O Internato escrita por Melanie Cheshire Hersing


Capítulo 18
Você é importante para mim!


Notas iniciais do capítulo

Oi!! Desculpa a demora.... Mas eu avisei que demoraria um pouco não avisei? (se não, considerem-se avisados)
E eu sei que ficou curto, ou nem tanto e eu é que to com neura, mas tá ai!
Boa Leitura!
Bjus Mel!



“Rin on”

Parecia que Iroha estava perdida, e isso certamente me deixou em pânico!

Com certeza seria seu fim se, para nossa sorte, um certo alguém não tivesse chegado e matado o demônio com um só golpe.

– G-Gakupo? – gaguejei meio incrédula.

E lá estava ele com um kimono preto esquisito, e uma katana estranha em mãos.

– Como você conseguiu mata-lo com apenas um golpe? – Len perguntou.

– Simples, era um demônio da escuridão e eu um bruxo negro, que controla as sombras. Some dois mais dois e...

– Você pode controlar essas coisas. – Len o interrompeu.

– Com anos de pratica mais sim. – Gakupo respondeu – Apesar de não ter conseguido controlar esses... Eles devem ter sido conjurados por outro bruxo... – fez uma cara séria, guardando a katana e com suas roupas de volta ao normal.

– O que...? – perguntei perplexa.

Tá certo que eu queria ficar longe disso antes, mas agora está ficando perigoso e se tem outro bruxo ou bruxa conjurando demônios... – Acho que então... Bem, talvez não seja uma má ideia conseguir me defender...

– O que? – Gumi pareceu surpresa.

– Eu disse... – respirei fundo e olhei-a no fundo dos olhos com a maior convicção que pude – Que aceito essa historia de bruxaria se for para me defender... E proteger aqueles que são importantes para mim... – olhei para Len e Iroha, ambos machucados.

– Bom, acho que não será um problema tão grande afinal – Lily disse com certo sarcasmo me olhando de cima a baixo – Você já se curou sozinha.

– Eu o que...? – examinei-me e logo entendi o recado: Len e Iroha estavam machucados, mas meus machucados aviam sumido. – Então... Eu sou uma bruxa branca como a Gumi...? – perguntei lembrando-me que bruxas brancas tinham poderes de cura.

– Não sabemos. Apesar de bruxas brancas dominarem melhor os poderes de cura e até curar os outros, todos os bruxos tem uma regeneração mais rápida. – Gumi explicou.

Ótimo! Isso significa que terei não só que treinar... Mas também descobrir de que tipo de bruxa eu sou...

“Len on”

Após tudo se acalmar eu estava sentado na cama esperando Rin sair do banho para poder tomar o meu.

Ela parece mais conformada com essa historia da Iroha, mas não sei o que se passa na mente dela agora... O que é horrível!

Depois de tudo que vem acontecendo eu queria poder consola-la ou conforta-la de algum jeito. Só que não tenho ideia de como faze-lo...

Mas esses pensamentos são interrompidos quando Rin, a razão deles, entra no quarto.

– Rin... Você está bem? – pergunto vendo sua expressão preocupada.

– Ia te perguntar a mesma coisa. – ela se aproxima de mim – Você... Por que fez aquilo!? – ela grita agora chorando.

– O que...? – me surpreendo sem entender – Mas do que você está falan...?

– De você tentar se matar seu bobo! – ela se exalta.

“Flashback on”

Estava correndo daquela coisa com Rin ao meu lado. Tínhamos caído praticamente do segundo andar, mas tínhamos que correr pelo bem de nossas vidas.

– Len...! – ouço Rin caindo novamente.

Com a queda, acho que ela avia torcido o tornozelo. Mas com aquilo se aproximando não podíamos parar.

– Len, vai sem mim! – ela grita para que eu fuja, tentando parecer forte, mas com seu medo estampado no rosto.

– Rin! Não fale besteira! – a repreendo enquanto volto para ajuda-la a levantar – Não vou sair sem você!

– Mas eu me machuquei seu tonto! Estou mancando e vou te atrasar! – ela disse enquanto corria o melhor que podia apoiada em mim – Se salve sem mim. Eu não valho a pena...

– Não diga isso! – disse sério a segurando pelos ombros agora que despistamos o bicho – Não diga que não vale a pena! Que é para eu me salvar e te deixar para trás! Tem ideia de quanto isso machuca as pessoas que se preocupam com você? – pergunto me afastando dela.

– Len eu... – ela começou surpresa, mas a interrompo.

– Eu nunca deixaria alguém na mão. Eu me preocupo com os outros. E você... Você é importante para mim! Então não me peça para deixa-la pra trás! – digo olhando fundo em seus olhos.

Porém não dá tempo dela responder. A coisa voltou... E está vindo pelas costas dela sem que ela veja!

– Len eu...

– CUIDADO! – grito a empurrando para longe do machado... Sem nem me lembrar, ou me importar, com o fato de que agora ele me atingiria.

– LEN! – Rin veio correndo até mim.

– E-eu to bem... Só machuquei meu braço... – falo escondendo o talho que o machado fez nele – Vamos sair daqui! Agora!

Ela apenas assentiu e se apoiou no outro braço dessa vez. Para corrermos novamente.

“Flashback off”

– Você podia ter morrido! – ela fala.

– E você também! O machado ia acertar sua cabeça, mas só acertou meu braço. Não era para você me chamar de herói ou simplesmente agradecer?

– Agradecer? AGRADECER!? – ela olha no fundo de meus olhos e começa a praguejar – Eu estou me sentindo horrível! Saber que sou a culpada por você ter se machucado! Estou com uma culpa e uma preocupação imensas! É como se meu coração doesse de tão forte que está batendo!... – ela senta ao meu lado na cama, de frente pra mim. Escorando sua cabeça no meu ombro – E-eu... Ficaria mal por meses a fio se você morresse no meu lugar... Você também é importante pra mim... – ela diz e sinto suas lagrimas rolarem em meu ombro.

– Rin... – me surpreendo de ela ter prestado atenção mesmo com tudo que aconteceu... “Você é importante pra mim!”...

– E você... Você foi sim meu herói naquela hora... – ela murmura me abraçando e chorando ainda mais contra meu ombro – É só que... E-eu... Eu to com medo... Com medo de tudo isso... De acabar perdendo alguém... De que se machuquem por minha causa... – ela chorava ainda mais.

Eu não sabia o que dizer. E também não acho que adiantaria muito algo ser dito agora. Então simplesmente a abracei de volta afagando seus cabelos carinhosamente até seu choro finalmente cessar.



Notas finais do capítulo

E o meu temor aconteceu. Acabaram os capítulos reservas, vocês terão que esperar eu escrever o próximo!
E pode até não parecer mas, se vocês vissem o quanto eu demoro pra escrever, achariam essa uma ideia assustadora!
Mas ignorando isso (e aproveitando que poderei escrever mais já que meus professores e TODOS os funcionários públicos tão de greve aqui) até o próximo cap!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Internato" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.