Terapia escrita por Kori Hime


Capítulo 7
Terapia Final


Notas iniciais do capítulo

O fim que todos esperavam?



Terapia Final

 



Procurava pelas pastas amontoadas em cima da escrivaninha o relatório do psicólogo. Mas a única coisa que achou, foram as coisas chatas de hospital. Abriu as gavetas, mexeu também no lixo, e nada.
Deveria estar em algum lugar, era o que pensava, ao menos o que desejava.
Sabia que Lisa não deixaria assim tão livre algo que pudesse mudar o destino de sua equipe.

A sua equipe.

Era bom frisar isso. Iria usar contra ela em seu tribunal particular. Mas fora pego no momento mais inadequado de todos.


– House, o que está fazendo na minha sala? – Cuddy batia os pés no carpete, cruzando os braços. – Não adianta, o relatório não está comigo. Eu ainda nem recebi.


– Mentira, eu posso ver sua veia saltar. Você sempre faz isso quando mente. – Apontou com o dedo acusador.


– Que seja. A sala é minha, o psicólogo quem contratou fui eu. Então eu tenho o resultado. – Massageou as têmporas, a enxaqueca estava te matando.


– Eu sei. – Ele pegou a bengala de cima da mesa e partiu mancando. – Mas também sei que nesse relatório, existem coisas falando de você... Aliás, espero que sofra com sua enxaqueca. E nem adianta fechar as cortinas, quem sabe quando entrar na menopausa ela melhora.



House saiu da sala, deixando Cuddy nervosa. Ele sempre a pegava no final. Fechou a porta rapidamente, e tirou debaixo da blusa o relatório dobrado, foi até a mesa e o colocou na maquina trituradora de papéis. A dor na cabeça ficaria pra depois.

Olhou as folhas serem reduzidas à meros picadinhos, soltando um suspiro.
Havia ido longe demais com aquela ideia de terapia. Ninguém precisava saber o que se passou naquela tarde horrível, trancados com House e suas perguntas.

O horror...







Aquele dia, House deixou o hospital mais cedo. Disse que estaria no celular se precisassem, ou se o paciente dos olhos esbugalhados tivesse algum colapso que indicasse mais do que um simples problema de colírio vencido.

Assim que saiu do hospital, desligou o aparelho e guardou no bolso.
Em sua moto, seguiu para a cafeteria do lado leste da cidade, onde havia marcado um encontro.


A cafeteria era um lugar especial, costumava ir ali com James tomar algo quente nas quartas feiras, antes das lutas que assistiam.
Pediu um chocolate quente, e sentou-se próximo a janela de vidro que dava para uma rua calma, e do outro lado da calçada, uma loja de instrumentos musicais.



– Gregory? – O homem alto, de cabelos castanhos parou ao lado da mesa em que House estava. – Posso?


– Claro. – House apontou para a cadeira da frente, convidando-o a sentar. Pediram mais uma rodada de chocolate quente, e então falaram. – Trouxe o presente?


– Sim. Mas antes, preciso saber...


– Saber o que?


– Pra que essa encenação toda? Como você sabia que a Lisa me chamaria para ser o psicólogo? Como adivinhou que ela não entregaria o relatório e o destruiria?


– Eu a conheço mais do que qualquer outra pessoa. Por isso nos damos tão bem. – House abriu o envelope, lendo as anotações finais de cada um.


– E ela nem sabe que eu não cheguei a concluir meu curso de psicologia.


– Ah! Mas essa é a melhor parte. Não será processado quando eu usar o que tem dentro desse envelope, contra eles. Já que não tem um diploma e não fez nenhum juramento estúpido.



Eles passaram o resto da tarde lendo e analisando cada anotação. House tinha munição para uns dez anos. No mínimo.

Quando o sol se escondeu, e ele decidiu ir embora, parou de frente a loja de instrumentos musicais. Entrou, e escolheu a gaita que mais gostava, sentou num amplificador, e tocou-a.



Eu tenho uma equipe... param ram ram ram
Cheia de segredo...
param ram ram ram
Eu tenho respostas...
param ram ram ram

E vou usar sem medo... param ram ram ram”

 

 

 

 

.



Notas finais do capítulo

Haaaa, minha musiquinha em ritmo de blues tosca, mas eu ri.
Se ainda tivesse minha gaita eu tocaria, mas como so tenho um violão, até fiz um arranjo XD

Foi um final simples povo. Espero que gostem.
A próxima fic, estou pra fazer um Drama de verdade, isso me dá medo pq sou hipocundriaca. xD

Beijos,

Kori Hime