Ajude-me escrita por morango_-


Capítulo 1
Capítulo 1 - Revelado


Notas iniciais do capítulo

Bom... Para quem já leu "Uma Noite" e conhece o meu "estilo" ero de escrever... Sinto muito, nesse eu tento manter a minha integridade mental, e faço uma fic super fofis! Mas, vai ter cenas eros, sim, e muito mais detalhadas que as de "Uma Noite"



                Era um dia bastante movimentado no hospital de Tókio. Mas estranhamente Naruto se sentia descansado, apesar do aparente esforço.

                O residente estava satisfeito por ter conseguido finalmente um estagio no hospital. Afinal depois de tanto trabalho era emocionante poder se sentir cansado.

                Mas o que deixava Naruto mais satisfeito era o fato de ter provado a mais da metade de sua sala que ele era capaz, e ainda mais capaz de passar em primeiro entre todos da turma. O que o deixou em estado extra corporal, por que, afinal ele havia superando Sasuke, o dono de toda a sabedoria, como Naruto gostava de lembrar.

                 -Naruto-sensei. – Yumi, uma das enfermeiras mais novas de todo o departamento médico, o chamou com delicadeza. – Acho que temos um problema.

                Naruto abriu os olhos com cautela e fitou a menina magra de longos cabelos vermelhos. Se não estivesse tão centrado em todo seu trabalho ele tentaria “chegar” em Yumi, a menina era bonita, mas apenas isso.

                -E qual seria o problema? – Sorriu Naruto, tentando parecer bastante insinuante.

                A garota pareceu não notar o interesse do médico, Yumi apenas abaixou a cabeça e sussurrou para ele.

                -Á uma paciente que está internada há muito tempo... – Falou, sendo muito cautelosa. – Me parece que ela não está muito bem.

                Naruto pareceu confuso.

                -Parece?

                Yumi corou, constrangida.

                -Ela tentou se matar, mas uma vez. – Falou ela, tentando não falar alto.

                Naruto não pareceu surpreso. Antes de entrar no hospital ele havia ficado um ou dois dias em um manicômio, nada de lá pode ser comparado a tentativas frustradas de suicídio. Tudo lá era muito pior do que um simples problema de existência.

                -Muito bem – ele se levantou da cadeira reclinável e sorriu. -, preciso saber o nome idade e quarto.

                -Hyuuga Hinata, 21 anos, quarto 302. – Falou Yumi de modo automático.

Isso o havia surpreendido. Ela era extremamente nova.

                -Ela realmente tentou se matar? – Perguntou Naruto um tanto desconfiado. 

                Yumi acenou a cabeça em concordância.

                Aquilo não estava certo, para Naruto, jovens não tem motivos para cometer atos tão estúpidos como esse. Qual seria o problema desse menina?

                Ele pegou seu jaleco e seu estetoscópio. Quando saiu da sala dos médicos, ele foi parado por uma mulher de curtos cabelos rosados.

                -Será que você poderia me explicar do porque você não compareceu ontem? – Sakura apertou os olhos com raiva. – Sasuke-kun está muito bravo com você.

                -Olá Sakura, eu vou muito bem, apesar do cansaço, e você? – Naruto checou a parte da frente de seu jaleco, estava tudo ali.

                -Era um dia de folga! – Sakura afagou uma parte da barriga protuberante. Ela estava grávida de 7 meses. – Você sabe que tínhamos combinado isso a décadas.

                Naruto sorriu. Ele sabia que tinha falhado com os amigos na noite anterior, mas ele precisava estudar, ainda não era um médico, ele era apenas um estagiário, que estava ali para observar o trabalho dos médicos, e se realmente quisesse se tronar um verdadeiro médico ainda era necessário estudar, e muito. Só que Naruto não sonharia em falar isso para Sakura, a esposa de seu melhor amigo.

                -Bom, folga geralmente é dada para d-e-s-c-a-n-s-o. – Ele sorriu.

                A mulher levantou a mão com agilidade e bateu com força na cabeça do amigo.

                -Eu não posso acreditar! – Falou ela, enquanto esfregava sua mão. – Você passou o dia estudando, não foi?

                Naruto acenou a cabeça sem presa, apesar de estar bastante ciente da paciente o esperando no quarto 302.

                     -Quanta diferença. – Meditou Sakura. – Se me dissessem que você seria tão estudioso eu acharia que era primeiro de abril.

                Naruto sacudiu a cabeça concordando. Ele e Shikamaru, eram os mais bagunceiros e ordeiros da escola, sempre ficavam na turma das sobras. Mas atualmente os dois conseguiram empregos para lá de bons, Naruto estava a alguns passos de se tornar um médico e Shikamaru era um sócio multimilionário de uma empresa de automóveis.

                -Sakura – Naruto sorriu com pesar. -, temo que terei que te deixar. – Ele sorriu. – Tenho uma paciente problemática para atender agora.

                Sakura revirou os olhos.

                -Sou casada com um médico e tenho um amigo médico – ela pareceu triste. -, por que não me acostumei com toda essa agitação?

                 Naruto riu.

                -Aposto que esse menino dará um ótimo médico. – Naruto afagou a barriga de Sakura com carinho.

                -Não coloque praga! – Ela se afastou da mão de Naruto. – Esse menino vai ser o que ele quiser ser, MENOS, enfermeiro ou médico.

                Ele sorriu. Algo lhe voltou a sua cabeça. A menina do quarto 302... As enfermeiras deveriam estar furiosas com ele.               

                -Preciso mesmo ir Sakura, as enfermeiras acabaram comigo se eu não aparecer lá. – Ele se afastou com um sorriso. – Mande lembranças a Sasuke por mim.

                Sakura acenou para o amigo deu meia volta e sorriu. Naruto havia crescido tanto, pensou ela, estava mais responsável e, estranhamente feliz.

                Naruto foi recebido com gritos das enfermeiras que ficaram esperando por ele.

                -Naruto-sensei!! – Esbravejou Yumi. – Porque o senhor demorou tanto? – Os olhos verdes de Yumi se abriram.

                -Eu encontrei uma amiga no corredor. – Respirou exausto. – Desculpe.

                Naruto torcia que isso não escapasse pelos corredores do Hospital.  

                -Agora, se não for pedir muito, retirem-se. – Ele falou, abrindo com cautela a porta do quarto 302.

                As duas enfermeiras pareceram chocadas.

                -Não quer auxílio algum? – Perguntou Nagomi com espanto.

                -Ela pode se tornar agressiva. – Falou Yumi juntado os braços como em uma oração.

                Ele riu. Quem elas achavam que ele era? Tinha força suficiente para segurar uma mulher desesperada, ele sabia muito bem que tudo estaria sobre controle, ou, isso seria mais um paço para sua demissão.

                -Vão. – Falou Naruto com severidade.

                As duas enfermeiras se entreolharam e saíram olhando com preocupação para trás.

                Naruto se sentiu em paz novamente, finalmente se livrara de toda a progesterona das duas mulheres, ou, pelo menos se livrar de Nagomi, a mais agitada e atirada, diga-se de passagem, das enfermeiras. O que menos queria era agito, pelo menos, não em um momento como esse.

                Quando a porta se fechou Naruto teve vontade de conferir o numero do quarto novamente. Não poderia estar no quarto certo.

                A sua frente, sentada na cama do hospital, estava sentada uma deusa. Naruto respirou fortemente. A mulher possuía longos cabelos negros, quase azulados, seu corpo era de uma perfeição tamanha que deixou o medico sem fôlego. Ele não conseguia identificar a cor dos seus olhos, pois a mulher os mantinha severamente fechados.

                -H-Hyuuga Hinata? – Perguntou ele, afrouxando a gravata com presa.

                A mulher não lhe respondeu. Mas ele não desistira tão facilmente.

                -Sou Uzumaki Naruto. – Sorriu quando se aproximava da cama. – Um novo médico residente.

                A menina continuou imóvel. Isso o estava irritando.

                -Muito bem. – Naruto puxou uma cadeira e se sentou ao seu lado. – Vamos ver o que temos aqui.

                Naruto olhou de cima a baixo a mulher. Ela estava com ataduras bastante apertadas no pulso e uma cicatriz visível em seu braço direito.

                -Pois bem. – Ele suspirou e se aproximou para tocar os pulsos de Hinata.

                Ela abriu os olhos quando sua mão pegou suavemente seus pulsos. Ele observou com satisfação que seus olhos tinham a cor da lua cheia em uma noite sem nuvens.

                -As enfermeiras já fizeram a sutura? – Perguntou ele.

                Hinata não sabia ao certo, mas o medico a sua frente lhe era confiável. Não apenas pelos olhos incrivelmente azuis e sinceros, mas pela maneira que a tocou, não de um jeito automático, quase robótico, mas de um jeito carinhoso e cuidadoso.

 Quando ela foi lhe responder sua voz saiu estranha, afinal, ela não falava há alguns meses.

                -Sim. – Respondeu, corando consideravelmente.

                Naruto riu baixo.

                -Bom – ele pegou a mão e colocou com suavidade na perna da menina. -, você está sentindo algum tipo de dor?

                A mulher balançou a cabeça rapidamente.

                -E diariamente? Algo que queira me dizer.

                Hinata teve vontade de sorrir. O médico a sua frente era desengonçado com as palavras, mas mesmo assim bastante profissional.

                -E-e-eu – ela tentou proferir a frase que lhe era de desejo, mas fora impossível, sua garganta fechara com uma força dolorosa.

                Naruto sorriu quando a menina fazia esforço.

                -Acho que você tem estado muda por muito tempo não? – Falou, se sentindo lisonjeado por ser o primeiro a receber tamanha atenção de Hinata.

                Ela acenou a cabeça e com esforço falou o que desejava.

                -Tenho dores de cabeça. – Ela olhou para janela enquanto falava. Era estranho, mas ela estava se sentindo encabulada pela presença do homem a sua frente. – Não dói muito, mas é um incômodo.

                Naruto pegou uma pasta encima da mesa que estava ao seu lado. Ele deu uma olhada no que estava escrito lá e suspirou quando viu a causa de sua internação. Um acidente de carro. Algo não tão comum em Tókio. Ela estava com a perna direita comprometida, e precisaria de muita fisioterapia para se recuperar.

                -Muito ruim? – Perguntou ela, olhando para a janela.

                Ele sorriu.

                -Sabe – Falou se ajeitando na cadeira. -, tem algo que minha avó sempre diz, tudo se resolve, é só preciso ter paciência.

                Hinata não sorriu, como esperado por Naruto.

                -O tempo cura todas as feridas. – Agora foi a vez dele não sorrir. Ele tinha suas próprias feridas profundas, que se curaram com o tempo, doeram, mas curaram-se.

                -As minhas... – Hinata começou antes que pudesse se frear. – são profundas de mais.

                Naruto não iria deixar que essa menina perdesse a fé com tamanha facilidade.

                -Por mais profunda que seja, elas, um dia, serão obrigadas a se fechar. – Falou ele agora com um sorriso no rosto. – Sua família vai lhe ajudar também.

                Hinata sofreu um beque, ela fechou os olhos com força, sem querer as lagrimas perfuraram a barreira tão bem construída por ela.

                -O que houve? – Perguntou Naruto, checando o aparelho que media a seu batimento cardíaco.

                -SAIA! – Gritou ela, perdendo totalmente o semblante doce. – Saia, por favor.

                Naruto olhou em choque a mulher – se é que podia chamá-la de mulher, ela ainda parecia uma menina – a sua frente.

                -Falei algo errado? – Perguntou chocado ele.

                Hinata se sacudiu na cama, como se estivesse tendo um ataque epilético.

                Naruto se levantou com presa e jogou seu corpo por cima de Hinata. Aos poucos os espasmos foram parando.

                -Eles, todos eles... Morreram. – Falou quando só restaram as lagrimas. – Meus pais, minha irmã. Todos. Não tenho ninguém.

                Naruto olhou em choque para o rosto umedecido pelas lagrimas de garota. A face doce dela estava repuxada em uma careta de choro.

                -Me perdoe. – Falou ele chocado. – Eu... Eu devia ter me informado.

                Hinata parou de pressionar seu corpo contra o de Naruto.

                -Saia... – Sussurrou ela.

                Ele saiu de cima do corpo suave de Hinata e olhou com atenção o rosto sofrido da menina.

                -Eu lhe peço perdão. – Falou ele dando meia volta, em caminho da porta. – Perdoe-me.

                Ele fechou a porta e se encostou à parede, escorregando até o chão.

                Esqueça o que disse sobre o hospício, isso era muito pior do que a loucura das pessoas, o que aquela menina passara fora alem de tudo que tinha em mente.

                Ela perdera toda a família, e apenas ela sobrevivera.

                -Deus. – Ela colocou a cabeça entre as pernas. 

                Ele se odiava por sentir-se tão mal, se odiava por ser fraco e ficar em estado tão deplorável com estava agora, ele era um médico, situações tristes estariam envolvidas na sua vida, em todo o momento.

                Por que a estória dessa menina havia o deixado tão abalado?

                -Naruto-sensei? – Perguntou Yumi quando viu o residente sentado no chão da ala de recuperação do hospital. – O que houve?

                Naruto não foi capaz de responder. Ele havia perdido a mãe e o pai, mas tinha outras pessoas, tinha sua avó, tinha seus amigos, mas e essa menina? Ela dissera a ele que todos haviam morrido. TODOS.

                Não era de se achar estranho que ela não tivesse ninguém, afinal, não possuía uma pessoa sequer em seu quarto. Deus. Essa menina estava sozinha, como um dia ele ficou, ou melhor, como um dia ele pensou.

                -Naruto-sensei? – Insistiu novamente Yumi.

                Naruto suspirou e engoliu com dificuldade a bola presa em sua garganta.

                -Yumi, quero que você me traga a ficha completa de Hyuuga Hinata o quanto antes. – Naruto se levantou e ajeitou o jaleco branco, que estava amassado.

                -O que houve? – Perguntou Yumi. – Aconteceu algo?

                Naruto caminhou com rapidez para a sala de descanso dos médicos, ele sabia que em algum lugar havia uma bebida alcoólica bastante forte.

Ele estava doido para sentir sua garganta queimar.



Notas finais do capítulo

Ai está! Comentem por favor ...
Amanha (ou hj , que é dia do meu aniversario