Ugly Heart escrita por Rainy


Capítulo 2
Capítulo 1 - Como esquecer um bastardo


Notas iniciais do capítulo

HELLO PESSOAS DESSE BRASIIIIL! Como estão? Espero que bem XD
Bom, galerinha, antes de tudo eu queria agradecer MUITO aos comentários de cada uma. Eu, sinceramente, não estava esperando essa recepção tão boa e me senti super feliz. Mesmo aquelas pessoas que não comentarem, eu agradeço pelo interesse de acompanhar a minha história. Espero não decepcionar vocês



Quando sua melhor amiga entrou chorando na floricultura e se jogou em seus braços, ela teve certeza de que aquele maldito tinha algum dedo na história. Só não sabia que ele poderia ter sido tão canalha.

— E você bateu na cara dele antes de sair, não é mesmo testuda? — Sakura balançou a cabeça negativamente — Mas que droga! Será que você nunca aprendeu nada comigo?

— E-Eu nunca... — fungou o nariz — bateria no Sasuke-kun, Ino.

A loira revirou os olhos. Sabia que um dia a ingenuidade de Sakura a colocaria em maus lençóis. — Primeira regra de como superar um Uchiha: pode banir esse “kun” do seu vocabulário. A partir de hoje, vamos nos referir a ele como bastardo, entendeu? E para cada vez que você desobedecer esta regra, vou arrancar um fio desse seu cabelo esquisito. Aliás, testuda, você nunca ouviu falar de hidratação? Ou cuidados com a pele? Ou de ser feminina? Porque, sinceramente, minha obaa-chan se assustou dentro do túmulo com esse pedaço de palha que você tem na cabeça, e...

Sakura torceu o nariz, ainda ouvindo Ino falar com o vento sobre todas as suas falhas. De fato ela não cuidava mais da sua aparência como antigamente, seus cabelos estavam com algumas pontas duplas, ganhou uns quilinhos a mais e suas olheiras estavam mais visíveis ultimamente, mas não era para tanto. Ela só não tinha tempo para pensar em si mesma já que estava ocupada demais colocando outra pessoa em primeiro lugar na sua vida.

Começou a se sentir como uma verdadeira idiota. Tantos anos se esforçando para agradar alguém que não a enxergava, que não reconhecia todos os seus feitos e o quanto ela tinha evoluído. Para Sasuke ela sempre seria aquela pequena garotinha apaixonada e irritante. Nunca odiou tanto uma palavra quanto essa.

Voltou sua atenção para Ino, que tinha parado de apontar seus inúmeros defeitos e agora concentrava seu tempo em xingar todas as gerações do Clã Uchiha. — Mas eles sempre foram tão arrogantes! E agora, Sakura, eu te proíbo de pisar naquele Distrito, entendeu? Você nunca mais vai ser feita de escrava pelo Sasuke-kun-...

Sakura a interrompeu — Pensei que o chamaríamos de bastardo agora.

A loira bateu com a mão na testa — Foi uma ironia, testuda. Enfim, vá até o banheiro e lave esse rosto. Nós vamos sair.

Sakura franziu o cenho, mas não questionou as ordens de Ino. — Aonde vamos? — perguntou.

Ino sorriu abertamente e Sakura não soube dizer se se sentia agradecida pela ajuda da amiga ou assustada pelos possíveis planos que poderiam estar rondando sua cabeça. — Surpresa.

(...)

Quando Sakura buscou a ajuda de Ino para finalmente esquecer Sasuke, ela pensava que a amiga era a melhor pessoa para isso por conta de sua uma longa experiência com garotos. As duas, juntas, resolveriam o seu problema e ela seria capaz de seguir em frente. E mesmo que uma terceira pessoa pudesse se introduzir na história para compartilhar seus conselhos, Sakura nunca imaginaria que seria justamente aquele ser sentado a sua frente.

Distribuiu o chá em suas devidas xícaras e voltou sua atenção para as kunoichis. — Feiosa. Linda. Me digam no que posso ser útil.

Sakura suspirou. Aquilo não poderia estar acontecendo...

— Precisamos de alguns conselhos, Sai. — Ino falou, bebericando um pouco de seu chá.

— Tem certeza de que isso é mesmo necessário? — Sakura perguntou com a esperança de trazer um pouco de juízo a cabeça de Ino. Não funcionou.

— Nunca tive o coração partido, testuda. Sempre fui eu que terminei meus relacionamentos. Precisamos de uma base mais aprofundada no assunto, uma coisa mais técnica. E, além do mais, o Sai não é fofoqueiro então fica quieta e só escuta. — dito isso, Ino voltou sua atenção para o garoto e começou a dar detalhes sobre os acontecimentos recentes. Sai escutou tudo atento, concordando com a cabeça quando necessário.

Quando Ino terminou seu pequeno monólogo, Sai levantou-se e sumiu pelo corredor de sua casa por alguns minutos. Quando voltou, carregava uma pilha de livros que logo foram distribuídos pela mesa.

— De acordo com um estudo, o amor romântico é um vício. A ruptura do relacionamento pode afetar diversas regiões cerebrais, assim como causa dor física, angústia...

Sakura sentiu-se levemente ofendida quando Ino acrescentou: — Ganho de peso...

— Sendo que, em alguns casos, as pessoas são levadas a cometer atos extremos, como perseguição ou homicídio.

Ino ponderou — Perseguição, talvez. Agora com homicídio nós não precisamos nos preocupar. Sakura mataria a si mesma antes de sequer tocar no cabelo seboso do bastardo. Continue, Sai.

— Dizem que o tempo é o melhor remédio.

Nah. — a loira balançou a cabeça em negação. — Muito clichê. Próximo.

— Algumas mulheres se vingam dos ex-parceiros como forma de superação.

— Isso já é interessante. Nós poderíamos cortar o mau pela raiz, se é que me entendem...

Sakura arregalou os olhos com a insinuação de sua amiga. Deu-lhe um tapa na cabeça em repreensão — Nem pense nisso, Ino!

— Tenho mais algumas informações aqui... — Sai deu uma olhada pelos livros espalhados, achando o que procurava. — Academia do Sexo. De acordo com este livro, o primeiro passo é não se surpreender com as mudanças de humor. Em um dia você se sentirá arrasada, e no próximo se sentirá melhor. No caso da Feiosa, ela sempre está arrasada. — Ino segurou uma risada. Sakura olhou raivosa para Sai. — Também diz que é bom dar fim em todas as lembranças e fazer coisas que antes você não fazia porque seu parceiro não lhe dava tal liberdade. Você também pode criar uma lista de defeitos, para sempre se lembrar de que o relacionamento não era tão bom...

— Os defeitos daquele bastardo não caberiam numa lista só...

— Ino... — Sakura a alertou.

A loira mexeu a mão em direção a Sai, incentivando-o a continuar a falar. — Por ultimo, a Feiosa pode mudar o foco.

— Mudar o foco? — Ino se mostrou mais interessada na conversa. Finalmente alguma coisa útil havia aparecido. — Explique.

— É só tirar o foco daquela pessoa que te magoou. Aqui diz que uma boa forma de fazer isso é se aproximar de velhos amigos. Ou encontrar...

Ino levantou em um pulo, interrompendo a fala de Sai. — Ou encontrar alguém melhor! Mas é claro, testuda.

— Não era a exatamente isso que eu estava me referindo — Sai disse com cautela. — Ela poderia encontrar outros interesses.

— E tem outro interesse melhor do que achar um bom partido? — Ino não permitiu que seus amigos respondessem. Ela sabia que aquela era uma ótima ideia. — Já está decidido. Você, Haruno Sakura, vai encontrar um novo amor!



Notas finais do capítulo

E então? Gostaaaaaaaaram? Daqui pra frente vamos ter a evolução da Sakura. Já quero deixar claro que vai ser uma coisa "devagar", já que fazer uma pessoa mudar completamente da noite para o dia ficaria um tanto quanto superficial.
Ah, o livro Academia do Sexo realmente existe, porém esqueci o nome da autora :/ Achei todas as informações que o Sai falou na internet (viva o Santo Google)
Bom, espero ver vocês nos comentários. Próximo capítulo deve vir na terça ou quarta.
Beijoos



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Ugly Heart" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.