Valentine's Day escrita por JúhChan


Capítulo 1
Capítulo único - Noite Especial de Namorados


Notas iniciais do capítulo

Bem, essa one era para ser postada no dia 14 de fevereiro que é o dia dos namorados no Japão, mas tive alguns imprevistos agora que consegui terminá-la....
Na verdade, era para ter mais coisas, porém as cortei, pois achei que, o quê eu escrevi já era o bastante para uma one...
Espero que vocês gostem da one, mesmo que o final tenha sido estranho, nem eu sei como escrevi aquilo, quando o revisei, pareceu tão confuso, mas enfim....
Boa leitura!! ô/



Era a quinta vez que o celular posto sobre o criado mudo ao lado da cama tocava uma sonora melodia indicando que o despertador programado nele estava funcionando. Com resmungos sonolentos, o corpo feminino coberto por um grosso edredom virava de um lado para o outro, tentando abafar a irritante melodia que atrapalhava seu décimo quinto sono.

-Sakura, ou você desliga esse despertador ou eu mesmo faço isso. – a porta se abriu abruptamente por Haruno Kizashi irritado por não conseguir descansar depois de uma exaustiva noite de trabalho no restaurante de sushi.

Em resposta, uma mão saiu de dentro do edredom, esticada em direção ao celular que apenas vibrava sobre o criado-mudo produzindo um som estranho. Kizashi assistia o dedo indicador da filha, ainda escondida, deslizando sobre a tela do aparelho, desativando o despertador.

-Sakura, você não deveria estar se arrumando para ir à faculdade filha? Já passam das sete, você vai se atrasar se continuar deitada! – falou Kizashi de braços cruzados olhando fixamente para a cama, onde Sakura voltava a respirar calmamente.

Já passam das sete.

As últimas palavras de seu progenitor entraram em sua cabeça ecoando a consequência que ocorreria se ela deixasse a preguiça matinal tomar contar de seu corpo. Abriu os olhos, tomando um susto quando a ficha ia caindo, ela estava prestes a se atrasar!

-Merda! – exclamou jogando o edredom para o lado. –Pai, por que o senhor não me acordou?

-Não me culpe, você já está bem grandinha para depender de mim para essas coisas, além do mais, é o seu celular que faz esse trabalho. – respondeu enquanto se afastava da porta para que Sakura passasse.

-Mas para dormir na casa do Sasuke-kun sou muito pequena. – resmungou mal-humorada.

-Vai logo se arrumar!

~~*~~*~~*~~

-Estou indo. – falou em voz alta pegando o pequeno presente sobre a bancada da cozinha.

-Até mais tarde Sakura. – sua mãe respondeu.

Calçou o par de sapatos que já lhe esperava próximo a porta e saiu a passos apressados para mais um dia de aula. Geralmente fazia o caminho na companhia de seu namorado, mas parecia que hoje seria diferente, pois o mesmo não estava a esperando em frente ao portão de sua casa como costume e por isso, algo dentro dela murchou. Justo naquele dia!

Sem pensar duas vezes, sacou o celular. Depois de dois toques Sasuke atendeu.

-Oi.

-Bom dia Sasuke-kun. Onde você está?

-Desculpe Sakura, mas hoje eu tive que vir para a faculdade mais cedo, tenho uma prova e estou estudando com o pessoal. Eu mandei uma mensagem para você avisando.

-Acho que eu não a abri. – deu de ombros atravessando a rua.

-Você já chegou?

-Ainda não, estou na metade do caminho. Advinha o que aconteceu comigo essa manhã. – tentou iniciar um dialogo.

-Acordou em cima da hora. – respondeu prontamente.

-Isso mesmo e sabe o que meu pai falou sobre isso?

-Desculpa Sakura, tenho que desligar. O Ryuuji está me explicando um conteúdo que eu não entendi direito. – a voz masculina soava ansiosa.

-Ah, sem problemas. Na hora do almoço a gente conversa então. – um som de confirmação veio do outro lado da linha. –Boa sorte na prova Sasuke-kun.

-Obrigado. E você tenha um bom dia.

-Eu te amo.

-Eu também Sakura.

E encerrou a ligação num misto de felicidade e desanimo. Felicidade porque como sempre iniciou sua manhã ouvindo a voz do namorado e, desanimo porque acabou perdendo a oportunidade de entregar o presente que tomou a maior parte de sua noite, confeccionando-o.

Sakura suspirou enquanto baixava o olhar para a caixinha branca cheia de chocolate envolvida por um pedaço de celofane. A sensação de que Sasuke acharia sua ação um tanto quanto idiota fez com que ela sorrisse, em sua cabeça também pensava a mesma coisa, afinal já estavam namorando há quase quatro anos e ela ainda insistia em presenteá-lo com chocolates caseiros no Valentine’s Day. Entretanto, só de imaginar o namorado comendo um ou dois chocolates entre as trocas de professores, ou então quando fossem embora juntos, já deixava o coração dela pulando de felicidade.

-Sakura. – sentiu uma mão sobre seu ombro direito, ela já conhecia aquela voz.

-Bom dia Tenten. – cumprimentou a amiga girando sobre os calcanhares. –Parece que não sou apenas eu que acordou atrasada. – comentou vendo os cabelos castanhos de Tenten soltos.

-Sabe como é.

-Sim, nós sabemos que você resolveu comemorar o dia dos namorados antecipadamente. – Sabaku no Temari se meteu na conversa. –Já que seu namorado falta saltitar. – apontou para um ponto, fazendo as duas garotas desviarem a atenção para Hyuuga Neji.

-Vai dizer que você também não fez isso com o seu namorado Tema!

-Não vou negar, mas guardei o melhor para hoje. – contrapôs Temari sorrindo travessa.

-Garotas, você vão discutir sobre isso na frente do portão da faculdade? – pronunciou-se Sakura. –Só um lembrete, falta cinco minutos para começar nossas aulas.

-Putz! Você tem razão. – falou Temari olhando a hora em seu relógio de pulso. –Uma prova ma espera, até mais meninas! – e disparou em direção à área de Fisioterapia.

Quando o cabelo loiro da Sabaku não aparecia mais, Sakura passou a fitar Tenten, perguntando silenciosamente se ela viria com ela, pois a área de direito era perto da de medicina.

-Pode ir à frente Sakura, vou esperar o Neji. – respondeu prontamente com um sorriso bobo nos lábios.

A garota também deixou um sorriso moldar em seus lábios e depois de assentir com a cabeça, deu as costas a amiga andando com pressa até a área de medicina, desejava internamente que seu professor de anatomia estivesse com a típica preguiça matinal para andar lentamente até a sua sala, assim Sakura se salvaria de um olhar significativo.

~~*~~*~~*~~

A cada aula terminada, Sakura continha a vontade de levar de seu lugar com o presente em mãos. Estava muito curiosa para saber qual seria a reação do namorado quando visse o que ela fez para ele, e por imaginar as expressões de surpresa, indiferença, sem graça ou de felicidade tirou totalmente sua atenção das aulas da parte da manhã. Teve que até pedir desculpas ao professor de patologia por deixá-lo esperando a resposta de uma simples questão por dois minutos.

Nunca passaria pela sua cabeça que o Valentine’s Day a deixaria tão ‘’fora dos ares’’, a vontade que tinha de sair da sala apenas para entregar os chocolates em forma de coração era enorme que chegou a assustá-la, pois em nenhum dia dos namorados anteriores ela sentia essa necessidade estranha.

É apenas chocolate. É apenas uma data comemorativa. É só entregar esses chocolates, até parece que vai ser impossível entregá-los. – refletia em pensamentos enquanto anotava o assunto do seminário que teria que apresentar na próxima semana em grupo de cinco pessoas.

-Então nos encerramos por hoje. Estão liberados para o almoço. – finalizou o professor guardando o computador portátil na bolsa e saindo da sala.

Um suspiro aliviado escapou dos lábios de Sakura, finalmente poderia entregar os chocolates e aquela ansiedade a deixaria em paz para se concentrar na aula prática que teria depois do almoço. Depositou o pequeno estojo sobre o caderno finalizando a organização de seu lugar.

-Ela ainda não saiu Uchiha-kun.

Rapidamente Sakura desviou seu olhar para uma das portas da sala sentindo uma ansiedade gelar sua barriga, avistou logo de cara o cabelo preto do namorado e sorriu em pura alegria. Ameaçou se levantar quando viu Sasuke próximo a ela, mas o barulho do celofane relaxou seus músculos que estavam prontos para ajudá-la a se por de pé.

-Como foi a prova? – perguntou arrastando o quadril para a ponta da cadeira, escondendo o presente descansando sobre suas coxas embaixo da mesa.

-Consegui fazer sem nenhum esforço. – sorriu convencido pendeu o corpo para frente na intenção de beijá-la em cumprimento.

-Mas é claro que conseguiu, você é Uchiha Sasuke! – retrucou sarcástica antes de sentir os lábios finos do namorado sobre os seus em um singelo selinho.

-Exatamente. Mas agora vamos almoçar porque eu estou com muita fome. – avisou enquanto agarrava o pulso da garota com pressa, coisa que Sakura estranhou, apesar de Sasuke não apertá-lo, a faria levantar em um pulo e ela não queria, ou acabaria derrubando o presente escondido.

-Espera Sasuke-kun, para quê a pressa?

-Porque depois do almoço eu tenho um seminário para apresentar e quero dormir uns minutos para relaxar antes de encarar a fera do Yamada.

Não era típico do Uchiha apresentar nervosismo por causa de um trabalho de faculdade, mas quando Yamada era incluído a situação mudava totalmente, pois o professor do curso de Administração de Empresa possuía a fama de ser bastante rígido com o pessoal do primeiro e segundo ano.

-Está bem, mas antes será que posso te entregar uma coisa?

A pergunta da garota foi totalmente ignorada, pois no exato momento em que ela começou a falar, o celular de Sasuke tocou alto o suficiente para que o mesmo desse atenção ao aparelho.

-Já estou indo dobe, só vim buscar a Sakura.

-Então venham logo, todo mundo já está comendo. – e desligou.

Sasuke guardou o celular no bolso da calça e fixou os olhos nos de Sakura, pedindo pelo olhar que ela se levantasse.

-Desculpe, mas o que você me pediu vai ter esperar. – falou de forma aleatória, pois Sasuke não fazia ideia do que Sakura havia dito. -Ou vamos pegar fila na cantina. – acrescentou tentando jogar as palavras anteriores de Sakura de lado, afinal ele não sabia o que a mesma falou.

-Tudo bem, não é uma coisa importante mesmo. – deu de ombros derrotada, provavelmente entregaria os chocolates só na hora de ir embora. -Daqui a pouco eu te alcanço, vou só guardar isso aqui. – e apontou para baixo, na direção da pequena pilha que uma apostila, um caderno e um estojo fazia.

Com a pressa que Sasuke estava, este apenas assentiu e virou sobre os calcanhares para ir alguns passos a frente da namorada, deixando a expressão triste dela passar despercebida.

Suspirando pesadamente e sentindo uma irritação crescer dentro de si, assistiu o namorado sair de sua sala para guardar o presente dentro de bolsa. Com toda certeza deveria ter entregado aqueles chocolates quando Sasuke parou em sua frente, mas o medo dele achar aquilo idiota apareceu do nada, fazendo-a esconder o presente. Realmente estava muito insegura, e isso era tudo culpa da necessidade de entregar os chocolates do dia dos namorados que não deixava-a em paz.

Contou até três mentalmente e levantou-se, iria entregar no final do dia, quando fossem embora e estivessem sozinhos para assim aproveitar o restante da data juntos. Sorriu com essa decisão, ocultando qualquer medo, ansiedade ou insegurança.

~~*~~*~~*~~

Movimentava o seu hashi habilmente, tirando todos os espinhos do suculento peixe que ela havia pedido para ser seu almoço. Por dentro não estava a fim de comer, porém Sasuke perceberia isso e a perguntaria se estava tudo bem, e se Sakura não tinha a menor vontade de almoçar, com toda certeza ela também não estava disposta a inventar uma desculpa. Pois ela entendia que o namorado estava super ocupado com provas, seminários e trabalhos, e não queria enchê-lo ainda mais com uma data comemorativa que nem era feriado de verdade.

Finalmente terminou de retirar todos os espinhos do peixe. Pegou um pedaço da carne branca e levou a boca em um movimento automático, para em seguida colocar um pouco de arroz boca adentro, o relógio preso em um pilar próximo atraia totalmente sua atenção.

Foi desperta ao ouvir cadeiras sendo arrastadas. Rapidamente desviou seu olhar do relógio para a mesa que estava sentada.

-Combinei de estudar com o pessoal da minha sala, tenho prova essa tarde. – falou Gaara primeiro.

-Hoje só tive aula de manhã, estou indo embora. – disse Hinata.

-Eu e o teme vamos nos preparar para encarar o Yamada.

-Espera Hina. – pediu Ino, levantando-se. –Tenho que terminar um trabalho, até gente. – explicou, como a área de moda era próxima a saída da faculdade, faria companhia a amiga.

-Espero você no mesmo lugar de sempre.

-Estarei lá. – respondeu Sasuke abaixando-se e beijando a testa da namorada. –Até mais.

-Boa sorte no seminário. – falou de olhos fechados apreciando a sensação calorosa que o beijo de Sasuke lhe passou, e inconscientemente sorriu.

Quando seus olhos não viam mais as costas de nenhum dos cinco amigos, Sakura depositou o par de hashis sobre a bandeja, desistindo de comer e respirou fundo. Era seu quarto dia dos namorados e ela afirmava que este estava sendo o mais instável de todos, pois uma hora ela se sentia bem por ter preparado chocolates ao namorado, outra hora ficava com medo de entregá-los, e até mesmo ficava triste consigo mesma ou irritada com Sasuke.

A tarefa era fácil: entregar os benditos chocolates caseiros em forma de coração ao namorado desejando um feliz dia dos namorados.

Mas estava se tornando uma coisa difícil de fazer, por culpa de seus sentimentos estranhos, por culpa do dia cheio de Sasuke. Era o Valentine’s Day mais complexo que já passou, e para completar, o Uchiha nem parecia lembrar que hoje se comemora o dia internacional dos namorados.

-O que você tem Sakura? – perguntou Shikamaru curioso.

-Como assim? Eu não tenho nada. – respondeu prontamente deixando uma careta de estranheza formar-se em seu rosto.

-A gente já volta, vamos buscar uma sobremesa. – avisou Tenten levantando-se sendo imitada por Temari.

Restou apenas Neji que lia um livro, Shikamaru que encarava Sakura analiticamente e esta que tentava não demonstrar o desconforto que sentia pelo olhar do amigo. Shikamaru, apesar de aparentar ser o típico rapaz sonso, de sonso não tinha nada, pois era o primeiro a perceber o clima ao seu redor.

-Se você não tivesse nada de verdade, não estaria fazendo caretas. – comentou Neji virando a página do livro.

-Eu não estou fazendo caretas. – revidou cruzando os braços e torcendo o cenho em irritação.

-Está sim, desde que o Sasuke virou de costas. O que houve entre vocês? – quis saber fechando o livro depois de pôr um marcador.

Ainda de braços cruzados seus olhos iam do rosto de Shikamaru a Neji, procurando nas expressões dos dois amigos algo que pudesse se sobressair a curiosidade evidente nos olhos de ambos, porém ela só conseguiu identificar a bendita curiosidade e preocupação.

-Não houve nada ente a gente. – suspirou pesadamente. –Só não consigo entregar o presente do Valentine’s Day a ele.

A expressão facial dos dois rapazes mudou para a confusão. Era apenas pegar o presente e estendê-lo em direção a pessoa destinada, então por que uma coisa simples como aquela ação, estava sendo complicada para Sakura?

-Como você não consegue fazer uma coisa simples como essa?

-Sinceramente falando, acho que dar chocolates ao Sasuke será mais fácil do que dar sua virgindade.

Tenten e Temari disseram respectivamente trazendo taças descartáveis com salada de fruta dentro para todos.

-Fala mais alto Tema, porque o pessoal do outro lado da cantina não ouviu. – falou com sarcasmo, desviando a atenção para sua volta ao mesmo tempo em que, internamente, tinha a vontade de estapear os quatro amigos que a encaravam com sorrisos sacanas. –Por que toda vez que estou com algum problema, você comentam sobre a minha vida sexual? Não estão satisfeitos com as de vocês?

-Só estamos te ajudando da melhor forma possível. – defendeu Tenten levando uma colher com vários pedaços de morangos à boca.

-E como seria?

-Simples queria Sakura, transando com o seu namorado. – respondeu Temari no lugar da morena. –Pense comigo, se você transasse com o Sasuke muitas e muitas vezes por semana, você não ficaria com a cabeça cheia por causa de uma data comemorativa, já que você estaria dando o presente perfeito para um garoto toda vez que ficasse pelada na frente dele. – e piscou.

-Vão procurar algo de útil para fazer! – exclamou com o rosto corado, mostrando claramente que estava envergonhada e irritada. –Como posso ter amigas tão pervertidas. – levantou-se deixando a salada de fruta pela metade.

-Pelo que eu sei, você não é nenhuma santa, então se considere uma pervertida também. – acrescentou Tenten em tom brincalhão.

-Sakura, senta aí. Se você ainda não percebeu, a gente só te zoa para passar o tempo. Não leva a sério. – pronunciou-se Shikamaru depois de um longo bocejo. –Será problemático. – acrescentou coçando o olho esquerdo, demonstrando o sono que começou a sentir.

A garota sabia que não podia se incomodar com a zoação dos amigos, ela vinha tolerando isso desde que começou a namorar Sasuke, era apenas fingir que não ouvia os comentários pervertidos. Contou até três mentalmente e acomodou-se novamente.

-Respondendo a sua pergunta Ten, eu não consigo entregar o presente ao Sasuke-kun porque alguma coisa sempre me impede, por isso que está sendo difícil.

-Mas ele foi te buscar na hora do almoço, por que você não entregou naquela hora?

-Porque o bonitinho estava com pressa.

-E eu achando que o Sasuke que é o pau-mandado. – a loira comentou arrancando risadas dos dois rapazes.

-Ele é, disso você pode ter certeza, porém quando Sasuke quer mandar, ele consegue. – falou Neji voltando à leitura.

Sakura pegou a colher descartável voltando a comer sua sobremesa sem muito animo, depois de explicar suas duas tentativas falhas de entregar o presente e contar o que achava em dar chocolates ao namorado, resolveu calar-se, deixando as amigas aproveitaram a companhia dos namorados, pois faltavam alguns minutos para a hora do almoço terminar.

Com um suspiro pesado, levou a última colherada da mistura de frutas e levantou-se acenado para os amigos, teria que respirar o ar puro antes de enfrentar um laboratório cheirando a formol durante uma hora.

~~*~~*~~*~~

Sentia seus músculos relaxarem a cada passo que dava. Finalmente as aulas daquele dia acabavam para Sakura que desde o momento em que havia ouvido o professor da aula prática dizer que a mesma estava finalizada desejava com todas as suas forças a confortável cama para dormir os vinte sonos que precisava.

Apertou o embrulho que segurava na mão esquerda subitamente, a fazendo lembrar que as horas perdias de sono na noite anterior por causa dos chocolates do dia dos namorados, teriam que esperar mais alguns minutos, pois ainda faltava entregar os doces a pessoa que ela pensava enquanto os fazia. Dessa vez ele não escaparia, iria entregar os benditos chocolates na volta para casa e se desse sorte aproveitaria o final da tarde ao lado do namorado como vinha imaginando desde manhã.

Já estava no campus da faculdade quando o som estridente de seu celular soou dentro da bolsa pendurada em seu ombro esquerdo. Uma expressão confusa tomou conta de seu rosto ao ver quem ligava.

-O que foi? – perguntou preocupada supondo que havia acontecido algo com seu namorado.

-Sakura. – foi a única que sua audição captou e pelo tom de voz do Uchiha, ele parecia receoso.

-O que foi, Sasuke-kun? – tornou a perguntar, passando os olhos ao seu redor procurando o namorado que poderia estar em algum canto daquele campus.

-Espero que você não fique brava, mas hoje não vou poder ir embora com você. Preciso entregar um trabalho que o professor pediu semana passada e eu tinha esquecido. – a cada palavra de Sasuke, cada vez mais ela tinha a certeza de que hoje tudo estava conspirando contra ela.

-Eu posso esperar. – tentou salvar o restante do Valentine’s Day.

-Acho melhor não, porque provavelmente vou demorar com ele. Desculpe.

-Mas eu quero ir embora com você. – fez manha enquanto começava a andar, já sabendo que sua insistência não faria efeito.

-Você vai ficar entediada de tento esperar, além do mais só vou terminar o trabalho no final da tarde e nesse horário vai estar frio. Não quero que fique gripada.

Apertou o aparelho celular com uma força desnecessária na tentativa de conter a raiva daquele dia chato e conspiratório para em seguida suspirar pesadamente, vendo pelo ponto de vista do namorado, o mesmo tinha razão, ela não aguentaria esperar e, mesmo que aguentasse com o sol dando lugar a lua, e o clima esfriando pela falta de calor solar, ela tinha grandes chances de pegar uma gripe.

-Tudo bem Sasuke-kun, eu vou para casa. – falou derrotada apertando o presente em sua mão esquerda.

-Quando a época de provas acabar, eu vou recompensá-la. – disse como se pedisse desculpas.

-Depois a gente conversa sobre isso, agora vai lá fazer seu esquecido trabalho. - disfarçou a decepção que estava sentindo, falando em tom de voz habitual.

-Ok, até amanhã. Eu amo você.

-Também amo você. A noite a gente se fala. – tirou o celular de perto do ouvido no intuito de encerrar a ligação. –Eu só queria passar o que resta do dia dos namorados com você. – murmurou, e assim desligou.

Guardou o celular na bolsa e contou até três mentalmente. Não iria ficar brava com o namorado pelo dia frustrante que estava tendo. Como a simples ação de presentear Sasuke com chocolate poderia ser tão difícil?

-Ei Sakura! – uma voz feminina a chamou tirando de seu devaneio.

-Sakura! – outra voz, mas em seguida uma mão foi depositada em seu ombro direito na tentativa de chamar a atenção.

Seu corpo rapidamente respondeu ao toque, a fazendo virar sobre os calcanhares e levantar os olhos para quatro pessoas que a encaravam ansiosas.

-Me desculpe gente, acabei me distraindo. – desculpou-se com a expressão facial voltando ao normal.

-Hoje o Uchiha-san não vai embora com você? – perguntou Emoto Tomiko, curiosa em ver que a colega de curso não estava na companhia do namorado.

De repente, a expressão de Sakura mudou para uma careta de irritação misturada com tristeza.

-Sakura, o que houve? – Takeda Yori, o único garoto dos quatro, mostrou-se preocupado.

Um sorriso amarelo se formou nos lábios da garota, não iria deixar seu dia problemático tomar conta de si na presença dos colegas de curso.

-Não é nada Yori, não se preocupem. – garantiu forçando um sorriso mais convincente. –Estão esperando mais alguém? – questionou ao perceber que Tomiko e Sugiyama Akiko sorriam ansiosas.

Uma troca de olhares rápida entre os quatro foi feita para confirmar se eles iriam fazer aquilo mesmo.

-Na verdade estávamos procurando por você. – Akiko começou.

-Me procurando?

-Sim, procurando por você para saber se você já tem grupo para o seminário da semana que vem. – completou Yori a encarando com um brilho de expectativa nos olhos.

Sakura encolheu os ombros ao sentir a intensidade do olhar que o rapaz lhe mandava, mas por dentro agradecia e vibrava em alegria por finalmente encontrar o possível grupo que a tiraria da forca.

-Por ser uma chata metida a esnobe ainda não tenho grupo. – deu de ombros fazendo uma brincadeira consigo mesma.

-Então você está em nosso grupo! – exclamou Nakano Tiemi alegre, pois teria um dos cinco primeiros aprovados no curso de medicina no grupo, e este fato a deixava confiante, pois pelo que soube Haruno Sakura era muita esforçada.

-Espero poder ser útil. – respondeu com um sorriso tímido nos lábios, era evidente a expectativa que os quatro demonstravam.

-Útil? Você vai ser a nossa salvadora. E por nosso grupo estar completo, vamos agora mesmo conversar sobre o seminário. – vibrou animada pegando Sakura pelo braço, puxando-a portão afora.

Demonstrando uma animação semelhante ao das crianças quando os pais resolvem comprar o brinquedo desejado, o restante do grupo tomou a mesma direção com as engrenagens das cabeças pensantes funcionando. Arrasariam naquele seminário.

~~*~~*~~*~~

-Acho que nós podemos fazer o rascunho da parte escrita. – comentou Tomiko vendo que os slides já estavam prontos.

-Concordo com a Tocchan. – disse Akiko dando a última mordida em uma rosquinha achocolatada.

-Antes disso, que tal vocês me contarem o que estão aprontando, meus queridos Kouhai. * - uma voz conhecida falou.

Rapidamente as cinco cabeças se movimentarem deparando-se com uma garota de cabelos ruivos com uma careta falsa de indignação que foi se modificando aos poucos para uma expressão risonha.

-Nem precisa falar. – falou Shimizu Marina, a garota que havia acabado de chegar, ao perceber que Yori estava pronto para responder. –Porque eu sei o que estão fazendo. – sentou-se na última cadeira vaga da mesa.

-Como assim senpai? – questionou Akiko não entendendo nada.

-Simples, eu fiz esse trabalho, os alunos do segundo ano fizeram esse trabalho, enfim todos os alunos de medicina fizeram. – deu de ombros tomando o restante do suco de laranja que Tomiko havia pedido.

-Ei Marina-senpai! – esbravejou a menina vendo que não sobrou nada de sua bebida.

-Fica calma Tomiko, em compensação vou ajudá-los com o trabalho. – piscou enquanto pegava o caderno que os cinco escreviam o rascunho da parte escrita.

-É bom mesmo. – fez um bico, mas concentrou sua atenção no que a veterana começava a escrever e falar ao mesmo tempo.

~~*~~*~~*~~

Passava pelas portas automáticas com um sorriso nos lábios, graças a Marina, conseguiram escrever e montar a parte escrita do trabalho, deixando-os aliviados, pois assim era um assunto a menos para se preocupar.

Arrumou de forma confortável a alça da bolsa em seu ombro e começou a andar, estava a fim de ficar e conversar sobre diversos assuntos com os colegas, para conhecê-los mais, porém a cada dez minutos que ela desviava a atenção para a janela, via o sol baixando vagarosamente. Yori até se ofereceu para acompanhá-la, mas Marina o fez se sentar de novo.

Agora Sakura andava toda encolhida, na tentativa de se proteger do frio de final de inverno, e desatenta, por isso não percebeu quando esbarrou em uma pessoa, ao dobrar a esquina.

-Sasuke-kun? – a surpresa tomava conta da expressão da garota.

-Pensei que já estivesse em casa. O que você estava fazendo até agora? – arqueou as sobrancelhas enquanto se aproximava da namorada.

-Fui planejar um trabalho com o pessoal da minha sala. – deu de ombros e ao mesmo tempo analisava o namorado dos pés a cabeça. –E pelo que vejo, o trabalho esquecido tomou bastante de seu tempo. – sorriu fracamente.

-Juro que fiz com a maior pressa da minha vida. – de um passo aproximando-se mais da namorada. –E fico feliz por ver que não vamos passar o que restou do dia dos namorados junto com seus pais. – sorriu de canto.

E inclinou-se em direção a garota que estava sem reação, aproveitando isso, a envolveu em seus braços, a trazendo para mais perto de si.

-Desculpe se sou um namorado relapso. Mas como é nosso quarto Valentine’s Dau juntos, pensei que presente e falas prontas não eram necessários. – apertou mais os braços em volta do corpo de Sakura ao sentir que a mesma correspondia o abraço.

-Então você não se esqueceu que dia é hoje?

-Impossível com a televisão falando sobre o dia dos namorados e, o comércio dobrando o valor do chocolate e as floriculturas o valor das flores. – murmurou em tom calmo enquanto encostava a sua bochecha na dela.

-Mesmo assim, fique sabendo que estou brava com você. – escondeu o rosto na curvatura do pescoço do namorado para inalar o delicioso perfume amadeirado misturado com o sabonete de banho que Sasuke usava.

-Por quê?

-Porque você quase me fez arrancar os cabelos hoje!

-Você pensa demais Sakura! – contrapôs e tomou uma curta distância do rosto da namorada, o suficiente para que seus olhares se cruzassem e suas respirações se misturassem. Um sorriso se moldou nos lábios do Uchiha quando ele viu os lábios avermelhados da Haruno em um bico infantil. –Pare com isso, você não é mais criança. – advertiu risonho para em seguida beijar o bico da namorada.

O simples selinho logo se transformou em um beijo que ambos desejavam desde que acordaram naquela manhã. A mão direita de Sasuke impediu Sakura de se afastar dele ao segurá-la pela nuca e a outra apertava a cintura fina dela, mas foram obrigados a se separarem, pois estavam atraindo olhares repreensivos e tortos. Afinal japoneses eram reservados demais para beijar em público como o casal estava fazendo. E uma tosse fingida foi o que os fizeram perceberem que estavam passando de um limite imposto pela sociedade.

-Vou te levar para jantar, então você me conta o porquê de quase ficar sem cabelo. – falou no ouvido da namorada recebendo um aceno afirmativo.

~~*~~*~~*~~

-Quer dizer que você está brava comigo porque simplesmente não conseguiu entregar os chocolates para mim hoje? – perguntou de forma retórica encarando a namorada que cutucava o último pedaço de carne com o garfo.

-Mais ou menos isso. – murmurou com as bochechas coradas.

-Sakura. – suspirou em desaprovação balançando a cabeço de um lado para o outro. –Não precisa ficar brava só por causa disso. E tecnicamente a culpa não é minha, foi o dia que não te ajudou.

-Eu se, mas você também não fez nem questão. – replicou, mas sabia que era inútil.

-Está errada minha linda, eu estava ocupado que é diferente de não fazer questão.

Mas Sasuke sabia que ele tinha uma parcela de culpa por estar tendo um Valentine’s Day diferente, por Sakura estar meio chateada. Para começar, era obrigação sua ouvir o que ela tinha para dizer quando foi buscá-la na hora do almoço, mas o nervosismo pelo trabalho que apresentou o fez se esquecer de seu papel de namorado que ele tinha. E ainda veio a vaga lembrança que havia um trabalho a ser entregue.

-Me desculpe Sakura, eu prometo ser menos relapso. – falou derrotado, aceitando que ele também era culpado na estória.

Estava sendo dura com o namorado, disso ela sabia, mas tinha que contar o que ela vinha pensando sobre o dia dos namorados e culpá-lo por hoje estar saindo uma verdadeira merda.

-Tudo bem Sasuke-kun, você não fez por mau, só estou sendo uma chata culpando você e fingindo que eu não tenho culpa. Era e, é fácil entregar chocolates, afinal é apenas pegar o embrulho. – fez a ação, pegando o presente feito totalmente a mão de dentro da bolsa. –E esticá-lo em direção a pessoa endereçada, nesse caso o meu namorado. – pondo-o sobre as palmas das mãos, esticou o pequeno embrulho, como havia acabado de falar. -Happy Valentine’s Day, Sasuke-kun. – sorriu docemente.

Sem nenhuma resposta processada pelo seu cérebro, Sasuke apenas pegou o presente seu estomago se remexendo dentro da barriga. Todo ano recebia chocolates caseiros da namorada e todos eram deliciosos, mas aqueles em formato de coração pareciam deliciosos elevados ao quadrado.

-Para falar a verdade, eu estava com medo de você achar idiota presenteá-lo com chocolate como todos os outros casais fazem, deve ser por isso que acabei culpando você e ficando triste por não conseguir entregá-los.

-Contando que você fique do meu lado, não vou me importar se você me der chocolate em todo dia dos namorados. – deu de ombros centrando sua atenção em desfazer o laço delicado que prendia o pedaço de celofane.

-Eu amo você Sasuke-kun.

-Eu também amo você.

O laço foi desfeito rapidamente, o cheiro de chocolate invadiu as narinas do casal transformando o dia frustrante dos namorados em uma noite especial dos namorados.



Notas finais do capítulo

Então, o que acharam??
Espero as opiniões de vocês!! Beijos! e até mais!! ;D



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Valentine's Day" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.