Ajude-me escrita por morango_-


Capítulo 5
Capítulo 5 - O pedido


Notas iniciais do capítulo

Ai ta pessoal!!



-Apenas mais um passo. – Sussurrou para si.
Já se passava das duas da manha, ela sabia que era errado, mas não tinha como deixar de treinar. Ela havia prometido a ele que daria o seu melhor, que conseguiria andar sem apoio algum.
-Apenas... – Ela deu mais alguns passos, tentando não se segurar nas barras de apoio. –mais um... passo.
Mas, seu pé não conseguiu sustentar seu peso, fazendo-a cair.
-Ai. – Ela falou suavemente para o chão. – Isso dói.
Hinata se virou para ficar de barriga para cima.
Já se fazia dois meses... Dois meses dês de a primeira vez que vira seu médico.
Ela olhou com atenção as lâmpadas que se mantinham apagadas. Ela adorava como a lua de Tókio iluminava os ambientes fechados, mas quando terminou o raciocínio, algo lhe veio à cabeça, fazendo-a rir baixo.
-Ou é a lua, ou as luzes da cidade. – Sua voz fraca esbanjava a vitalidade que havia perdido há tempos.
Hinata tinha muito a agradecer a Naruto. O jovem médico havia a salvado do posso mais fundo da depressão, ele a ajudou e lhe deu fôlego para superar a perda. Mas o que mais lhe era prazeroso lembrar, era da maneira como Naruto a fez se lembrar da família, ele não fazia como os outros, tentando esconder que sua família havia morrido, ele na verdade, perguntava a ela como eram, quais suas características físicas, o que gostavam de fazer, do que mais sentia falta...
Talvez seja por essa razão que tenha se recuperado, e nunca mais tentara se matar, ela estava, finalmente, recuperada do buraco negro que esteve tão presente em seu coração no passado.
-Ora de ir. – Hinata se apoiou nos braços e se levantou sem esforço.
A cada dia que passava se sentia mais e mais forte. Seria apenas questão de tempo até que estivesse totalmente curada, e pudesse andar com mais facilidade novamente.
A cadeira de rodas de Hinata estava perto de seu alcance, portanto foi fácil para ela se apoiar e levanta-se para sentar-se na cadeira.
Ela estava prestes a sair do centro de reabilitação quando escutou pessoas falando alto.
-Respire! – Gritava uma voz afoita. – Como ensinaram nas aulas de parto.
-SASUKE! – A voz de uma mulher era histérica, lotada de força. – SE VOCÊ ESTIVESSE PARINDO UMA MELANCIA POR UM BURACO DE LARANJA EU NÃO IRIA PERDIR PARA RESPIRAR! – A mulher tomou fôlego e gritou. - ALIAS ERA A ULTIMA COISA QUE EU PEDIRIA PARA VOCÊ FAZER!
Uma terceira voz lotou o cômodo com uma risada cansada. Hinata reconheceu imediatamente como sendo de Naruto.
Timidamente ela abriu a porta, guiou a cadeira de rodas com cuidado. Apesar de estar querendo que Naruto a visse, também tinha a tremenda vontade de desaparecer.
-Hinata? – A voz espantada do médico soou suavemente. – O que faz aqui à uma hora dessa?
Ainda podia se ouvir os gritos da mulher de curtos cabelos rosado. Hinata sabia, pelo que Naruto havia lhe contado, que essa era a mulher de seu melhor amigo.
-Eu... Bom... Eu? – Ela gaguejou.
Naruto viu os pequenos filetes de suor na testa da garota.
-Quantas vezes...
-AAAHHHH – Gritou Sakura no cômodo seguinte. – MAS QUE MERDA!
Naruto sorriu.
-Fique aqui, vou ajudar meu amigo e volto logo. – Naruto piscou para Hinata e andou com pressa no quarto onde Sakura estava.
Hinata estava com o coração aos pulos, ela lutava contra a vontade desesperada de sair, empurrando a cadeira de rodas com toda a velocidade e se dirigir ao seu quarto, mas, por fim, decidiu apenas ficar lá, estática, olhando para o nada, esperando Naruto.
Com o passar do tempo os gritos da mulher só ficaram mais e mais estridentes, chegando a deixar Hinata zonza.
Vez por outra era possível ouvir a conversa das enfermeiras...
-Ainda não está totalmente dilatado. – A voz calma de uma mulher encheu o corredor. – Teremos que esperar algumas horas.
-HORAS? COMO HORAS? – Sakura gritava a plenos pulmões. – EU NÃO TENHO HORAS!
Hinata sorria toda vez que Sakura falava.
-Por que não da logo a peridural? Vamos fazer ela calar a boca de uma vez por todas. – Naruto falou com gracejo.
-SAIA DAQUI! – Sakura olhou nos olhos de Naruto como raiva. – AGORA!
Sasuke, temendo pela vida do amigo, empurra-o porta a fora, fechando a mesma depois.
-Todos recusam minha ajuda. – Sorridente o loiro passou os braços envolta da cabeça e caminhou devagar ao encontro de Hinata. – Onde estávamos?
Ela olhou para baixo. Como poderia explicar? Sabia que tinha sido proibida de fazer isso sem a supervisão de um médico, só que a vontade de melhorar era maior do que a obrigação.
O médico se direcionou a cadeira, ele a virou com um movimento suave e caminhou empurrando-a para um banco próximo a sala onde Sakura estava.
-Se eu pedisse para voltar ao quarto, você não iria dormir tão cedo, iria? – Perguntou enquanto estacionava com cuidado a cadeira.
-Provavelmente não. – Ela sorriu.
-Pois vou lhe dar um castigo – Naruto sentou-se ao seu lado, no pequeno branco precário. –, terá que passar essas horas comigo.
Hinata sorriu, nunca ficou tão feliz por receber um castigo.
Passaram-se algumas horas e nenhum dos dois teve forças para falar, afinal, o que teriam para conversar? Ambos sabiam dos apuros que Sakura passava na sala ao lado, seus gritos não deixavam que nenhum esquecesse.
Naruto, por sua vez, remexia com impaciência em seu moletom. Ele queria ter se arrumado mais para vir até aqui, mas com a ligação de urgência de Sasuke fora impossível raciocinar, portanto, pegou qualquer roupa que tivesse a sua frente e saiu de casa com rapidez, tão rápido que nem se lembrava de como chegara ao hospital.
-Qual é o sexo do bebê? – Timidamente Hinata quebrou o silencio.
Naruto sorriu, se esticando na cadeira.
-Ele é um menino, os pais ainda não decidiram o nome, mas que serei padrinho, eu serei. – Com orgulho o loiro sorri.
Hinata olhou para Naruto com atenção, apesar do longo moletom, ela podia ver com clareza os seus músculos definidos.
-Pelo menos é assim que espero. – Ele olha em volta com suspeitas.
-Tenho certeza que você será. – Hinata olhou profundamente nas grandes piscinas, que eram os olhos de Naruto.
Naruto captou, com prazer o olhar da mulher. Devia sentir-se feliz por esconder o tremendo desejo que sentia por ela, na verdade, deveria mesmo é ganhar um premio, pois a cada momento que fitava as grandes perolas, que eram os seus olhos, o único pensamento que vinham a sua mente era de como deveria ser o sabor dos lábios dela.
-Assim espero. – Sorriu, desviando o olhar, não era bom tentar demais a vontade.
-Naruto-kun... – Começou Hinata.
-Fale. – Ele sorriu.
-Você está chateado comigo? – Sua voz soava mortalmente ferida, o que fez o loiro explodir em uma gargalhada.
-Mas porque estaria chateado com você? – “Você é a coisa que mais desejo, será impossível ficar zangado com você.” ele escondeu o que iria falar, afinal, isso soaria muito estranho para ela.
-Eu desobedeci suas instruções. – Hinata puxou levemente as ataduras do pulso, algo que Naruto traduzia como nervosismo ou vergonha.
-As regras são feitas para serem quebradas. – Sorriu, de descumprimento de lei, Naruto sabia, e sabia muito bem.
A menina olhou esperançosa o médico. Seria correto falar a ele que estava apaixonada?
-Naruto-kun eu...
-Nasceu! – Gritou Sasuke na porta do quarto. – Naruto venha ver!
Naruto sorriu para Hinata.
Ele levantou e empurrou a cadeira de rodas em direção da sala de parto.
-Eu... Eu não devia... – A garota corou fortemente.
-Deixe de bobagem – falou Sasuke. -, você tem todo o direito de ver. – E em seguida ele piscou.
Os dois deram uma pequena espiada na “nova mamãe” da porta.
Sakura, que estava atenta de mais com a pequena trouxinha que trazia nos braços, mal notou quando os dois entraram no quarto.
-Olha o que temos aqui... – Naruto falou com suavidade.
Finalmente Sakura tira os olhos do filho e mantém os olhos nos novos visitantes.
-Fico feliz que trouxe Hinata-chan também! – Sakura se animou. Abrindo um longo sorriso.
Como ela sabia da existência de Hinata? Nunca achara que Naruto falava de seus pacientes para os amigos.
-Ele fala bastante de você... Hinata-chan. – Sakura completou, provocando um rubor nas bochechas de Naruto.
-Ele... Ele também fala muito de você Sakura-chan. – Hinata sorriu sem esforço, sua face mergulhada em um vermelho forte.
-Pois bem... – Naruto interrompeu. – Não achei que rolaria tão depressa, por que, pelo tanto que gritava achei que iria demorar dias.
Sem esforço, Sakura estendeu o braço e bateu fortemente no ombro do amigo.
-Queria muito que você fosse mulher – Sakura meditou, sorrindo. -, assim quando ficasse grávido iria ver o que é dor.
Hinata sorriu, esticando o pescoço para ver com mais clareza o bebê.
-Deseja segurar? – Perguntou ela, notando o olhar da menina.
Hinata sacudiu a cabeça em negação.
-Eu... Não poderia... – Hinata sorriu.
-Deixe de bobagem! – Sakura se estende para passar a criança para Hinata. – Afinal, você será a madrinha dele, junto com Naruto.
Isso surpreendeu a garota, o que faz de Sakura achar que ela poderia ser madrinha? Mal se conheciam...
-Mas, não seria certo... Você deveria convidar alguém da família... – Hinata não ousou se aproximar da pequena criatura que Sakura carregava.
-Mas... Você será da família... Em breve. – Ela sorriu, deixando Naruto e Hinata em um vermelho puro. – Agora, por favor, pegue logo ele.
Sakura sentou-se mais ereta na cama, esticou como jeito a criança para Hinata. A menina pegou a pequena criatura com medo.
-Ele é lindo. – Sorriu Hinata.
A criança tinha curtos cabelos pretos, seus olhos eram semelhantes a duas jades, da mesma cor marcante dos olhos da mãe.
Naruto se escorou por cima de Hinata para ver o menino, e sorriu quando o mesmo pareceu bastante interessado nos peitos de Hinata.
-Acho que está com fome. – Falou ela entregando o menino para Sakura.
No instante em que o bebê estava seguro nas mãos de Sakura, um forte fleche tira todos da sala de orbita.
-Linda foto. – Falou Sasuke analisando o resultado na tela da maquina.
-Sasuke-kun... Não pode ficar tirando foto assim... Pode incomodar o... – Ela parou olhando para os lados.
Todos da sala riram, menos Sakura, que continuava vaga em seus pensamento.
-Ainda não decidiram o nome do bebê? – Perguntou Naruto. – Quem sabe...
-Não de opinião... – Falou Sasuke. – Vai acabar estragando com a criança!
-Estragando... Por que eu estragaria a criança?
Hinata sorriu, estranhamente aquilo lhe parecia familiar. A maneira como discutiam, como riam, era muito familiar a sua vida antes do acidente.
-Shin... – Sakura sorriu. – Acho que seria bom esse nome!
Naruto revirou os olhos.
-Shin? Mas que simples... Não tem nada mais elaborado? – Naruto olhou fundo nos os olhos verdes do pequeno menino e falou. – Rokuro! (sexto filho)
-Naruto... Ele não é o sexto! – Sakura apertou o menino no colo, ele se movia com irritação tentando alcançar o peito da mãe.
-Mas é um bom nome... –Ele falou.
-Ficamos com Shin! – Sasuke sorriu e se aproximando da mulher. – É um lindo nome.
Hinata não ousou perguntar do porque da ausência dos pais de ambos, achava que ainda não tinha o direito de se intrometer na vida deles, por isso, deixou sua curiosidade de lado.





-Fico feliz que tudo tenha dado certo. – Hinata se ajeitava na cama de seu quarto. – Apesar de tudo foi um parto rápido.
Naruto sorriu enquanto fechava a janela do quarto.
-Sim, realmente foi um parto rápido. – Naruto estava mais quieto do que de costume, geralmente quando ela começava a falar, ele fazia tudo para que ela continuasse a usar de sua saliva.
-Algo errado? – Temeu ela em perguntar.
Naruto sorriu pela pergunta. Ele havia pensado naquilo por tempo suficiente, havia revirado em sua mente se estava fazendo a escolha certa, por fim, acabou decidindo pelo quem mais desejava.
-Você terá que deixar o hospital em menos de duas semanas, já que sua perna está praticamente curada...
O coração de Hinata se apertou dolorosamente. Isso seria um adeus? Ele estava lhe falando isso, por que queria se ver longe dela?
Hinata abaixou a cabeça e sorriu sem humor. Por que ela achara que iria ser diferente?
-Então, quero que venha morar comigo! – Falou Naruto olhando para a janela que ele recém havia fechado.


Notas finais do capítulo

Agora sim é que começa as “partes quentes”... No próximo teremos uma “pequena” ceninha “fora dos padrões” de pessoas comportadas!
Ahh... Se tiver no mínimo 10 review eu posto ainda hj o capitulo 6!
Portanto... Comentem!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Ajude-me" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.