Kiss me in the Rain escrita por Daredevilosa


Capítulo 9
Capítulo 9




Clint e Steve gritaram o nome de Natasha. Clint deixou o jato no piloto automático e correu para a porta do jato, olhou pro Steve e fez não com a cabeça.

Steve olhou pro Clint desesperado, colocou o escudo na frente do corpo e se jogou em direção ao mar, esticou seu corpo todo até ficar praticamente em pé e atingiu a água congelante segurando seu escudo.

Steve nadou até a superfície e Clint o observava lá de cima. O estranho é que o corpo de Natasha não estava em lugar nenhum.

Steve olhou para os lados procurando algum sinal dela e nada. Olhou pra cima pro Clint que também não sabia porque o corpo dela não emergia.

Steve mergulhou e ficou um bom tempo dentro dágua nadando e procurando por Natasha, quando ele ia subir pra respirar, avistou o corpo de Natasha imóvel, preso a uma ferragem de alguma embarcação antiga.

Steve subiu pra pegar ar e mergulhou rapidamente até alcançar Natasha. Ele a soltou e subiu até a superfície.

Clint se virou para ir em direção ao banco de piloto para resgatá-los quando quase foi jogago pra fora do jato.

Era Carol Danvers que passou como um raio por ele, ela fez uma manobra e desceu em direção ao Steve e Natasha. Ela agarrou Steve pelos braços que seguravam Natasha, e subiu novamente até o jato.

Ela os colocou sobre o chão do jato e Steve tremia de frio. Clint correu pra pegar cobertas. Colocou uma sobre Natasha e outra sobre Steve.

C: Deixe-me colocá-la na maca.

Steve não conseguia falar, muito menos soltar Natasha. Clint viu que Steve estava petrificado e puxou Natasha dos braços dele. Steve segurou Natasha com mais força.

C: Steve...

Steve olhou pro Clint, como uma pantera olha pra qualquer um que tenta chegar perto de seus filhotes. Ele não ia soltar Natasha de jeito nenhum.

Carol tocou no braço de Clint.

Carol: Tem mais cobertas? Melhor providenciar mais.

Clint concordou com a cabeça e buscou mais cobertas para cobrir Steve e Natasha. Clint se aproximou de novo de Steve.

C: Cap, eu preciso verificar o pulso dela.

Steve tremia demais e só concordou com a cabeça, mas não a soltava. Clint checou o pulso da Natasha que estava muito fraco, mas ainda estava lá.

C: Steve, eu acho melhor colocar ela...

Carol o interrompeu.

Carol: Está tudo bem, o corpo de Steve vai nivelar melhor a temperatura corporal da Natasha, porém... Rogers, ela não está respirando. Preciso reanimar ela, você entende?

Carol foi compreensiva com Steve. Steve não respondia. Ele deixou o corpo dela deitado no chão, mas segurava as mãos geladas da Natasha. Carol começou a fazer respiração boca-a-boca na Natasha e conseguiu trazer ela de volta. Natasha cuspiu a água que a estava sufocando e tossiu bastante.

Steve a abraçou novamente e encostou seu rosto no dela. Natasha apesar de reanimada, estava muito cansada e logo pegou no sono.

Carol passou a mão nas costas de Steve.

Carol: Ela vai ficar bem.

Clint colocou mais cobertas sobre os dois e voltou para o banco do piloto e ligou pra base dos Vingadores.

Tony atendeu a chamada.

T: Hey Gavião. Que cara é essa?

C: É a Natasha.

T: Hum, entendi. Vou mandar Dra. Cho ajeitar tudo pra chegada dela.

Clint agradeceu e desligou. Ele ativou um modo do jato que ele viaja bem mais veloz que o normal. Ao invés de 5 horas de viagem, eles levariam 2 horas até a base.

Durante toda a viagem, Steve segurou Natasha em seus braços, o coração dele não desacelerava. O único pensamento em sua mente era de quase perdeu Natasha e ele nunca sentiu um medo como esse antes. Steve a abraçava mais forte a cada lembrança da queda dela. Como o rosto dela estava no pescoço dele, ele sentia a respiração dela na pele dele e isso o confortava, trazia certeza que ela estava viva e que ela ia ficar bem.

Natasha de vez em quando acordava, mas não abria os olhos, ela estava muito fraca, ela voltava a dormir ao ouvir os batimentos cardíacos de Steve. Ela não se preocupou com mais nada, ela sabia que naqueles braços estaria segura.

Carol passou um tempo os observando, pra ver se nenhum dos dois entraria em choque térmico, quando notou que o jato começou a preparar para pousar, se sentou ao lado de Clint e apertou os cintos.

Clint aterrisou a céu aberto e do lado de fora, já estava uma maca e uma ambulância à espera de Natasha. Tony e a Dra. Cho se protegiam do vento gerado pelas turbinas e foram correndo até a porta do jato, quando este finalmente pousou no chão.

Carol: Steve, chegamos. Precisamos levá-la pro hospital.

C: Nós temos uma clínica completa aqui, com tecnologia de ponta e os melhores médicos.

Steve estava parado, não tremia mais. Carol tocou na suas costas e explicou que precisavam sair do jato e que tudo ficaria bem. Steve se levantou com Natasha em seu colo e caminhou pra fora do jato, seguido de Clint e Carol Danvers.

Dra. Cho: Coloque ela aqui.

Steve apenas passou por eles carregando Natasha. Ninguém entendeu nada, exceto Clint e Carol.

C: Deixe ele levar ela. Vamos.

Dra. Cho consentiu e os seguiu até uma das salas de atendimento. Steve se sentou sobre um banco com a Natasha em seus braços. Dra Cho não entendia o comportamento de Steve.

Dra. Cho: Preciso examiná-la. Coloque-a na maca.

Tony observava a cena também sem entender do lado de fora da sala. Clint se aproximou da Dra. Cho.

Clint: Cho, deixe ele a segurar. Ele vai deixar que a examine, mas deixa ele ficar com ela.

Dra. Cho ainda estava confusa mas entendeu o que Clint quis dizer. Ela checou o pulso de Natasha e a temperatura. Pegou uma medicação e aplicou na veia da Natasha.

Dra. Cho: Sua vez.

S: Estou bem.

Dra. Cho: O procedimento padrão é examinar.

S: Eu estou bem, cuida dela. Ela vai ficar bem?

Dra. Cho consetiu com a cabeça.

Dra. Cho: Ela precisa descansar, sem missões ou treinamentos por 3 dias.

Dra. Cho se retirou da sala e Clint ficou parado olhando praqueles dois nessa situação. Eles parecem amaldiçoados, Clint pensou. Assim que Cho saiu da sala avistou Bruce Banner correndo em direção a sala, ela olhou pra Steve e Natasha dentro do consultório e pressentiu que ia dar problema.

Dra. Cho: Clint, pode vir aqui um instante?

Clint foi até a porta e já viu Bruce quase alcançando a sala. Ele correu pra dentro, fechou as cortinas do consultório e fechou a porta na hora que Bruce estava prestes a entrar.

B: O que você está fazendo? Ela está aí? O que houve?

Dra. Cho: Ela já foi medicada, Dr. Banner, cuidei de tudo. Ela precisa repousar.

B: Eu sei, mas quero vê-la.

C: Ela está muito cansada, a Dra. Cho a dopou praticamente, sabe como Natasha é, deixa ela dormir, amanhã você fala com ela.

B: Não vou acordá-la.

Dra. Cho: Você é namorado dela, certo? Você vai acabar criando distração, vai ficar nervoso e acabar deixando ela nervosa. Quero repouso aboluto. Volte amanhã para fazer uma visita.

Bruce estava vencido e desolado. Bruce sabe da competência da Dra. Cho, ela é melhor que ele nesses assuntos médicos, então ele relaxou e concluiu que devia voltar no dia seguinte. Ele se afastou da sala, junto com os demais e Tony ainda se perguntava que merda está acontecendo.

Quando começou a escurecer, Steve se livrou das cobertas e só deixou as da Natasha. Ele passou o polegar pelo rosto dela e beijou a testa dela. Quando ele afastou os lábios da testa dela e a olhou, Natasha estava começando a despertar.

Natasha piscou os olhos lentamente algumas vezes até conseguir acordar realmente, ela estava meio tonta e desorientada até seu olhar cruzar com o do Steve. Aquele olhar ela reconheceria em qualquer lugar. Natasha sentiu um pequeno aperto no coração e sua respiração estava muito acelerada, a mente dela tinha esvaziado, qualquer pensamento que ela tentava puxar, escapava.

Steve a olhava de um modo que ela se sentiu completamente nua, ela nunca esteve tão desarmada em toda sua vida. Ela entreabriu os lábios pra tentar dizer alguma coisa e não tinha palavras que saíssem dela. Como pode ele a tocar desse jeito? Isso não é permitido, ela o amaldiçoava por invadir a alma dela desse jeito, como ele ousa.

Steve a fitava com tanto amor em seus olhos, ele não dizia nada, mas dava pra saber o que seu pensamento gritava, que ele teve medo de perder ela, que ele jamais a deixaria, que ele a queria por completo, que ele queria ser parte dela. Steve reparou numa lágrima que rolava pelo rosto de Natasha, ele beijou aquela lágrima com todo carinho e nesse momento mais lágrimas da Natasha rolavam.

Ela nem sabia porque começou a chorar. Aquele amor que Steve estava dando pra ela naquele momento, ela nunca sentiu vindo de ninguém, ela se sentia mal, aquele amor ela não merecia.

Steve tentou conter as lágrimas dela, passando os dedos levemente sobre o rosto dela, ele espalhou vários beijos suaves pelo rosto dela. Ele deu um beijo mais demorado sobre o olho dela e em seguida na têmpora, bem próximo do ouvido dela.

S: Por que você está chorando?

Natasha não respondeu, mas parou de chorar, aquela voz no ouvido dela foi o golpe fatal de Steve. Natasha ergueu o rosto e fez com que ele deslizasse pelos lábios do Steve até que eles encontrassem os lábios dela.

Esse beijo... Por que ela demorou tanto a senti-lo desse jeito? O jeito que a língua dele acariciava a língua dela, era como se ele tocasse a mais doce canção dentro da boca dela, ela sentia arrepio, calafrio, falta de ar, ela colocou a mão no pescoço dele e o arranhou com força quando ele invadia ainda mais a boca dela. Isso não é permitido, isso não é permitido, era o que ela pensava.

Eles se beijaram por mais de 1 hora, Steve estava com o pescoço e as costas cheio de hematomas causados pelas unhas de Natasha. Steve levantou com ela nos braços e caminhou até a maca. Ele a deitou sobre a maca e se virou para ver a outra maca disponível, já que ele ia passar a noite tomando conta dela. Ninguém o afastaria dela. Antes que ele conseguise dar um passo, Natasha segurou no braço dele.

N: Por favor.

S: Eu não vou embora, vou ajeitar a mac...

Natasha interrompeu.

N: Fica aqui comigo?

Steve tinha acabado de dizer que ficaria, ele só ia ajeitar um lugar pra ele dormir. Steve demorou, mas entendeu o que ela quis dizer com “Fica aqui comigo”.

Steve levantou a coberta da Natasha e se encaixou ao lado dela, Natasha deitou de lado e abraçou a cintura de Steve e deitou a cabeça sobre o peito dele. Ela precisava ouvir o coração dele de novo. Isso não é permitido.



Notas finais do capítulo

♪ I love you is all that you can say (Eu te amo é tudo que você pode me dizer)
Years gone by and still words don't come easily like I love you. (Anos se vão e ainda sim essas palavras não vem fácil, como 'eu te amo')
But you can't say baby? (Mas você pode dizer baby?)
Baby can I hold you tonight? (Baby, eu posso te abraçar essa noite?)
Maybe if I told you the right words at the right time you'd be mine. (Talvez se eu dissesse as palavras certas, no momento certo. Você seria minha.) ♫