Ajude-me escrita por morango_-


Capítulo 12
Capítulo 12 - Reconciliação


Notas iniciais do capítulo

Ta ai pessoalll!!
Penúltimo capitulo!! o/
Mais Hentai para vocês...! :**



-Naruto-kun? – Perguntou ela, obviamente sabendo a resposta.
-Sim. – Sorriu ele. – Pelo menos acho que sim.
Hinata não teve força para levantar, apenas ficou analisando o loiro como uma idiota.
-O que você quer? – Perguntou amarga.
Naruto tinha varias respostas para essa pergunta, alguma delas passavam ao tom de desejo, outras se aproximavam a carência, mas a que reluzia como chama quente em seu peito era uma única frase. “Eu quero o seu amor”.
Mas Naruto não falou a ela essa resposta, nem mesmo as outras que estavam guardadas em seu coração. Ele apenas se aproximou de Hinata, e sentou-se vagarosamente ao seu lado, fazendo a pequena ponte balançar com o seu peso.
-Sabe que foi difícil lhe encontrar? – Naruto estendeu o pequeno caderno a Hinata. – Eu não me lembrava de tudo que você havia me dito. – Ele sorriu quando a menina aceitou a agenda. – Mas, graças a Deus, encontrei o lugar que você sentia saudade de visitar.
O médico olhou a noite estrelada. Fora bastante difícil chegar até aqui, era muito longe do centro de Tókio, e como era noite, as ruas estavam praticamente intransitáveis.
-Você estava certa... Aqui é muito bonito! – Naruto sorriu.
Quem pensava que era ele? O que ele estava fazendo aqui? Essas eram as perguntas que voavam pela cabeça de Hinata. Ele ainda queria aventurar-se com ela? Por Deus! Ele já havia conseguido o que queria... Por que não a deixava em paz?!
-Naruto-kun, por que você veio até aqui... – Hinata perguntou olhando para frente, não tendo forças para olhá-lo.
-Por quê? – Naruto sorriu. – Você esqueceu sua agenda.
Hinata não sorriu, ela apenas abaixou a cabeça e fungou, sem vontade de demonstra alegria.
Naruto percebendo que não era essa a resposta que Hinata queria, toma fôlego e sorri.
-Você sabe que não foi apenas esse o motivo. – Quando Hinata continuou muda ele continuou. – Eu vim até aqui... Para lhe pedir desculpa.
Ela ainda continuou olhando para o nada, sem querer levantar nem sequer os olhos.
-O que você escutou ontem... – Ele sorriu ao ver a cara surpresa de Hinata. – Foi mentira, uma das maiores mentiras que eu contei.
Naruto se aproximou lentamente da figura perfeita, sem se atrever tocá-la.
-Eu falei aquilo por que achei que admitir a Sasuke que estava nesse estado seria muito vergonhoso. – Ele apertou os lábios. – Por isso eu falei aquilo, escondi dele e de mim o que estava sentindo. A verdade.
Hinata olhou para o médico. Bom se Naruto estava mentindo ele poderia se tornar um bom ator.
-Você teve o que queria... Por que não me deixa em paz? – Sem se dar por satisfeita ela retruca.
-Você não entende? – Naruto se aproximou dela, tocando-a suavemente na mão. – Eu não posso viver sem você.
A menina não estava assim tão inclinada a acreditar nele.
-É verdade! – Falou ele quando notou a duvida nos olhos da menina. – Por favor, você tem que acreditar!
O que ela faria? Acreditaria em alguém que, literalmente, estragou sua “noite mágica”. Será que era possível ela continuar com o coração palpitante, as mãos trêmulas e o sorriso meio que “sem querer” no rosto? Sim, seria.
-Naruto-kun... – Ela corou, abaixando os olhos.
     -Hinata, eu te amo! – Mesmo Naruto tendo percebido o perdão de Hinata em seus olhos, ele tinha que falar, tinha que despejar o que ele tanto tinha em sua mente.
     A reação de Hinata fora alem do esperado para Naruto. Ela ficou o olhando por um bom tempo e depois lagrimas brotaram de seus olhos.
     -Na... Narut... Naruto-kun... – Hinata fechou os olhos e sorriu. – Naruto-kun!
     Com pressa Hinata se atirou no colo dele, aspirando o cheiro doce do homem que lhe tanto lhe proporcionava prazer. Por Deus, nunca pensara que se sentiria assim.
     -Eu te amo Naruto-kun. – Hinata sorriu para o peito firme de Naruto, que ofegava lentamente.
     Obviamente ela perdoara Naruto muito rapidamente. Talvez o único motivo para isso fora sua extrema paixão, ou a carência por seus beijos, mas, de uma coisa Hinata tinha certeza, nunca amara um homem com tamanho fervor e ferocidade como amava Naruto.
     Devagar, como da primeira vez, os lábios dos dois se encontraram, selando a paixão, selando a vontade.
Os lábios dos dois dançaram, provando, novamente, o interior da boca de cada, fazendo com que os dois se esquentassem, apesar do frio cortante de Tókio.
     -Não é melhor irmos para casa? – Perguntou Naruto, ainda com os lábios nos de Hinata.
     Hinata concordou timidamente, com um aceno rápido de cabeça.
     Mas, antes que levantassem, Naruto provou novamente os lábios de Hinata. Da mesma maneira suave e sensual.
     O homem passou seus braços pela cintura de mulher, a trazendo para seu colo. O calor do corpo de Hinata deixava o loiro excitado, deixava-o inebriado e completamente fora de orbita. Se pudesse ele iria tirar a roupa pesada de Hinata, e tomá-la agora mesmo, naquela ponte.
     -Vamos. – Ele puxou Hinata para a rua, ele necessitava dela, agora. – Temos que ir.
     Hinata sorria enquanto era arrastada por Naruto. Nunca mais reclamaria do seu destino... Podia ter perdido tudo, mas ganhou algo que passava da imaginação, ganhara o amor... E é claro, aprendera como era realmente amar.
     Os dois apenas pararam de correr quando entraram dentro do Taxi. Obviamente, eles não estavam tão necessitados para se consumirem em um carro. Portanto foram pacientes e apenas trocaram caricias suaves, um tocando na mão do outro.
     - 963,3447 Ienes (equivalente a 20 reais) senhor. – O taxista falou em um tom mal morado, quando chegou no destino.
     Mostrando total cavalheirismo, Naruto tira da carteira o dinheiro e entrega ao homem, em seguida desembarca do carro e ajuda Hinata a sair.
     -Obrigada Naruto-kun. – A mulher sorri, quando toma a mão dele.
     O loiro apenas sorriu, passando seu braço suavemente na cintura da menina.
     Os dois se encaminharam para o elevador, e o esperaram até o mesmo se abrir. Logo após, entraram sem que ninguém o acompanhasse, apertando no botão desejado, fazendo a porta se fechar com suavidade.
     -Naruto-kun eu... – Mas fora tarde para Hinata completar as palavras.
     Naruto a tomou nos braços e beijo-a com necessidade, ao mesmo tempo que acariciava seus seios.
     -As câmeras... – Hinata gemeu quando os lábios de Naruto tocaram seu pescoço.
     -Não há câmeras aqui. – Naruto sorriu enquanto provava do colo da garota.
     A pele branca, o suave cheiro de rosas, o corpo bem construído e os belos lábios úmidos... Todo aquilo era convidativo de mais para ser esquecido. Esse era um dos motivos que faziam Naruto não se importar no que estava fazendo. Ele tinha Hinata nos braços, todo o resto que os deixassem em paz.
     Com habilidade de mestre Naruto abriu o grosso casaco que a cobria, revelando suas sinuosas curvas, que, habilidosamente, se escondiam atrás de uma blusa de lã.
     Quando o elevador parou no andar de sua casa, Naruto levou Hinata no colo, impaciente de esperar que Hinata andasse.
     Com maestria ele tirou a chave do bolso e colocou na maçaneta, mas antes de abrir a porta, Naruto se inclinou para beijar Hinata, que na atual situação apresentava uma cor de vermelho vivo.
     Entre suaves toques, os gemidos estavam presentes, e graças a eles, fora impossível ouvir o pequeno barulho que a chave fez ao abrir a porta.
     Naruto empurrou Hinata porta adentro, parando apenas quando chegou em seu quarto. Ele não ligara que deixava para trás a porta aberta.
     Naruto colocou suavemente o corpo macio de Hinata na cama e se afastou para olhar com mais atenção o corpo definido e ofegante.
     Que bela imagem que via. Que belo corpo tinha abaixo de seu, e por deus, que sorriso era aquele, nos lábios travessos da mulher?
     Sem tentar mais admirar, Naruto se curvou para tomar os lábios de Hinata.
     Ela, por vez, passava sua mão pelo corpo do médico. Sem sentir-se mais envergonhada, Hinata desabotoa a camiseta dele, revelando o peito forte e firme do homem.
     Ela decidiu que dessa vez ela que faria tudo. Ela que daria a ele o mesmo prazer que ele deu a ela na noite anterior. Por tanto, Hinata ficou em cima.
     -Hina... – Mas antes que Naruto protestasse Hinata tomou os lábios dele, mostrando toda sua sensualidade, que ela tão timidamente deixava guardada.
     Logo após, ela deixou seus lábios para traçar com a mão o caminho que levava para o objeto de prazer do médico. Seu trajeto arrancou suaves suspiros prazerosos de Naruto, que admirava a movimentação de Hinata.
     Timidamente, ela abriu a calça do homem, revelando o membro pulsante e ereto, ao qual Hinata acarinhou suavemente, sem sentir-se envergonhada.
     -Hina...Hinata. – Naruto sussurrou quando sentiu que a boca de Hinata se enterrava em seu membro.
     A delicadeza com que ela fazia cada movimento, enlouquecia o homem, que se contorcia com prazer abaixo das abeis mãos da mulher.
     -Por favor. – Falou ele, quando sentiu que o ápice do prazer chegava.
     Mas, para protesto de Naruto, Hinata parou o carinho e subiu para provar dos lábios do homem.
     Com movimentos rápidos, Hinata tirou sua calça e sua blusa. Ela estava apenas de calcinha e sutiã e muito bem montada em Naruto.
     -Hinata eu... – Tentou falar ele, mas fora impedido pelo dedo indicador de Hinata, que pousou em seus lábios, mostrando o sinal de silencio.
     -Tudo bem... – Ela sorriu. Usara de todos os livros de romance que lera para conseguir fazer o que estava fazendo agora. E em sua perspectiva não estava indo tão mal.
     Com habilidade de uma profissional, Hinata abaixou seu tronco, parando quando o membro de Naruto tocou seu sexo.
     O loiro urrou de prazer com a doce tortura de Hinata. Sem mais esperar Naruto colocou suas mãos nas nádegas da garota e forçou o corpo magro para baixo, enterrando-se em seu interior.
     Hinata soltou um suspiro agudo de prazer. Ela movimentou-se para cima e para baixo, proporcionando agora a Naruto o maior dos prazeres.
     Timidamente a menina se recostou no peito do homem, ainda movimentando-se. Seu rosto passava um misto de prazer e de alegria. Ela trazia estampado um pequeno sorriso no rosto, que fora recebido com prazer pelos lábios macios do médico.
     O interior de Hinata fora feito inteiramente para ele, contatou o homem, juntamente com seus lábios, que se encaixavam como quebra cabeças. Naruto sorriu ainda com os lábios colados nos de Hinata.
     Novamente, e por comando de Hinata, os movimentos se intensificaram, ficando cada vez mais forte e necessitado, provocando o sanidade dos dois.
     Por fim, não puderam mais adiar. Juntos entraram no ápice do prazer. Fazendo Hinata cair sobre o peito de Naruto e o mesmo gritar, explosivo.
     -Eu te amo... – Sussurrou o homem, que ainda estava conectado a garota.
     -Eu também Naruto-kun. – Hinata sorriu suavemente no peito firme dele.
     O homem virou seu corpo, colocando Hinata ao seu lado.
     Quando a menina estava bem acomodada em seu braço, Naruto começou a acariciá-la, como quem se acaricia uma criança travessa.
     -Naruto-kun... – Resmungou Hinata sorrindo para o escuro.
     -Hum...? – Perguntou o homem enquanto traçava uma das grandes cicatrizes de seu pulsos.
     -Tenho a impressão de que você deixou a porta do apartamento aberta. – Hinata alargou o sorriso.
     -Oh merda! – Naruto saltou da cama.
     -Naruto-kun...?- Hinata riu.
     O loiro colocou rapidamente a calça que estava no chão e correu porta a fora.
     Hinata riu sozinha. Como podia se sentir tão feliz? Como podia se sentir tão inteira, quando sabia que por fora estava aos pedaços?
     Nunca provara de uma experiência viva como essa. Nunca se sentira tão viva, alerta, amada, FELIZ...
     Com certeza a única explicação para isso tudo seria uma única palavra, ou melhor, um nome.
     Naruto-kun.


Notas finais do capítulo

Bom... Só para avisar.. No meu pc a historia já foi finalizadas! (demorou, mas saiu...) foi o texto mais longo e fois que eu já fiz!
Beijocas pessoas!