Ice Heart escrita por Clever Girl


Capítulo 9
Capítulo 9 - Returns


Notas iniciais do capítulo

Olha eu aqui! :) Finalmente tomei vergonha na cara e arrumei um tempo pra terminar esse capítulo. Bom eu espero que espera tenha valido a pena e que vocês gostem do que eu escrevi. Estou dedicando esse capítulo a sami. Ela foi a autora da minha segunda recomendação e me deixou extremamente feliz com isso. Então lindinha, muito obrigada! Espero que gostem do capítulo. Bjss



Barry Allen foi trabalhar naquela manhã com um sorriso bobo estampado em seus lábios. Por mais que ele tentasse, não conseguia desfazê-lo, era impossível. Aquela era a primeira vez que Barry conhecera a sensação de amar e ser correspondido e isso era muito bom.

— Bom dia! - ele disse ao seu chefe assim que o mesmo passou perto dele e o mesmo olhou como se dissesse: "O que deu nele?"

Não era segredo nenhum que aquele homem não gostava de Barry, e apesar de seu esforço para esconder, Barry também não gostava muito dele, mas aquele dia... Aquele dia era diferente, Barry estava simplesmente feliz e não havia chefe chato que tirasse o seu bom humor.

Em contraste com a felicidade do velocista, havia alguém que parecia que tinha acordado com o pé errado. Eddie Thawne era a definição do termo mal humor, parecia que havia uma enorme nuvem negra rondando sua cabeça. Em qualquer outra ocasião, Barry apenas ignoraria. Ele e Eddie nunca haviam sido amigos, mas hoje ele abriria uma exceção.

— Hey! Esta tudo bem? - Barry pergunta a Eddie, quando chega perto deste.

— Na verdade não - Ele para e suspira, para depois continuar. - Eu vou pedir Iris em casamento.

Nada. Essa era a palavra que definia o que Barry estava sentindo. Eddie Thawne, o cara que ele tanto odiou por esta em um relacionamento com a primeira garota por quem foi apaixonado - garota esta que acreditou ter amado por praticamente toda sua vida - acabou de lhe dizer que vai pedi-la em casamento e o velocista não sentiu nada, na verdade ficou até feliz com isso.

— Ok? E não era pra você estar feliz com isso? - Barry perguntou confuso

—Eu falei com Joe e fui pedir a bênção dele. Você sabe o quanto isso é importante pra ela...Enfim, ele disse que não. - Eddie diz deixando Barry surpreso. - Você podia tentar conversar com ele. Quem sabe ele ouça você.

— É...Claro - Barry concorda.

Eddie era um cara legal, Barry tinha que admitir isso, e ele também fazia bem a Iris. O velocista não entendia o por que de Joe não aprovar o casamento. Ele não tinha certeza se faria alguma diferença, mas iria conversar com Joe, pelo menos para poder entender.

— Obrigado cara. - Eddie agradece.

...

O dia passou rápido e sem nenhum contratempo. A noite estava chegando e com ela Barry ficava cada vez mais nervoso. Ele apenas iria sair com Cait, não havia porque do nervosismo. Era isso que ele tentava se convencer, mas a verdade era que aquele seria oficialmente o primeiro encontro dos dois e ele queria que tudo fosse perfeito.

Assim que saiu da delegacia, Barry partiu para uma das mais difíceis missões que ele poderia ter: Organizar um encontro. Ele já tinha algo em mente e agora só faltava colocar seu plano em pratica, o que consistia em um certo velocista correndo pra lá e pra cá em sua cidade.

Depois que terminou o que tinha que fazer. Barry correu para casa para se arrumar. Ele já estava de saída, quando trombou com Joe.

— Barry? Esta bonito, vai a algum lugar? - O detetive indaga curioso.

— Eu meio que tenho um encontro. - Barry responde com um sorriso no rosto.

— Linda? - West pergunta, querendo saber se o plano de Iris de juntar os dois deu certo.

— Não, Caitlin! - Barry corrige.

— Caitlin? Snow? Dra Snow? Do Star Labs? Essa Caitlin?

— Exatamente!

— Eu não sabia que vocês dois estavam tipo... saindo

— Tudo é bem recente... Eu realmente gosto dela e ela me faz bem.

— Então... O que esta esperando. - Joe diz fazendo sinal para que Barry saísse.

O velocista estava quase indo, quando se lembrou do pedido de Eddie.

— Joe? Por que você disse não?

— Não? - O detetive repete sem entender o sentido da pergunta.

— Pro Eddie...Quando ele pediu sua benção. Por que disse não?

— Você não precisa se preocupar com isso agora - Joe tenta sair do assunto.

Barry cruza os braços e faz cara de alguém que não irá desistir.Por fim Joe se dá por vencido.

— Porque ela dirá sim. Quando ele pedir, ela irá aceitar e um dia se dará conta de que cometeu um erro e se casou com o cara errado, mas mesmo assim ela continuará com ele, porque fez uma promessa. Ela não o ama de verdade. Eu não posso concordar com isso sabendo que ela ama outro e só não assumiu isso porque passou a vida inteira sendo amiga dele, e ainda não entende a dimensão do que sente.

Barry fica em silencio por um tempo, tentando compreender o que acabou de ouvir.

— Espera, deixa eu ver se entendi. Você esta insinuando que ela gosta de mim?

— Eu a conheço Barry... Talvez melhor que ela mesma. Eu não estou insinuando, eu estou afirmando.

— Você esta errado!... eu espero que esteja. Amei Iris por tanto tempo que não consigo distinguir o quanto tempo era o sentimento, e o quanto eu só estava tão acostumado que não notei que tinha acabado. - Barry pausa e depois continua. - Ela foi o meu primeiro amor e eu achei que seria pra sempre, mas Caitlin... Iris foi meu primeiro amor, mas não é o último.

— Você esta dizendo que ama Caitlin?

— Sim, eu estou... E tenho certeza disso. Com ela é como... Não importa o quão difícil as coisas estejam o quão perdido eu possa estar, se ela estiver do meu lado, eu sinto como se pudesse vencer tudo... Eu não tenho medo, é como se ali fosse o meu lugar, como se finalmente estivesse em casa. Hum...É algo que não consigo explicar em palavras, só...Só sentir.

— Bom... Então espero que ela te faça feliz... E Barry? Não seja idiota dessa vez. Se você realmente sente tudo isso que me disse, não a deixe ir - Aconselhou. - E o que você esta esperando, não tinha um encontro pra ir?

Barry sorri e some da vista de Joe em segundos.

...

Caitlin havia trocado de roupas mais de sete vezes. Ela andava de um lado pra o outro, visivelmente nervosa. Ela já estava pronta a alguns minutos e tinha se decido por um vestido preto rodado, um pouco acima do joelho e um sobretudo cinza. O sobretudo não era tanto pelo frio, já que a noite não estava gelada, e depois da descoberta de seus poderes, ela também descobriu que era imune a este. Ela usava a peça com o propósito principal de impedir que o vento acabasse levantando seu vestido.

Barry estava a alguns minutos atrasado. Cait já esperava por isso, afinal era de Barry Allen que estamos falando. Apesar disso ela não teve que esperar por muito mais tempo. A doutora ouviu batidas em sua porta e se apressou para abri-la. O velocista estava do outro lado com uma das mãos escondida atrás das costas e assim que a viu abriu um grande sorriso.

— Você esta linda! - Ele elogia e lhe estende uma rosa vermelha.

— Obrigada! - Ela responde corando, depois pega a rosa e deposita um beijo casto nos lábios dele.

— Pronta? - Barry pergunta.

— Sim - Ela responde fechando aporta atrás de si. - Pra onde vamos? - pergunta depois.

— Isso é surpresa. - Ele responde a pegando no colo.

Caitlin gostava de quando ele fazia isso. Mesmo que costumeiramente fosse uma maneira de se locomover e nunca durar muito tempo, ela gostava daquela proximidade.

— Feche os olhos. - Barry pede e Cait o olha desconfiada.- Eu já disse, é uma surpresa

Por fim ela se da por vencida e fecha seus olhos, afundando sua cabeça no obro dele, sentindo assim o perfume amadeirado que tanto gostava invadir suas narinas. Ao constatar que ela fechou seus olhos. Barry usa sua super velocidade para leva-la até o local que havia preparado. Em pouco segundos ele chega e a coloca no chão devagar.

— Ainda não abra - Ele pede, enquanto a posiciona na direção da vista da cidade. - Agora pode abrir.

Num primeiro momento Caitlin ficou sem palavras. Eles estavam no topo de algum prédio no meio da cidade. Acima deles as estrelas brilhavam sem uma única nuvem para encobri-las. Abaixo, ela podia ver as luzes da cidade criando um verdadeiro espetáculo visual. Apesar de se encontrarem no centro, ali em cima era silencioso o suficiente pra criar uma atmosfera mágica. Aquela com certeza era uma das vistas mais belas que ela já havia visto.

— É lindo - Ela por fim disse se virando pra olhar para ele.

Ao se virar ela reparou em uma mesa posicionada bem no centro do local, pronta para um jantar a dois, iluminada por velas postas em potes de vidro, posicionadas em volta do local.

— Quando fui acende-las acabei descobrindo que em locais altos costuma ventar um pouco. - Ele diz se referindo as velas

— Você fez isso? - Ela pergunta sem desviar os olhos do local.

— Sim... Eu queria fazer algo especial para o nosso primeiro encontro. Eu sei que é simples, mas...

— É perfeito - Ela o interrompeu - Um jantar a luz de velas, abaixo das estrelas e com uma vista de tirar o fôlego, isso não é simples. É uma das coisas mais românticas que já fizeram por mim.

— Então você gostou? - Ele pergunta.

— Se eu gostei? Deixa eu te mostrar isso. - Ela diz enquanto coloca seus baços nos ombros dele e o beija com paixão.

Quando eles se separam em busca de ar, Barry entrelaça suas mãos e a leva em direção a mesa. Ele puxa a cadeira para ela se sentar como um verdadeiro cavalheiro e se senta de frente para ela.

— Você cozinhou? - Ela pergunta ao provar a deliciosa comida em seu prato.

— Não... Eu queria que o jantar fosse um sucesso. - Ele admite.

— Então Barry Allen não sabe cozinhar? - Ela pergunta sorrindo.

— Minhas habilidades na cozinha se resumem a panquecas - Ele diz e ela ri. - Para seu conhecimento elas são muito boas. - Ele fala tentando fazer uma pose de ofendido, mas é traído pelo risada que insiste em escapar.

— Bom saber - Cait responde e nesse clima leve ambos continuam seu jantar.

...

Enquanto para Barry e Caitlin aquele era uma noite mágica. Para Wells era uma grande preocupação. O futuro que antes ele conhecera estava prestes a desmoronar e ele precisava agir antes que fosse muito tarde. Então o velocista amarelo partiu em sua busca por Cisco, querendo ou não aquele garoto agora era uma parte importantíssima para seu plano funcionar.

Caitlin havia feito um excelente trabalho em esconder o engenheiro, mas o que ela não sabia, era que com a dedicação necessária, Wells conseguiria achar qualquer coisa. Não era tão fácil esconder algo que já havia acontecido a séculos. O presente de ambos, era o passado de Wells e com ajuda da tecnologia do futuro ele encontrou quem procurava.

Foi extremamente fácil invadir a instalação onde Cisco se encontrava. Para um velocista, os limites implicados aos seres humanos simplesmente não lhe eram aplicados. Quem passasse pelos corredores do local se depararia com varias pessoas caídas no chão, nocauteadas pelo reverso antes que pudessem sequer entender o que lhes acontecera.

O homem na roupa amarela, estava de frente a cama de Cisco com um injeção em sua mão.

— Sabe o que é engraçado? Eu te coloquei nessa situação e agora sou obrigado a te tirar dela... Caitlin e Eddie se tornaram grandes pedras no meu sapato, estão destruindo o futuro de onde eu vim. Eu não tenho muito tempo, preciso agir logo, então preciso de você. Preciso que construa algo... Que me ajude e você vai fazer, mesmo sem saber. - Ele diz enquanto injeta o liquido da seringa nas veias de Cisco.

— Esta na hora de retornarmos. - Ele diz antes de correr pra fora dali e de Cisco finalmente despertar.



Notas finais do capítulo

E então?? Vocês me perdoam pela demora? Ainda estão acompanhando? Eu espero que sim. Até os próximo capítulo ou até os comentários. Bjss!