O Internato escrita por Melanie Cheshire Hersing


Capítulo 3
Meus novos amigos


Notas iniciais do capítulo

Boa leitura...? Meio cliche, mas serve!
Então, boooaaaa leituuurrraaaa!!!



“Len on”

Após chegarmos à casa 23 para largar o material eu, Rin e Gumi tiramos o uniforme horroroso para ir até a casa onde Piko está.

Boto minha camiseta do Resident Evil, minha calça jeans escura e meu All Star vermelho novamente. Rin e Gumi que tinham ido “arrumadas” para a aula resolveram botar outra roupa, uma que fosse mais confortável: Rin botou uma camiseta do The Walking Dead, uma bermuda jeans vermelha justa até os joelhos, um All Star preto e continua com o bendito laço branco. Gumi botou uma blusa manga curta preta, um macacão branco (isso ainda existe!?) quatro palmos acima do joelho, um All Star preto e meias cinza escuro até os joelhos.

– Agora são 15:17. Qual a casa do Piko mesmo Gumi? – eu.

– Casa 21, mas temos que passar na casa 12 pra buscar a Aoki primeiro... – Gumi.

– Legal, assim eu busco o Yuma junto com a Aoki e posso dar um oi pro Kaito e pro Gakupo quando chegarmos. – eu.

– Cê já fez amiguinhos né? – Rin.

– Sim por quê? Fiz amigos mais rápido que você? Foi mal mais ser o primeiro a chegar na casa dá nisso. – falo.

– Não é isso! Eu consigo fazer amizade fácil sim! – Rin.

– Ahhh é? Então fala quem são seus amigos aqui. – falo convencido.

– An... – ela para pra pensar meio triste – Acho que a Gumi, a Miku, o Piko e a Aoki e... Você se é que conta... – fala cabisbaixa.

Passamos o resto do trajeto até a casa 12 em silêncio. Me sentia meio mal pela Rin, não encontrei seu olhar em nenhum momento do trajeto. Ela continuava cabisbaixa e o único olhar que eu via era o olhar preocupado de Gumi ao ver a amiga.

Acho que deveria me desculpar com ela depois...

– Oi gente! – Aoki me tira de meus devaneios.

Ela já estava esperando em frente à casa. Está sorridente. Acho que ela tem a mesma animação que a Gumi de certa forma.

– Oi Aoki... – começo.

– Len o que foi? – Aoki.

– Nada! – finjo animação – Eu estou bem...

– Ei Len é você? – Yuma fala da janela do segundo andar.

Ele é cego, surdo ou retardado? Claro que sou eu! E ele ainda se faz de desentendido...

– Nããããoooo imagina! Sou o Papai Noel vestido de Len... – falo sarcástico.

– Sério!? Então cadê o meu presente? – Yuma fala rindo.

– Ahhh, vem logo criatura! – eu grito – E de qualquer forma acho que você não era o tipo de criança comportada que ganhava algum presente né?

Ele dá uma risadinha sem graça, acho que esse era um nome permanente na lista dos levados...

Logo Yuma desce e vamos os cinco conversando todo o trajeto.

– Então hein Len? – Yuma abre um sorrisinho malicioso – Primeiro dia de aula e já veio me buscar com três garotas na retaguarda é? – ele debocha.

– Deixa de ser idiota Yuma – eu.

– Atá sei... – continua malicioso.

– Vem cá você não tá muito malicioso pra uma Barbie não? – Gumi pergunta.

– Sei... No mínimo tá com inveja da namorada dele... – Yuma debocha.

– Mais que namorada o caramba!? – eu.

– A loirinha né? – Yuma.

– Mais até tu viu o maldito vídeo!? – Rin olha pra ele irritada.

– Sim! Já tem mais de 2.034.......

– NÃO FALA! – eu e Rin o interrompemos em uníssono.

Então viro a cara para outro lado meio emburrado e acho que ela faz o mesmo já que todos começam a rir nos chamando de espelhos...

– Como dizia 2.034.978.493 visualizações... – murmura baixo, mas eu ouço.

***

Após passarmos umas duas horas na casa 21, Kaito pergunta se alguém quer jogar três cortes. Todos aceitam menos Aoki e Piko que apenas assistem.

Logo o jogo começa, e como todos jogam razoavelmente bem demora até o primeiro ser cortado. E adivinhem? O primeiro a cortar alguém fui eu que acabo de tirar Kaito do jogo.

Pouco depois Gakupo corta a Gumi, acho que ele estava mirando em mim, mas como me esquivei quem foi embora foi a verdinha. Ela murmura algo do tipo “eu vou me vingar depois” ou um “eu sei onde você morra” mais nem dou muita bola.

E logo eu tiro o Yuma, e a Rin tira o Gakupo.

Agora somos só nós dois: quem acertar o outro primeiro vence.

– É bom que você goste da derrota! – Rin me desafia.

– Como se você conseguisse cortar alguém. – rio.

Então ela dá um toque pra mim. Um, dois e ela corta, mas desvio no ultimo momento.

– Eu cortei o Gakupo não cortei? – Rin.

– Sorte de principiante – falo pegando a bola.

Um, dois e corto. Mais a chata se abaixa e a bola passa por cima.

– Quero ver você dizer que foi sorte de principiante quando eu vencer. – Rin.

– Até parece, só não te acertei agora mesmo porque esqueci que você era baixinha e joguei alto demais. – dou ênfase à “baixinha” e ela me olha com um olhar assassino.

Um... Dois... E com muita raiva, pondo toda a sua força em uma bola rápida ela corta dizendo:

– EU NÃO SOU BAIXINHA!

Até tento desviar. Mais a bola vem tão rápido que só o que consigo é desviar a bola que estava mirada em meu estomago, para meu braço esquerdo.

– RIN! É UM, DOIS E CORTA! NÃO UM, DOIS E QUEBRA O BRAÇO! – Gumi – Deixa eu adivinhar, isso foi a raiva por ele te chamar de baixinha?

– Foi e não tenho culpa se esse shota idiota continua me chamando assim! – Rin.

– Já falei – digo com a mão no braço machucado – para de me chamar de shota que eu paro de te chamar de baixinha.

– Arg! Como você é irritante! – Rin.

– Olha quem fala... – Gumi murmura mais acho que a Rin ouviu.

– Tá bem! Feito! – diz derrotada – Não te chamo de shota e você para de me chamar de baixinha.

Então Gakupo olha a hora e diz que já são 18:43 e resolvemos voltar todos para nossas casas.

***

Quando chegamos em casa Lenka e Lily estão olhando Tv e param para nos encarar.

– O que foi? Nunca me viu não bruxa? – olho para Lenka sabendo que quando ela me olha assim, lá vem coisa.

Esse é o olhar que antecede qualquer coisa má que Lenka faz: os olhinhos brilhando, com uma cara divertida junto de um sorrisinho maldoso.

– Olha só – ela começa – você achou dois esquisitinhos iguais a você! Ou melhor, duas esquisitinhas... E olha quem diria, uma delas é fã de zumbis também! Mais acho que ela é fã dos zumbis da concorrência né? – debocha ao ver que eu estou com uma camiseta do Resident Evil e Rin com uma do The Walking Dead.

– E você achou uma vadia que joga tão baixo quanto você né? Ou acha que a gente não viu o vídeo? – Gumi.

– Ah, aquilo? E o que te interessa? Prefere que eu e a Neru botemos um seu na próxima vez cabelo de grama? – Lenka debocha.

– Vem cá você não tem nada melhor pra fazer não bruxa? – Rin encara Lenka – E você sua loira de farmácia, nem vai defender sua irmã? – Rin fala olhando feio para Lily.

– Esse é o trabalho do Gakupo. Eu sou a irmã que gosta mais quando a Gumi fica quieta. – Lily – E quando ela não trás amiguinhas chatas pra me xingarem por ela. – Lily dá um peteleco na testa de Rin.

Eu e Rin já estávamos prestes a quebrar essas duas (ou ser quebrados por elas) quando Gumi nos empurra escada acima e meio que nos enfia dentro do quarto à força.

– Ei! – Rin reclama.

– Shit! Fica quieta! Hoje é noite de terror e eu não quero você reclamando de dor por ter levado uma sura enquanto eu tento ver os filmes! – Gumi.

– Que bom saber que isso era preocupação comigo... – Rin diz irônica.

– Eu sei que você faria o mesmo comigo. – Gumi.

– Como assim noite do terror? – eu.

– É assim, todo mês nós nos reunimos uma noite pra ver filmes de terror, contar histórias de terror e meu favorito: jogar jogos de terror! E fazemos isso praticamente a noite toda. – Gumi.

– Mais com a bruxa e a loira de farmácia vendo Tv não vai dar pra jogar nada do videogame. – Rin – Afinal não dá pra conectar o Playstation no notebook...

– ESPERA! Vocês trouxeram o videogame? – eu.

Então Rin pega uma caixa que estava debaixo de sua cama e eu olho dentro: um Playstation 2, um monte de jogos, dois controles e o pen drive.

– Ei, eu conheço esse jogo! – falo pegando dois jogos em mãos – Fatal Frame e... Não acredito! Fatal Frame 2 Crimson Butterfly! – me surpreendo.

– É, pena que não tenho o três, dizem que o The Torment é um dos melhores... – Rin.

– Eu tenho o um e o três, mais eu não sei se trouxe comigo... – eu.

– Como assim não sei? – Rin.

– Bem, os meus jogos e filmes favoritos eu guardo separados pra ficar mais fácil de pegar pra viajem. – começo – Mais eu não sei se trouxe os do Playstation junto, já que eu estava separando os DVDs dos jogos antes de vir...

– E separou os seus favoritos também? – Rin.

– Bem eu não sei...

– Só tem um jeito de descobrir! – Gumi me interrompe avançando nos CDs ao lado do notebook.

Essa louca quase derrubou o MEU notebook! Juro que se ela arranhar algum dos meus CDs eu mato ela!

Ela passa um bom tempo vendo todos os jogos e filmes. Às vezes separa algum, mas dá pra ver a decepção da Rin quando ela vê que não é o Fatal Frame. E outra coisa, não quero ser o estraga prazer que fala oque ninguém quer ouvir, mas Lenka e Lily ainda estão com a Tv. Mesmo que Gumi ache o jogo não vai dar pra jogar hoje...

– ACHEI! – Gumi.

– Achou o Fatal Frame 3? – Rin se enche de entusiasmo.

– Não, – Gumi faz o sorriso de Rin sumir – eu achei o Premonição 5 que eu estava procurando! Eu sabia que ele ia ter se tinha os outros... O seu joguinho eu já achei faz uns 20 min. – ela aponta para os CDs que tinha separado.

Me afasto um pouco prevendo a reação de Rin, e eu estava certo. Em pouco tempo ela estava brigando com Gumi, tendo um ataque e gritando coisas do tipo “Como assim joguinho!? Esse é O JOGO!” enquanto esganava Gumi.

Com certo esforço separo as duas que agora estão uma furiosa e a outra traumatizada... Acho que nem a Gumi tinha visto a Rin desse jeito...

***

A bruxa e a loira de farmácia não quiseram sair do sofá quando Rin e Gumi pediram, mas eu já esperava por isso. Acabou que resolvemos ver os filmes no meu notebook por ser o maior dos três e já estávamos vendo o terceiro filme quando Matilde entrou:

– Ei, vocês não vão jantar? – pergunta da porta – Eu já chamei três vezes!

– Desculpa Matilde, mais está bem na hora que trancam a Samara no poço permanentemente! – Gumi.

– Samara é? Tão vendo O chamado? – Matilde.

– Sim estamos fazendo a noite do terror, uma maratona de filmes... Você conhece O chamado? – Rin.

– Sim, vi com minha neta. E posso até adivinhar... Querem comer no quarto vendo o filme. – Matilde.

– Podemos? – Rin.

– Sim, mas tem que ir se servir e nada de fazer sujeira! – imitou aquelas velhinhas ranzinzas e nós rimos.

Deixamos o filme no pause e descemos correndo. Nos servimos sem deixar as outras que ainda nos esperavam falarem nada e corremos escada acima com os pratos.

Terminamos O chamado e eu coloquei o primeiro filme da pilha que Gumi fez para vermos comendo... Não preciso nem falar que o primeiro filme da lista era o Premonição 5 e que quando as mortes começaram, Gumi quase engasgou né?

O pior é que estávamos comendo macarrão com molho de tomate, e na primeira morte aparecem as tripas da garota na tela... Perdi totalmente o apetite.

Mas para meu espanto Rin viu minha reação, olhou para o próprio prato e fez questão de comer tudo bem devagar. Como se estivesse tentando me fazer vomitar (o que quase conseguiu).

– Você é meio maníaca né? – pergunto para Rin.

– Por quê? Só porque eu tenho coragem de comer macarrão depois daquela morte? Pois saiba que se o “macarrão” daquela garota – faz aspas se referindo as tri... trip... Não preciso falar né? – tivesse esse gosto eu comeria. – fala apontando para o prato vazio.

– Mudando o que eu disse, TOTALMENTE maníaca! – eu.

– Fiquem quietos que eu quero ver o que vai acontecer com ela agora que sobreviveu à ponte! – Gumi – E eu mando o MEU Gakupo dar uma sura em vocês se não calarem a boca!

– Agora que você falou, podem me explicar quem é o que de quem aqui? Só pra garantir que o meu cérebro não racha ao meio tentando assimilar tudo sozinho... – eu.

Então Gumi começa a explicar para mim e Rin (que apesar de tudo também é aluna nova) e acho que é mais ou menos assim:

O Gakupo e a Lily são irmãos de sangue, e são irmãos adotivos da Gumi. Rin é amiga deles, pois eram vizinhos algum tempo atrás. Luka e Gakupo são namorados há uns dois anos. Miku e Luka são melhores amigas e Miku também é amiga de Gumi e Rin pelo tempo que eram vizinhas.

Meiko e Haku são aparentemente as bêbadas do internato e Meiko é metida a festeira (apesar de Haku não ser tanto).

Neru é a fofoqueira e sempre está informada sobre tudo. Não desgruda nem morta de seu celular (avá nem percebi...) e tem um irmão chamado Nero que ela trata como se fosse um estranho. Yuma é meio pervertido (ou totalmente segundo a Rin) e vive se metendo em encrenca.

Kaito é o mais quieto dos garotos e talvez o mais responsável da turma. Essa tal de Miku é a mais quietinha das garotas e é meio infantil e inocente demais.

Kaito tem um irmão gêmeo chamado Akaito que é encrenqueiro pra caramba. Ele está proibido de vir ao internato na primeira semana de aula por fazer pegadinhas com todos os alunos e não só nos novos. “O maior demônio” segundo Rin.

Segundo Gumi a Rin é a mais encapetada e encrenqueira delas. É meio louca e totalmente temperamental. É a “divertida”.

– Não vai falar de si mesma Gumi? – eu.

– Praticamente igual a minha descrição, com a diferença de que ela segue um pouquinho mais as regras e é bem mais animada... Parece que as pilhas dessa ai nunca acabam! – Rin.

– Eu sei que você me ama! – Gumi abraça o pescoço de Rin e nós rimos.

– E então Len? Agora é sua vez, fala de você e da Lenka! – Rin.

– Bem, eu sou competitivo, dá para dizer que sou inteligente, gosto de ler e ver filmes de terror, eu gosto de muitos jogos e não só os de terror, e... – hesito.

– E o que? É encrenqueiro? – Gumi.

– Sim... Pra dizer a verdade eu e meus amigos sempre nos mentíamos em encrenca e uma vez eu meio que... Fiz um garoto cair da escada e quebrar o braço... – eu.

– VOCÊ O QUE!? – Rin e Gumi gritam em uníssono.

– Bem...



Notas finais do capítulo

Notas finais do capítulo... Vou confessar... Não sei o que escrever aqui...
.....
Comentários please!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Internato" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.