Enchanted escrita por Sabrina Delfin


Capítulo 2
Impression


Notas iniciais do capítulo

Ola pessoas do mundo! Aqui vai mais um capítulo!! Por favor comentem!! Boa leitura!



Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/590503/chapter/2

Pov Clary

–Oi. - Eu respondi meio sem jeito, eu me sentia sob pressão e sem palavras diante dele que era tão.... lindo, eu tentei me concentrar, manter o foco e não demonstrar que eu estava totalmente nervosa.

–Você deve ser a nova vizinha. - ele me disse enquanto me estendia a mão para me cumprimentar- Eu sou Jace!

–Clary. -Eu me apresentei pegando sua mão, e me senti arrepiar da ponta dos meus dedos a raiz do cabelo. Não sei quanto tempo estávamos de mão dadas e nos encarando, só sei que eu finalmente soltei sua mão e ele disse.

–Então Clary, em que posso ajuda-la .

–Eu queria saber se vocês não teriam uma mangueira para emprestar, a nossa se perdeu na mudança- Ai meu Deus mãe, porquê você precisa disso, e mais, porquê eu tive que ser uma boa filha e vir aqui por você.

–Eu até te emprestaria, mas é que eu furei ela.- Ele sorria e parecia se recordar de algo divertido.

–Tudo bem então, desculpe te encomodar.

–Que isso! Foi um prazer te conhecer!- Ele me disse ainda com aquele sorriso que derreteria qualquer coisa e faria o sol parecer inútil.

–Foi um prazer conhece-lo também- Me virei e sai tirando o meu celular do bolso –eu sempre mecho no me celular quando fico nervosa ou envergonhada, que no caso foi os dois- eu estava indo em direção a calçada quando vi uma garota de cabelos escuros na altura do ombro vindo na minha direção oposta, ela passou por mim e me olhou de cima a baixo com pura arrogância, eu ignorei e continuei andando por que é o que eu faço com esse tipo de gente, eu ignoro. Cheguei até a porta da minha casa e dei uma última olhada na casa vizinha e vi a garota metida e Jace, eles se beijavam abraçados, eu desviei o olhar rapidamente e enrubesci, ‘’então ela é namorada dele, okay’’.

Entrei em casa e fechei a porta, respirei fundo e fui até a cozinha onde minha mãe se encontrava fazendo o jantar.

–Oi Clary, já voltou??- ‘’Não, eu ainda estou lá, eu sou só uma ilusão” pensei sarcástica, mas não respondi a ela.

–Eles não tinham mangueira!- Falei prestes a subir as escadas.

–Menos mau, depois que você saiu eu a encontrei dentro de uma das caixas! – ‘’Aaaaahh’’ como minha mãe consegue ser assim??

–Que bom mãe, agora eu vou para meu quarto. –Fingi um ótimo humor e um sorriso forsado, e subi as escadas enquanto ouvia minha mãe dar risada da minha cara. Entrei no meu quarto e fiquei por lá de bobeira até minha mãe me chamar para o jantar, aquela noite seria só eu e ela já que Luke estava viajando, jantamos e depois eu voltei para o meu quarto, tomei banho e fiz duas tranças que no dia seguinte eu irei solta-las para deixar o cabelo ondulado, coloquei o pijama e fui dormir.

Me acordei no meio da noite com sede, olhei a hora no meu celular que ficava embaixo do meu travesseiro, eram quatro horas da manhã, eu me levantei, abri a porta do meu quarto e coloquei a cabeça pra fora e encarei as duas direções daquele longo corredor escuro, sai de lá e fui em direção as escadas e parei no topo para observar a escuridão e o interruptor que ficava ao lado da porta, desci as escadas correndo, chaguei até o interruptor e ascendi as luzes da enorme sala ‘’até agora tudo bem’’ pensei e me dirigi até a cozinha e mais uma vez ascendi a luz da mesma, bebi um copo da água e guardei o copo, assim que o fiz as luzes da sala e da cozinha se apagaram, senti um arrepio na espinha. Foi quando eu ouvi uma voz de uma mulher em um sussurro as minhas costas porque fez isso comigo? Eu amava você, eu me virei depressa e dei de cara com uma garota na porta da cozinha, ela estava vestida com um vestido vermelho de bolinhas brancas que ia até os joelhos, daqueles bem rodados e antigos ela era loira e estava chorando, ela se virou de costas e andou ou flutuou até a sala, não tenho certeza pois ela mau mechia as pernas e não fez barulho algum enquanto ia até a sala se é que ela encostava os pés no chão, eu não fiquei ali para descobrir e corri para as escadas mas mais uma vez eu esbarrei com ela que estava no topo das escadas e continuava repetindo sem nem mecher os lábios porque fez isso comigo? Eu amava você e virou no corredor, ou melhor, na direção do meu quarto.

–Ta me tirando né?- falei para mim mesma e a segui, eu precisava entrar no meu quarto de qualquer jeito, subi as escadas correndo e a encontrei parada na porta do meu quarto, ela me olhou, se virou e atravessou a porta, ‘’ai que droga’’ pensei, abri a porta do quarto e entrei, ela estava em pé na janela e se segurava aos lados da mesmas, a janela era larga e enorme, ficava a 30cm do chão e a 20cm do teto, resumindo, enorme, ela estava de costas pra janela e de frente pra mim porque fez isso comigo? Eu amava você repetiu mais uma vês antes de se jogar da janela, eu corri na direção dela e olhei pra baixo, não havia nada, apenas aquela altura gigantesca que se alguém se jogasse concerteza morreria, aquela fantasma fez isso, talvez quisesse me dizer alguma coisa, não sei, mas isso foi estranho.


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!


Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado, e mais uma vez eu peço que comentem!!! bjs na bochecha de todo mundo



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Enchanted" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.