So What? escrita por Lulu Mason


Capítulo 15
It's a wedding


Notas iniciais do capítulo

OIEEEE! MEU DEUS GENTEMM DESCUUULPAAAA POR ESTAR SUMIDA! Sério mesmo gente ♥ , não me matem não tá?! Bom, ENFIM, mais um cap!
Espero que gostem,
Boa Leitura Unicórnio ♥



Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/631081/chapter/15

AUTORA

Uma garota loira bateu na porta de trás de um dos mais lindos – e caros – salões de festa do estado, ela estava mais nervosa do que gostaria.

Quase deixou a câmera cair de suas mãos.

Que coisa mais antiga! Século XXI galera, tudo tirado pelos nossos celulinhos.

— Quem é você? –  um cara de meio metro abriu a porta, Amy ficou com repentina raiva pelo super agradável “ Bom dia” que o homem esquecerá de dar-lhe.

— Emelia Portman – ela estendeu seu crachá, onde tinha o nome falso e ridículo que Jake puderá pensar quando fez o documento falso em que dizia que a amiga tinha 23 anos, e tinha uma longa experiência com fotografias de casamento.

— Você parece muito nova. – ele disse ainda com o crachá em suas mãos e analisando Amy.

— Botox, plástica, tudo falso.

Ele a olhou curioso, de repente algo caiu atrás dele, o homem se virou e berrou:

— SUA ANTA OS CANAPÉS NÃO SÃO NO CHÃO! – depois virou-se – Pode entrar, deixe suas coisas na sala a direita, eu vou ter que limpar a bagunça desse molenga.

Ela assentiu, pegou o equipamento, passou pela cozinha antes que o cara se desse conta de que era uma anta e que ela tinha apenas 16 anos.

A sala onde depositou os equipamentos – e que ela não sabia nem ligar – era decorada de dourado e cheio de arranjos.

— Argh, mal gosto é um problema nesse mundo.

Amyzita: Já to dentro.

Lucy: Nossa essa foi easy.

Amyzyta: Agradeça ao cara que derrubou canapés no chão.

Lucy: Agradecida, agora é só esperar, Henry deve chegar daqui a pouco

Amyzita: Acho bom, por que nem ligar essa câmera direito eu sei.

Lucy: Parei com você no momento, ficou difícil agora.

.                     .                       .

— Amy está dentro. – Lucy diz.

— Ótimo. – Natalia dá pulinhos e bate palminhas.

Ela era nova no grupo, mas já era um deles.

Savannah não era.

— Conseguiu contatar eles? – Natalie perguntou para Carrie.

Carrie sorriu maliciosa e ajeitou um fio de cabelo que estava fora do penteado.

Ela estava feliz, de alguma forma as coisas estavam se resolvendo, e se sentia em Pretty Little Liars, claro, ela era Spencer.

— Estarão a caminho.

— Kimberly não sabe mesmo de nada? – Clary indagou para Natalie, até mesmo a mais boazinha do grupo se sentia genuinamente como uma super poderosa, talvez fosse só o fato de estar usando saltos e não ter caído ainda.

— Não – Natalie sentou ao lado de Maya e ajeitou o cabelo da mesma – Elas se afastaram...Kimberly decidiu ser boazinha depois disso, admito, os trabalhos comunitários e campanhas de presidência da classe realmente a fizeram uma boa samaritana.

— Acredita mesmo nisso?

Natalie dá de ombros.

— Savannah causa esse efeito nas pessoas, quem sabe Kimberly não era uma pessoa menos odiável? – Carrie fala.

Maya cai na gargalhada e a ex amiga lhe lança um olhar furioso.

— De qualquer forma, - Natalie continua – Savannah acha que está indo para o casamento dos país de Maya e Mike, assim pode dizer...o que aconteceu naquela noite, mas terá uma surpresinha.

— Iam pedir para mudar de cela. – Lucy comenta.

— Infiltrar Amy e Henry foi uma ótima ideia mesmo! – Clary se junta a Natalie e as duas dão pulinhos e batem palminhas.

Carrie e Lucy reviram os olhos mas sorriem.

— Okay, Maya desce e encontre-se com Mike e Jake! Está quase na sua hora, Savannah tem que te ver lá para ter certeza de que tudo esta ocorrendo normalmente.

— Eu pareço um cupcake, não quero sair assim.

— Pensa assim, - Clary começa falando docemente – Um cupcake que vai pisar na inimiga hoje com o salto de Cupcake!

— Ok – Maya sorri.

Maya

 

Partiu Casamento! – passo os braços por cima dos ombros de Mike e Jake.

— Sabe, vocês meninas só nos metem em confusões. – Mike diz emburrado.

— Preferia estar de fato no casamento? Treinando para o seu discurso? Pelo Menos vai atrasar o momento constrangedor, assim também meu celular carrega e eu posso filmar você parado no palco.

Jake ri.

— Ah, valeu irmãzinha. E o seu discurso?

Tiro um pedaço de papel de dentro de meus sapatos, apenas uma coisa a declarar sobre aqueles negócios que estavam nos meus pés:

 Foi ódio a primeira vista.

— Amy escreveu pra mim. Já até decorei umas frases.

— Que orgulho. – Mike disse com ironia e eu revirei os olhos, saímos de casa e entramos no carro de Jake.

Jake dirigiu por uns vinte minutos, ficamos em silêncio e eu fiquei jogando CandyCrush no celular de Jake, até que ele estacionou. Olhei para fora e lá estava o Salão de Festas Flor de Lótus, um dos mais lindos do estado, e o melhor de Miami.

Meu Deus, vamos invadir festa de gente rica. Era só o que me faltava, dividir uma cela na cadeia com Carrie e suas variações de humor.

— Espera – eu falei quando Mike estava prestes a sair do carro – E quem de fato vai cuidar para que o casamento inteiro atrase de verdade, e nossos pais não fiquem putos com a gente?— fiz sinal para nós dois.

Jake sorriu:

— Eu e Lucy cuidamos disso.

.                       .                       .

AUTORA

A casa da família Hills estava uma zona, Helena corria de um lado para o outro, tentando enfiar Teddy e Jack em seus mini ternos, fazer com que Violet não usasse  seu tutu neon com sua blusa de Joaninha, sem falar nos sapatos do Frozen:

— Okay, por que não escolhemos outra roupa para você?

— Mas eu gosto dessa mamãe!

— Ah, filha! Tenho certeza de que você vai gostar da roupa que eu vou escolher.

Gostar não gostou, Letty na verdade detestou a roupa que a mãe escolheu, mas pelo menos se se arrumasse logo, poderia jogar videogame antes de sair.

— Menos uma. -  Helena seguiu em direção aos quartos dos filhos mais novos.

No andar de baixo Peter quase se enforcava com a gravata:

— Pelo Amor de Deus Peter! Como você conseguiu se formar? – Rose já estava pronta e riu ao ver como o irmão encontrava dificuldade em conseguir arrumar a gravata.

— Ah, não amole Rosie. Você pegou a inteligência, eu a beleza, e carisma. Entre outras coisas claro.

— Então se vira aí, senhor Passei Na Escola com Nota C.

— Para de ser chata e vem logo me ajudar senhorita Passei Na Escola Com Nota A E Me Orgulho.

.                           .                      .

Kate Müller estava se arrumando animadamente ouvindo a rádio, não essas rádios de velho – embora ouvir rádio seja algo velho – mas as atuais com músicas que não deixam a gente em coma de tanto tédio:

— Sophie! Precisa de alguma coisa querida? – a avó subiu as escadas enquanto colocava um dos brincos enormes que tanto gostava.

— Sim... – a neta estava pensativa encarando dois pares de sapatilhas incrivelmente iguais – Qual delas é melhor?

— Querida, você pode usar um pé de cada que eu não notaria a diferença!

— Ah deixa pra lá – ela tirou seus tênis de debaixo de sua cama e enfiou nos pés – Arrasante.

Deu uma voltinha e a avó sorriu.

— Arrasante mesmo. Você lembra que Horas Lucy disse que chegaria?

— Hum... – Sophie deu umas voltinhas – Não sei, mas sabe como é, pode demorar, transito raio, apocalipse Zumbi, nunca sabemos o que vai acontecer.

E depois a garotinha sorriu. Tinha certeza de que estava fazendo um trabalho muito bom.

.                 .                      .

 

 

— Eles já estão aqui câmbio.

 

— Amy você não tem que falar câmbio, estamos falando pelo celular.

 

— Vá a merda câmbio.

 

.       .            .

 

 

De: Maya

Para: Natalie.

 

Infiltrados, já estamos aqui, encontramos com Amy e Henry e mantemos contato, Amy e Henry estão discutindo.

 

De: Lucy

Para: Clary

 

Encontre a gente na recepção do salão.

 

De: Clary

Para: Carrie

 

Savannah chegou, eles já estão aqui.

 

De: Mike

Para: Maya:

 

Acabei de desviar da psicopata. Já está tudo pronto?

 

De: Jake

Para: Todos

 

Suas inúteis, vamos logo com isso! Já estamos atrasados cacete, eles chegara m cãmbio.

 

De: Amy

Para: Todos

 

Ele tbm fala câmbio, toma no cú Sociedade.

 

.                              .                                .

 

AUTORA

 

Savannah entrou em sua perfeita glória no salão, sorriu com seus dentes  perfeitos e desfilou com seu vestido caríssimo.

Acabaria com a festa, Carrie e Maya teriam o que mereciam e ela ainda sairia linda nas fotos.

Era o plano perfeito.

Rodou os olhos pelos convidados, viu o garoto que reconheceu como o amigo insuportável delas, Mike passar com pressa.

Ela estava no lugar certo.

Só tinha que achar suas presas.

.                        .                    .

Carrie

— Onde vocês estão? – sussurrei nervosa no celular, passei pelo corredor e dobrei a esquerda.

Eu ainda ia cair com aqueles sapatos.

— Tivemos complicações. – Jake respondeu – Isso incluiu Kimberly surpresa e os pais da bruxa.

— Ela está atrás de mim, está na hora suas antas! Vocês vão me deixar....

Entrei num pequeno salão e a porta se fechou:

— Ora, ora, olha quem temos aqui?

Ela mordeu a Isca.

.                     .                      .

— Sabe Carrie achei que você era muito mais esperta. – Savannah sorriu amigavelmente e se sentou em uma das poltronas estampadas que tinha na sala.

Vamos ver isso.

— O que você está fazendo aqui? – Carrie estava usando todos os seus poderes de atuação que todos aqueles anos no Teatro lhe deram, infelizmente estava quase dando na cara dela, por que paciência não era exatamente um dom que possuía.

— Ah, é um casamento não é? Momento feliz! Momento de recomeço... – ela deu uma pausa – E acho que seria um bom momento para mostrar a verdade não é? Já que você e Maya são duas frangas medrosas.

Carrie engoliu em seco.

Onde merda eles estão? Até mesmo Amy podia ta aqui, Savannah é mais sociopata do que me lembrava.

— Você também estará fudida quando isso for ao vivo, na boa, sei que vocês loiras tem essa coisa chamada de cérebro diminuída, mas pelo Amor. – Carrie de fato sempre pensava nisso, Savannah se ferraria tanto quanto ela ou Carrie.

Amy e Lucy me matariam se ouvissem isso.

Savannah se enfureceu, riu de forma maléfica e Carrie de fato quis dar foda-se ao plano e se mandar.

— Você acha que eu já não paguei? Sabe, você e Maya se deram bem, vocês sumiram, desapareceram da face da terra, vocês não estavam lá para suportar tudo aquilo! Nem mesmo sua amiguinha Natalie estava lá para ver, Itália tinha sido o refugio. Eu fiquei ok? Eu fui torturada por adolescentes nojentos que me chamavam de assassina, sabia que eu também me machuquei? Meus pais me colocaram na merda de um Internato!

Carrie sabia disso, fazia parte do que tinham planejado. Mas quanto ao resto, realmente nunca pensou que Savannah também tinha sofrido.

— A diferença – Carrie se levantou – É que você é uma assassina Savannah.

— Bom, quando Phillip vir isso, não sei exatamente no que ele vai pensar.

Carrie se assustou.

— É eu fiz meu dever de casa. Você é muito desligada sabia? Te seguir por ai, nossa, foi muito fácil.

E essa minha gente é Savannah ensinando a como stalkear o crush, só deixe de lado a parte sociopata.

— Eu acho que não fez direito, querida. – Lucy apareceu com toda sua glória de 30 centímetros, assim como todos os meus miguxos.

Savannah se levantou, ela parecia confusa.

— O que está acontecendo.

— Sabia que nesse estado Perseguição é crime? Sem falar em ameaça claro, você deveria procurar uma Instituição. – Maya disse sorrindo do jeito que tivera aprendido com Savannah e sentando calmamente ao seu lado.

— Ah, pêra – Amy entrou em cena – Seus pais procuraram.

— Mas a pergunta é... Por que você saiu? – Natalie diz.

— De onde vocês tiraram isso?

— Nós também fizemos o dever de casa. – Clary disse satisfeita.

Eles tinham estudado cada passo, como Savannah de fato estava foragida de um Internato para desequilibrados, e de como infligirá diversas leis tentando voltar atrás de Maya e Carrie.

— Sem falar de invasão é claro. – Mike termina.

Bem a tempo de Jake chegar, e logo atrás deles um casal e uma garota altamente confusa:

— Você não entende garoto...eu tenho que esta na cerimônia! É o casamento do meu pai! – ela disse até colocar os olhos em Savannah.

— Meu Deus...o que ela..o que ela esta fazendo aqui?

— Savannah?

A mulher indagou com raiva ao ver sua filha.

— Hum...não foi essa sua amiga queria que depôs contra você? E tentou te colocar atrás das grades? – Maya pergunta apontando para Kimberly de forma doce.

— TIRE ELA DAQUI AGORA! – Kimberly berrou – Ela é louca! LOUCA!

— Calma, calma  - Carrie sorriu e passou os braços por cima dos ombros de Savannah – Só estamos tentando ajudas nossa amiga aqui né? Mas você ajudou muito, em vez da cadeia, um Internato para desequilibrados.

Savannah estava totalmente atordoada. E morrendo de medo de o que os pais dela fariam com sua pobre existência. Isso é, se sobrasse algo dela.

— Savannah como você saiu de lá? – a voz de sua mãe saiu recheada de raiva.

— Eu fugi! Eu fugi ok? Que merda elas não podiam ficar impunes disso! – ela apontou para as garotas – Elas me abandonaram lá! Cada uma delas!

— Savannah, você não está bem!

— Não! Não! Eu estou ótima.

Mike e Amy trocaram risadinhas, Lucy pisou fervorosamente no pé de cada um deles.

— Nós já conversamos sobre isso Savannah! – agora foi a hora do pai dela – Você fez coisas ruins, mas o que aconteceu com Kate não foi sua culpa, foi um acidente! E você sabe, ela estava totalmente chapada! Aquela garota iria se machucar de qualquer forma.

— PERA OQUE?

— VOCÊ DEIXOU A GENTE SENTINDO TODA ESSA CULPA?

— EU JURO QUE VOU METER A MÃO NA SUA FUÇA VAGABA!

Carrie segurou o punho de Maya:

— Vocês me deixaram lá!

— Okay, ela é totalmente pirada – Jake sussurrou e Clary concordou com a cabeça.

Kimberly tinha sumido da sala, e por sua sorte eles não tinham notado. Ela não ia deixar aquela louca se safar de novo.

— Tem intrusos na festa. – ela sibilou para o segurança mais monstruoso que pode encontrar – E precisamos dar um jeito nisso, por que não quero chatear meu pai.

O clima estava totalmente revirado na sala onde o grupo se encontrava, com a maluca e seus pais:

— Você vem com a gente! AGORA!

E nesse instante, o segurança chegou, Savannah ficou irada e começou a berrar:

— Bye, bye Bitche! – Lucy berrou de volta mandando beijinho.

— Foda. – Carrie e Maya bateram as mãos.

Os seis estavam sentados nos bancos de fora do salão, esperando Jake voltar com o carro:

— Bom..isso foi... – Amy começou.

— Foi bom. – Clary disse.

— Como vocês estão? – Lucy perguntou para Carrie, Maya e Natalie.

Carrie apertou a mão das duas.

— Bem. – Natalie sorriu sutilmente.

Estava acabado. Então por que elas ainda se sentiam dessa forma? Culpadas? Usadas? Savannah tinha feito todas elas de bonecas.

— Você não está bem, está? – Carrie olhou para o lado e viu Amy lhe olhando.

— Não...eu só não...não entedi a história toda...

— Sim, foi meio confuso. Mas pelo menos teve um fim.

— É acho que sim.

— Carrie? – uma voz lhe chamou e ela virou sua cabeça.

Emma Harvey estava atrás dela, a mãe da garota que Carrie tivera sempre medo:

— Será que posso conversar com você, Natalie e Maya?

Carrie ia trocar um olhar com Amy, mas a mesma já tinha sumido.

Ela ficou levemente chateada quanto a isso:

— Claro, vamos, elas estão nas maquinas de refrigerante.

.                         .                       .

Casamento do Pai de Mike com a mãe de Maya

— Vocês viram Mike ou Maya? – Evelin, Mãe da garota sumida perguntou aos pais dos amigos de sua filha e de seu futuro enteado.

— Não, mas Amy também sumiu! – Helena diz.

— É, Clary também – Sarah responde.

— Acho que todos eles.

— Meus Deus! Está na quase na hora! – Ela estava quase ficando maluca, imaginando tudo que podia ter acontecido com sua filha e Mike.

— Calma, vamos todos cuidar disso!

Todas as mães se levantaram e foram com a noiva até o salão onde ela tinha tido seu dia de princesa, mas para ela a carruagem estava quase virando abóbora.

— O que fazemos? – Melanie sussurra para Sophie.

— Eu não sei! Já era para eles estarem aqui!

— Affe, aquelas antas- Letty soltou e as meninas riram.

— Okay, precisamos limpar a barra para eles. – Jakc declara.

— Por que? – Teddy questiona, ele estava bem com os docinhos que tinha roubado com Sophie.

— Tem razão nós temos! – Hanna, a irmã de Natalie sorriu para Henry!

— Okay, okay, podem cortar romance e falar logo? – Léo questionou, diferente de Clary, ele perdia a paciência rapidamente.

— Dããã eles vão ficar nos devendo!

— Sobremesa dupla! – Sophie pula de alegria.

— Dever de casa feito – Jack, el mafioso sorri.

— Tá, sugestões?

Melanie sorri:

— Podemos cantar.

— Você não sabe cantar. – Sophie fala emburrada.

— Okay, okay, venham. – Teddy sobe no palco que na hora certa deveria ser onde os discursos seriam lidos, mas como Maya e Mike tinham sumido, ele não achou que seria importante.

— Som na caixa Dj.

Mas o cara só ficou encarando, então Letty interferiu:

— Mete aê um hip hop da pesada.

E então o grupinho de irmãos monstrinhos que estavam acobertando começaram a dançar, alguns melhores do que outros, mas os convidados acharam apenas muito fofo.

— Mas que merda... – Lucy soltou ao chegar totalmente suada naquele vestido idiota, e com as botas de Amy nos pés, ela tinha delicadamente obrigado a amiga a trocar de sapato com ela, Amy por sua vez fez Henry carregar seus sapatos.

— Meu Deus, eu tenho que gravar isso. – Amy fala.

— Tá foda-se, vêm Mike! – Maya saiu puxando Mike, sua mãe fritaria os dois e daria pros cachorros comerem.

— Vamos parar com isso?

— OOOOUUUU , podemos apenas assistir que tal? – Jake fala sorrindo de lado.

— Concordo. – Clary fala.

O garoto cora. Lucy revira os olhos.

.                      .                       .

Maya

— Okay o que falamos para eles? – Maya passava pelos corredores muito bem decorados com certa apreensão.

— Que fomos pegar uma sociopata? – ela continua.

— Falamos que tivemos um problema, eles só vão querer saber os detalhes depois que tudo der certo. – Mike fala. – Maya... o que a mãe da louca queria falar com vocês?

— Mike...depois vemos isso ok?

— ONDE VOCÊS ESTAVAM?! – minha mãe berrou a me ver.

Oh God, to morta.

— Tá gata mãe! Arrazo,  vai fazer ciúme nazinimigas!

— Ah, Maya! – minha mãe simplesmente me abraçou, de forma muuito carinhosa e desnecessária – Vem você também.

Pronto, Mike também estava preso no abraço de Urso dela.

Continua...


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!


Notas finais do capítulo

Será o fim de Savannah?

Comentem, favorittem, reocmendem,
e Até o próximo! - que vai sair sim, pode deixar.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "So What?" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.