Please, love me... [HIATUS] escrita por Aoi Blue


Capítulo 8
Como se irritar...


Notas iniciais do capítulo

Branco de novo ç_ç Simplesmente eu não sabia como continuar a fic DX

Acho que não tá vindo nada por falta de treta =P



Pov. Masaki

Passou a educação física. O professor pegou pesado dessa vez, principalmente com Karasaki, já que ele chegou atrasado, e todos estavam mortos. Ainda bem que educação física é a última aula do dia.

– Ei, cara, quer passar lá em casa? - Karasaki me perguntou.

– Pra mim tranquilo, mas achei que você iria pegar no meu pé pra estudar, já que a prova de matemática tá aí.

– Quem disse que não vou?

– Ha ha!

Quando ele tirou a camisa percebi que estava quase roxo na região de sua barriga. Ele não estava assim antes da aula, será que tem a ver com o motivo dele ter agido estranho mais cedo?

Fomos embora e finalmente para a estação de ônibus. Tá muito na cara, Karasaki está tenso.

Pov. Karasaki

Por favor, chegue o ônibus, chegue o ônibus logo! Acho que aquele cara não vai fazer nada comigo se eu ficar perto do Masaki, mas será que ele pode fazer algo mesmo assim só pra Masaki reagir e ser expluso? Eu não quero isso... Cara! O que eu faço?!

– Karasaki, o que foi?

Droga, Masaki percebeu que tou tenso, mas não tenho escolha, estou com medo.

– Nada, está tudo bem.

– Tem certeza?

– Não precisa se preocupar... Ah! Olha o nosso ônibus!

Subimos logo e seguimos para onde sempre nos sentávamos. Através da janela pude ver "aquele cara" me encarando. Detesto ter que ficar quieto, mas não quero que Masaki seja prejudicado por minha causa. Mas que merda! O que aquele cara tem contra mim?!

Quando chegamos em minha casa, após eu fechar a porta, puxei a gravata do Masaki e o beijei. Ele foi pego de surpresa com essa, mas ele correspondeu sem exitar. Eu precisava disso, só assim pra eu me sentir melhor. Ele me encostou na porta e continuamos nos beijando até faltar ar.

– Você não tava aguentando segurar isso o dia todo, não é?

– Cala a boca. Não sou tão desesperado assim.

O beijei mais uma vez e depois o afaste de mim. Enquanto eu ia pra cozinha pegar uma coisas pra cozinhar falei:

– Vamos fazer o seguinte, A gente almoça aí estudamos um pouco e depois a gente joga. Acho que assim vai ser melhor.

– Hu hu.

– O que foi?

– Com essa situação parece até que moramos juntos...

Ele falou essa frase com um olhar "sexy" e, pra variar, corei na hora. Porra! Ele falou assim de propósito!

– Se você continuar me provocando assim, vou te bater!

– Aff, tou brincando, ha ha! Mas, fala sério, cara, por que você demorou pra voltar do vestuário?

– Eu já disse que não foi nada.

– Ok...

Depois de um tempo de silêncio, voltamos a conversar mais normalmente e deixar essa história do vestuário de lado.

Pov. Fuyuki

Eu estava jogando no computador e conversando com Kazumi. Cara, não me perguntem como descobri isso, mas tou puto com ele!

– Mas por que você fez isso?! Por que você atraiu o Kawasaki pra levar uma surra do Yasuji?!

– Tsc, pra mim tanto faz, nunca tive nada tão grande com ele de qualquer forma. E, se não fosse eu, poderia ser qualquer pessoa a qualquer hora contanto que em algum momento ele ficasse sozinho só com a galera. Ele é gay e sabe a merda que dá quando Yasuji descobre essas paradas.

– Porra, não importa se a gente tinha amizade com ele ou não, estudamos na mesma turma!

– Mas quem falava com eles era você não eu. Eu já disse, pra mim tanto faz.

– Se não fosse por mim, você ficaria até hoje sozinho num canto sem ninguém. Não acredito que só por que você ficou em outra turma foi se envolver justo com o Yasuji!

– Ao menos consegui me virar sem você, né?

Agora já chega! Me levantei, larguei o meu headset e saí. No dia que inventarem um computador em que dá pra você chegar do outro lado não vou precisar fazer isso, mas até lá, aí vou eu indo de bicicleta pra casa desse vadio!

Como eu já previa, ele não deixou a porta trancada, ele nunca tranca. Me topei com ele sentado no sofá, indiferente, mexendo no computador e quando me viu aí sim ele sentiu o perigo:

– Opa, opa, pera aí!! Não acredito que você foi da sua casa até aq--

Eu o puxei pela gola da camisa e soquei a sua cara. Esse anti-social me tira do sério!

– Você é um idiota!! Não acredito que você conseguiria ser tão filho da puta!

– Yasuji só me pediu o favor de atrair o cara pro segundo andar.

– Mas você sabia o que ele queria fazer e não fez nada!

– E daí?! Por quê você se importa?!

– Por que ninguém merece ser tratado como um pedaço de lixo!

Dessa vez ele ficou quieto. Tou irritado de mais com ele, Kazumi foi muito filho da puta. O enpurrei encostando-o numa parede.

– Como você acha que ficaria pra você se eu fizesse isso na escola e alguém visse?

Encostei os meus lábios nos dele. Senti ele tentando me empurrar, mas claro que não deixei. Só depois, quando eu quis, me afastei.

– Acha que ele só me ferraria por que te ataquei? - continuei.

– Não...

– Sei que ele vai estar ferrado até se mudar de escola ou Yasuji encontrar alguém mais interessante pra ferrar só por ser gay ou, ainda, aquele filho da puta pagar pelos seus atos. Mesmo assim, se eu fosse você no mínimo pediria desculpas.

– Eu? Pedir desculpas?

– Ou isso ou você ganha mais do que um selinho ♥ E, só pra lembrar, sua porta tá destrancada.

– Ok, entendi o recado.

– Certo, vou pra casa.

Me virei e saí. Só pra constar sobre o beijo, não que eu seja gay e por isso me incomode com a "filhadaputice" ocorrida, mas é que simplesmente não gosto que as pessoas sejam tratadas mal por causa de algo tão pequeno, como alguém que goste. Hum... Queria saber Yasuji guarda tanto ódio...



Notas finais do capítulo

Meça sua viadagem parsa! kkk

Uma coisa aprendi assistindo e lendo yaois: duvide da "hetorosexualidade" dos homens XD kkk

De novo, gente, me desculpem pela demora T-T Aliás, nesse tempo aqui de brancos, eu fiz um one short, "A Creepy Love". Quem quiser, dê uma olhada =D

bjs

~ Aoi