Minha menina escrita por tati keli black


Capítulo 1
Capítulo unico




Capitulo único



-NÃO, NÃO ,NÃO- eu gritei desesperado, puxando os cabelos, ato que eu faço quando estou nervoso, como pode ser uma garota de apenas 17 anos fazer eu ficar louco assim, como pode ela é amiga da minha filha é apenas 1 ano mais velha que a Clair, nesse instante entra Clair e ela no meu quarto correndo.

-Papai!!! Aconteceu alguma coisa? O senhor está bem?- olhei pra elas asssustado

-Ah... sim querida está tudo bem sim, é que.... deixa pra lá – olhei pra ELA tão linda, ali no meu quarto, AO LADO DA SUA FILHA JACOB ACORDA!! – desculpe se assustei vocês.

-Tudo bem papai, eu já estava vindo mesmo aqui, sabe o que é já está tarde e tio Edward está de plantão

-Como sempre – disse Ela linda revirando os olhos, e que olhos verdes penetrantes lindos

-Papai? – meu deus to ficando louco

-Sim querida?

-Então você pode?

-Pode o que?

-Leva-la em casa- disse apontando pra Reneesme- sabe é perigoso ela ir sozinha, é perto mas ta tarde e parece que vai chover- dei uma risada

-Claro querida levo sim - olhei pra ela – vamos?

Clair se virou e foi saindo do meu quarto, e Reneesme me olhou

-É....., tio Jake?- quando ela me chama assim eu fico maluco, olhei pra ela- você vai assim?- apontou pra mim, olhei e me assustei, meu deus estou só de cueca boxer

- Cassete!! desculpe Reneesme, nem percebi- falei pegando minha calça que tava em cima da cama

-Ah! Papai deixa de ser puritano, acha que ela já não viu um homem assim?- não gostei disso, olho pra ela e ela está vermelha de vergonha, olho pra Clair que começa a rir- qual é papai, você acha mesmo que nós nunca vimos homem de sunga, porque essa cueca e sunga não tem diferença- respirei aliviado

-Ah! Entendi, mas mesmo assim , me desculpe- falei olhando pra Reneesme

-Tudo bem tio, eu que entrei no seu quarto feito uma louca com a Clair

-ok então vamos?

-Claro vou pegar minhas coisas no quarto da Clair.- eu assenti e saímos do quarto

Lembro do dia em que ela chegou aqui em casa com a Clair, linda de vestidinho florido, cabelo amarrado num rabo de cavalo alto na cabeça, mesmo Assim pude perceber seu cabelo ruivo lindo, ela estava linda o vestido era soltinho mas dava pra perceber que ela tinha curvas, muitas curvas, nem parecia uma garota de 17 anos.

Sai dos meus desvaneios com ela descendo a escada, linda com um vestido rosa soltinho também que vai até a metade da coxa, nossa nem tinha percebido que ela estava assim tão linda

-Vamos tio?

-Claro, cadê a Clair?

-Ta no telefone com o namorado- ela colocou a mão na boca assustada

-O QUE? NAMORADO? COMO ASSIM ELA NÃO ME DISSE NADA.

-ahhhh! Droga desculpa tio, não briga com ela! Eu sinto muito ela ia te falar mas ta com medo de você não deixar

-Claro que não vou deixar, como assim namorado, eu vou subir lá agora!- ela largou as coisas no sofá e correu e ficou no primeiro degrau da escada me impedindo de passar

-Não tio não faça isso, ela vai me matar por eu ter te contado

- Não vai não, deixe eu passar Reneesme, tenho que falar com ela

-Não tio por favor- ela falou chorando – por favor não faça nada contra ela, na realidade ela não ta namorando, o cara não quer – olhei pra ela sem entender- é que tem um probleminha entre eles e ele ta meio que inseguro- falou olhando pra baixo, ai levantou a cabeça e me olhou nos olhos quando ela me olha nos olhos fico louco de vontade de beija la, JAKE FOCO- sabe tio eu sei o que é amar e não ser correspondida, não ter nem chance de ter essa pessoa do seu lado, é difícil ter o homem da sua vida tão perto e tão longe- agora ela até soluçava de tanto chorar, a abracei foi involuntário, ela correspondeu ao abraço me abraçando forte, mas eu não gostei de ouvir ela falar que amava outro que, outro era o homem da sua vida isso doeu muito, foi então que eu percebi, que eu estou amando essa garota que está em meus braços, ISSO IDIOTA UMA GAROTA, que acaba de te falar que ama outro, claro você queria o que? Ela é nova acha que iria olhar pra você?

-E como você sabe que ele é o homem da sua vida? Você não é muito nova pra isso?- na realidade eu não acho, acho tanto ela quanto a Clair super maura pra idade e acho que ela pode sim ter conhecido o homem de sua vida aos 17, com minha irmã foi assim, ela se apaixonou pelo Paul com 15 anos, e a Leah que está com o Embry desde os 13 anos, eu que achei a mulher/garota da minha vida com 34 anos, o problema é que ela tem 17.

-Eu sei porque quando eu estou perto dele, fico louca pra beija-lo, só dele olhar pra mim sinto um frio na barriga quando ele me toca fico toda arrepiada, e quando ouço sua voz sinto borboletas no estomago. – tudo o que eu sinto por ela, que irônico ela falando o que sente por um cara, o mesmo que eu sinto por ela, sorri com a minha desgraça, ela me olhou brava, e se afastou de mim.

-Acha que eu sou uma garota boba e romântica?

-Claro que não, eu apenas sei o que você sente, mas porque você disse que ele estava perto e longe? Ele não sabe que você o ama?

-Não posso falar, ele vai me achar boba, é um amor impossível, eu apenas tento esquece-lo, como não posso estar com ele e nem me afastar.

-Não pode se afastar dele?- ela disse não com a cabeça e vejo lagrimas escorrer de seus lindos olhos

- É muito complicado, mas apesar de sofrer eu gosto de estar perto dele me sinto bem sabe.

-Nossa deve ser difícil, essa situação- eu sei como é quando eu sei que ela está aqui eu as vezes chego mais tarde,e de final de semana quando ela vem pra ficar na piscina com a Clair eu vou pra casa dos meus amigos tento me afastar dela o Maximo

- É sim, mas eu tenho uma válvula de escape quanto ta muito difícil- ela coloca a mão na boca e me olha assustada

- Como assim? O que você faz? - Ela coloca a mão na parte de dentro do seu braço e eu percebo que seu vestido rosa que é de manga comprida ta com um pouco de sangue- o que é isso?- apontei pro seu braço

-nada não – e colocou o braço pra trás

-Me deixa ver seu braço- ela negou com a cabeça- vamos Reneesme me mostra esse braço.- puxei seu braço com um pouco de força, ela gemeu de dor – Desculpe – puxei a manga do seu vestido pra cima – e me assustei ao ver um curativo cheio de sangue no seu braço- Mas o que significa isso? Porque fez isso- olhei pra ela e vi Clair vindo como doida

-Não acredito que você continua fazendo isso?- Clair gritou com ela até me assustou, e ela começou a chorar, de cabeça baixa, Clair me empurrou ficou na frente dela e rasgou a outra manga do vestido, nunca vi Clair tão brava, no outro braço tinha cicatrizes de cortes- Você tinha prometido que nunca mais faria isso Reneesme, o que aconteceu? Foi por ele? Esse desgraçado, porque não se abre logo com ele? Ficar sofrendo sozinha- ela olhou pra Clair – certo pelo menos eu e Quil sofremos juntos, mas e você? Nem sabe se ele gosta de você- ela riu e negou com a cabeça

- Pelo menos se abre comigo fala quem é esse cara- Clair gritou na frente dela eu puxei Clair da frente de Reneesme a puxei, e coloquei no sofá senta e a abracei ela me abraçou chorando

-Não posso você não entenderia, na realidade você já sabe de mais

-Como sei demais?- Clair andava na nossa frente de um lado pro outro- você não me contou nada só disse que ele era mais velho que me entendia, entendia sabia exatamente o que eu tava sentin... – de repente ela parou arregalou os olhos – Meu deus, é o Quil não é? É dele que você gosta?- Reneesme me soltou o olhou pra Clair assustada

-NÃO ! O Quil claro que não Clair, ta maluca?

-Claro que é, você disse que ele é mais velho e que eu não lhe perdoaria, mas a ficha caiu agora.

-Clair não é o Quil, juro- eu estava ali meio que tentando entender tudo, mas totalmente perdido na conversa das duas , e Clair ali parada olhando pra mim e com Reneesme em meus braços, pois eu a puxei novamente pra abraça-la e ela veio, sei que estou me aproveitando da situação, por ela estar fragilizada mas foi mais forte que eu, de repente Clair começou a rir e balançar a cabeça

-Não acredito sério mesmo Reneesme? Ele? –ela parou de rir- porque não confiou em mim?- e Reneesme se levantou correndo e parou na frente dela- Clair deu um passo pra trás e deu um tapa na cara de Reneesme, que apenas abaixou a cabeça e colocou a mão no rosto eu corri e puxei Reneesme e a abracei ela não retribuiu mas apoiou a testa em meu peito

-Clair! Que isso filha? Por que fez isso?

-Porque ela.. – Reneesme olhou pra Clair e implorou chorando

-Não Clair por favor

-POR FAVOR, esse tapa não é por você amar meu pai – eu congelei como assim me amar?- esse tapa foi por você não confiar em mim, isso aqui – ela puxou os braços de Reneesme pra mostrar os cortes- isso poderia ser evitado se você confiasse em mim, eu te contei do Quil, eu chorava em seu colo por ele não querer ficar comigo porque é mais velho e amigo do meu pai, mas você fez isso? Você veio e foi sincera comigo? Não,você ficou lá se cortando sofrendo sozinha por ser burra- ela soltou o braço de Reneesme- quer saber eu vou subir pra não quebrar sua cara vou ligar pro seu pai e dizer que você vai dormir aqui já que ta chovendo. - disse subindo a escada.- eu ainda estava como bobo sem acreditar minha menina me ama e também sofria por mim

-Que? Como assim? Você ta com raiva de mim e quer que eu durma aqui?

-Sim mas não no meu quarto, ainda estou brava com você. – eu estava sorrindo como bobo

-Mas Clair não to entendendo, porque voc... – Clair parou no meio da escada e deu um sorriso

-Não ta entendo porque é burra, olha só a cara de paspalho apaixonado do meu pai- Reneesme me olhou sorriu e abaixou a cabeça- viu burra não precisava de sofrer tanto e se cortar, o velho ai ta apaixonado por você sua boba, agora vocês vão ficar ai e se entender de uma vez, e falei sério de você dormir no meu quarto.

-Mas Clair, onde...

-A cama do meu pai é grande eu sei que tem um espacinho pra você lá, vou pegar um pijama e uma toalha e levar lá no quarto dele pra você tomar banho pra poder conversar, vocês precisam.

-Clair filha – a chamei – você sabe que eu vou querer saber essa história sua com o Quil né?

-Sei sim papai, mas acho que agora você tem que se resolver com ela primeiro.

-Certo pode deixar – eu disse olhando pra Reneesme e passando os dedos em seu rosto e ela fechou os olhos, ouvi Clair me chamar

-Papai- olhei pra ela- sabe o Quil queria vim falar com você eu que estava com medo da sua reação, sabe por isso que nós brigamos hoje- eu assenti com a cabeça- não briga com ele não

-Vou pensar no seu caso- ela sorriu

-Obrigado- eu sorri pra ela e olhei pra Reneesme

-Acho que nós temos que conversar certo?

-É preciso mesmo tio?- dei uma risada

-Não me chama de tio assim garota- ela corou e olhou pra baixo

-Desculpa, não é que eu te acho velho, acho que é costume- sorri pra ela

-Eu não me acho tão velho assim, é que quando você diz isso- ela me olhou sem entender eu sorri e cheguei mais perto dela e me abaixei pra falar em sua orelha – é que eu fico loco pra te agarrar e te beijar, você não tem noção de como você mexe comigo bebê

-Bebê? Agora eu sou bebê é?

-É sim, é meu bebê.

-Ok então tio, tudo bem

-Garota não brinca com fogo, já te falei o que isso causa em mim

-Falou tio, você disse que tinha vontade de me beijar, mas sabe o que é? Acho que o bebe aqui quer ser beijada, tiooo!- com essa não aguentei puxei ela pra perto de mim e grudei nossos lábios, só isso já me deu um arrepio, meu deus pareço um adolescente de 15 anos, ela colocou os braços em meu pescoço e se grudando mais em meu corpo, coloquei minha mão na sua cintura e a outra em sua nuca enroscando os dedos em seu cabelo, ela também segurou meu cabelo com força e me puxou pra ela, nossa que beijo, com um simples beijo ela já me deixou assim todo duro, tentei me afastar dela para ela não perceber e se assustar, mas ela não deixou, e levantou os pés pra ficar mais alta eu a levantei e ela passou as pernas na minha cintura, isso fez nossa intimidades se tocar, o que nos fez gemer, soltei um pouco seus lábios e olhei em seu rosto ela tava vermelha

-Acho que de bebê, meu bebe não tem nada né?

-Pode ter certeza que não, e de tio, o meu tio não tem nada né? – ela disse rebolando nos fazendo gemer.

-Bebe acho melhor parar com isso, não vou conseguir me controlar com você fazendo isso e me chamando de tio, isso é muito excitante.

-é mesmo tio?- ela disse rebolando – não quero que meu tio se controle não

-Ah é pimentinha- ela rio e jogou a cabeça pra trás eu dei um beijo em seu pescoço ela gemeu.

-Ah tio Jake.

-Chega de graça, vamos lá pra cima.

-Aleluia, demorou tio- essa eu não aguentei e a beijei subindo a escada, com ela presa a minha cintura, entrei no quarto e deitei com ela na cama ficando por cima dela, não sei ao certo o tempo que ficamos ali, só percebo que estávamos em um amasso muito bom quando ouvi Clair pigarrear, eu estava entre as pernas de Reneesme, com a uma mão apertando sua coxa e a outra na sua bunda por baixo do vestido, na realidade i vestido dela tava levantado na cintura, dava pra ver a calcinha branca minúscula que ela usava, eu estava sem camisa e ela arranhando minhas costas com vontade, me sentei, pois tava muito duro pra minha filha me ver assim, Reneesme, arrumava o vestido e sentava feito índio na minha cama, Clair começou a rir

-Desculpa mais a cena foi engraçada sabe, nunca imaginei ver meu pai e minha melhor amiga nesse amasso.

-Desculpa Clair, nós estávamos é...

-Conversando? Eu vi Reneesme o que vocês estavam fazendo- ela rio- bom vim trazer uma camisola pra você, liguei pro seu pai ele vai ficar de plantão e sua mãe também, então ele até gostou de você estar aqui, coitado mal sabe que você está na toca do lobo – ela disse fazendo não com a cabeça e já ia saindo. – desculpa por entrar eu bati mas vocês não responderam

-é Clair eu sei que você sempre teve essa intimidade em entrar no meu quarto sem bater- ela iria falar mas eu não deixei- eu acredito que você tenha batido na porta, mas sabe é que agora é diferente antes eu nunca trouxe uma mulher aqui- ela levantou uma sobrancelha – to falando pra dormir, elas não passavam da sala, eu sabia que não era nada que era passatempo não valia a pena e não iria durar o relacionamento então nunca quis que você presenciasse mulheres saindo daqui assim, mas agora é diferente – olhei pra Reneesme- com minha pimentinha eu sei que vai durar pra sempre sedepender de mim- olhei pra Clair de novo e falei – então você terá sempre que bater.

-Tudo bem papai, pode deixar.

-Querida e pra você essa situação- apontei pra mim e pra Reneesme- tudo bem pra você ou tem algum problema?- vi Reneesme abaixar a cabeça com medo da resposta de Clair, pra dizer a verdade eu mesmo estava apreensivo.

-Como eu disse é meio estranho, mas eu me acostumo, não se preocupe, não tenho nada contra papai, só não quero que vocês se machuquem, eu amo os dois, quero vê-los felizes, agora cuide dos braços da minha amidrasta direitinho

-Sua o que?- Reneesme perguntou

-Amidrasta, amiga com madrasta- rimos da Clair- vou indo se virou foi até a porta e voltou- ah!! Quase esqueci toma – colocou na minha mão uma fileira de pacotinhos de preservativo.- olhei pra ela assustado – que foi muito cedo pra eu ter um irmãozinho, fora que tio Edward te mataria ai eu ia ficar órfã e teria que ir morar com a minha amidrasta.- não acredito que minha filha anda com tanto preservativo assim.

-Posso saber o porque da senhora estar com esses preservativos?

-Deram na aula de educação sexual, ora essa!

-Tantos assim?

-Não eles passaram um pote ai quando eu peguei uma veio assim uma fileira então eu peguei

-Acho que eu vou ter que matar o Quil aquele filho da puta, como ele ousa, eu sabia que ele tava apaixonado, disse que era complicada a relação de vocês, mas não teve a capacidade de falar pra mim, que era minha filha, ele mentiu pra mim, nossa vou acabar com ele- eu estava muito nervoso

-Calma pai eu já disse que eu não queria que ele falasse com você, a culpa foi minha

-Por isso que ele tava me evitando , faz quanto tempo que vocês - fechei os olhos-= quanto tempo que vocês estão juntos?

-Papai!

-Quanto tempo Clair?

- Cinco meses- arregalei os olhos- vocês estão namorando?- ela concordou com a cabeça- estão se prevenindo?- levante os preservativos e fechei os olhos com medo da resposta, ela rio

-Não papai não estamos nos prevenindo não- abri os olhos

-Eu vou matar aquele filho da Puta, como ele ...

-Papai, não nos prevenindo porque não tem o que prevenir, ele disse que não vai fazer nada comigo antes de falar com você, ele me respeita, e te respeita acima de tudo, não se preocupe- ela colocou a mão na cintura - mas o senhor é bem hipócrita né? Não podem comer sua filha, mas você pode comer a filha do tio Edward né?

-Eu não fiz nada, e que palavriado é esse?- ela riu

-não fez porque eu cheguei, senão essa hora já tinha até encomendado meu irmão, pois eu sei que não tem preservativo aqui no seu quarto né, e o palavriado aprendi com ela- e apontou pra Reneesme, ela olhou pra mim deu de ombros

-Tio Emett, e tio Jasper

-Tá, mas com relação a isso- mostrei pra ela o preservativo- como sabe que eu não tenho?

-Quem limpa seu quarto? Eu sei tudo o que tem aqui

- agora essa ai anda muito com o tio Em, só fala palavrão e de sexo como se fosse homem

-E você não fala?-Disse Reneesme olhei pra Clair

-Clair!- ela rio e deu de ombros olhei pra Reneesme – então quer dizer que eu arrumei uma namorada boca suja?- Ouvi as duas gritarem

-Namorada?

-mas é claro! – olhei pra Reneesme- a menos que você não queira- ela pulou em meu colo

-é claro que eu quero

-essa é minha deixa to indo, boa noite, cuide de sua namorada- olhei pra ela sem entender

-os braços- ela disse apontando pros braços de Reneesme- e se fizer isso novamente, não me importa de ser minha amidrasta, eu te quebro a cara!

-pode deixar, boa noite Clair

-boa noite filha

-boa noite

Me levantei coloquei os preservativos na gaveta ao lado da cômoda, estendi os braços pra ela

-vem você vai tomar banho aqui e eu vou no quarto de hospedes, ou você prefere tomar banho lá e dormir lá?

-não eu quero dormir aqui com você- sorri porque era o que eu queria também, mas não iria forçar ela a fazer nada, e sei que apenas dormir ao lado dela na seca que eu tô vai ser difícil, mas eu sei que vai valer a pena por ter ela em meus braços a noite toda

-certo então vai tomar banho, que eu vou...

-a Clair mandou você cuidar de mim, isso acho que inclui, dar banho cuidar de meus machucados e me colocar pra dormir, você não acha tio?- sorri e percebi que essa pimentinha ia me dar trabalho

-acho melhor não, eu não sei se eu aguentaria

-iria ser muito sofrimento tio?- sorri ela ta me provocando

-sinceramente iria- ela deu de ombros e virou pra cama pegou a toalha e abaixou o ombro do vestido deixando ele escorregar até o chão fiquei em choque, que corpo é esse, ela tava sem sutiã isso eu já tinha percebido, já tinha pegos nos seios dela , mas ver aqueles bicos rosados, durinhos me deixou maluco, olhei pro rosto dela, ela estava mordendo o lábio inferior

-tudo bem tio eu tomo banho sozinha – e se virou pra ir pro banheiro, não aguentei ver aquela bunda.

-Droga pimentinha assim você me mata- disse já agarrando ela por trás- vamos tomar banho – falei em sua orelha senti ela arrepiar e a apertei contra mim

-Nossa tio, você ta todo animadinho já?- disse rebolando no meu membro, e gemendo

-Pimentinha assim não dá, não vou me controlar, vou lá pro outro quarto, me virei pra ir embora- ela me puxou

- nada disso tio- e me deu um beijo, e a puxei e coloquei sentada na pia, ela abriu as pernas e eu me encaixei entre elas, ela passou as pernas por minha cintura me puxando mais, soltei seus lábios, e fui descendo beijos até chegar em seu seio direito e apertando o esquerdo com a mão ela jogou a cabeça pra trás e puxava minha cabeça pra ela e gemia, isso me deixava doido

-isso tio, me chupa gostoso, ahhhh!! – meu deus o que aconteceu com a minha garotinha tímida?

Mas eu não posso fazer isso, tenho que falar com Edward primeiro, então me afastei dela, que me olhou nervosa.

-Desculpa meu bebe mas não posso fazer isso, tenho que falar com o seu pai primeiro- ela me olha com uma carinha de dar pena eu aliso seu rosto com o dedo – você me estende né? Depois eu me sentiria mal, não estou te rejeitando, eu te amo e quero muito te fazer minha mulher e quando isso acontecer eu vou ser o homem mais feliz do mundo, e vai ser pra semre porque nunca mais vou deixar você sair da minha vida, entendeu meu amor? – ela confirmou com a cabeça e sorrio

-Entendi sim, se acontecesse algo entre nós você iria ficar se sentir culpado.

-Isso, mas você entendeu que eu não estou te rejeitando né?

-Entendi sim, não se preocupe não vou ficar pensando besteira, entendi que você quer falar com o meu pai primeiro, assim como o Quil quer fazer com você.

-isso mesmo, agora vamos tomar banho?

-claro – ela disse pulando da pia e indo pro Box do banheiro

Depois de eu ter cuidado dos machucados dela, nós dormimos juntinhos na minha cama, foi tão bom sentir ela ao meu lado, acordamos com a Clair pulando em cima de nós.

-Bom dia papai, bom dia amidrasta!, acordem!!!

Olhei pro relógio é muito cedo

-Ah! Qual é Clair, ta muito cedo.

-É mas eu sei que o senhor vai querer falar logo com o tio Ed, e com a tia Bella.- olhei pra ela e sorri, Reneesme sentou e arregalou os olhos

-Já vai falar com eles?

-Claro que vou, tenho muita pressa. – sorri safado e ela entendeu

-Ah! Qual é pai vai fazer igual o Quil? Sexo só depois que falar com o pai?

-sim e ele só vai continuar vivo porque me respeitou

-Credo pai.

-O que não tenho culpa que vocês foram bobos de me esconder, mas ainda quero falar com ele o mais rápido possível

-sim senhor, vem Ness vamos nos trocar.

Reneesme levantou e me deu um selinho e foi com a Clair, eu ri devo estar louco namorando com a amiga da minha filha, levantei e fui tomar banho, estava tomando café quando desceu Ness e Clair que estava no telefone.

- Tabom também te amo – ela me estendeu o telefone – pra você. – Peguei da mão dela, já sabia que era o Quil

-Alô.

- Bom dia Jake, precisamos converçar - percebi pela voz que ele tava nervoso.

-Sério? Porque? Você fez algo que não deveria? Tipo me escondeu algo? – Clair me olhou assustada, e Reneesme com cara feia.

- Jake é que... eu, eu... Poxa Jake eu sei que agi mal, mas eu queria...- cortei ele não o deixando falar.

-Queria vim aqui e falar comigo cara a cara e não por telefone, te espero hoje de noite- disse e desliguei o telefone.

-Pai você desligou na cara dele! – devolvi o telefone pra ela

-Sério se você não tivesse falado eu não teria percebido – ela revirou os olhos e voltou a comer

-Não precisava disso Jake – disse Reneesme - Não se esqueça que o meu pai não é tão liberal quanto você e se você ficou assim imagina ele como vai ficar – olhei pra ela e levantei uma sobranselha

-Sabe porque eu estou bravo com ele – disse apontado pra ela – ela concordou com a cabeça – seus pais sabem disso? – disse apontando pros braços dela.

-Sabem – ela concorda com a cabeça – e minha mãe sabe qual é o principal motivo – arregalei os olhos ela sorriu – mas ela não sabe que é você, mas ela disse que se o cara não fosse casado não teria problema. Na realidade acho que ela desconfia que seja você.

-Isso vamos ver daqui a pouco, vamos? – elas concordam com a cabeça e saímos de casa

-Pai vou com o meu carro direto pra escola – disse sorrindo

-Por acaso essa pressa toda é por causa do seu padrinho que estaria esperando você na escola? – ela arregala os olhos – Acha que eu esqueci que aquele traira é seu padrinho?

-ah papai não começa.

-To brincando vai lá, e lembre ele que tem que vim de noite falar comigo

- Pode deixar , Hamm papai nós podemos, tipo assim namorar lá na frente da escola? Agora que você já sabe, podemos parar de nos esconder?

-Fazer o que né, pode sim mas sem gracinha na frente da escola.

-Sim senhor pode deixar, tchau papai, e boa sorte com o tio Ed, tchau Ness.

-tchau Clair!

-tchau filha.

Quando chegamos na frente da casa da Ness, vimos o carro dos pais dela, ela me olhou nervosa

-Tem certeza? Podemos esperar – neguei com a cabeça – mas e se elea não deixarem?

-vou brigar por você até o fim, mas preciso saber – peguei no queixo dela pra ela olhar bem nos meus olhos – você realmente quer isso – apontei pra nós dois – você sabe que seus pai vão ser apenas o começo, que as pessoas vão ser bem preconceituosas, você tem idade pra ser minha filha e isso vai ser algo muito difícil na nossa relação, inclusive eu posso der preso, mas por você eu vou até o fim, mas preciso saber se você está comigo nessa, você tem que saber que nossa relação vai estar na boca de todos, seus amigos provavelmente vão achar estranho alguns nojento o fato de você se relacionar com alguém que tem idade pra ser seu pai – ela riu

-Na realidade as meninas aqui da escola vão ficar com inveja de mim, você não tem noção de como essa meninas te acham gostoso – sorri com isso – e se me zurarem, não são meus amigos de verdade, e o que realmente importa pra mim é meus pais e a Clair, o resto não to nem ai, e eu sei que nossa relação não vai ser fácil, mas eu quero muito, e não me importo com o preconceito das pessoas.

-ótimo, então vamos enfrentar o primeiro obstáculo, as feras.

-Claro – ela disse me dando um selinho e saindo do carro

Entramos na casa e Edward e Bella estavam na sala, provavelmente esperando a filha, e acharam estranho quando eu cheguei com ela

-Bom dia mamãe, bom dia papai.

- Bom dia princesinha – disse Ed – já vi que vai ser difícil dele aceitar que sua princesinha namore o lobo mal aqui – Bom Dia Jake

-Bom dia meu amor, bom dia Jake, ao que devemos a honra de sua visita logo cedo, ela aprontou algo? Perguntou Bella

-Bom dia, ela não aprontou nada – vi Bella arregalando os olhos ao olhar Ness, e correndo em sua direção

-O que é isso? – disse pegando os braços dela, como a Clair rasgou o vestido dela ontem ela acabou arrancando a outra manga então dava pra ver o curativo que eu fiz ontem – você disse que não faria mais, o que aconteceu?

-Mamãe eu não vou fazer mais

-Você disse isso da última vez, mas olhe aqui, você fez novamente – disse Edward – foi por isso que você veio aqui? – ele perguntou olhando pra mim – eu disse pra Bella que a Clair sabia o porque dela fazer isso, você descobriu e veio nos falar né? Pelo amor de deus diz que é isso – Edward disse quase chorando.

Olhei pra Reneesme - vai tomar banho e fazer outro curativo, que eu te levo pra escola - ela balançou a cabeça e subiu correndo, olhei pro Edward e pra Bella, agora o bicho vai pegar.

-Bom essa conversa não vai ser fácil- Edward me apontou o sofá sentei e respirei fundo – a Clair realmente sabia que ela se cortava, mas não sabia porque

-Duvido , ela pode não saber quem é o cara que ela é apaixonada, mas sabe que ela é apaixonada por alguém.

-É realmente ela não sabia quem era a pessoa, mas nós descobrimos ontem, e é por isso que eu estou aqui, ontem lá em casa ela ficou nervosa e deixou escapar, eu fiquei muito surpreso, Clair também, mas...

-Meu deus é claro como eu fui burra por não perceber, ela sempre se arrumava pra ir na sua casa, sempre queria ir pra lá ficar com a Clair, e me disse que era um amor proibido, eu achei que era um cara casado, mas não tava na minha cara mas eu não percebi.

- o que Bella, ta tão na cara assim? – ela rio e confirmou com a cabeça.

-claro que sim ela ta apaixonada pela Clair - Edward arregalou os olhos, e eu dei uma gargalhada

- Qual é a graça Jake? Minha filha ta sofrendo por amar sua filha que tem um namorado que ela ama, ou seja minha filha vai sofrer com o coração partido e você fica ai rindo.

-desculpa Bella, mas essa sua teoria é bem engraçada

-Engraçada porque? Nossa filha vai sofrer por ser rejeitada e por, ser lésbica, mas ela ser lésbica não me afeta o que eu quero é ela ser feliz, mesmo gostando de garotas, mas ela ama a Clair que já tem namorado.

-Edward quem disse que ela ama a Clair? Eu não disse isso vocês deduziram isso sozinhos por isso eu ri.

-mas se não é a Clair quem ela ama? – ouvi um barulho na escada e vejo minha Ness descendo e me olhando como pedindo autorização pra falar a verdade – eu sorri e confirmei com a cabeça elea olharam pra ela.

-o pai da Clair? – ela diz eles me olharam e eu sorri pra eles.

- é sério? - Edward perguntou – ela fez que sim com a cabeça – e agora? - ele perguntou pra Bella – olhou pra mim – e você veio aqui pra nos pedir para mante-la longe de você?

-porque eu faria isso?

-porque ela é muito nova e um homem não iria gostar de uma adolescente apaixonada no seu pé? – disse Edward

-claro que não, eu vim aqui pra pedir o contrario que vocês não a afaste de mim, e que vocês me deixem namora –la , sei que sou velho para ela que tenho idade pra ser pai dela, mas não sou, e sei o que vocês estão passando eu estou passando o mesmo, pois a Clair está namorando o Quil. – eles ficaram me olhando como dois bobos, e ness veio correndo pra mim. E me abraçou.

-Isso é sério? Tipo assim vocês querem namorar mesmo, assumir uma relação?

-Sim Bella eu não sou moleque e realmente amo sua filha, não falei nada porque nunca nem em meus sonhos achei que teria chance com ela, mas agora que eu sei que ela me ama eu quero muito isso.

-por isso você fugia de mim? Quando eu ia lá na sai casa você fugia?

-sim, não queria cair na tentação.

-é isso mesmo que você quer filha? E você Jake sabe como as pessoas são más e vão cair em cima de vocês.

-eu sei Edward, e disse isso a Ness, como será nossa relação que as pessoas vão achar, falar e como eu disse a ela eu quero isso, mas eu sou mais velho aguento, inclusive correria o risco de ser preso caso você me denunciasse mas é isso que eu quero e espero que vocês aceitem.

-Bom depois disso acho que não temos o que fazer a não ser aceitar – Disse Bella

-é né fazer o que melhor do que ser lésbica

-Edward!

-O que Bella é verdade, não sou preconceituoso, mas as pessoas são e ela iria sofrer muito mais se gostasse da Clair do que do Jake.

-Isso é verdade – disse Bella

-Então agora você dorme comigo? – ela me perguntou tanto eu quanto o pais dela arregalamos os olhos

-O QUE? – gritaram os dois ao mesmo tempo

- é que ele não quis dormir comigo antes de vim falar com vocês, eu achei uma besteira mas ele disse que quer que o Quil faça o mesmo, então seria muita hipocresia dele fazer o contrario.

-É verdade, mas você não acha muito precipitado assim?

-Claro que não, e não adianta me proibir de ir lá e de dormir lá que eu fujo pela janela. – Edward arregala os olhos e a Bella da uma gargalhada

- ela é igualzinha a você Bella.

-É mas não se preocupe que ele não vai fazer como você não – disse apontando pra mim que não entendi

- Eu sei ele é muito velho pra pular a janela do quarto dela. – começamos a rir

-Eca vamos Jake que eu estou atrasada – pegou minha mão e foi me puxando pra porta

-Quando é com você não é eca né gracinha? – perguntou Bella

-Não comigo é diferente

-Volta pra casa hoje?- pergunta Bella

-Volto? – ela perguntou olhando pra mim fiz que não com a cabeça

-Não, podem aproveitar a noite. – disse rindo

- Obrigado, não é melhor você levar roupa?

-Já peguei mamãe!

-Tô falando que ela é igual a você, juízo os dois.

-Edward, eu vou tentar... – ele me interrompeu

-Não prometa o que não vai conseguir cumprir, já vi que ela é como a mãe, então não prometa apenas não quero ser avô tão cedo. – sorri pra ele

-Pode deixar a Clair já nos deu um estoque de preservativo, disse que se eu ficasse grávida ela ficaria órfã, então quis previnir.

-Ótimo

-Tchau papai, tchau mamãe.

-tchau amor.

-tchau princesa.

Fui até a porta olhei pra traz para Edward e Bella.

-tchau sogrinhos – sorri e fechei a porta e ouvi Edward me xingando e algo batendo na porta, sabia que Bella iria jogar algo em mim.

Sai correndo com o carro e fomos pra escola, chegamos e vimos o Quil e a Clair encostados na moto dele, parei o carro ao lado e todos ficaram olhando, claro a Clair se beijando com o Quil bem na minha frente queria ver barraco.

- Bom dia!

- oi Bom Dia Jake – disse Quil todo sem graça apertando minha mão

-estão todos olhando - disse Ness

-eles querem ver briga – eu disse Quil olhou pra mim assustado – relaxa estou passando pelo mesmo - apontei a Ness que tava abraçando Clair,com certeza por ter dado tudo certo com os pais dela – mas ainda quero conversar com você por ter me escondido – fale sorrindo e ele me abraçou

-Valeu Jake eu tava com medo, e me desculpa por não contar, sabe eu tava era me sentindo culpado por ela ser nova , e minha afilhada.

-Relaxa cara sei que ela está em boas mãos e que você realmente a ama, senão não estaria com ela assim.

-Pode ter certeza, e essa gente se decepcionaram achando que veria briga. Querem ver algo pra comentar depois – disse quando Ness parou do meu lado e a Clair o abraçou

-então vamos dar o que eles querem – falei sorrindo ele me entendeu e beijou Clair, ouvi os coxixo de longe – posso? – perguntei olhando pra ness – sabe como vai ser depois disso se preferir podemos esconder desses curiosos , apontei com a cabeça pra os curiosos que nos observavam.

-Não quero esconder o que eu sinto, não to nem ai pra eles. – disse colocando os braços ao redor do meu pescoço.

-tem certeza?

-Me beija logo porra! – ouvi Quil e Clair rindo.

-Vai lá sogrinho manda ver.

- sogrinho o caralho

-chamar meus pais de sogrinhos póde é?

-Não acredito que você fez isso?- pergunta quil

-pior é que fiz

-Vai me beijar ou não?

-vou sim, seu desejo é uma ordem – disse e a empurrei até o carro e a prensei entre o carro e meu corpo e a beijei – só deu pra ouvir as pessoas coxixando.

Ficamos assim um bom tempo até tocar o sinal da escola, paramos e vimos nova coordenadora olhando para nós do outro lado do estacionamento, olhei pro Quil, peguei a mãe da Ness

-Acho melhor irmos falar com ela logo – ele concordou com a cabeça e fomos em direção da escola de mãos dadas com nossas namoradas a diretora entrou na frente com certeza já sabendo que nós iríamos falar com ela.

-Vai pra sala de aula amor, quando ela iria responder algo a diretora saiu na porta da sala e pediu pra nós quatro entrarmos.

-Bom dia – ela nos cumprimentou

-Bom dia – dissemos nós quatro juntos

-Então eu gostaria de saber o que foi aquilo que eu vi lá no estacionamento do colégio? Porque de vocês estarem agarrando minhas alunas.

- Na realidade eu estava beijando minha namorada – eu disse

-Sua namorada? – ela levantou as sombracelhas e olhou pra Ness – eles estão forçando vocês?

-Você ta falando sério? Só pode estar de brincadeira né, se você não sabe o Jacob aqui é pai da Clair eu estava beijando ela na frente dele, e você ainda me pergunta se eu estou forçando ela? Será que o pai dela iria deixar eu fazer isso na frente dele? Força-la a me beijar?

-Certo então o Senhor Black está de acordo com a sua filha namorando um homem mais velho que ela, assim na frente dos alunos?

-Sim senhora, não vejo problema, se eles se amam pra mim idade não é impecílio nenhum. Claro que a senhora percebeu que minha namorada é mais nova que eu certo? – ouvi algué bater na porta mas nem me importei

-Percebi sim senhor Black, mas será que os pais da senhorita Cullen vão aprovar esse namoro sem cabimento? – eu iria responder mas alguém falou antes de mim.

-Aprovamos sim e qual é o problema com o namoro da nossa filha senhora Yong?

-Bom é que... que...

-Que? - perguntou Edward

-Eles estavam se beijando na frente dos outros alunos.

-Qual o problema nós somos namorados, e namorados se beijam ou não? – perguntei olhando pra ela

-Claro que sim, mas vocês estavam...

-Estavamos? – perguntou Quil

-Estavam..., vocês sabem que podem ser presos por isso? Isso é pedofilia, e pedofilia é crime.

- Claro que eu sei que pedofilia é crime, mas e a senhora sabe que é crime agora ou já sabia antes de seu filho ser condenado por estupro e pedofilia?

-Como você sabe? - ela perguntou assustada

-Pelo simples fato de que eu o coloquei na cadeia – ela me olhou assustada - prazer promotor Jacob Black, então respondendo sua pergunta sim eu sei o que é pedofilia, mas minha namorada aqui tem 17 anos, se os pais dela me denunciar eu poderei ser preso sim, acabar com a minha carreira de promotor, mas como eu disse ela tem 17 anos e é minha namorada, os pais dela sabem do nosso namoro e aprova, e nossa relação é concesual, fazemos sexo concessual, e não forçado eu não a estuprei, ela me ama assim como eu a amo, e se a senhora não sabe podemos te processar por preconceito – ela começou a olhar os papeis de cima da sua mesa, comecei a rir todos me olharam inclusive ela.

-É isso mesmo vou poupar seu tempo não precisa procurar, sua patroa é minha mãe – ela me olhou mais assustada – não estou te ameaçando, estou apenas confirmando suas suspeitas, e não estava beijando minha namorada na frente da escola toda por isso, e sim porque não tenho o que esconder, não temos vergonha do nosso relacionamento- disse pegando as mãos da Ness, ela me olhou e sorrio – então não vamos ficar nos escondendo por proconceito.

- Eu não sou preconceituosa, mas é que uma relação assim como a de vocês não dará certo, eu vi pelo meu filho.

- Minha querida seu filho de22 anos estuprou uma garota de 13 anos, isso não é uma relação, isso é um crime.

-Mas ela era namorada dele, e a diferença de idade deles era menor que a de vocês.

-Sim mas nós temos um relacionamento, e eles não, ela tinha terminado o namoro deles por ele ser agressivo com ela por tem espancado ela 3 vezes antes de estupra-la, e mesmo se eles fossem namorados ainda sim seria crime, forçar uma relação sexual seja ela com sua esposa,, noiva, namorada ou mesmo prostitutas que segundo alguns homens são pagas e são obrigadas a isso mas não são, forçar qualquer pessoa a fazer sexo é estupro, e foi isso que seu filho fez, ele pode ter tido relações sexuais onde ela concentiu, ai não é estupro, mas apartir do momento que ela disse não e ele forçou é estupro, e agravou por ela ter 13 anos.

-Meu filho não é assim ele não é esse monstro que te falaram. – ri com essa

-Por acaso a senhora assistiu o julgamento do seu filho?

-Mas é claro que sim, eu não o deixaria sozinho nunca.

-Então a senhora viu que ele confessou que estuprou a garota, e que já tinha espancado ela algumas vezes quando ela tentava terminar o namoro deles? – ela só confirmou com a cabeça- então a senhora viu que ele não é nenhum santo certo?

-Sim mas todos tem o direito a segunda chance.

-Claro e é por isso que ele não foi condenado a perpetua nem a morte, assim que ele terminar de cumprir sua sentença vai poder ser sua segunda chance.

- É mas eu lembro que o senhor queria condena-lo a perpétua, o senhor não tem coração?

- É exatamente por ter coração que eu queria perpétua pra ele, porque toda vez que eu via aquela garota tão frágil na minha frente eu lembrava dessas duas garotinhas aqui e pensava que poderia ter sido com elas, e se fosse com elas o que eu iria querer? Resposta fácil queria a prisão perpétua dele, e foi por isso que eu lutei até o fim. Agora eu te faço uma pergunta, a senhora tem uma filha certo? – ela confirmou com cabeça – então eu te faço uma simples pergunta se no lugar do seu filho fosse o inverso, fosse sua filha que tivesse sido estuprada por um ex-namorado, o que a senhora como mãe iria querer de mim como promotor? Iria querer que eu deixasse esse cara solto pra fazer isso com outras garotas ou iria querer vê-lo preso?

Ela me olho séria, enxugou algumas lágrimas e disse olhando nos meus olhos – Eu iria querer vê-lo morto. Me desculpe por meses desde a condenação dele eu tinha ódio mortal do senhor, quando o senhor , me confirmou que era o mesmo promotor que colocou meu filho na cadeia, eu juro que queria pular em seu pescoço e te matar, mas você me fez ver a outra parte sabe muita gente me disse isso mas eu nunca tinha prestado atenção e nunca tinha parado pra pensar que do doutro lado tinha uma família dilacerada pelo que meu filho fez, me desculpe agora eu entendi, e queria falar com a menina será que tem como?

-Sinto muito acho que não.

-Mas o senhor tem contato com eles? Sabe como a garota está? Ela não foi no julgamento né?

-Não os pais não quiseram, coloca-la na frete do Sam, eles acharam que ira deixa-la mais traumatizada.

-Sim entendo, mas ela está bem?

-Normalmente eu não tenho contato com meus clientes depois de encerrar o caso, mas nesse caso em particular eu mantenho contato porque ela é paciente do irmão da Bella e da cunhada dela. – olhei pra Bella que sorriu

-Bom se era só isso acho que já esta tudo resolvido certo? Nós estamos namorando, meus sogros ali dão apoio a nossa relação , e eu dou apoio a relação da minha filha com o meu genro aqui – todos riam

-Sim tudo esclarecido e me desculpa se dei a entender que não aprova a relação de vocês por causa da diferença de idade, eu só queria proteger as meninas.

-sem problemas, até logo - disse Quil

-até, e meninas se tiver qualquer problema com seus colegas em relação ao namoro de vocês podem me procurar pra resolvermos isso, pois , vocês sabem que vai ser complicado.

-Sabemos sim mas vale a pena – disse Ness me roubando um selinho – mas obrigado.

-Não disse uma mini Bella- disse Edward fazendo todos rir, até a senhora Yong que não entendeu mas riu.

-Bom dia a todos, - ela disse

-Bom dia – dissemos, e saímos da sala dela todos juntos, Edward me chamou

-Jake – olhei pra ele - sogro o caralho – disse Edward nos fazendo rir.

Tivemos alguns problemas durante nossa vida pela diferença de idade, mas nada que não contornamos, hoje 10 anos depois nos casamos tivemos 3 filhos, JJ Jacob Junior que é minha cara de 9 anos, acabei engravidando Ness na nossa primeira vez, muitos dizem que foi de propósito pra segurar ela, mas quem sabe se no fundo não foi isso mesmo, tivemos também Blair de 7 a cara dela ela, e Mandy de 5 anos, e ela continua linda uma tentação, mesmo grávida de 5 meses dos nossos caçulas um garotão que vai se chamar Willian Antony em homenagem ao meu pai e ao Edward , e uma princesinha Sarah Marie em homenagem a minha mãe e Bella, Edward disse q se eu engravidar a filha dele outra vez ele me mata, mas ta todo babão nos netos, o que eu posso fazer se sou foda? . Quil e Clair também se casaram e vivem na casa ao lado da nossa e tem 2 filhos, Sophia de 3 anos e Kevin de 1 ano, Bella e Edward também tiveram mais 1 filha de 5 anos.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Minha menina" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.