O Outro Lado Da Historia escrita por LittleGirl


Capítulo 17
Capítulo 17




POV Tris

Senti a presença de alguém atrás de mim, mas antes que eu pudesse verificar se estava realmente alguém, senti duas mãos me empurrarem. Por sorte, consegui me segurar na plataforma. Subi e vi que a pessoa que me empurrou era Molly.

Tris: Tá louca? Eu ia morrendo.

Molly: Pois, era isso que eu queria. O que eles veem em você, hein? Numa sem sal, feito você. O que você tem que eu não tenho?

Tris: Você é louca, eu não. A culpa não é minha se Peter não quer você.

Ela me deu um tapa forte e eu fiz o mesmo. Depois, passamos para os socos. Ela me deu um murro na barriga, que me fez perder o fôlego. Logo depois, eu lhe dei um na cara, fazendo ela cair no chão. Ela puxou meus pés, me fazendo cair e dar uma cabeçada na plataforma. Me levantei, assim como ela. Ela se preparava para me deferir um soco, mas eu o fiz primeiro, fazendo ela cair, mas dessa vez, ela tinha caído para o abismo. Tentei segurar sua mão, mas não consegui.

Eu matei uma pessoa. Mas uma vez senti lágrimas me escorrendo dos olhos. Não porque Molly morreu. Mas sim por que fui eu que a matei. Não tinha como esse noite se tornar pior. Eu matei uma pessoa. Por mais que ela tivesse tentando me matar, fui eu que cometi aquele crime.

Comecei a ficar desesperada. Fiquei andando de um lado para o outro, tentando achar uma solução. Senti duas mãos me puxarem e vi que era Tobias.

Tris: Eu matei… ela. - Disse com a voz cortada, por causa do choro.

Tobias: A culpa não foi sua. Você só estava tentando se defender.

Tris: Se a culpa não foi minha, me explica o por quê de eu me sentir um monstro. - Pedi.

Vendo que não conseguiria responder a isso, ele me abraçou e me levou para seu apartamento. Passados uns dez minutos, ainda não tínhamos trocado uma única palavra, estávamos apenas abraçados.

Tris: Eu não entendo. Como você viu tudo? De onde você apareceu?

Tobias: Eu estava voltando de um lugar. E você? Onde você foi?

Tris: Estava voltando de um lugar. - Respondi.

Tobias: Donde?

Tris: Da sede da Erudição. - Eu confiava nele o suficiente para lhe contar sobre a missão.

Tobias: O que você estava fazendo lá?

Tris: Eric e Max queriam salvar uma pessoa que está presa lá, mas eu não se se conseguiram. Eu vim embora. - Disse, me libertando de seus braços.

Tobias: Por quê?

Tris: Descobri uma coisa que me abalou muito. E você onde foi?

Tobias: Da sede dos Sem Facção. Minha mãe está viva. - Eu arregalei os olhos, surpreendida. - Assim como Al está vivo.

Tris: O quê?! - Isso era impossível. Como Al poderia estar vivo?

Tobias: Al está vivo. Depois de sair de lá, fui dar uma volta pela cidade e quando estava voltando de lá, vi seu pai saindo da Erudição. O que ele foi fazer lá?

Eu me lembrei do que ouvi e senti lágrimas descendo novamente. Ele me tocou no rosto e perguntou:

Tobias: Tris, o que se passa? - Perguntou, preocupado.

Tris: Minha mãe não é minha mãe. - Percebi seu olhar confuso. - Minha mãe é Jeanine.

POV Jeanine

Depois que Andrew foi embora, decidi fazer uma visitinha a Savannah. Tinha de verificar se a visita de Caleb tinha ajudado em algo ou se tinha só sido uma perda de tempo.

Cheguei nas celas e vi uma coisa invulgar. Eric e Max tentando abrir a cela de Savannah.

Jeanine: Quando fizemos o acordo, eu não pensei que vocês me pudessem trair. - Disse, os assustando.

Max: Ela não devia estar aqui. Devia ser livre.

Jeanine: Por favor, você espera que eu acredite nisso? É obvio que vocês querem Savannah para utilizar ela como vocês bem entenderem.

Eric: Como é possível que ela seja igual a Tris?

Jeanine: Não vos interessa o por quê de ela ser igual a Beatrice. Esse é um assunto meu.

Max: Eu não tem nem aí se ela é a sósia de Tris, eu só sei que eu vou conseguir ela.

Jeanine: É impossível abrir essa cela sem o código. Criamos essa cela para ser impossível de ela utilizar seus poderes. Ela está amarrada somente por precaução.

Max: Você pode ser experta, Jeanine, mas não se esqueça que a inteligência nunca vai ganhar a força de uma arma. Tenha uma boa noite. Vamos, Eric. Ainda temos de achar Tris.

Ela esteve aqui? Como eu não soube de nada.

Jeanine: Beatrice está com vocês? Cadê ela?

Eric: O que você quer com ela?

Jeanine: São assuntos meus e dela. Adeus.

Eles foram embora e eu fiquei observando Savannah. Sua irritação tinha suavizado. A conversa com Caleb tinha resultado.

POV Christina

Eu tinha de falar com minha melhor amiga sobre tudo o que se tem passado. Então, decidi ir procurar Tris. Na meio do caminho, ouvi a voz daquela vadia falando com seu cúmplice daquela armação toda, Robert.

Robert: Você tem a certeza?

Tasha: Certeza, certeza eu não tenho, mas quase.

Robert: O que você vai fazer, Tasha? Não me parece que aquele Will troque aquela garota por você.

Tasha: Se eu estiver realmente grávida, ele vai ter que assumir e ficar comigo. Eu não ser como uma dessas mães solteiras.

Ela estava grávida de Will? Não. Isso não podia ser verdade. Talvez isso fosse mais uma armação deles. Mas pensando bem, não tinha como eles saberem que eu estava ali ou que eu passaria por ali. Não tinha como. Seria realmente verdade? Meu namorado teria um filho com a garota com quem ele me traiu? Isso só podia ser um pesadelo.

POV Tobias

Tris era filha de Jeanine Matthews. Essa novidade me pegou de surpresa. Eu não conseguia dizer nada. Ela estava chorando bem na minha frente, mas eu não conseguia mexer um único dedo.

Quando “acordei” de meus pensamentos, fui até ela. Tentei acalmar ela. Ela olhou para mim, mas precisamente, eu e ela estávamos nos encarando olhos nos olhos. Eu só consegui fazer uma coisa e essa coisa foi beijar ela. Ela correspondeu ao beijo.

Foi tão bom senti seus lábios mais uma vez. Eu tinha tantas saudades dela e de seus beijos. Era uma beijo sofrido, repleto de saudade. Segurei sua cintura e ela colocou um braço no meu pescoço, enquanto o outro tocava meu rosto. Desci os beijos e comecei a beijar os corvos de sua tatuagem. Voltei a beijar seus lábios.

Eu não queria que aquele momento terminasse.

POV Peter

Vi Max e Eric deixarem a Erudição, mas não vi Tris o fazer. Onde será que ela estava? Entrei lá e fui andando pelos corredores. Parei num que tinha umas escadas que estavam interditadas.

Peter: O que terá lá embaixo?

Desci e me deparei com celas e mais celas. Fui andando e tentando ver quem estava dentro de cada uma. Finalmente encontrei. Era Tris. Ela estava adormecida e amarrada, dentro de uma cela. Do lado dessa cela tinha um monitor cheio de números e letras. Parecia que necessitava de código. Talvez fosse para abrir a cela. Tentei todos os que me lembrei que a Erudição podia colocar, mas todos estavam errados.

Decidi voltar para a Audácia, pois alguém poderia aparecer e me colocar numa daquelas celas e, se assim fosse, eu não conseguiria salvar Tris. Mas era obvio que eu não desistiria.

POV Evelyn

Tobias tinha que aceitar participar do plano e eu tinha a certeza que ele iria. Afinal, apesar de tudo eu era sua mãe e necessitava da ajuda dele.

Al: Evelyn, você tem uma visita. - Anunciou, interrompendo meus pensamentos.

XxX: Nunca pensei que te voltaria a ver. - Eu conhecia aquela voz. Como ele descobriu que eu estava viva?

Evelyn: Marcus? O que está fazendo aqui? - Perguntei, surpreendida.

Marcus: Pensou que poderia fingir durante mais quanto tempo?

Evelyn: Você sabe muito bem o por quê de eu ter fingido.

Marcus: Foi muito egoísta da tua parte teres deixado seu marido e seu filho sem razão nenhuma. Apenas porque você estava cansada. - Como ele era capaz de dizer uma coisa dessas?

Evelyn: Sem razão nenhuma? Eu fiz isso pra me proteger. Me proteger de você inclusive. E depois que eu fui embora, você começou a bater em Tobias, que também fugiu de você.

Marcus: Eu só fiz aquilo para o bem dele. Pare ele ser um bom garoto.

Evelyn: A tà. Então, vamos dizer para todo o mundo sair batendo em todo o mundo para seremos pessoas melhores. - Disse, debochada. - O que você precisa se tratar porque o que você faz não é normal. - Ele levantou uma mão para me dar um tapa, mas eu consegui parar ela no ar. - Nem tente. Se dantes eu era uma cobarde que se rendia a você por medo, agora eu sou forte e posso ter quebrar em dois. - Soltei sua mão. - Agora, saía daqui porque tenho mais que fazer.

Ele saiu e eu tive orgulho de mim mesma por já não ter medo da mão dele. Eu nunca mais deixaria que ele encostasse um dedo em mim. Eu tinhas coisas mais importantes a fazer do que o ouvir dizer que só batia no nosso filho para ele ser um bom garoto. Isso era doentio. Mas como ele descobriu que eu estava viva?

POV Caleb

Eu não conseguia parar de pensar em Savannah. Ela me fazia lembrar de alguém. Mas de quem? Eu não sabia. Eu me lembrava. Eu queria tanto voltar a falar com ela, mas eu não tinha o código da cela dela, já que não fui eu que o digitei quando lá fui.

Me sentei no “jardim” da Erudição, pensando numa forma de chegar a ela. Mas nada surgiu.

Vi alguém passar perto de mim, com dezenas de papéis nas mãos. Essa pessoa deixou cair um. Me levantei para lhe entregar, mas tive curiosidade de ler.

“0912A5M4R” Era um código. Talvez aquele seria o código da cela de Savannah.

Que estranha coincidência.

POV Tris

Eu não vou negar. Sentia falta dos beijos dele. Apesar de sentir algo por Peter, eu ainda amava muito Tobias.

Eu queria ficar nos braços dele, mas, ao mesmo tempo, eu queria saber até onde eu e Peter iriamos.

Tobias: Termina com Eric e volta para mim. - Sussurrou, com os labios encostados aos meus.

Tris: Eu não posso. - Ele se separou de mim.

Tobias me olhava com uma cara de desilusão, igual aquela cara que ele fez quando descobriu de meu caso com Eric.

Tobias: Eu não acredito que esse momento não significou nada par você! Você estava me usando de novo! - Disse, irritado e quase gritando comigo.

Eu? Usá-lo? De novo? Do que ele está falando? Sua voz irritada e alta me irritou também.

Tris: Eu nunca te usei! - Gritei, me aproximando dele.

Tobias: Então por quê você não termina com ele?! - Se aproximou de mim.

Tris: Porque não dá para terminar o que nunca foi verdade.

Só me apercebi que tinha lhe revelado tudo e que tinha sido um enorme erro. Coloquei as minhas mãos na frente de minha boca. Parecia que eu estava com medo de dizer mais alguma coisa.

Tobias: O quê? - Disse, sua voz soava calma.

Agora já era.



Notas finais do capítulo

Será que Tris vai falar a verdade para ele? Mas alguém adorou a morte de Molly além de mim?
Espero que tenham gostado.
Até segunda.
Beijos.