O Internato escrita por Melanie Cheshire Hersing


Capítulo 26
Torne-se um Caçador


Notas iniciais do capítulo

Oiiii! Cheguei meus Black Cats!
Então... Novamente não sei pra que servem as notas iniciais/finais mas de qualquer forma....

BOA LEITURA BLACK CATS!
Para os fantasminhas e Anna Paula também!

Bjus Mel!



“Len on”

Eu estava cansado. Estava procurando por Rin há tanto tempo que já estava até escurecendo! Eu estava preocupado depois que ela saiu daquele jeito. Tão preocupado e distraído que, sem querer, acabei me esbarrando em alguém e indo de encontro ao chão.

– Ai! – resmungo sentindo meu braço arder – Mas o que...? – olho para o lado e avisto Meiko – Ah, você.

– Ai... minha cabeça... – ela murmura sem me dar muita atenção, até avistar meu braço – Meu Deus! Isso está sangrando! Mas como é que...? – seus olhos avistam um pouco de sangue em seu anel – Droga! Me desculpa Len!

Len!? A Meiko me chamou por meu nome? Estranho... Geralmente ela me chama de shota...

Olho para meu braço: o corte causado pelo impacto da pedra em seu anel está mesmo sangrando.

– Mais que droga Meiko! Afinal que porcaria de anel é esse!? – pergunto observando aquela pedra escura e pontiaguda.

– Ah, é uma ônix! – ela diz sorrindo docemente – Foi presente de uma amiga... Mas isso não é importante agora. Você está bem? Isto é, além do corte... – pergunta.

– Não foi nada... Eu estou bem... – respondo desconfiado.

A Meiko estava sendo... Mais educada e gentil que de costume... Mesmo que esteja se comportando como alguém normal agora, ela costuma ser extremamente rude! Tem algo estranho aqui...

– Tem certeza? – ela me estende a mão, me ajudando a levantar – Não está enjoado, com dor de cabeça ou algo do tipo? – pergunta preocupada.

– Que isso Meiko, foi só um arranhão... – respondo – Aliás, você deveria tomar cuidado... Quero dizer, não acha perigoso andar com uma pedra pontuda e dessas? – pergunto vendo que a pedra é quase do tamanho de seu mindinho, já me distanciando.

– Pelo contrário! – responde – Sabe aquelas pedras do seu signo? Que, teoricamente, poderiam te dar mais proteção, dinheiro ou saúde? – pergunta.

– Sei... – me viro de volta, desconfiado.

– Então, acontece que a minha pedra é de proteção... – ela abre um sorrisinho maldoso – Dizem que a ônix, é para a proteção... Contra magia negra. – termina com um olhar sombrio, a franja cobrindo seus olhos.

Fico em choque por um momento. A Meiko estava muito estranha!

– Sério é? – pergunto desconfiado – Mas, ainda assim, essa pedra é muito pontuda. Você devia tomar mais cuidado... – termino e volto a procurar Rin.

O comportamento da Meiko estava realmente estranho... Será que ela sabe sobre alguma coisa?

Bom, melhor ignorar e voltar a procurar a minha loira...

Penso em todos os lugares que já procurei. Acho que só falta olhar nas piscinas uma segunda vez, mesmo achando improvável ela estar lá.

Corro até a área de natação, olho todos os bancos e piscinas, mas nada.

Olho para a porta do vestiário feminino... Com certeza vou me arrepender disso depois ou até levar uma bronca mas, resolvo entrar para ver se encontro a Rin. Afinal, os banheiros e vestiários são os únicos lugares que não vi ainda...

Empurro a porta e entro: alguns estojos de maquiagem estão jogados, revistas empilhadas, toalhas e acessórios pelo chão, roupas e até mesmo sutiãs jogados por todos os lados...

Provavelmente, se isso fosse um anime, eu estaria com uma gota na cabeça... Depois dizem que são os garotos que fazem bagunça!?

O lado bom é que não vou levar uma bronca ou algo assim porque o lugar parece estar vazio. Mas ouço alguém chorando e resolvo me aproximar para ver quem era.

– Aoki? – pergunto e ela se assusta, se acalmando assim que me vê – O que você está fazendo aqui há essa hora? Você esta bem?

– Eu estava... precisando de um lugar para pensar longe do Piko e da Merli... – ela suspira e chora ainda mais – Mas afinal porque eu tenho que escolher entre eles!? – exclama aos prantos.

– O que? Mas o que houve? – pergunto sem entender nada.

– Não é da sua conta! – grita e sai correndo.

Me surpreendo, mas fico preocupado e vou atrás dela.

– Aoki! – chamo e ouço meu celular apitar.

Era uma mensagem da Rin. Até que enfim algum sinal dela! Suspiro aliviado e olho em volta: Aoki já sumiu de vista, então não tenho muito mais o que fazer em relação a ela...

Sento e pego o celular:

Len! Estamos em perigo! Uns tals de Caçadores querem matar todos os seres sobrenaturais! São a Merli, o Yuma, o Kiyoteru, a Meiko e o meu primo Rinto!

Nos encontre no covil! Não chegue perto deles!

Ok, isso explica o comportamento estranho da Meiko...

Olho uma última vez na direção em que Aoki foi. Se a Merli é irmã dela e Piko o melhor amigo (sendo que são uma caçadora e um bruxo), acho que já sei por que ela estava chorando...

– Olha só quem nós encontramos! – ouvi uma voz feminina atrás de mim.

Viro-me e, para a minha desgraça, lá estava o Yuma acompanhado de uma garota: cabelo roxo escuro com pontas azuis, pele morena, olhos da mesma cor que a ponta dos cabelos e vestida de preto.

– Eu sou a Merli, irmã da Aoki – ela se apresenta – Creio que já ouviu falar de mim não é? – ela dá um sorrisinho de canto.

– É já ouvi sim... – respondo dando um passo para trás, mas sendo barrado por um loiro parecido com a Rin.

– Nem tenta. – ele disse antes que eu pudesse fugir.

– Rinto! Você não está sendo muito educado não é mesmo? – Merli o repreende – Len, nós temos uma proposta para você, uma proposta realmente importante. – ela diz – Isto é, se o seu teste deu negativo. – ela diz olhando para o lado, de onde Meiko surge.

– Sim. Deu negativo. Ele não é um deles. – Meiko diz.

– Teste? Mais do que é que vocês estão falando!? – pergunto.

A situação não podia estar pior: eu estava cercado de caçadores, sozinho e ainda não tinha encontrado a Rin... Com certeza não era meu dia.

– Você realmente não sabe Len? – Meiko pergunta me mostrando o anel – Eu arranhei você de propósito! O que eu disse sobre a ônix nos proteger de magia negra era verdade: Se eu cortar uma bruxa assim como fiz com você, ela vai ter os poderes praticamente drenados! Não vai ter como se defender, e vai ficar tão fraca que apenas um golpe já será capaz de mata-la! – Meiko explica – Porém a ônix não teve efeito algum em você, o que prova que você é humano. – ela diz.

– O que?... Não sei do que você está falando. – nego.

– Não adianta tentar negar Len. A verdade, é que temos observado você. – Merli diz – Você anda com as bruxas, tem a confiança delas, mas ainda assim é humano. E achamos que você pode ter potencial...

– Potencial? – pergunto.

– Para se tornar um caçador. – Yuma diz.

– O que? Eu não sei o que vocês beberam mais eu estou fora! Não vou fazer parte desta loucura! – falo tentando fugir, mas sendo impedido por Rinto novamente.

– Você acha mesmo que elas merecem alguma coisa? Ajuda? Que elas merecem que você minta por elas? Finja que não sabe de nada e as acoberte!? – Merli grita – Elas são monstros e irracionais! Olhe para as suas “amiguinhas” Rin e Gumi: uma é totalmente surtada e louca! E a outra mentirosa, traiçoeira e cheia de segredos! – a morena completa.

– Não! Elas não são assim! – olho para ela, começando a me irritar – E a Rin não é surtada e louca! Ela pode até ser um pouco escandalosa de vez em quando mas...

– Mas o que!? – Meiko interrompe – Pare para prestar atenção Len! Ela faz das coisas que o pai dela gostava algo sagrado! Não só o carnaval, mas tudo que ele fazia ela também faz! Fica mal por dias se não o faz, como se isso fosse trazer o pai idiota dela de volta! Quando descobriu sobre as bruxas ela praticamente abandonou a melhor amiga! Se recusava a falar com a Gumi e fingia que ela nem existia! Em completa negação! Forçou todas da casa a participar de um interrogatório para saber a “verdade”! Quase matou o Nero! Nem mesmo consegue controlar os poderes! E agora simplesmente sumiu do mapa! – Meiko grita – Ela é fraca! Tem um emocional fraco e é totalmente surtada!

– Não fala assim dela sua bêbada idiota! – retruco me aproximando da Meiko – Não se atreva a falar assim delas! Muito menos da Rin! – exclamo.

– Só estou dizendo a verdade! – Meiko bufa – Além do mais, não é como se elas fossem suas amigas de verdade! Essas bruxas asquerosas devem estar é te usand – a interrompo com um soco e ela cambaleia para trás.

Eu simplesmente não aguentei! Ela ficar falando assim delas... Da Rin... Então simplesmente acertei com toda a minha raiva em seu rosto.

E acho que era mesmo muita raiva já que, para o meu espanto, ela cuspiu um pouco de sangue.

– Seu moleque...! – ela estava se aproximando de mim e eu estava pronto para soca-la novamente, mas Rinto a segura e Yuma repete o ato comigo, nos impedindo.

– Calma crianças! – Merli diz debochada – Guardem esse tipo de coisa para as bruxas. – ela fica séria – Você vem conosco, não é? – Merli me pergunta.

– E por acaso parece que eu vou com vocês!? – pergunto irritado.

– Não. Você parece mais um iludido... – ela diz.

– Iludido!? – fuzilo ela com o olhar – O que quer dizer com isso!? – rosno.

– Que você ainda acredita nelas. Ainda as vê como gente inocente... Mas acredite quando eu digo que eu mesma já pensei assim. E mudei de ideia, quando descobri a verdadeira identidade delas! – Merli diz.

Essa foi, definitivamente a gota da água!

Me solto do Yuma e me aproximo dela, me controlando muito para não acertá-la.

– Escuta aqui, eu não sei o que vocês tem contra as bruxas e não me interessa. Mas se algum de vocês sequer falar de alguém da casa 23, vai se ver comigo! – falo.

“Merli on”

– Duvido que vá continuar assim por muito mais tempo. – respondo – Mais cedo ou mais tarde você vai acabar se unindo a nós! E acho que você já está até mesmo cogitando isso, só não quer admitir.

– A única iludida aqui é você! Eu jamais trairia a confiança delas! – Len me responde com desprezo antes de sair correndo.

– Deixem-no. – ordeno assim que os outros cogitam ir atrás do loiro – Acho que ele não vai atrapalhar nossos planos...

– E seus planos incluem a Rin? – Rinto pergunta sério – Desde quando? Quando é que vocês pretendiam me contar que a minha própria prima era uma bruxa!? Pretendem mata-la também!? – o loiro exclama.

– Sinto muito Rinto, mas você sabe que é preciso. – respondo e vejo-o se afastar frustrado.

“Len on”

Após sair dali resolvi ir direto para o covil. Isto é, tive de ir na surdina para que não me vissem...

– Len!? – ouvi Gumi pouco antes de alcançar o tijolo e me virei para trás.

– Gumi? O que está fazendo aqui! Tem caçadores aqui, você tem que se esconder! – falei indicando o tijolo com a cabeça.

– Espera! Como sabe? Quem te contou? – Gumi pergunta desconfiada.

– Foi a Rin. Ela me enviou uma mensagem. – falo entregando meu celular para ela.

– Ufa! Então eles a encontraram! – ela suspira aliviada.

– Como assim? – pergunto e ela me explica sobre Piko, os caçadores e todo o rolo que está acontecendo – Ah bom... Então acho que seria melhor eu aceitar a proposta da Merli...

– O que!? – ela dá um passo para trás.

– É que a Merli e os outros me convidaram para ser um caçador também. E eu encontrei a Aoki chorando indecisa entre o Piko e a Merli, provavelmente porque descobriu sobre as bruxas e caçadores e não sabe de que lado ficar. – contei – Se ela escolher a irmã, o disfarce do Piko já era e vamos precisar ter mais alguém infiltrado... Então acho melhor eu “aceitar” a proposta da Merli e tentar atrapalha-los! – digo e Gumi fica pensativa.

– Bem... Eu odeio ter de por você em perigo mais... – Gumi suspira – Você está certo. É só uma questão de tempo até um deles descobrir sobre o Piko e tentar captura-lo... Tem certeza de que pode se infiltrar? – pergunta receosa.

– Sim, mas vou fazer isso depois. Agora a pouco eu briguei com eles, recusei a proposta e soquei a cara da Meiko. Ficaria suspeito aparecer assim logo em seguida. – respondo.

– É, tem razão... – Gumi fala – E... Você socou a cara da Meiko!? – ela se surpreende – Mais você é menor do que ela! Como é possível!? Pode ir se explicando agora seu shota! – ela faz uma cara infantil e eu rio.

Só a Gumi para nos fazer rir em uma hora dessas...



Notas finais do capítulo

"Não esconda de mim
Porque estou com minhas mãos levantadas para o céu
E desvencilhando a chuva fria que cai em você
Eu sou um figueiro crescendo em você"

Cara, a música Bodaiju da Tsukiko Amano é muuuuuiiiiiitttoooo grudenta! Sério! Acho que to a mais de mês cantando "Anata ni saku bodaiju"! Tanto que to aprendendo a letra já!...
Musiquinha chiclete!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Internato" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.