O Outro Lado Da Historia escrita por LittleGirl


Capítulo 13
Capítulo 13


Notas iniciais do capítulo

Aviso: Eu viajarei então é possível que demore um pouco para postar os capítulos, mas eles vão sair.

Nova capitulo. Espero que gostem.



POV Jeanine

Fazia muito tempo que Max estava caldo, provavelmente, pensando. Eu tinha esperança que Max aceitasse, pois eu tinha a certeza que ele não negaria poder.

Jeanine: Então?

Max: Eu aceito, sim. - Respondeu, por fim.

Jeanine: Foi a melhor escolha. Eu tenho que ir, tenho algumas coias a tratar.

Me despedi de Max e fui embora. Eu tinha Savannah e agora a Audácia, meu plano daria mais que certo. Essa cidade seria minha e de Max e a Abnegação cairia.

_______________________________________________________

POV Caleb

Abri meus olhos. Eu me sentia estranho, confuso. Percebi estar numa cela, olhei em volta e vi uma garota do meu lado.

Caleb: Quem é você?… Quem sou eu? - Perguntei, confuso.

Cara: Eu não sei. O que estamos fazendo aqui?

Caleb: Eu não sei. Não lembro de nada.

Eu estava confuso. Não lembrava que eu era, não lembrava quem aquela garota era, nem se eu tinha uma família. Tudo estava muito estranho. Eu não sabia o por quê de estar preso, nem sabia quem me havia colocado ali.

Percebi que a garota que estava na mesma cela que eu, ela também estava confusa. Ela também não se lembrava de nada. Mas a minha maior pergunta era: Por quê a gente não se lembrava de nada?

_______________________________________________________

POV Tris

Eu e Eric fomos até a sala de Max e eu aceitei fazer parte da Liderança. Ele pareceu contente e logo depois pediu para falar apenas com Eric. Então saí da sala de Max, e decidi ir até o centro de treinamento para lembrar de tudo o que passei ali.

Batalhei imenso para conseguir sobreviver ao treinamento, mas nunca pensei que eu terminaria no primeiro lugar. Lembrei de cada luta que perdi. Até que me peguei pensando nos momentos com ele… Com quem eu amo… Com Tobias.

Me lembrei de quanto ele me ajudou com as lutas. De quando ele me salvou de Peter, Drew e Al. De quando ele me deixou entrar em sua mente, em sua paisagem de medos. De quando nos beijamos pela primeira vez. E de quando eu decepcionei ele. Percebi que eu estava chorando. Eu sentia tanta falta dele, sentia falta de nós.

Um tapa forte, que me fez cair no chão, me despertou de meus pensamentos. Olhei para a pessoa que me bateu e vi Molly.

Tris: Tá louca? - Falei, me levantando do chão.

Molly: O que você tem? O que você tem de tão especial que consegue ter a atenção de todos?

Tris: Do quê você tá falando? - Aquela garota estava louca.

Molly: Primeiro foi Eric, agora Peter.

Tris: Só vou perguntar mais uma vez: Do quê você tá falando?

Molly: Peter gosta de você. - O quê?! - Mas sabe por quê ele nunca vai ficar com uma Careta como você? Porque eu nunca deixarei. Se você se aproximar dele, eu acabo com você. Entendeu? - Disse séria, saindo de seguida.

Isso era verdade? Peter gostava de mim? Ele tentou me matar uma vez. Será que isso era possível?

_______________________________________________________

POV Peter

Quatro me deu um gravador para concretizar seu plano, que era bastante fácil, por sinal. Vi ele indo até o fosso e decidi começar naquele momento.

Peter: E aí, tudo bem?

Eric: Tudo.

Peter: Cadê a Careta.

Eric: Eu não sei. A última vez que a vi foi na sala de Max, ela aceitou fazer parte da Liderança.

Peter: Você gosta realmente dela?

Eric: Por quê você pergunta?

Peter: Curiosidade. - Disse, dando de ombros. - Por quê você está com ela?

Eric: Porque Quatro quer ela.

Peter: E daí? Por quê você quer a garota que ele ama?

Eric: Porque ele hoje teve tudo e eu nada. Porque ele pode aproveitar algum tempo com minha mãe, enquanto eu fui entregue a outra família. É por isso. - Disse ele rápido. - Não se atreva a contar isso para alguém! - Falou, indo embora de seguida.

Ele tinha acado de me falar que era irmão de Quatro? Quatro sabia disso? Se não sabia, ele saberia, pois a conversa estava gravada e eu teria que lhe entregar a gravação. Mas aquilo havia me chocado.

_______________________________________________________

POV Jeanine

Voltei para a Erudição, mais precisamente voltei para as celas. Fui até a cela de Savanna, ela me olhou e eu vi raiva em seu olhar.

Jeanine: Savannah, querida, está tudo bem com você?

Savannah: O que vocês querem de mim.

Jeanine: Nada demais. Nesse momento queremos que você se acalme. Eu estou aqui como sua amiga.

Vi que Savannah se concentrar em algo, e ogo percebi que ela queria usar sua telecinesia contra mim. Ela rapidamente desistiu e reclamou de uma forte dor de cabeça.

Jeanine: Você pode tentar ficar contra mim o tempo que quiser, mas saiba que essa dor de cabeça não passará se você não me obedecer livremente.

Savannah: Faz isso parar, por favor. - Pediu, com uma voz que indicava uma dor extrema e algumas lágrimas nos olhos.

Jeanine: Savannah, eu sei que doí. Mas é como eu disse: isso só vai passar quando você me obedecer. E quando isso acontecer, nem pense em tentar me trair porque a dor vai recomeçar e nenhum de sues poderes mentais ajudará você! - Alertei ela. - Vou deixar você pensar. Depois eu volto.

Saí da sala, deixando ela com aquela dor imensa. Eu sei que é algo horrível de se fazer com alguém, mas eu faria isso vezes e vezes sem conta se fosse necessário e sem nenhum remorso.

_______________________________________________________

POV Tasha

Eu ainda não conseguia acreditar que eu tinha sido dispensada por Will. Eu nunca tinha sido dispensada em toda a minha vida. Nem pensar que eu ia deixar isso barato, não de jeito nenhum. Eu já tinha um plano em minha cabeça e para por ele em prática era só pedir ajuda Robert, meu melhor amigo.

Robert: O que você quer que eu faça?

Tasha: Eu quero que você me ajude a terminar o namoro de Will com aquela garota sem sal, a tal de Christina.

Robert: Tá bom. Qual é o plano?

Tasha: Will tem de encontrar Christina com você, em sua cama. O que você acha?

Robert: Eu ganho o quê com isso?

Tasha: Os dois vão terminar, vão ficar de coração partido e tristes. Jà imaginou eles chorando por aí.

Robert: Então, eu vou ganhar ver duas pessoas tristes, desiludidas e ver a tristeza alheia? - Eu assenti. - Tá bom, eu vou fazer isso.

Ele é o tipo de pessoa que ama ver as pessoas infelizes, e por isso, eu tinha a certeza que ele me ajudaria a fazer esse plano dar certo.

_______________________________________________________

POV Quatro

Estava a espera que Peter e trouxesse o gravador. Eu já não aguentava saber que Tris estava com Eric. Isso me matava a cada minuto.

Cansado de esperar fui para meu apartamento. Abri a porta e vi que no chão tinha um pequeno papel.

Tobias: “Vem até a sede da Abnegação para descobrir quem eu sou. – Anonimo” - Li o que estava escrito no papel.

Quem seria a pessoa que me enviou aquele papel e por quê um encontro na Abnegação? Seria algo sobre Marcus? Eu tinha jurado que nunca mais voltaria lá. Será que eu deveria ir?

_______________________________________________________

POV Tris

O que Molly disse não me saia da cabeça. Eu queria saber se aquilo era verdade, então, fui procurar Peter. Encontrei ele andando por um dos caminhos isolados da Audácia.

Tris: Peter, eu tava procurando por você.

Peter: Por quê?

Tris: Molly me falou uma coisa que eu quero que você me diga se é verdade. Ela me disse que você tá gostando de mim. Isso é verdade?

Peter: Não. Eu não tou gostando de você.

Tris: Então por quê ela me falou que sim?

Peter: Eu não tou gostando de você porque eu tou apaixonado por você.

Depois disso, foi tudo muito rápido. Ele pegou em minha cintura e eu acabei por sentir a parede gelada nas minhas costas. Ele me beijou, apertando minha cintura contra ele.



Notas finais do capítulo

A Jeanine é muito cruel! Beijo Petris! So eu que esperava por isso?
Espero que tenham gostado.
Até amanhã.
Beijos.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Outro Lado Da Historia" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.