Please, love me... [HIATUS] escrita por Aoi Blue


Capítulo 3
Se continuar assim...


Notas iniciais do capítulo

Mais um capítulo pra vocês, meus lindos ^3^



Eu e Masaki fomos juntos pra parada de ônibus. Iríamos primeiro pra casa dele pegar o seu jogo, ele aproveitaria isso pra deixar sua mochila e trocar de roupa, daí logo em seguida iríamos andando pra minha casa. A diferença é de pouco menos de um quarteirão, então dá pra irmos tranquilamente.

Chegando na estação, encontramos dois caras que estudaram na nossa turma ano passado, Fuyuki e Kazumi.

– E aí, Masaki, Kawasaki! - falou Fuyuki eufórico.

– É KaRAsaki! - corrigi. Sempre confundem o meu nome...

– Foi mal, eu esqueci, hehe.

– Então, vocês tão em qual turma, já que não estão na nossa? - Masaki perguntou

– Eu tou na 2A e Kazumi na 2C.

– É um saco, cara, separou a gente tudo! - Kazumi disse fingindo um expressão de decepção.

De repente Masaki me puxou junto a ele com o braço apoiando em meu ombro e se abaixou levemente por causa da nossa diferença de altura. Engoli seco e me arrepiei pelo choque do susto.

– Ha ha! Eu e Karasaki tamos na 2B!

– Não é possível! Vocês conversam pra caramba e mesmo assim a escola não separa vocês!

–Tudo questão de sorte. - Masaki falou essa frase mostrando a língua.

– Tá, Masaki, desgruda de mim! - exclamei o afastando e rindo, mas por dentro eu tava quase tendo um troço. Tomara que eu não tenha corado ou ao menos ninguém tenha percebido...

– Qual é? Deixa eu humilhar eles mais um pouquinho, hu hu.

Todos riram. Depois e alguns segundos o nosso ônibus chegou, então eu e Masaki nos despedimos dos outros dois e entramos no transporte. Ficamos conversando de coisas aleatórias até finalmente chegarmos aonde devíamos descer. Andamos um pouco até chegarmos na casa do Masaki.

– Tadaima!

Nenhuma resposta.

– Estranho, parece que não tem ninguém. - cara... Como sou "gênio"!

Tiramos nossos sapatos e Masaki olhou em volta. Ele encontrou um papel e o leu rapidamente.

– A... O meu pai tá com um turno extra no trabalho e a minha mãe saiu pra fazer compras... De boa então. Vou até aproveitar e deixar um recado avisando que vou tar na sua casa.

Ele escreve rapidamente num pedaço de papel e deixou junto daquele que a mãe dele deixou o recado.

– Vou me livrar disso (a mochila), pegar meu jogo e trocar de roupa. Espera aí que já volto.

– Ok, ok...

Ele subiu rapidamente as escadas enquanto encostei-me numa parede, esperando e segurando minha mochila na mão. Engraçado que faz tempo que não vou pra casa do Masaki, normalmente ele passa mais na minha. Deve ser por que é mais legal e descontraído e não tem ninguém pra mandar arrumar tudo depois, he he.

Ele tá demorando... Fui esperar um pouco mais, mas nada. Decidi deixar a minha mochila no canto e subir, mas quando pisei no primeiro degrau ele veio descendo correndo:

– Foi mal pela demora, eu não tava conseguindo achar o j--

Ele não conseguiu terminar a frase pois ele tropeçou e acabou caindo em cima de mim. Meu coração quase parou. O seu corpo estava sobre o meu e seu rosto estava muito próximo.

– Merda, foi mal aí - ele falou se levantando - eu não devia ter decido daquele jeito.

Masaki ia estender a mão pra me ajudar a me levantar, mas dei o jeito de me levantar logo e pegar a minha mochila.

– Não tem problema, vamos logo. - falei evitando olhar pra ele e indo colocar meus sapatos e sair pela porta.

Muito perto. Chegou muito perto. Nossos rostos estavam tão próximos, juro que se eu deixasse rolar acabaria o beijando. Merda! Não posso deixar as coisas acontecerem assim! E o meu coração estava batendo forte, eu sentia o meu rosto vermelho. Droga! Droga! Droga!

– Ué, Karasaki? O que foi?

– N-nada!

– Acabei fazendo algo errado por causa da queda? Foi mal, acabei tropeçando.

– Eu sei! Eu sei!

Preciso chegar logo em casa me controlar. Ele não pode perceber! Não pode!

Finalmente chegamos, então abri a porta. Masaki deve estar confuso atrás de mim... Que desculpa eu poderei dar?

– Dá pra você subir pro meu quarto e colocar o jogo no meu PS3 logo? Vou pegar uns salgados na cozinha pra gente comer.

Ele demorou alguns segundos pra responder, talvez estivesse desconfiado, mas logo ele disse "beleza", deixou os tênis na porta e subiu. Eu fui primeiro pro banheiro do andar de baixo lavar o rosto. Ele estava levemente vermelho, mas eu ainda sentia o meu coração palpitando. Por que isso? Sempre sustentei nossa amizade de boa, agindo sempre naturalmente, por que de repente estou assim? Como qualquer coisinha, qualquer contato que Masaki faça comigo, me deixa nervoso?

Durante as férias, admito que fiquei o tempo todo pensando em Masaki, esperando o dia que nos veríamos de novo. Será que é isso? Eu ficar tanto pensando nele e sonhando com ele tá me fazendo perder o controle? Isso é um problema... Se continuar assim, não vou conseguir me segurar.

Depois de finalmente ter me acalmado, fui para a cozinha pegar os salgados e aproveitei pra pegar duas latas de refrigerante, então subi. Cheguei no meu quarto e Masaki já tava jogando como "um jogador".

– Fui jogando logo, você tava demorando.

– Na sua casa você também tava!

– Hehe, foi mal aí.

Coloquei os salgados e os refris ao lado dele e disse:

– Pode ir jogando aí, só vou trocar de roupa por que não aguento mais essa gravata do uniforme.

– Hu hu, também detesto essa gravata.

Troquei a calça social por um jeans e a blusa por uma camisa cinza com uma estampa de Nova York. Masaki estava hipnotizado pelo jogo, ele adora jogos de luta, então nem notou quando terminei de trocar de roupa. Fiquei olhando pra ele por alguns segundos antes de recobrar o foco e sentar ao lado dele.

– Ok, agora deixa eu jogar por que não vou ficar só olhando!

– Nem pensar, vou zerar e desbloquear todos os lutadores, aí a gente conversa.

Fui pra cima dele pra tentar pegar o controle.

– Me dá essa porra! Eu falei que sou o play 1!

– Quem mandou demorar?!

– Devolve, porra!

Ele ficou tentando me impedir um pouco e depois cedeu o controle pra mim. Ele riu do meu ato infantil, mas também ri do dele. Eu não quero estragar tudo, não posso deixar que o fato de eu ter passado as férias inteiras pensando nele estrague o que eu tenho me esforçado pra manter. Tenho certeza que depois de um tempo voltando a conviver com ele como bons amigos tudo vai voltar ao normal.

O que eu mais desejo é que ele me ame, mas, se ele não sente por mim o mesmo que sinto por ele, prefiro manter a nossa amizade do que jogar tudo fora.

Masaki, jamais senti por alguém o mesmo que sinto por você. Eu te amo. Eu te amo. Eu te amo.



Notas finais do capítulo

Quase Karasaki é descoberto, kkk.

Não seja um fantasminha, deixe seu comentário ;)

~Aoi



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Please, love me... [HIATUS]" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.