Where flowers grow wild escrita por Marie


Capítulo 19
Capítulo 19 - Surpresas




No fim das contas, depois de muito alarde por parte do amigo, Dorian resolveu permanecer alguns dias a mais em Londres. Não para reencontrar as antigas amantes como Edward havia sugerido, mas sim porque havia tomado uma resolução: estava determinado a fazer de seu casamento algo agradável para os dois envolvidos e isso lhe custaria um tempo a mais longe de casa a fim de resolver pequenos detalhes que o ajudariam nesse intento. Edward, por sua vez, parecia incrédulo com aquela situação, balançando a cabeça de um lado para o outro sempre que Dorian falava de seus planos para conquistar a esposa, que ironicamente parecia ser a única mulher que não podia ter.

“Você será um bom amante, Dorian, mas nunca um bom marido” Edward lhe disse em um dos seus raros momentos de reflexão profunda. “E quando sua luxuria passar nem mesmo isso poderá ser”.

Por mais que aquelas palavras o tivessem afetado, o conde tentou afastá-las para o fundo da mente. Concordava que toda aquela ânsia que sentia com relação à esposa tinha a ver apenas com o desafio de conquista-la e tão logo o vencesse perderia o interesse nela assim como acontecera em todas as outras vezes, mas mesmo assim não via motivos para não fazer por onde deixar sua esposa o mais feliz possível a seu lado. Embora Edward tivesse razão sobre sua incapacidade de ser um bom marido, ou de ser um amante duradouro, ao menos tentaria oferecer a ela sua amizade quando a chama do desejo que sentia finalmente se extinguisse, e esperava sinceramente que isto bastasse.

Estava justamente pensando nisso quando chegou a Kenwood e tratou imediatamente de cruzar os enormes jardins de sua propriedade em direção à estufa onde havia sido informado que a condessa estaria. No entanto ao chegar, deparou-se com uma cena que jamais estaria esperando: Victor estava inclinado para frente e tinha as mãos pousadas no queixo de Nicole que sorria alegremente para ele, sentada em uma das cadeiras da mesinha de chá que por sua vez abrigava sobre seu tampo uma boa quantidade de papeis.

Pareciam tão felizes que nem mesmo viram Dorian na porta e este teve que pigarrear para chamar atenção de ambos, que assustados puseram-se de pé imediatamente. Por alguma razão Dorian sentiu como se seu estomago queimasse e dentro dele a mesma criatura viva, que reconheceu do baile em que havia batido em Lorde Ashton, se mover furiosa.

—Está de volta!— Nicole exclamou dando um passo em sua direção, com uma expressão que era um misto de preocupação e alívio.

— É o que parece— Dorian respondeu sem poder conter o sarcasmo que subitamente tinham lhe tomado a voz— o que faziam aqui?

— Ela me mostrava as flores que estava cultivando e permitiu que eu fizesse alguns desenhos— Victor respondeu recolhendo rapidamente os papeis espalhados sobre a mesa e depois sorriu para o outro que o encarava com uma expressão indecifrável— Fico contente que esteja de volta e bem. Como pode ver mantive tudo intacto.

—Não tinha dúvidas disso— Dorian respondeu ainda sentindo-se estranhamente incomodado. Victor era seu melhor amigo, por Deus! Se ele dizia que desenhava era porque realmente estava desenhando. Mas se era assim então por que diabos ele estaria...?

Houve alguns segundos de tenso silencio antes que alguém mais voltasse a falar.

— Bem, acho que gostaria de falar com sua esposa a sós primeiro. Espero você na biblioteca — Victor comentou, desta vez com uma expressão tão séria quanto a do amigo e então virou-se para Nicole fazendo a ela uma reverencia fria— Senhora.

Em resposta Nicole apenas lhe fez outra reverencia fria e silenciosa, mas a sua expressão parecia um tanto infeliz. Nem de longe lembravam os mesmos que estiveram rindo antes da chegada do conde.

Então Victor partiu, não sem antes tocar amistosamente o ombro de Dorian ao passar. Um gesto que apenas fez o conde recordar-se que o loiro tinha as mãos sobre o rosto de sua esposa à poucos minutos atrás, coisa que ele mesmo demorou meses para ter o direito de fazer. Isso o incomodou o suficiente para que cruzasse os braços na altura do peito.

—O que ele fazia aqui?— ele voltou a perguntar com aspereza quando Victor estava suficientemente longe.

—Fazia desenhos enquanto fingia não estar me vigiando— ela respondeu cruzando os braços sobre o peito também— Você me deixou uma babá enquanto passava o mês inteiro em Londres fazendo Deus sabe o quê, lembra-se?

Aquela resposta desarmou-o completamente e ele não pode deixar de sorrir para ela. Pelo menos por hora esqueceria aquele assunto.

—Isso no seu tom é ciúme, milady?— ele questionou arqueando uma sobrancelha desafiador— Adiantaria se eu dissesse que só tenho olhos para você?

— Não seja ridículo— ela respondeu corando um pouco, mas depois serrou os olhos novamente com um ar belicoso— Me deve respostas. Muitas respostas, senhor Van Dorts.

—Você também, querida— ele respondeu — Mas por enquanto não quero suas respostas. Primeiro desejo que venha ver um presente que trouxe para você.

—Um presente?— ela repetiu dando mais um passo em direção ao marido— Devo ficar assustada com essa gentileza? Afinal você sabe que a julgar pelo histórico dos seus presentes eles nunca antecedem boas coisas.

Ao pensar um pouco Dorian se deu conta que aquilo era verdade, mas preferiu fazer uma expressão de quem estava ofendido.

— Ás vezes você poderia apenas fingir ser uma garota boazinha e sorrir para mim— ele retrucou— Poderia me dar um beijo de agradecimento também, é claro...

—Como posso agradecer se nem sei do que se trata?

—Então quando souber, e gostar, pretende me dar um beijo?— O conde preguntou lançando a ela seu melhor sorriso cafajeste.

—Não sou uma “garota boazinha”— ela respondeu marcando as aspas com os dedos e aquela frase inocente incendiou o corpo do conde. Francamente ele não esperava que ela fosse.

—É isso que a torna atraente, milady— ele comentou sorrindo com malícia e então foi até ela para oferecer-lhe o braço.

—Não ache que vou esquecer-me de lhe fazer perguntas— a condessa resmungou enquanto tomava o braço dele.

—Não tinha qualquer intenção de que isso acontecesse.

x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x

O presente que Nicole recebeu estava muito acima de qualquer expectativa que pudesse ter, pois ao ser guiada para o saguão de entrada da mansão encontrou parada em frente a porta ninguém menos que sua irmã Gabriele, lindamente vestida de branco como se fosse um anjinho. Não pode sequer conter o impulso de correr até a menina que deu um gritinho ao ser agarrada e sufocada por meio milhão de beijos.

—Oh, Nic, você está me sufocando!— a criança piou realmente sufocada pelo abraço da irmã mais velha que riu como uma tola ao soltá-la.

— Como você cresceu!

—Claro que sim! Como poderia ter ficado do mesmo tamanho por tantos meses?— Gabriele respondeu rolando os olhinhos idênticos aos da irmã— Além disso, precisei crescer bem rápido porque quando você foi embora me tornei a nova mulher da casa.

Dorian abafou uma risada. A maneira com que Gabriele anunciou que era a nova “mulher da casa” com um orgulho típico dos homens era simplesmente adorável. De fato, as mulheres Dashwood eram muito peculiares.

Neste momento Nicole começou a enchê-la de perguntas sobre os mais variados assuntos e Dorian viu que esta era a deixa perfeita para escapar. Não tinha nem mesmo trocado as roupas de viajem e, além disso, precisava atualizar Victor sobre os mais recentes acontecimentos por mais que aquela ideia não lhe agradasse muito no momento. Infelizmente para ele aquela conversa era importante demais para ser adiada, pois Lorde Ashton havia fugido e a polícia não conseguira encontrar nem mesmo a sombra do homem até aquele momento.

Só as voltou a ver mais tarde, no jardim, correndo entre as tulipas. Os cabelos soltos movendo-se ao sabor da brisa e dos movimentos que faziam. Era quase como se as duas fizessem parte do ambiente, duas flores selvagens em meio a calmaria das outras. Uma visão que aqueceu lhe o coração de uma forma que nunca tinha sentido antes fazendo-o desejar que pudesse ter aquilo todos os dias de sua vida.

Só resolveu aproximar-se quando as viu deitar na grama, rindo audivelmente.

—divertindo-se?— ele questionou e Gabriele o brindou com um sorriso encantador.

—Muitíssimo!

—Sabe cavalgar Gabriele? Gostaria de aprender?

A menina abriu os olhos como pratos.

—Posso?— ela perguntou a Nicole que apenas acariciou lhe os cabelos sedosos enquanto ponderava.

— Por favor!— Dorian e Gabriele pediram ao mesmo tempo, fazendo-a rir e só então concordar.

Depois que a menina saiu na frente para pedir que preparassem os cavalos, Dorian sentou-se ao lado de Nicole na grama.

— Obrigada por isso, Dorian— Nicole agradeceu com toda a sinceridade.

— Ensiná-la a cavalgar não me custará nada e será um prazer...

—Sabe do que estou falando!— ela reclamou dando uma tapinha no ombro dele que apenas riu, não resistindo ao impulso de afastar do rosto dela uma mecha de cabelo.

—Está feliz?

—Não tenho palavras...

—Deixei a mulher da língua mais afiada que conheço sem palavras?

—Ás vezes acontece— ela respondeu dando de ombros e ele riu de novo.

—Posso te dar mais uma surpresa?— ele perguntou ao que ela abriu os olhos curiosa— Vamos comemorar o aniversário dela aqui! Já combinei tudo com ela. E seu pai chegará em breve também, mas será para ficar definitivamente.

Nicole não pareceu entender então ele continuou explicando.

— Vendi a ele um bom pedaço de terra no condado e ele pretende instalar-se em Kenwood com Gabriele. Você poderá vê-los todos os dias, sempre que desejar.

Os olhos de Nicole encheram-se de um brilho que nunca tinha visto na vida e ele se pegou adorando cada centímetro daquela expressão. Não pôde fazê-lo por muito tempo, no entanto, pois ela agarrou-se a ele em um abraço que expressava muito mais que apenas agradecimento.

Pela primeira vez Dorian percebeu o quanto estava genuinamente feliz e desejou do fundo do coração que pudesse permanecer assim para sempre.



Notas finais do capítulo

E então, gente? Palpites sobre o que Victor estava fazendo com Nicole na estufa?
( Tempo para uma risada maligna de quem não vai contar para vocês. hauhauhauhau)

Brincadeiras a parte espero que tenha gostado do capítulo! Não deixem de comentar o/



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Where flowers grow wild" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.