Kiss me in the Rain escrita por Daredevilosa


Capítulo 13
Capítulo 13


Notas iniciais do capítulo

♪ Yeah you can start over, you can run free (Sim, Você pode recomeçar, você pode correr livremente)
You can find other fish in the sea (Pode encontrar outro peixe no mar)
You can pretend it's meant to be (Você pode fingir que era para ser assim)
But you can't stay away from me (Mas não consegue ficar longe de mim) ♫



No avião da SHIELD, eles sobrevoavam o mar, o dia já tinha escurecido. Bobbi colocou o avião em piloto automático e deixou ele parado no ar.

B: Ok, peguem seus equipamentos.

Natasha observou todos colocando paraquedas nas costas e foi até Bobbi.

N: O que temos que fazer exatamente?

B: Tem esse bunker com informações sobre o que chamamos de inumanos que a SHIELD precisa recolher e manter em segurança.

Natasha pegou um dos paraquedas e colocou nas costas, enquanto olhou para Skye e voltou sua atenção para Bobbi.

N: Para que precisam de mim aqui?

B: Nossa equipe é muito boa, mas não estamos roubando de qualquer um.

N: De quem é esse bunker?

B: Do Pentágono. Não que eles não sejam capazes de proteger as informações, mas eles são mais militares do que estrategistas. Você sabe.

N: Ah.

B: Nós manteremos o perímetro seguro, enquanto você se dirige até essa sala.

Bobbi entrega um papel com o esboço da planta do bunker para Natasha.

B: Precisamos que quebre o código de segurança e dos cofres.

Jemma: Tome, fique com isso. Está codificado para abrir as primeiras portas, as restantes você terá que usar suas habilidades.

Natasha pegou o crachá que Jemma fez para ela.

N: Sem problemas. É só isso que precisam?

Skye consentiu com a cabeça.

Fitz: H-hey essa é u-u-uma arma que eu e... e...

J: Jemma...

Fitz: Sim, sim, Jemma. Obrigada. Eu e Jemma fizemos.

N: O que esse bebê faz?

F: Ele não mata, com certeza.

Natasha o olhou perplexa.

F: Ele causa imobilidade, perda dos sentidos. Tem o efeito de 2 horas.

Natasha se voltou pra Bobbi.

N: Gente demais, muito arriscado. Cuido disso sozinha.

Mack: Eu disse que ela ia querer agir sozinha.

B: Nat, nós vamos com você até o bunker, nós não seremos vistos, mas esse é o modo como operamos agora. A deixaremos fazer seu trabalho, mas estaremos lá para intervir se necessário.

N: Ok, mas eles ficam.

Natasha apontou pro Fitz, Jemma, Hunter e Skye.

H: O quê? Eu não vou ficar pra trás.

B: Hunter, alguém precisa pilotar o avião em caso de fuga.

H: Você adora me tratar como iniciante, não é, Bobbi?

Bobbi o ignorou e revirou os olhos. Natasha sorriu e apertou um botão que abriu a porta traseira do avião. Quando Natasha se aproximou da beirada e avistou o mar naquela escuridão, ela automaticamente se lembrou do acidente no Alasca.

Natasha estava petrificada, seu corpo ainda estava dolorido da última queda. Bobbi se aproximou por trás dela.

B: Você está bem?

Natasha foi puxada das suas lembranças de volta a realidade. Se tem uma coisa que ela aprendeu bem no Red room foi superar medos. Ela nem deu tempo da Bobbi notar sua expressão de medo, ela logo mudou a expressão para a costumeira expressão de concentração da Viúva Negra.

N: Vamos.

Natasha saltou logo em seguida. Mack e Bobbi foram logo trás. Os três puxaram a cordinha para liberar o paraquedas. Caíram no mar, um pouco distante do alvo, para não chamar atenção, se livraram do paraquedas e nadaram até o bunker.

Enquanto nadavam, nem perceberam que mais alguém tinha pulado do avião. Skye. Ela já dominava missões no ar, na terra e no mar também, não foi difícil segui-los.

Natasha, Bobbi e Mack subiram no Bunker. Não havia guardas do lado de fora, eles já conheciam o esquema do Pentágono. Mas tinha câmeras. Mack pegou o tablet de sua bolsa impermeável e esperou a conexão se estabelecer. Em segundos, eles podiam visualizar Fitz que os avisou que não desligou as câmeras e sim colocou uma gravação para passar nas TVs de segurança, isso porque se ele desativasse, os monitores enviariam alguém pra checar as câmeras ou presumir que tem algo errado acontecendo.

N: É aqui que nos separamos. Vou entrar e vocês esperem aqui e tratem de conter seus agentes.

Mack e Bobbi se entreolharam sem entender. Skye já tem habilidades o suficiente para passar despercebida por Bobbi e Mack, mas não para enganar Natasha. Ela ouviu e notou que estavam sendo seguidos e sabia quem era que os seguia.

N: Banhos de mar noturno são os melhores, não?

Natasha disse olhando pra Skye. Mack e Bobbi viraram para olhar Skye sem jeito. Bobbi lançou um olhar reprovador para Skye, assim como Mack. Quando todos se voltaram para Natasha, ela já tinha sumido.

B: Bem... Essa é a Viúva Negra, senhoras e senhores.

S: O quê? Como ela fez isso? Nós vamos ficar aqui parados?

M: O que você esperava? Trouxemos a melhor espiã da SHIELD para ser uma missão silenciosa. Coulson não quer iniciar guerra com o Pentágono. Eles não são nossos inimigos, Skye.

B: Ninguém está duvidando da sua capacidade, ou de qualquer membro do nosso time, só que é uma missão delicada. Exige espiões mais discretos e nós somos agentes bem barulhentos. Principalmente você. Não me olhe desse jeito.

Skye: Eu sei.

Bobbi colocou a mão nas costas de Skye.

B: Que bom, você é uma moça inteligente. Agora vamos montar guarda e nos preparar para evacuar.

Skye: Preparar para evacuar? Nós acabamos de chegar aqui.

M: É... Eu diria que mais uns 4... 5 minutos... Bobbi?

B: Ham, eu diria 3 minutos.

Skye: Isso é impossível.

Bobbi e Mack gostavam de apostar quanto tempo cada agente da SHIELD leva em suas missões. Passaram-se os 3 minutos, 4... 5... 6...

N: Hey, vamos.

Skye olhou sem entender.

B: 8 minutos pra invadir o bunker do Pentágono? Você está ficando enferrujada.

Natasha sorriu.

N: É, me distraí. Vou me superar na próxima.

Mack avisou Fitz que eles estavam prontos para serem extraditados em 2 minutos. 2 minutos foi o que eles tiveram para sair do bunker e mergulhar no mar novamente. Quando chegaram no ponto certo, já haviam cordas de resgate os esperando.

Ao chegarem no avião, Natasha entregou um pen drive para Jemma.

Jemma: Me desculpe perguntar isso, mas você se certificou de salvar e depois apagar a informação do arquivo deles?

Natasha estava chocada.

N: Eu pensei que vocês só precisavam da cópia dos arquivos. Eu não sabia que era pra destruir o que eles tinham, eu...

Bobbi e Mack começaram a rir e Hunter também, fingindo participar da piada.

B: Meu Deus, Nat, pare de ser tão cruel.

N: Eles não tem mais nada, não se preocupe.

Natasha estava brincando, piscou o olhou pra Jemma. Jemma ficou aliviada e guardou o pen drive no cofre.

B: Quer que a deixemos na base dos Vingadores?

N: Por favor.

E assim o fizeram. Natasha se despediu de todos e Bobbi agradeceu a ajuda de Natasha. Natasha ainda deu um beijo no rosto de Fitz que ficou vermelhinho da silva.

...

Natasha estava em seu quarto, tomando banho quando ouviu batidas na porta do quarto. A essa hora da noite, mais uma missão? Não acredito, Natasha pensou enquanto se enrolou numa toalha para ir até a porta.

Quando ela abriu a porta e viu quem era, ela não conseguiu evitar de ficar boquiaberta. Justo quem ela evitou de ver naquele dia. Agora ele estava bem ali, na frente dela, com aqueles olhinhos brilhantes e carentes de cachorro abandonado. Ela queria muito ver o Steve, mas ela não teve coragem de procurá-lo mais cedo e ele foi até lá ver ela.

S: Eu... Vim saber como você está, não te vi na enfermaria.

Natasha estava aliviada que ele apareceu e apareceu com um assunto, porque ela não sabia o que dizer pra ele.

N: Bem.

S: Eu trouxe isso pra você, não te vi comer nada.

Natasha olhou pra bandeja na mão do Steve.

N: Eu não estou com fome.

S: Natasha... Você precisa comer alguma coisa. Não me faça te obrigar.

N: Como se você fosse capaz.

Natasha na sua costumeira mania de dar patada no Steve ou em qualquer um, mas com o Steve ela sempre sentia remorso, apesar de nunca demonstrar. Ela deixou a porta aberta e voltou pro banheiro.

N: Deixe aí na mesa, quando eu terminar meu banho, eu como.

S: Ok.

Steve entrou meio sem jeito e o quarto de Natasha estava um tanto bagunçado. Tinha um sutiã pendurado numa poltrona que o deixou em choque, porque ele automaticamente imaginou ela de sutiã e ele não gostava de ser invasivo nem em pensamentos.

Ele arrumou um lugar pra pôr a bandeja e começou a olhar a estante de livros da Natasha.

Natasha ligou de novo o chuveiro, ela ainda estava ensaboada. Ela se enxaguou e depois se enxugou. Vestiu um roupão e enrolou uma toalha no cabelo. Ela pegou sua escova de dente e começou a escovar, enquanto saiu do banheiro e deparou com Steve ainda lá dentro do quarto, olhando a estante dela. Que atrevimento, ninguém permitiu.

Steve se virou e viu Natasha com uma cara de reprovação.

N: O que você ainda está fazendo aqui?

S: Esperando você comer.

N: O quê? Isso não tem o menor sentido.

S: Para garantir que você não ia me enganar.

Natasha estava indignada, ela foi até a porta do quarto e fechou.

N: Bem você sequer fechou a porta do quarto, eu podia ter saído nua.

Essa frase já deixou Steve tenso e vermelho. Natasha voltou ao banheiro para enxaguar a boca e voltou.

Natasha pegou o prato e começou a comer. Era uma macarronada e estava deliciosa. É, ela estava com fome sim, só não sabia. Steve a observava comer, encantado. Como sempre. Natasha notou e ficou um pouco envergonhada, porque ela começou a comer rápido demais e gemer com as garfadas.

S: Está gostoso?

N: Uhum.

S: Que bom, não sou um excelente cozinheiro como o Sam ou as cozinheiras do Tony, mas sei me virar.

N: Você cozinhou isso?

S: Sim.

N: De jeito nenhum.

S: Agora você está me ofendendo.

Steve disse ainda em tom de brincadeira.

S: Não sabia que gostava tanto de ler.

Natasha apenas o olhou. Steve puxou um dos livros.

S: Ham, tem um filme sobre esse livro aqui, não é? Jogos Vorazes. Mas eu achava que era um filme juvenil, mas se você está lendo, não pode ser.

Natasha queria matar ele agora. Ninguém, nem Clint sabia que livros ela lê.

N: Se você comentar sobre isso com alguém, considere-se um homem morto.

Steve não entendeu a referência. Natasha abriu a portinha do armário e pegou uma garrafa de vinho. Ela bebeu direto do gargalo.

N: Estava precisando disso.

S: Eu não acho que você deve beber álcool, a medicação ainda está nas suas veias.

Natasha tomou mais um longo gole enquanto olhava Steve com um ar de desafio. Natasha pôs o vinho no chão e se levantou para pôr a prato de volta na mesa, mas ela sentiu uma forte dor na costela. Steve notou e foi até ela.

S: O que foi isso? Você está bem? Vamos, vou chamar a Dra. Cho.

Steve tomou o prato da mão dela e colocou na mesa. Natasha apoiou a mão no ombro do Steve.

N: Não, eu estou bem. Foi só uma fisgada.

S: Natasha, por favor. Você está ferida. Me deixe levá-la.

N: Não.

Steve colocou seu braço por baixo do da Natasha, a ajudando a ficar de pé. Ele estava realmente preocupado. Durante esses movimentos a toalha acabou soltando do cabelo da Natasha e caiu, deixando os cabelos dela caírem. Ela olhou pro Steve e pronto. Mais uma vez o filho da mãe conseguiu desnudar ela. Lá estava ela, completamente a mercê dele. O que ele dissesse pra ela agora, ela faria.

S: Tudo bem, eu vou pegá-la para pôr na sua cama. Ok?

Natasha consentiu com a cabeça e não conseguia desviar o olhar de Steve, que estava distraído devido à preocupação com essas dores dela.

Assim que Steve a pôs na cama, Natasha colocou a mão no rosto dele e o fez olhar diretamente pra ela.

Steve sentiu aquela mesma dor dilacerando seu coração de novo, aquele frio na barriga, aquela sensação de incapacidade perto de Natasha. Os corações deles batiam agora no mesmo ritmo, e os dois batiam acelerados. Era o único som dentro daquele quarto, até que o som da respiração deles começou a ficar mais alto a medida que seus rostos se aproximavam.

Ela nem sabe quem aproximou o rosto primeiro, mas já era possível sentir a respiração quente do Steve a encostar sobre seus lábios. Steve tocou a ponta do nariz da Natasha com o seu nariz, enquanto seu lábio superior se encaixava perfeitamente entre os lábios dela. Natasha permitiu que o lábio do Steve levantasse o dela, fazendo com que ela abrisse mais a boca.

Eles ainda se olhavam, tão de perto que Steve pôde notar que os olhos dela não tinham somente a cor verde, mas tinham pigmentos castanhos e cinzas.

Quando Steve tocou o lábio inferior da Natasha com a ponta da língua, Natasha soltou um pequeno gemido de satisfação e deixou sua língua passear sobre a dele. Ela fechou os olhos e agarrou o rosto dele com firmeza e massageou a língua de Steve que a acariciava na mesma intensidade. Natasha se certificou de explorar cada cantinho daquela boca, chegou a tocar o céu da boca do Steve. Ela o queria por inteiro.

Steve não teve como evitar de não deitar sobre ela, ele manteve as mãos na cama, e apertou com força o lençol da cama. Natasha interrompeu o beijo por segundos só para sussurrar.

N: Você pode me tocar se quiser.

Era tudo que ele queria ouvir, ele não avançaria nenhum sinal sem Natasha permitir. Ele se sentou entre as pernas dela e retirou a camisa. Natasha ao vê-lo sem camisa mordeu seu lábio inferior. Steve ama quando ela morde o lábio... Ok, vocês já sabem desse fato. Voltando...

Natasha ajudou Steve a se livrar da camisa, a jogando longe. Steve passou a mão no rosto dela e a deslizou pelo seu pescoço que estava bem vermelho. Ele abaixou até ela e cheirou o seu pescoço dando beijos e pequenos chupões pelo pescoço e colo da Natasha.

Natasha chegou a curvar seu corpo, ela queria tanto que isso acontecesse. Steve continuou a deslizar as mãos pelo roupão da Natasha até achar o laço do mesmo e puxar para desfazê-lo. Natasha arranhou o braço do Steve, ela não queria que ele demorasse e Steve estava disposto a levar todo tempo do mundo.

Steve segurou na aba do roupão e o levantou para revelar o que ele escondia do corpo da Natasha.

Nessa mesma hora, eles começaram a ouvir uns estalos que foram ficando cada vez mais intensos.



Notas finais do capítulo

♫ Se eu correr, não será suficiente.
Você continua na minha cabeça presa para sempre.
Então pode fazer o que quiser, sim.
Amo suas mentiras, vou engolir tudo.
Mas não negue o animal que ganha vida dentro de você quando estamos juntos ♪