O Internato escrita por Melanie Cheshire Hersing


Capítulo 12
Só amigos - Parte 1


Notas iniciais do capítulo

Como eu disse, dois pra compensar atraso!
Bjus Mel!



“Miku on”

Estava sentada na borda da piscina mais funda da aula de natação. Balançando as pernas lentamente, de um modo um tanto infantil com os meus pés na água.

Não que eu saiba nadar. É certo que em uma piscina funda como esta, eu acabaria me afogando. Mas precisava de um lugar para relaxar e esfriar a cabeça, e já faz um tempo que uso a borda dessa piscina para isso.

A conversa que eu tinha tido com a Jujuba na nossa primeira noite aqui ainda martelava minha cabeça.

Me sinto mal por estar mentindo para Luka. Mas fazer o que né? Fala besteira, agora aguenta!

“Flashback on”

Após Matilde dar um pequeno sermão ela nos mandou para os quartos, ficando sozinha com os loirinhos.

– Eu nunca vi ela assim... – falei sentando na cama novamente.

– Eu sei... Mas voltando a nossa conversa anterior, você está gostando de alguém próximo ao Gakupo? – perguntou Luka começando a trançar o meu cabelo.

– Sim... – respondi incerta, com o nervosismo voltando.

– E quem é? – perguntou com aquela doce voz de se perder a fala.

E realmente, perdi a fala. Silêncio.

– Hum... Então acho que vou ter que adivinhar... – ela começa infantil – É o Yuma!

– O QUE? Não... – eu rio.

– Eu já sabia... Akaito? – perguntou. Acho que foi só para provocar mesmo, mas melhor deixar quieto.

– Por que tem que ser dos encrenqueiros? – pergunto para ela.

– Sei lá... Acho que se não for os encrenqueiros sobra poucos... É a Gumi? – fala rindo.

– O que? Não... – paro por um tempo. Não que esteja brava por ela chutar que era uma garota, mas sim por chutar a garota errada. – Por que quer tanto saber? – indago.

– Boa pergunta... – ela para pra pensar – Porque eu ficaria com ciúme! – responde fazendo meu coração acelerar.

– Ci-ciúme? – pergunto incrédula e com um pouco de esperança.

– Claro! Afinal você ficaria menos tempo comigo! –ela fala.

Fico um tempo em silêncio pensando no que dizer. Será que eu deveria prosseguir?

Ela termina de fazer minha trança, e eu viro de frente pra ela.

– Por que sentiria ciúme de mim? – finalmente pergunto.

– E não é obvio? Porque você é minha melhor amiga! – diz sorrindo.

– Ah... – sinto meu sorriso diminuir. Amiga... Eu queria, só às vezes, não ter me tornado tão amiga sua... Afinal seria mais fácil de sair da friendzone, sem ter entrado tão fundo nela. – É o Kaito! – digo o primeiro nome que me vem à mente. Tentando disfarçar a tristeza com a voz seca.

– Agora entendi porque não era um encrenqueiro... – ela começa, mas a interrompo.

– É né? – falo novamente seca – Bom, eu vou dormir um pouco. Você me chama para o jantar? – pergunto sem virar o rosto para ela, tentando engolir o choro.

– Chamo... – fala um pouco surpresa.

Eu nunca falei assim com Luka. Acho até que, honestamente, nunca falei assim com ninguém antes. Mas não estou com cabeça para pensar nisso agora.

Então me deito de costas para Luka. Para que ela não veja meu estado. Para que eu não a veja. E para que eu possa chorar sem chamar atenção.

“Flashback off”

Luka... Por que você só me vê como amiga? Bem, motivos óbvios: você já tem namorado, e mais do que isso, somos duas garotas... Sem contar que agora você acha que eu gosto do Kaito!

– Só que eu não quero dar razão a nenhum desses motivos... – falo para mim mesma, encarando meu reflexo na água.

Um reflexo que logo se torna embaçado pelo movimento da água, causado pelas minhas lágrimas que nela caem.

– Você está bem? – ouço alguém perguntar.

Seco rapidamente minhas lágrimas e tento disfarçar o máximo até avistar quem era... Por Deus seria isso minhas mentiras vindo me pegar? De todos para me encontrarem agora... Por que logo ele?

– Oi Kaito... – falo sem animo nenhum – Eu estou bem sim, não é nada. – minto.

– Você é péssima em mentir. – ele diz ao meu lado.

– Você também. – digo rindo fracamente – O que está fazendo aqui?

– Ia perguntar a mesma coisa.

– Eu... – bem, estou chorando pela decepção amorosa com minha melhor amiga, mas acho que não posso dizer isso a ele... – Estou esfriando a cabeça. – é tudo que eu digo.

– Sei... Acho que eu também. – fala sentando ao meu lado.

– Cuméquié!? – me surpreendo.

Kaito não é do tipo que se estressa, é calmo inteligente e... Talvez até bonitinho. Ele nunca se mete em confusão e é praticamente o oposto do Akaito.

Ele estressado? Precisando esfriar a cabeça? Desculpa, mas foi um choque!

– Eu... Tive uma pequena... Decepção amorosa... – diz cabisbaixo.

Ok, outro choque.

– Como assim!? Você é bonito, inteligente, divertido, responsável, nunca se mete em encrenca e é praticamente o garoto que todos querem ser! E todas provavelmente querem ter! Como pode ter uma decepção amorosa também!? – exclamo.

– Bem... – ele me olha um pouco surpreso – É que ultimamente estou meio distante dela... E acho que ela gostasse de outra pessoa... – ele começa – Como assim “também”? – sou traída por minhas próprias palavras.

– É que... Quer saber? Vou ser honesta! Eu não estou nada bem! – resolvi falar a verdade já não estou aguentando mais – Menti para ver se você ia embora e eu podia ficar sozinha, mas não funcionou. E, sendo que eu estava chorando pela minha melhor amiga, de coração partido, afogando as magoas no meu próprio reflexo tentando inutilmente me distrair com o movimento da água... Acho que ter companhia não era exatamente o que eu queria no momento! – falo já aos prantos novamente – E, principalmente de você, eu não quero companhia! Já que, num momento de fraqueza e raiva, por não conseguir me declarar para a Luka e saber que seria rejeitada, menti que era de VOCÊ que eu gostava! – termino descarregando toda minha raiva nele.

– Miku... – ele me olha num misto de surpresa e pena.

– E não me venha dizer que compreende pelo que estou passando por que duvido muito que você entenda de verdade! – bravejo me levantando – Duvido que você saiba como é se apaixonar por alguém que jamais irá possuir! Ter um amor impossível! Se apaixonar por alguém que todos os motivos e a razão dizem que nunca vai te amar! – sinto lágrimas grossas escorrerem e começo a caminhar para ir embora.

Mas ele segura meu pulso.

– Miku... É verdade que nunca saberei como é ser uma garota apaixonada por outra... Mas o fato é que, amores impossíveis à parte, mais do que nunca agora eu entendo você... – ele diz em um tom triste.

Quando me viro para ele, ele está de cabeça baixa com um olhar meio melancólico.

– Kaito...? – ele solta meu pulso e viro de frente para ele.

– Era você quem eu amava. E agora mais do que nunca sei que é impossível! Já que minhas desconfianças quanto ao seu amor por Luka se confirmaram... – diz com um suspiro e começa a ir à direção oposta, de costas para mim.



Notas finais do capítulo

Essa questão: Miku ama a Luka, Luka e Gakupo se amam e Kaito ama a Miku! Nem deu confusão né? Pois vai acontecer algo pior (só não falo pra não dá spoiler!)...
Pois bem, eu tenho o habito de fazer um "resumão" com tudo o que vai acontecer pra depois só escrever direto. Já sei até como termina (mas ainda posso mudar né?). E uma pessoinha querida deu a ideia de fazer treta maligna! Etto eu e a Vic (ela deu umas opiniões) criamos umas tretas aê! Vamos ter uns cap beleza, mas aguardem porque....
MUAHAHAHA! *sem spoiler pra deixa curiosidade*



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Internato" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.