certeza quer que eu disputa rachas pra ele . Sei lá !

Com essa o encarei embasbacada,

– QUE PORRA QUE EU TENHO A VER COM ISSO ? .Eu vou pular desse carro agora – Fiz menção de abrir a porta, mas ela estava travada.

– Por que diabos você foi aparecer bem naquela hora ? .

Olhei pelo retrovisor e eles estavam um pouco distantes, mas ainda podia vê-los.

– JACOB ! – gritei, - ESTAMOS FODIDOS .

– O que ? por que estamos... MERDA ! – gritou e deu uma freada brusca no carro.

Com o impacto da freada o cinto travou. Sorte que eu estava protegida, se não tinha enfiado a cara no vidro.

– Rua sem saída, ! ah Meu deus.. eles vão nos matar, ! se eu morrer é culpa sua ! – Apontei um dedo na sua cara.

– Vem, sai do carro ! – Ele tirou o cinto e saiu do carro apressado.

Fiz o mesmo que ele e por um momento ele olhou em volta, buscando uma escapatória ou algo parecido.

– A floresta ! – Gritou .

– O que ? – rebati sem entender.

Sem paciência para me explicar nada ele segurou minha mão e começou a correr comigo em direção a floresta. Nós corremos, nós corremos muito, e eu sabia que aqueles dois malucos estavam atrás de nós. Pois ouvimos o barulho do freio do carro e depois o som dos passos deles nos galhos secos .

– Merda – Guinchei quando sem querer tropecei e acabei caindo, sujando toda a minha calça.

– Levanta ! – Ele me puxou e saiu me arrastando.

– Vai mais devagar Jacob ! – Tentei dizer sem fôlego. –

– Claro, claro ! – Retrucou irritado – Se você não percebeu, aqueles caras estão armados !

Engoli em seco e congelei ali mesmo onde estava. Nunca tinha visto uma arma pessoalmente, mas só de vê-las em filmes, novelas.. aquilo já me deixava desconfortável, imagina pessoalmente e apontada para mim ? .

– CORRE! – gritei sem pensar e agora era eu que estava puxando Jacob.

Nós continuamos correndo, sem rumo por aquela floresta vazia.As arvores, os galhos, as plantas, tudo passavam como borrão para nós.

– SEUS DESGRAÇADOS ! - Ouvimos a voz de um deles gritar .

E logo em seguida um tiro para o alto.

– Continue correndo, não olhe pra trás! – Jacob parou por alguns instantes e apertou minha mão, me olhando intensamente – Continua correndo, está bem ? .

Eu estava ofegando, com as minhas bochechas provavelmente coradas. Assenti para ele enquanto tentava acalmar a minha respiração juntamente com as batidas do meu coração.

– Tá.. tá.. – Falei e voltamos a correr.

Quando eu pensava que não aguentava mais correr Jacob me puxava, me incentivando a correr, fazendo com que eu sentisse o calor das suas mãos nas minhas. Fiquei me perguntando como é que ele ainda não havia me deixado para trás, eu era lerda em comparação a ele. Eu me cansava mais rapidamente do que ele, e caía mais vezes que ele também.

Mas ele não desistiu e continuou me puxando floresta a dentro, as vezes tropeçávamos juntos, mas levantamos correndo. Não estava aguentando mais, precisava parar para respirar, para pegar fôlego, mas a ideia de que se eu parasse eles poderiam nos pegar, aquilo me deixava em pânico.

Já podia sentir uma brisa leve no meu rosto e aquilo me ajudou um pouco. A trilha agora parecia mais larga, e podia ouvir o barulho do mar.. bem ao longe mais podia, aquilo estava me reconfortando e me dando forças para continuar.

Acelerei meus passos e Jacob me acompanhou, mas paramos bruscamente quando nos deparamos com o que estava a nossa frente.

– o.. penhasco – Falei desesperada.

Se eu não tivesse tão desesperada, eu poderia fechar os olhos e me lembrar que algum tempo atrás Jacob e eu havíamos nos beijado perto daqui, mas agora era uma lembrança distante.. era algo que tinha que ser esquecido.

– Droga, - Ele disse se soltando da minha mão e olhou lá pra baixo.

– Jacob, o que vamos fazer ? – Falei desesperada, não sabia como não tinha desmaiado. – JACOB ? .

Ele parou por alguns segundos e caminhou até mim ofegante, entrelaçou minha mão na sua e eu olhei para aquele contato físico entre nós. Parecia que agora havia muito mais do que um medo de fugir, parecia que agora éramos bem mais do que estranhos conhecidos. Muito mais.

– Nós vamos pular – Disse firme.

Eu dei um passo para trás mais ele continuou segurando minha mão firmemente, com um intuito de dizer ‘’ eu estou aqui. ‘’ .

– Não – Falei agoniada.

O penhasco era enorme, certamente eu iria morrer com a queda. É.. exagerei um pouco.

– Sim. – Ele agora se aproximou de mim . – Nós vamos pular.

– Jake.. não – Podia sentir que um bolo se formou na minha garganta.

Eu não ia pular, ! era alto demais, era muita água lá em baixo.. e .. eu não sabia nadar ! .

– Você confia em mim ? – Seus olhos escuros agora pareciam mais escuros ainda, mais intensos do que jamais foram.

Apertei sua mão. Sentia meu coração bater descompensado, e mesmo ali quase a beira da morte eu ainda sim consegui ficar hipnotizada pelos seus olhos.

– Eu confio – Sussurrei de volta. Meus olhos nos seus.

Mal tive tempo de tomar fôlego e um segundo depois havíamos pulado. A queda não demorou muito e continuávamos de mãos dadas, mas assim que caímos na água nos separamos. Eu não via nada, eu não enxergava nada,talvez pelo mar estar agitado hoje e as ondas pareciam terrivelmente gigantes.

Eu voltei a superfície buscando fôlego enquanto me debatia desesperada na água. Uma onda enorme me atingiu me levando pra baixo de novo. A água estava fria, estava muito fria. Podia sentir cada músculo do meu corpo doer por causa da água congelante. Estava tudo escuro, e eu tentei voltar a superfície, lutava contra a correnteza de querer me levar pra mais fundo. Me debati e voltei a superfície mais uma vez, olhei em volta e não vi nada, entrei em desespero.

– JACOB ? – gritei, e outra onda me acertou em cheio.

A água invadiu meu nariz e eu senti tudo queimar. Estava começando a ficar cansada de lutar, meus braços e pernas estavam doendo, minha garganta queimando . Meus pulmões implorando por ar. Tentei voltar para a superfície mais não consegui, eu era fraca demais para conseguir voltar. Quis gritar, mas não consegui.

Fechei os olhos e esperei. Eu iria morrer ? a resposta era óbvia. Eu ia morrer ! eu ia morrer ! ah meu Deus . Eu nem tentei lutar, pois eu sabia que já nem tinha mais força para isso, a água estava fria demais e parecia menos doloroso apenas me entregar, lutar só iria me causar mais frio.. mais dor, mais desespero.

Mãe, pai, eu amo vocês. Meu subconsciente gritou no fundo do meu interior. Pensei desesperada na ultima vez em que abracei meus pais e tive vontade de lutar, mas eu não conseguia, estava paralisada ali na minha dor.

Pensei em Jacob e aonde ele estaria agora. A ideia de ele estar na mesma situação que a minha me desesperou.

Nós vamos morrer.. Jake.. nós vamos morrer.. Gritei a plenos pulmões dentro de mim. Mas era ridículo, ele não ia ouvir.

Algo me acertou em cheio fazendo com que meu corpo fosse arrastado, só não sabia para onde , tudo estava escuro agora.

Acorda ! Uma voz ao longe gritou .

Aquela voz estava falando comigo ? eu já tinha morrido ? .

ACORDA ! ACORDA ! .

A voz agora parecia estar mais clara do que nunca. Minhas pálpebras começaram a tremer e eu senti minha garganta pinicar.

Respira, por favor ! .

Abri os olhos atordoada . A água salgada estava em minha boca e eu só consegui virar a cabeça e colocar tudo pra fora .

Estava em algo macio, muito macio. Areia ! . Voltei a me deitar, e foquei meus olhos na figura da pessoa que estava em cima de mim. Os cabelos pretos pingando água em meu rosto. Os lábios roxos, a camisa branca grudada no corpo.

– Jacob ? – Falei e senti um incomodo na minha garganta.

Tossi mais algumas vezes e voltei a me deitar.

– Droga – Ele disse respirando aliviado – Você quase me matou do coração.

Pisquei ainda atordoada e me coloquei sentada . Eu estava com a roupa ensopada e a areia agora grudava em mim. Estava com muito frio.

– O que ? ..

– Você está bem ? – Seu corpo estava colado junto ao meu, sua respiração quente batia no meu rosto. Ele acariciou minhas bochechas.

–Eu.. acho que eu .. – Não consegui dizer, havia me perdido nas suas orbes escuras,.

– Eu achei que você tinha morrido Renesmee, ! você não sabia nadar ? – Perguntou pra mim com os olhos culpados.

– SEU IMBECIL ! – Gritei a plenos pulmões e o empurrei para o lado. – É CLARO QUE EU NÃO SABIA NADAR ! .

Nem sabia da onde estava vindo essa fúria, mas confesso que no fundo eu estava aliviada por ele estar bem.

– E-eu.. não sabia.

– VOCÊ QUASE NOS MATOU ! – gritei de volta.

– Eu salvei tua vida ! - Ele se pôs de pé.

– Claro, depois de quase ter acabado com ela ! .

Eu fiquei em pé também. Eu estava bem, embora quase tenha morrido.

– Mas..

– MAS O ESCAMBAL, DA PROXIMA VEZ SE MATE SOZINHO ! – Sai andando pela praia marchando, mas antes ainda virei para ele – E VÊ SE VOCÊ SE RESOLVE COM AQUELES PANACAS ! .

Continuei andando e pude ouvir ele gritando meu nome.

– RENESMEE ESPERA ! .

– VAI SE FODER JACOB, EU ODEIO VOCÊ – Gritei a plenos pulmões e peguei um punhado de areia do chão e joguei em sua direção, na esperança de que aquilo o ferisse.

Nem acredito no que tinha acontecido, eu quase morri por culpa dele ! e se eu morresse ? minha mãe ia me matar !.

*

Assim que chegamos em casa, eu estava furiosa, subi as escadas marchando enquanto ouvia o grito da tia Sarah perguntando o que havia acontecido.

Subi para o meu quarto e fui me olhar no espelho ! tinha razão mesmo da Tia Sarah ficar tão espantada, eu estava um horror ! meus lábios estavam de um tom roxo, meu cabelo todo sujo de areia, alias eu estava toda suja de areia e as roupas ensopadas.

Ouvi uma discussão lá em baixo e pude ouvir Sarah confrontando Jacob para saber o que houve. Ouvi ele dizendo que não era nada de mais, eu estava apenas com raiva por ele ter me jogado no mar. Acho que Sarah acreditou, pois apenas o repreendeu e disse que ela iria deixar ele sem carro e moto se fizesse aquilo de novo comigo.

Revirei os olhos. Tirei minhas roupas e as deixei espalhada ali mesmo no chão e fui tomar um banho bem demorado e quente. Aquilo me relaxou e tirou toda a tensão de mim. Depois de um banho bem demorado eu me enrolei na toalha e voltei para o quarto. Jacob estava passando pelo corredor nesse exato momento ele fez menção de entrar no meu quarto e quem sabe dizer algo, eu fechei a porta em sua cara .

– Renesmee, qual é ? abre a porta, preciso falar com você.

– Eu não tenho nada pra falar com você ! – Guinchei de volta, - Idiota.

Ouvi um suspiro pesado e depois a porta do seu quarto ser trancada.

Cai na minha cama exausta. Eu precisava dormir, acho que foram emoções demais por hoje. O que tiver que ser resolvido, eu deixaria com certeza para amanhã .



Notas finais do capítulo

Hahaha, só pra descontrair um pouco né ? kkk
Enfim.. meninas, essa semana está corrida pra mim, tenho que me virar com quase tudo aqui em casa, já que minha mãe nem tem tempo, pois trabalha direto.
Irei postar o próximo capitulo quarta feira viu ? vão ser apenas dois capítulos essa semana.
Espero que tenham gostado, e deixem seu Review me dizendo o que acharam do capitulo.. criticas, elogios.. todos são bem vindos !
Até quarta feira, um beijo ♥



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Because Of You" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.