Hogwarts; Um Recomeço escrita por AnnaGrandchamp007


Capítulo 8
Conhecemos o começo do fim.


Notas iniciais do capítulo

Oiiii gente!!!!!!! Quem vai narrar hoje é a Vivian, espero que goste!
Recomendem a história, favoritem e comentem!!!! Obrigada!

Boa leitura!!!!!



Amo cavalos negros, mais prefiro quando eles têm substância, obrigada.

Desde pequena, eu sempre fui criada no meio de vaaaários cavalos, então eu amo esses animais. Mas por favor, de todos os cavalos do mundo, o que eu menos queria era estar com um que era feito de sombras.

Mesmo assim, comecei a gostar daquele bicho novo. Acariciei a parte lateral do pescoço, e soltei um pouco a crina que eu havia agarrado com força por causa do meu medo dos Comensais da Morte. Quer dizer, eu acho que eram comensais, eu não sei. Foi assustador. Mas aquela garota, a tal de Maile, defendeu todo mundo. Agora viajamos do nada a lugar nenhum, porque não faço a menor ideia da onde estamos... Já falei que estou com medo?

 - Thomas, onde estamos indo? - Pergunto gritando pois o vento provavelmente ele não me ouviria no meu tom de voz normal.

 - Hã... - Ele inclinou o cavalo dele em minha direção e se aproximou. - Não faço a menor ideia... 

 - Fala sério! - Eu desabafo meio irritada. - Se você não faz imagina eu!

A tal de Maile se aproximou com o cavalo dela. Uau, ela era muito bonita. Que estranho reparar nisso, mas não parou por aí. Acho que sou meio intuitiva, porque tive uma leve impressão que mesmo que a garota fosse muito branca naturalmente, ela estava doentiamente pálida naquele momento.

 - Vamos parar ali, entre aquelas árvores. - Diz ela, a voz não tinha tom de pedido. Ela parecia prestes a desmaiar.

 - O que? Não nos afastamos o suficiente! - Agora era Maya quem falava. Ela estava longe mas devíamos ter descido alguns metros, pois ouvíamos ela quase perfeitamente mesmo de longe.

 - Não! - Maile estava de olhos arregalados. Definitivamente, tinha algo errado -  Vamos parar! Eu...

Antes que ela pudesse terminar, sombras se adensaram em volta dela e ela caiu em queda livre. 

Thomas arregalou os olhos e guinou o cavalo para alcança-la antes que ela caísse no chão, já que se isso acontecesse, Maile estaria morta. Todos fizeram o mesmo, exceto eu. Não soube exatamente porque, mais me lembrei de um certo feitiço. Torci para que minha varinha tivesse voltado a funcionar, afinal, poucos minutos atrás ela havia me deixado na mão. 

 - Aresto Momentum!

Consegui! Comecei a comemorar silenciosamente (no meu tipo de silencio barulhento) quando percebi uma coisa muito, mais muito, muito estranha mesmo. O feitiço que lancei não a atingiu. Não fez efeito nenhum! Que grande... Droga! O feitiço basicamente ricocheteou nas sombras que se adensavam cada vez mais em volta dela. A garota ia morrer, mais... que...que droga!  

Desesperada guinei o meu cavalo para baixo e desci em alta velocidade. 

Como a descida parecia lenta, passei a murmurar quantos metros faltavam para que Maile atingisse o chão. 

 - 6 metros, 5 metros, 4 metros, 3 metros e meio, 2 metros, 1 metro e meio...

Gritei desesperada.

Mas então o cavalo de Maile simplesmente se dissolveu nas sombras, apareceu debaixo dela e desacelerou a queda. Fazendo com que a garota pousasse no chão suavemente. Como eu imaginava ( e aquele momento todos também) ela estava desmaiada.

Consegui pousar bem e desci totalmente destrambelhada. Passei correndo por Seth e Nosferius, que estavam olhando fixamente para frente, para onde Thommy e Maya estavam ajoelhados em torno de algo negro. Eram sombras, um breu total. Eu entendi na hora. As sombras estavam protegendo ela. Era muito estranho, muito... assustador. O breu se alongava em torno dela, deixando-na assustadoramente linda, como um anjo. Maya e Thomas podiam tentar se aproximar o quanto quisessem: As sombras estavam protegendo Maile. Maya tentou encostar a mão na outra garota. Resultado: o breu se condensou e solidificou, bloqueando a passagem.

 - Como eu imaginei... Mas é estranho - Maya estava horrorizada, mas confiante como sempre.

Maile abre os olhos de repente e quase me mata de susto.

Ela parecia bem. Quando acordou, as sombras se dissiparam. Porém, os olhos da garota esquadrinharam o lugar aonde estávamos, assustada. Quando Thommy estende a mão para ajuda-la a se levantar, ela se move para trás rapidamente. Parecia um animal ferido, de tão desconfiada que estava. Me lembrou quando eu era pequena, e no sítio de minha avó, Luna, uma onça machucada se arrastara para longe dos cuidados de meu pai, com aqueles olhos desconfiados fixos em nós.

 - Ei, calma. - Thommy estava muito calmo. Foi esquisito. Maile no entanto parecia cada vez mais assustada e desconfiada. - Maile, calma! Está tudo bem. Calma por favor. Vamos te ajudar.

A pouca cor que restava em seu rosto sumia a cada instante.

 - Você é mesmo o Potter? - Sua voz era frágil, ainda assim, tinha um toque bem sutil de curiosidade. E medo.

 - Sim.

 - Então você está em extremo perigo.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Hogwarts; Um Recomeço" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.