Confusões do Amor. escrita por My other side


Capítulo 11
11 - Dilan.


Notas iniciais do capítulo

Pessoas, um ótimo capítulo para vocês, até amanhã.



Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/587101/chapter/11

POV Jace

Depois que sai da casa da Clary as três da tarde, peguei um táxi e fui para a boate, onde meu carro estava. Dirigi tranquilamente até em casa, vez ou outra eu me distraia pensando na noite que tive com Clary. Ela é uma garota tão sensacional, tão meiga. Chega a ser um pecado magoa-la.

Assim que cheguei em casa, meus pais estavam com uma cara nada boa, eu tinha sumido a noite toda e a metade do dia de hoje, assim que fechei a porta atrás de mim, a atenção deles veio direto para mim, respirei fundo e esperei as broncas começarem.

Vá para o seu quarto, tome um banho e desça, queremos falar com você. – Maryse disse. E assim eu fiz.

Entrei no meu quarto e tirei a roupa, entrei no banheiro e tomei um longo banho, estava com o cheiro da Clary, não queria perde-lo, mas precisava. Desliguei o chuveiro e me sequei, sai enrolado em uma toalha e vi Izzy sentada na minha cama, com cara de quem queria saber de tudo.

Quero saber de tudo maninho, como foi a noite? – Ela disse sorrindo.

Como sabe da minha noite? – Perguntei perplexo, ela não sabia que sai com a Clary.

Suas roupas estão com um estranho cheiro de morango e sabão.

– Você cheirou minha roupa?

– Detalhes, pare de mudar de assunto. – Ela falou exasperada. – Conte logo.

– Levei a Clary ao Pandemônio. Dançamos, bebemos, e fomos para a casa dela, onde eu estava até agora. – Eu disse e ela sorriu maliciosa.

Transaram todo esse tempo?

– Claro que não. Não transamos.

– Por que? Ela ainda é virgem e tem medo de alguma coisa?

– Não. Mas aconteceram algumas coisas com ela pra que ela fosse mais cuidadosa sobre isso?

– Que coisas?

– Não posso contar Izzy, é coisa dela. – Isabelle revirou os olhos.

Jace... me conta.

– Isabelle Lightwood. Não vou dizer. – Briguei com ela, que finalmente pareceu ceder.

Tá bem, mas e esse cheiro de morango.

– Eu disse, nós nos beijamos. O cheiro dela ficou em mim. – Disse dando de ombros. – Agora sai do meu quarto.

– Tchau maninho. – Ela se levantou da minha cama e saiu do quarto.

Troquei de roupa e desci as escadas, meus pais ainda me esperavam na sala, e sinceramente, fiquei com medo deles. Meu pai parecia a ponto de ter um infarto e minha mãe estava com uma cara, que parecia até que eu tinha matado alguém, me sentei a frente deles e esperei que começassem. Minha mãe suspirou e começou a falar.

Jonathan, você pode começar dizendo onde esteve a noite e o dia todo?

– Fui para o Pandemônio. E passei a manhã toda na casa da Clary, a garota com quem fui a boate.

– Não podia ter ligado, ou ao menos dito que foi ao Pandemônio. Nem mesmo Isabelle sabia onde tinha ido. Não é por que fez dezoito anos, que pode sair sem dar explicações, ainda somos seus pais. – Robert disse.

Tá, tudo bem. – Respondi revirando os olhos, pelas minhas contas, essa era a trigésima sexta vez que eu levava bronca pelo mesmo motivo, dormir fora de casa e não avisar, só que dessa vez, eu não transei com a garota.

Faltou aula também, não está tudo bem. – Meu pai respondeu zangado.

Não tinha nada importante.

– Quer reprovar outra vez.

– Sabe que não vai acontecer de novo, eu prometi.

– Tudo bem Jace. – Minha mãe desistiu. – Vá para o quarto.

Isso é muito chato, já fiz dezoito anos e mesmo assim, eles me tratam como se tivesse dez. voltei para o meu quarto e me joguei na cama, logo as lembranças da noite passada invadiram minha mente. Sorri ao lembrar do gosto dos lábio da Clary nos meus, morando e cereja. Minhas frutas preferidas.

POV Clary

Depois que o Jace foi embora, liguei para o meu irmão e mandei ele vir para casa, não queria ficar sozinha, meus pais, ainda não tinham chegado sabe-se lá onde aqueles dois estão, sinceramente eu nem quero saber ou imaginar. Logicamente que o Sebastian não gostou nada de voltar pra ficar aqui comigo, mas como ele ama a irmãzinha dele, ele chegou em menos de meia hora.

Maninho! – Eu disse pulando no pescoço dele.

Que carência. O que foi? – Disse ele me colocando no chão.

Acho que aconteceu de novo. – Disse o fitando.

Jace? – Ele perguntou afagando meus cabelos.

É. Fomos ao Pandemônio. – Ele franziu o cenho em desaprovação. – Bebemos, nos beijamos e viemos aqui para casa.

– Clary, você prometeu...

– Eu sei. E cumpri minha promessa, não aconteceu nada de mais, apenas dormimos.

– Quer mudar de escola de novo? – Ele perguntou me abraçando.

Não. Por enquanto não. Não tenho motivos.

– E espero que não tenha nenhum. – Ele sorriu.

Vamos comer?

– Ok.

Sebastian fez omelete e suco de uva, comemos tudo e fomos assistir TV, já era tarde da noite quando nossos pais chegaram todo sorridentes, nos cumprimentaram e subiram para o quarto, meu irmão me deu um sorriso malicioso e logo depois caímos na risada. Fui para o meu quarto e rapidamente peguei no sono, que me trouxe sonhos, vários sonhos com um certo loiro natural.

Na manhã seguinte, me levantei as 06:25, me arrastei para fora da cama e fui tomar banho, fiz minha higiene matinal e sai do banheiro enrolada em uma toalha, fui até o guarda roupas e peguei roupas intimas, as vesti e escolhi minhas roupas para a escola e as vesti, calça com rasgos, uma regata, saltos e cabelos soltos (http://www.polyvore.com/s3/set?id=148375689). Peguei minha mochila e desci as escadas, Sebastian estava tomando café, me sentei ao lado dele e peguei uma maçã.

Bom dia, cadê nossos pais? – Perguntei.

Saíram. Vamos?

– Ok.

Entramos no carro dele e meu irmão dirigiu como um louco, exatamente como todos os dias da vida dele. Assim que chegamos, vi Alec, Izzy e Jace. Meu irmão e eu fomos até eles e eu abracei a todos, dei um beijo na bochecha de Jace e ele passou o braço pelo meu ombro. Ficamos um bom tempo ali conversando, até eu sentir meu irmão ficar tenso ao meu lado.

O que foi Sebbys? – Perguntei.

Desgraçado... – Ele disse entredentes e eu me virei par olhar a direção que o olhos do meu irmão estavam. O ar saiu dos meus pulmões assim que meus olhos encontraram com os dele. Mesmo com os anos que se passaram, eu nunca esqueceria aqueles olhos.

Dilan!


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!


Notas finais do capítulo

Desculpem por estar curto, mas sabe como é quando sua mãe insiste em dizer que você está viciada na internet, acabou com a minha inspiração. Até mais. Quero rewiers.