Marvel: Os Maiores Heróis da Terra escrita por Larenu


Capítulo 25
S.t.r.i.k.e.


Notas iniciais do capítulo

A primeira fala do capítulo é apenas uma mera coincidência (ou será que não?).

Lembra do quarto spin-off do qual eu falei? Me decidi! Será sobre o Quarteto Fantástico, e contará uma história sobre a Latvéria. O nome? "Quarteto Fantástico: O Destino da Latvéria".



Em um boliche afastado de Nova York, um homem jogou a bola na pista. Ele sorriu ao ver todos os pinos caírem no chão. Pegou outra bola e gritou:

– Strike!

Ouviu palmas lentas vindas de trás. Quando se virou, viu dois homens de terno. um eles tinha uma cara de intelectual e usava óculos. O outro era um japonês. O intelectual se aproximou.

– Bravo, Lester.

– Obrigado, Wesley.

Foi a vez do japonês.

– Pelo jeito mata pinos de boliche tão bem quanto pessoas.

– Como você é engraçado, Nobu.

– Vamos ao que interessa, senhores, antes que vocês discutam. Lester, o senhor Nobu gostaria de agradecê-lo por seu serviço com Anatoly.

– Sério, Nobu? Que bom!

– Não fique tão feliz. Sabe que posso mandar matá-lo, não sabe, Mercenário?

– Tente, se quiser. Não conseguirá. Nunca conseguiram.

– Parem, senhores. Sabem o que aconteceu com meu empregador, não?

– O Rei? Não.

– Foi traído pelo Coruja – contou Nobu.

– Leland? Aquele velho não mata nem uma mosca!

– Meu empregador não está morto. Foi capturado pelo líder do senhor Owlsley.

– Quem?

– O Mandarim – respondeu Nobu.

– E Leland, onde está?

– Em uma base da I.M.A. em Malibu.

– Ele pretende permanecer lá?

– Não. Segundo fontes confiáveis, ele já está voltando.

– Fontes?

– Giorgio – contou Nobu.

O Mercenário riu com aquela doce ironia da vida.

– E o que quer de mim, afinal?

– Quando o senhor Owlsley retornar, acho que saberá o que fazer.

– Está bem, eu farei.

– Mais uma coisa – lembrou Nobu.

– Ah, sim. O senhor Nick Fury andou falhando com meu empregador. Cuidará dele?

– Certo então. Se me permitem, já vou.

Com essas palavras, pegou um alfinete e foi até a mulher do caixa.

– Querida, me desculpe. Mas você viu o meu rosto.

Ele cravou o alfinete no pescoço dela. Em seguida, foi até seu carro, onde arrumou a peruca na cabeça.






Sharon Carter estava amarrada a uma cadeira em uma sala escura. Faziam alguns minutos que os agentes estúpidos da S.T.R.I.K.E. que tentaram a fazer fala haviam saído. Foi quando a porta abriu. Quem entrou foi um homem de capuz branco, com uma máscara que lembrava um crânio. Usava uma roupa azul e portava uma espada e um escudo. Sua capa branca balançava quando ele se aproximou.

– Agente 13? Meu nome é Treinador. Está na hora de você falar.






– Hoje é nosso dia! – anunciou Luchino Nefária ao se aproximar do microfone.

Ele e seu sócio, Nathaniel Essex, estavam em frente a uma enorme plateia com posta por agentes da S.T.R.I.K.E., prontos para fazer um pronunciamento.

– Hoje, a S.T.R.I.K.E. surgirá! E nem Hidra, S.H.I.E.L.D., I.M.A. ou A.K.A. poderão nos deter! – gritou Essex.

Nefária se aproximou de Essex.

– Onde está ele? – sussurrou.

– Não sei. Já era para ele estar aqui.

As portas entre os bancos se abriram, revelando quatro agentes da S.T.R.I.K.E. que escoltavam alguém. Eles seguiram até perto do palco, onde se dispersaram. Então, ele se revelo. Seu corpo era uma estrutura metálica que parecia estar sentada. Seu rosto era o de um senhor idoso.

– Senhores e senhoras, este é o comandante da S.T.R.I.K.E, Don Silvio Manfredi – contou Luchino, aliviado.

– Será ele quem comandará a S.T.R.I.K.E. publicamente – complementou Nathaniel.

Manfredi subiu no palco lentamente e se aproximou do microfone.

– Eu, Cabelo-de-Prata, sou grato a estes dois homens pela honra do cargo que me foi dado. Farei da S.T.R.I.K.E. não a nova S.H.I.E.L.D. (este cargo é da A.K.A.), nem a nova I.M.A., nem a nova Hidra... Seremos completamente novos! Agiremos para bem e mal, mandaremos e desmandaremos em tudo!

– Ótimo discurso, Don. Antes que se dispersem, porém, tenho mais um pronunciamento. Minha filha, Giulietta Nefária, está prestes a mudar o mundo. E ela tem algo a dizer para vocês.

Uma tela se desenrolou na parede enquanto as pessoas terminavam de aplaudir Manfredi. Nela se projetou a imagem da filha do Conde Nefária, somente da boca até a cintura.

Agentes da S.T.R.I.K.E., vocês nem imaginam o que tenho a dizer. É uma pena que eu não possa contar tudo agora, mas em breve saberão. Tenho estudado o povo de um lugar incrível. Cheguei aqui buscando por um homem. Mas encontrei algo muito maior. Este lugar se chama Terra Selvagem. As criaturas que encontrei... Vocês nem imaginam. Mas descobri algo muito maior. Vocês ficarão surpresos quando se tornar público. Isso vai mudar o mundo. Un futuro luminoso. Un futuro immenso. Un futuro senza limiti. S.T.R.I.K.E.!

A plateia respondeu, dizendo o lema da S.T.R.I.K.E. em italiano.

– Un futuro luminoso. Un futuro immenso. Un futuro senza limiti. S.T.R.I.K.E.!

A Madame Máscara levou uma máscara dourada ao rosto, e então a gravação se encerrou. Todos aplaudiram enquanto o Conde Nefária, o Senhor Sinistro e o Cabelo-de-Prata se retiravam.






O Treinador encostou com a lâmina de sua espada no pescoço de Sharon.

– Agora diga! Onde está?!

– Não... posso...

– Diga!

– Eu... não...

– Diga ou eu corto sua cabeça!

– Está... bem...

Ele afrouxou um pouco.

– Latvéria.

– O país de Doom?

– Sim.

Por um momento, ele quase pareceu surpreso.

– Muito obrigado por cooperar.

O Treinador saiu da sala, um tanto ofegante. Foi até sua sala, onde tentou se comunicar com o comandante. Como Manfredi não atendeu, deixou uma mensagem gravada.

– Don? Ela falou. Está na Latvéria.






Em um enorme castelo de pedra, Victor Von Doom girava em suas mãos um pequeno cristal. A história por trás daquele pequeno fragmento era tamanha, mas não se comparava ao poder que ele concentrava. Em breve, porém, toda aquela energia seria aproveitada.

E quem melhor para aproveitá-la se não ele? Afinal, fora ele quem criara o Quarteto Fantástico. Ele, um cientista brilhante. Ele, um místico poderoso. Ele, o ditador da Latvéria. Victor Von Doom, o Doutor Destino.






Linda Carter, Jessica Jones e Wyatt Wingfoot entraram no Capitólio dos Estados Unidos. Cruzaram a Redoma e chegaram até um corredor escuro. Seguiram por ele até uma escadaria, que desceram ate chegarem nos cofres do subsolo. Jessica se aproximou de um deles e pegou uma chave no bolso. girou-a, o que fez um painel surgir ao lado da fechadura. Ela encostou a mão, e o painel apitou.

Seja bem-vinda, comandante Jones.

A porta do cofre se abriu, revelando um elevador. Os três entraram e repousaram o Chicote Negro em um canto. Em seguida, o elevador desceu tão rápido que tiveram a impressão de estarem caindo.





Capitão América entrou no Triskelion. Uma série de agentes da Hidra, se viraram, surpresos. Tentaram atirar, mas os X-Men não deixaram. Eles escoltaram Nick Fury até a entrada do elevador. Fury entrou e subiu até a sala do secretário-geral. A cadeira do secretário estava virada na direção do vidro, e alguém estava sentado.

– Olá, Herr Fury.

A cadeira se virou, revelando o Barão Helmut Zemo com sua espada em mãos.





Do lado de fora do Triskelion, um carro vermelho caindo aos pedaços estacionou. De dentro dele saiu um homem de cabelo preto portando um conjunto peculiar de objetos: um baralho de cartas, uma caixa de alfinetes e um saco com agulhas de costura.



Notas finais do capítulo

MEMORIAL
—--
Em memória de Heimdall, encontrado morto e parcialmente congelado no capítulo 23.
—--
Será que o Alto Evolucionário está realmente na Terra Selvagem?



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Marvel: Os Maiores Heróis da Terra" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.